METODOLOGIAS ATIVAS NA QNESC (2011-2020): UM OLHAR PARA AS AULAS DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i2.13719

Palavras-chave:

Ensino de Química, Metodologias ativas, Práticas educativas

Resumo

Este estudo teve como objetivo compreender como as metodologias ativas estão sendo utilizadas em aula de Química no Ensino Médio de acordo com a produção veiculada na Revista Química Nova na Escola (QNEsc) na última década. De caráter descritivo e exploratório, essa pesquisa bibliográfica é do tipo estado do conhecimento, possui abordagem qualitativa e teve como fonte de dados a Revista QNEsc, artigos publicados no recorte temporal entre 2011 e 2020. Para a seleção, foram analisados os títulos, resumos e palavras-chaves para fins de confirmação de quais textos tinham relação direta com a temática ‘metodologias ativas’. Dos 14 artigos selecionados, foram levantadas características como: tipo de metodologia, etapa da escolarização, conteúdo abordado, materiais e recursos utilizados, desenvolvimento da aula e resultados alcançados. Os textos abordam três tipos de metodologias ativas: Problematizadora, estudo de caso e jogos didáticos com viés na gamificação. O público mais recorrente foram estudantes do 2° ano do Ensino Médio. Sobre os conteúdos mais frequentes destacaram-se: Tabela Periódica, Termoquímica e Química Orgânica. O uso de tecnologias, atividades e questionamentos, além dos próprios jogos, foram os recursos utilizados. Pela descrição das aulas, percebem-se aspectos importantes, como o planejamento prévio do professor, a formação de grupos e o protagonismo estudantil. Além de dinâmicas, essas aulas contribuíram com a aprendizagem, pois a compreensão dos conceitos químicos foi favorecida. Logo, após a análise do material, conclui-se que as metodologias ativas vêm sendo utilizadas no Ensino de Química como estratégia para a construção de um conhecimento ativo, autônomo, protagonista e eficiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Valdiceia Viana Morais Caetano, Professora de Química na Rede Estadual em Confresa, Mato Grosso, Brasil.

Graduação em Licenciatura em Ciências da Natureza com Habilitação em Química (IFMT Campus Confresa). Especialização em andamento Ensino de Ciências (IFMT Campus Confresa). Professora de Química na Rede Estadual em Confresa, Mato Grosso, Brasil.

Marcelo Franco Leão, Instituto Federal de Mato Grosso (IFTO), Confresa, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Química Licenciatura Plena pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2006) e em Física Licenciatura pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2015). Tem Especialização em Orientação Educacional pela Faculdade Dom Alberto (2009) e em Especialização em Relações Raciais na Educação e na Sociedade Brasileira pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012). É Mestre em Ensino pela Universidade do Vale do Taquari (2014) e Doutor em Educação e Ensino de Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018). Tem experiência docente na área de Ensino de Química. Ministrou aulas de Metodologias para o Ensino de Química, Química Geral, CTS, e Química Analítica no Ensino Superior. Desde 2003 atua como professor na Educação Básica das disciplinas de Ciências, Química e Física. Atualmente é professor EBTT efetivo do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Campus de Confresa/MT. Participa do Grupo de Pesquisa Ensino de Ciências e Matemática no Baixo Araguaia (GPEnCiMa), registrado no CNPq, e atua como editor da Revista Prática Docente. É coordenador de área do Programa de Iniciação à Docência (PID) Núcleo Confresa. Atua como Docente Permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEn - IFMT). Tem capacidade de comunicação, de articular e contextualizar informações, de constante atualização, habilidade para compreender questões lógicas, para pensar e solucionar conflitos, familiaridade com computadores e novas tecnologias, gosto pela pesquisa, responsabilidade, ética e integridade, flexibilidade e adaptabilidade, disciplina, capacidade de negociação. 

Referências

AIRÉS, P. História social da criança e da família. 2. ed. Rio de Janeiro, 2006.

BORGES, M. C. et al. Aprendizado baseado em problemas. Ribeirão Preto, v. 47, n. 3, p. 301-307, Jul/set. de 2014.

BORGES, T. S; ALENCAR, G. Metodologias na promoção da formação crítica do estudante: o uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, n. 4, p. 119-143, Jul/Ago, 2014. Disponível em: https://www.ea2.unicamp.br/mdocs-posts/metodologias-ativas-na-promocao-da-formacao-critica-do-estudante-o-uso-das-metodologias-ativas-como-recurso-didatico-na-formacao-critica-do-estudante-do-ensino-superior/. Acesso em: 12 abr. 2022.

CRUZ, P. E. Metodologias ativas para a educação corporativa. Salvador: Prospecta, 2018.

DEWEY, J. Filosofia em reconstrução. São Paulo, 2. ed. p. 55-65, 1958.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, [S. l.], v. 14, n. 1, p. 268–288, 2017. Disponível em: https://periodicos.ifsul.edu.br/index.php/thema/article/view/404 . Acesso em: 12 abr. 2022.

FREIRE, P. Educação com prática da liberdade. Rio de Janeiro - RJ: Editora Paz e terra, 1997.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. São Paulo, 25. ed. 1996.

GIESE, E.; FARIA, F. L.; CRUZ, J. W. S. Mineropólio: uma proposta de atividade lúdica para o estudo do potencial mineral do Brasil no Ensino Médio. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 43, n. 3, p. 295-305, ago. de 2020. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160211

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

LEITE, L. M.; ROTTA, J. C. G. Digerindo a Química Biologicamente: A Ressignificação de Conteúdos a Partir de Um Jogo. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 38, n. 1, p. 12-19, fev. de 2016. http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20160003

LEITE, M. A. S.; SOARES, M. H. F. B. Jogo Pedagógico para o Ensino de

Termoquímica em turmas de educação de jovens e adultos. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 43, n. 3, p. 227-236, ago. de 2020. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160205

LOVATO, Fabricio Luís; MICHELOTTI, Angela; LORETO, Elgion Lucio da Silva. Metodologias ativas da aprendizagem: uma breve revisão. Revista Acta Scientiae, Canoas – RS, v. 20, n. 2, p. 154-171, mar/abr. de 2018. https://doi.org/10.17648/acta.scientiae.v20iss2id3690

MACIEL, A. G. et al. Aprendizagem baseada em problemas: uma metodologia ativa para ensinar substâncias e misturas. p. 14-27. 1. ed. Uberlândia: Edibrás, 2020.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Porto Alegre: Penso, 2018.

MOTA, A.; WERNER DA ROSA, C. Ensaio sobre metodologias ativas: reflexões e propostas. Revista Espaço Pedagógico, v. 25, n. 2, p. 261-276, 28 maio 2018. https://doi.org/10.5335/rep.v25i2.8161

MOROSINI, M. C.; FERNANDES, C. M. B. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, v. 5, n. 2, p. 154-164, 13 out. 2014. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2014.2.18875

OLIVEIRA, A. L. et al. O Jogo Educativo como Recurso Interdisciplinar no Ensino de Química. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 40, n. 2, p. 89-96, mai. 2018. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160109

OLIVEIRA, J. S.; SOARES, M. H. F. B.; VAZ, W. F. Banco Químico: um Jogo de Tabuleiro, Cartas, Dados, Compras e Vendas para o Ensino do Conceito de Soluções. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 37, n. 4, p. 285-293, nov. de 2015. http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150051

FERREIRA PAIVA, M. R.; FEIJÃO PARENTE, J. R.; ROCHA BRANDÃO, I.; BOMFIM QUEIROZ, A. H. Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem: revisão integrativa. SANARE - Revista de Políticas Públicas, [S. l.], v. 15, n. 2, 2017. Disponível em: https://sanare.emnuvens.com.br/sanare/article/view/1049. Acesso em: 12 abr. 2022.

Pedrosa, Ivanilda Lacerda et al. Uso de metodologias ativas na formação técnica do agente comunitário de saúde. Trabalho, Educação e Saúde [online]. 2011, v. 9, n. 2. pp. 319-332. https://doi.org/10.1590/S1981-77462011000200009.

PEREIRA, J. A.; LEITE, B. S. Percepções sobre o aplicativo FOQ1 Química por estudantes de uma escola pública. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 1, p. e21001, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i1.11227

PINHEIRO, R. S. G.; SOARES, M. H. F. B. O Jornal da Química como Etapa Inicial de Abordagem Problematizadora: Proposta para Ensino e Formação de Professores. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo - SP, v. 41, n. 2, p. 139-147, mai. de 2019. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160134

REIS, I. F.; FARIA, F. L. Abordando o Tema Alimentos Embutidos por Meio de uma Estratégia de Ensino Baseada na Resolução de Casos: Os Aditivos Alimentares em Foco. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo - SP, v. 37, n. 1, p. 63-70, fev. de 2015. http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150009

REZENDE, F. A. M. et al. RAIOQUIZ: Discussão de um Conceito de Propriedade Periódica por Meio de um Jogo Educativo. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 41, n. 3, p. 248-258, ago. de 2019. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160149

SILVA, B.; CORDEIRO, M. R.; KIILL, K. B. Jogo Didático Investigativo: Uma Ferramenta para o Ensino de Química Inorgânica. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, 2014. http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150005

SILVA. J. E. et al. Pistas Orgânicas: um jogo para o processo de ensino e aprendizagem de química. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 40, n. 1, p. 25-32, fev. de 2018. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160101

SILVA, Francisca da; SALES, Luciano Leal de Morais; SILVA, Maria das Neves da. O uso de metodologias alternativas no ensino de química: um estudo de caso com discentes do 1º ano do ensino médio no município de Cajazeiras-PB. Revista de Pesquisa Interdisciplinar, [S.l.], v. 2, ago. 2019. ISSN 2526-3560. http://dx.doi.org/10.24219/rpi.v2i2.0.372

SILVA, J. B. da. A Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel: uma análise das condições necessárias. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 4, p. e09932803, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i4.2803. https://doi.org/10.33448/rsd-v9i4.2803

SILVA, O. B.; OLVIVEIRA, J. R. S.; QUEIROZ, S. L. SOS Mogi-Guaçu: Contribuições de um Estudo de Caso para a Educação Química no Nível Médio. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 33, n. 3, ago. 2011. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc33_3/185-RSA09110.pdf. Acesso em: 12 abr. 2022.

SOUZA, D. et al. Educação ambiental: conservação com o uso da metodologia da problematização. Uberlândia: Edibrás, 2020.

SOUZA, N. S.; CABRAL, P. F. O.; QUEIROZ, S. L. Ambiente Virtual de Aprendizagem para a Aplicação de Atividades Didáticas Pautadas na Resolução de Estudos de Caso. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 40, n. 3, p. 153-159, ago. 2018. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160125

SOUZA, R. S.; ROCHA, P. D. P.; GARCIA, I. T. S. Estudo de Caso em Aulas de Química: Percepção dos Estudantes de Nível Médio sobre o Desenvolvimento de suas Habilidades. Rev. Química Nova na Escola – QNESC. São Paulo – SP, v. 34, n. 4, p. 220-228, nov.2012. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc34_4/08-PIBID-112-12.pdf. Acesso em: 12 abr. 2022.

TOMAZ, A. R. et al. O Método de Estudo de Caso Como Alternativa para o Ensino de Química: Um Olhar para o Ensino Médio Noturno. Rev. Química nova na escola - QNESC. São Paulo – SP, v. 41, n. 2, p. 171-178, mai. de 2019. http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160158

Publicado

2022-08-29

Como Citar

CAETANO, V. V. M. .; LEÃO, M. F. METODOLOGIAS ATIVAS NA QNESC (2011-2020): UM OLHAR PARA AS AULAS DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 2, p. e22044, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i2.13719. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13719. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)