PRÁTICAS INTERDISCIPLINARES ENTRE A MATEMÁTICA E CIÊNCIAS: REFLEXÕES A PARTIR DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.16588

Palavras-chave:

Educação interdisciplinar, Práticas pedagógicas, Educação Básica, Ensino Fundamental

Resumo

Este estudo tem como objetivo investigar a abordagem da interdisciplinaridade entre os componentes curriculares de Matemática e de Ciências da Natureza no Ensino Fundamental, com base na produção científica nacional dos últimos dez anos (2012-2021). A pesquisa, realizada no primeiro semestre de 2022, teve como fontes duas plataformas renomadas, SciELO - Brasil e Periódicos CAPES. A análise dos artigos, por meio da técnica de Análise de Conteúdo, considerou as categorias: principais teóricos, conteúdos abordados, etapas de escolarização, áreas do conhecimento e estratégias adotadas. Identificou-se oito artigos científicos que abordam a interdisciplinaridade, dentro e fora da sala de aula, utilizando projetos, propostas de sequência didática e análise de livros. Dentre os principais teóricos destacam-se Japiassu (1976), Vygotsky (1978; 2001; 2004), Fazenda (1994; 2006; 2008), Santomé (1998) e Zabala (1998). Suas pesquisas abordam a proporcionalidade e a densidade, a água e a biodiversidade aquática, o lixo ambiental, o universo, a conservação e a qualidade do solo e a Educação Ambiental, com a participação de estudantes do 6° ao 9° ano do Ensino Fundamental. Além da interdisciplinaridade entre a Matemática e Ciências da Natureza, os estudos incluíram Artes, Geografia e Português. As estratégias identificadas envolveram aulas práticas, leituras, produção de texto, palestras informativas, resolução de atividades, vídeos e jogos educativos. Este estudo destaca a importância da interdisciplinaridade entre a Matemática e Ciências da Natureza na promoção da autonomia e da diversificação de estratégias nas práticas pedagógicas, contribuindo para o avanço das pesquisas educacionais no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daiana Genevro Pinheiro Magni, Escola Estadual Norberto Schwantes, Canarana, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2006) e Pós Graduação em Psicopedagogia Institucional promovida pelas Faculdades Integradas de Várzea Grande (2007). Esta cursando Mestrado em Ensino pelo Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) em parceria com a UNIC e orientada pelo Profº Drº Marcelo Franco Leão. Leciona na Educação a quinze anos e atualmente é professora efetiva do Estado da Escola Estadual Norberto Schwantes na cidade de Canarana - MT, desempenhou a função de Coordenadora Pedagógica no ano de 2016, 2020 e atua como coordenadora em 2021. Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Biologia Geral. 

Marcelo Franco Leão, Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Confresa, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Química Licenciatura Plena pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2006) e em Física Licenciatura pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2015). Tem Especialização em Orientação Educacional pela Faculdade Dom Alberto (2009) e em Especialização em Relações Raciais na Educação e na Sociedade Brasileira pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012). É Mestre em Ensino pela Universidade do Vale do Taquari (2014) e Doutor em Educação e Ensino de Ciências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2018). Tem experiência docente na área de Ensino de Química. Ministrou aulas de Metodologias para o Ensino de Química, Química Geral, CTS, e Química Analítica no Ensino Superior. Desde 2003 atua como professor na Educação Básica das disciplinas de Ciências, Química e Física. Atualmente é professor EBTT efetivo do Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Campus de Confresa/MT. Participa do Grupo de Pesquisa Ensino de Ciências e Matemática no Baixo Araguaia (GPEnCiMa), registrado no CNPq, e atua como editor da Revista Prática Docente. É coordenador de área do Programa de Iniciação à Docência (PID) Núcleo Confresa. Atua como Docente Permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino (PPGEn - IFMT). Tem capacidade de comunicação, de articular e contextualizar informações, de constante atualização, habilidade para compreender questões lógicas, para pensar e solucionar conflitos, familiaridade com computadores e novas tecnologias, gosto pela pesquisa, responsabilidade, ética e integridade, flexibilidade e adaptabilidade, disciplina, capacidade de negociação.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução: Luís Antero Reto. São Paulo: Edições 70, 2016.

BODA, C. S.; FARAN, T. Paradigm found? Immanent critique to tackle interdisciplinarity and normativity in science for sustainable development. Sustainability, v. 10, n. 10, p. 3805, 2018. https://doi.org/10.3390/su10103805.

BRASIL. Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 23 dez. 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 10 mai. 2022.

CARDANO, M. Manual da pesquisa qualitativa: a contribuição da teoria da argumentação. Tradução de Elisabeth da Rosa Conill. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

CHAHARBASHLOO, H.; GHOLAMI K.; ALIASGARI M.; TALEBZADEH H.; MOUSAPOUR N. Analytical reflection on teachers’ practical knowledge: A case study of exemplary teachers in an educational reform context. Teaching and Teacher Education, v. 87, 102931, 2020. https://doi.org/10.1016/j.tate.2019.102931.

DELORS, J. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 2000.

FAZENDA, I. C. Interdisciplinaridade: um projeto em parceria. São Paulo: Loyola, 2002.

FRADE, C.; MEIRA, L. Interdisciplinaridade na escola: subsídios para uma zona de desenvolvimento proximal como espaço simbólico. Educação em Revista, v. 28, p. 371-394, 2012. https://doi.org/10.1590/S0102-46982012000100016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33 ed. São

Paulo: Paz e Terra, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia dell'autonomia. Torino: EGA, 2014.

FREITAS, N. de F. L.; MEDEIROS, D. R.; JAPPE, M. E. G.. A prática docente efetivada na perspectiva da experimentação e da interdisciplinaridade através da temática água e sua biodiversidade em aulas para o Ensino Fundamental. PerCursos, v. 21, n. 47, p. 250-276. 2020. https://doi.org/10.5965/1984724621472020250.

GALLET, D. da S.; MEGID, M. A. B. A. O tratamento interdisciplinar entre matemática e ciências nos livros didáticos de 4º e 5º ano do ensino fundamental. Cadernos de pesquisa: pensamento educacional, Curitiba, v. 16, n. 43, p. 153-173, 2021.

https://doi.org/10.35168/2175-2613.UTP.pens_ed.2021.Vol16.N43.pp153-173.

JAPIASSU, H. Interdisciplinaridade e patologia do saber. 3 ed. Rio de Janeiro: Imago, 2006.

JONES, N. A.; ROSS H.; LYNAM T.; PEREZ P.; LEITCH A. Mental models: an interdisciplinary synthesis of theory and methods. Ecology and society, v. 16, n. 1, 2011. Disponível em: http://www.ecologyandsociety.org/vol16/iss1/art46/. Acesso em: 27 jun. 2022.

KELCHTERMANS, G.; BALLET, K.; PIOT, L. Surviving diversity in times of performativity: Understanding teachers’ emotional experience of change. In: SCHUTZ, P., ZEMBYLAS, M. (eds). Advances in teacher emotion research: The impact on teachers’ lives, p. 215-232. Springer, Boston, MA, 2009. https://doi.org/10.1007/978-1-4419-0564-2_11.

LEIS, H. R. Sobre o conceito de interdisciplinaridade. Cadernos de pesquisa interdisciplinar em ciências humanas, v. 6, n. 73, p. 2-23, 2005. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/2176/4455. Acesso em: 25 mar. 2022.

LENOIR, Y.; HASNI, A. Interdisciplinarity in Primary and Secondary School: Issues and Perspectives. Creative Education, v. 7, p. 2433-2458, 2016.

http://dx.doi.org/10.4236/ce.2016.716233.

LUCK, H. Pedagogia da interdisciplinaridade: Fundamentos teórico-metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2001.

MIRANDA, A. D.; PINHEIRO, N. A. M. O ensino da Matemática ao deficiente intelectual: projetos de trabalho em uma perspectiva contextualizada e interdisciplinar. Revista Educação Especial, v. 29, n. 56, p. 695-707, 2016. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=313148347016. Acesso em: 25 jun. 2022.

MOROSINI, M. C.; FERNANDES, C. M. B. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 154-164, jul./dez. 2014. Disponível em: https://goo.gl/TQNA9Z. Acesso em: 20 ago. 2022.

MORAES, P. P.; GONÇALVES, M. J. A. Ensino da matemática em interface com a língua materna: prática pedagógica interdisciplinar. REAMEC-Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10452.

MOREIRA, B. S. dos S; MÁRQUEZ, R. M. G.; ARAÚJO, J. C. Matemática, meio ambiente e arte: transformando lixo em luxo!. REMAT: Revista Eletrônica da Matemática, v. 6, n. 1, p. 1-18, 2020. https://doi.org/10.35819/remat2020v6i1id3513.

MOURA, P. de S.; RAMOS, M. do S. F.; LAVOR, O. P. Investigando o ensino de trigonometria através da interdisciplinaridade com um simulador da plataforma PhET. REAMEC-Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 8, n. 3, p. 573-591, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10784.

MURILLO, A.; TEJADA, J. Transforming Generalist Teachers’ Self-Perceptions Through Art Creativity: An Intervention-Based Study. International Journal of Education & the Arts, v. 23, n. 11, 2022. http://doi.org/10.26209/ijea23n11.

OLIVEIRA, L. P. de. A prática da leitura na biblioteca e suas relações no processo de alfabetização dos alunos da primeira série do ensino fundamental. 2002. 59f. Trabalho de Conclusão de Curso (Monografia), Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002. Disponível em: https://repositorio.unicamp.br/acervo/detalhe/294229. Acesso em: 20 jul. 2022.

OLIVEIRA, F.; PEREIRA, E.; PEREIRA JUNIOR, A. P. Horta escolar, Educação Ambiental e a interdisciplinaridade. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), v. 13, n. 2, p. 10-31, 2018. https://doi.org/10.34024/revbea.2018.v13.2546.

OSBORNE, J.; SIMON, S.; COLLINS, S. Attitudes towards science: A review of the literature and its implications. International journal of science education, v. 25, n. 9, p. 1049-1079, 2003. https://doi.org/10.1080/0950069032000032199.

PINTO, N. B. O erro como estratégia didática: estudo do erro na matemática elementar. Editora Papirus, 2000.

PIOVESAN, S. B.; ZANARDINI, J. B. O ensino e aprendizagem da Matemática por meio da metodologia de resolução de problemas: algumas considerações. Programa de

Desenvolvimento Educacional/PDE da Secretaria de Estado de Educação do Paraná, Paraná, 2008. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/producoes_pde/artigo_sucileiva_baldissera_piovesan.pdf. Acesso em: 26 jul. 2022.

PIOVEZAN, A. C. T.; GAMA, L. D. Astronomia e Matemática: uma proposta interdisciplinar para o Ensino Fundamental II. Educação Por Escrito, v. 10, n. 1, p. e32716-e32716, 2019. https://doi.org/10.15448/2179-8435.2019.1.32716.

POMBO, O. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Laboratório interdisciplinar sobre informação e conhecimento. Liinc em revista, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 4-16, 2005.

https://doi.org/10.18617/liinc.v1i1.186.

SANTOS, M. C.; COLOMBO JUNIOR, P. D. O ensino de ciências e matemática no Ensino Fundamental a partir de uma Sequência Didática Interdisciplinar. Revista Educação Unisino, v. 24, 2020. https://doi.org/10.4013/edu.2020.241.35.

Downloads

Publicado

2024-02-06

Como Citar

MAGNI, D. G. P. .; LEÃO, M. F. PRÁTICAS INTERDISCIPLINARES ENTRE A MATEMÁTICA E CIÊNCIAS: REFLEXÕES A PARTIR DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA . REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24018, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.16588. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16588. Acesso em: 17 abr. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)