O MÉTODO HIPOTÉTICO DEDUTIVO NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA PRÁTICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS NO TEMA TRANSPIRAÇÃO DAS PLANTAS

Autores

DOI:

10.26571/REAMEC.a2019.v6.n3.p37-50.i7712

Palavras-chave:

Método Hipotético Dedutivo, Ensino de Ciências, Prática docente

Resumo

O presente trabalho apresenta uma aula experimental desenvolvida na disciplina Instrumentação para o Ensino de Ciências, ministrada no Mestrado em Ensino de Ciências na Amazônia/UEA. Este trabalho objetivou destacar que o Método Hipotético Dedutivo (MHD) é uma ferramenta muito útil no ensino no campo das ciências ambientais, já que ele permite desfazer ideias incorretas acerca dos fenômenos observados ou questionados. De acordo com o MHD toda investigação então nasce de algum problema prático/teórico sentido. É ele que dirá o que é relevante ou irrelevante pesquisar e quais os dados que devem ser selecionados. Esta seleção exige então uma hipótese, que são a conjectura e/ou suposição, que servirá de guia ao pesquisador. A metodologia utilizada foi uma Sequencia Didática com a utilização de experimentação com materiais manipuláveis. A investigação teve como premissa oseguinte questionamento: É possível utilizar este métodode pesquisa no ensino de Ciências Naturais no EnsinoFundamental? Portanto, apesar de o método hipotético-dedutivo ser pouco utilizado em práticas educacionais noEnsino de Ciências, o resultado encontrado nessa aulaexperimental demonstrou que a possibilidade de adaptarexperimentos em geral para este método é valido, noentanto, é importante que o docente tenha uma boacompreensão do método para que possa dirimir as possíveisdúvidas e nesse processo o aluno também tenha suashipóteses elucidadas de acordo com o conhecimentocientífico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Débora Regina Soares de Oliveira, Universidade do Estado do Amazonas

Mestre em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia pela Universidade do Estado do Amazonas (2019), Especialização em Educação Infantil pela Universidade Federal do Amazonas (2013-2014), graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (2011). Atualmente é professora titular na Secretaria Municipal de Educação e pedagoga na Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Amazonas. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: metodologia, aprendizagem, ciências, formação de conceitos, educação infantil e ludicidade.

Gelcimara de Lima Nobre, Universidade do Estado do Amazonas

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado do Amazonas (2016). Atualmente é mestranda em Educação em Ensino de Ciências na Amazônia pela Universidade do Estado do Amazonas (2017).

Lúcia Helena Soares de Oliveira, Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Manaus

Possui graduação em Normal Superior pela Universidade do Estado do Amazonas (2006), Mestrado pelo Programa em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia pela Universidade do Estado do Amazonas (2011) e é doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática -REAMEC (2017). Pesquisadora do Grupo de Pesquisa AIECAM-Alternativas Inovadoras para o Ensino de Ciências Naturais na Amazônia do Programa de Pós-graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia: Atualmente é professora da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Manaus. Atuando principalmente nos seguintes temas:Processos de Ensino-aprendizagem em Educação em Ciências, Educação Escolar Indígena, formação de professores; Materiais Didáticos, letramento e Educação Inclusiva.

Cirlande Cabral da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas

Pós doutorado em Educação em Ciências pela Universidade Federal de Santa Maria (RS). Doutorado em Ensino de Ciências pela Universidade Federal do Mato Grosso. Mestrado em Genética e Evolução pela Universidade Federal de São Carlos e Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Amazonas. Atualmente é professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM), É professor permanente do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (profEPT) - Rede Nacional.É professor colaborador do doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC (UFMT/UFPA/UEA) Foi professor colaborador do Mestrado Acadêmico em Educação em Ensino de Ciências da Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Foi coordenador do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do IFAM (2010). Foi Chefe de Departamento Acadêmico de Educação Básica e Formação de Professores (DAEF) do IFAM (2015-2016). Desenvolve trabalhos nas seguintes linhas de pesquisa: Ensino de Genética, Processo Ensino Aprendizagem; Instrumentação para o ensino de Ciências e Biologia; Espaços Não Formais Amazônicos; Produtos e Processos em Educação Profissional e Tecnológica (EPT), Teoria Fundamentada dos Dados (Grounded Theory) e suas aplicações no Ensino/Educação.

Referências

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BUNGE, Mário. La ciencia, su método y su filosofia. Buenos Aires: SigloVeinte, 1974a.

CHASSOT, Attico. Alfabetização Científica – Questões e Desafios para a Educação, Ijuí, Editora da Unijuí (6. ed. reimpressão 2014) 2000.

CONAN, C. A. História Ilustrada da Ciência (III). Rio de Janeiro: J. Zahar Editores, 1987.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. 5. Ed. 4. São Paulo: Atlas, 2003.

POPPER, Karl S. A lógica da pesquisa científica. 2. ed. São Paulo: Cultrix, 1975a.

POPPER, Karl S. Conhecimento objetivo: uma abordagem evolucionária. São Paulo: Itatiaia: EDUSP, 1975b.

POPPER, Karl S. Conjecturas e refutações. Brasília: Universidade de Brasília, s.d.

Publicado

2018-12-21

Como Citar

OLIVEIRA, D. R. S. de; NOBRE, G. de L.; OLIVEIRA, L. H. S. de; SILVA, C. C. da. O MÉTODO HIPOTÉTICO DEDUTIVO NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA PRÁTICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NATURAIS NO TEMA TRANSPIRAÇÃO DAS PLANTAS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 6, n. 3, p. 37-50, 2018. DOI: 10.26571/REAMEC.a2019.v6.n3.p37-50.i7712. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/7712. Acesso em: 27 out. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)