LETRAMENTO CIENTÍFICO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES DE BIOLOGIA: CONCEPÇÃO E PRÁTICA

Autores

DOI:

10.26571/REAMEC.a2018.v6.n2.p310-323.i6560

Palavras-chave:

Ensino de Biologia, Livro Didático, Educação Básica, Ensino Médio, Alfabetização Científica.

Resumo

O presente estudo objetiva analisar como o Letramento Científico tem sido desenvolvido pelos docentes de Biologia nas escolas públicas de Ensino Médio do município de Iguatu/CE. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, de cunho exploratório, com aproximações de estudo de caso. Para coleta dos dados, utilizou-se entrevista semiestruturada junto a 13 professores. As informações obtidas foram analisadas à luz da Análise Textual Discursiva. Os resultados demonstraram que os professores entrevistados apresentam insegurança quanto ao tema deste estudo, bem como, dificuldades em fazer relação com suas práticas diárias. Não possuem clareza quanto ao conceito de Letramento Científico. Utilizam como estratégia pedagógica principal para as aulas o livro didático, o qual muitas vezes é desconexo da realidade dos alunos, conforme os entrevistados. É possível inferir que este tema deve ser problematizado entre os professores a fim de habilitá-los para a reflexão, buscando uma prática docente intimamente significante para os alunos, almejando o Letramento científico destes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tadeu Teixeira de Souza, Universidade Vale do Taquari

Mestre em Ensino de Ciências Exatas pelo Centro Universitário UNIVATES/RS com área de concentração em Ensino de Ciências e Matemática; Graduação em Ciências com habilitação em Biologia pela Universidade Regional do Cariri (1996). Atualmente é Orientador da Célula de Desenvolvimento da Escola e Aprendizagem da 16ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação. Tem experiência no Ensino de Ciências e Biologia, Educação Científica, Tecnologia e Metodologia da Pesquisa Científica.

Simone Beatriz Reckziegel Henckes, Universidade Vale do Taquari

Doutoranda em Ensino e Mestre em Ensino pela Universidade do Vale do Taquari-Univates. Possui Graduação em Ciências Biológicas - Licenciatura pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC. Durante a graduação atuou como bolsista do Programa UNISC de Iniciação Científica (PUIC) no Laboratório de Entomologia e Bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID-CAPES. Tem experiência como docente na área de Ciências, Biologia e práticas laboratoriais. Possui Pós-graduação em Educação Infantil, pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC. No momento atual, participa do grupo de pesquisa intitulado "Princípio da Investigação e Pedagogia Empreendedora" pela Univates e no Projeto Protagonize.

Diógenes Gewehr, Universidade Vale do Taquari

Doutor e Mestre em Ensino (UNIVATES, 2019) na área de concentração em Alfabetização Científica e Tecnológica, linha de pesquisa Recursos, Tecnologias e Ferramentas no Ensino; Especialização em Supervisão Escolar (SÃO LUÍS, 2020); Especialização em Docência no Ensino Superior (UNIASSELVI-PÓS, 2014); Especialização em Gerenciamento Ambiental (ULBRA, 2008); Licenciatura em Pedagogia (UNIFACVEST, 2020); Licenciatura em Ciências/Biologia (ULBRA, 2006). Atua como Supervisor Interdisciplinar no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), na Univates (2020-2022); Professor substituto de Biologia no Ensino Médio Técnico, EJA e Pós-graduação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense (IFSUL, 2019-2021), campus Venâncio Aires/RS e professor titular de Ciências no Ensino Fundamental na rede municipal de Lajeado/RS (2011-), na EMEF Porto Novo. Integra a equipe de profissionais da empresa Protagonize Consultoria Pedagógica e Empresarial (2019-). Exerce função de parecerista ad hoc em periódicos científicos. Participa do grupo de pesquisa "Princípio da Investigação e Pedagogia Empreendedora" (UNIVATES, 2020-). Pesquisa sobre mídias na educação, estratégias de ensino e aprendizagem, alfabetização científica, feiras de ciências e metacognição, incentivando e desenvolvendo projetos de pesquisa na Educação Básica. Atuou como professor tutor-externo de Pós-graduação EAD/Semipresencial (UNIASSELVI-PÓS, 2011-2017); Biólogo RT no Projeto Amiga Tartaruga PatEcosmar/TAMAR/Bahia (2007-2008) e bolsista Capes (UNIVATES, 2015-2019), sendo membro da Comissão de Bolsas do PPGEnsino (UNIVATES, 2017-2018). Participou como voluntário em grupos de pesquisa sobre ferramentas digitais no Ensino Superior (UNIVATES, 2017-2018), metodologias ativas de ensino e de aprendizagem, iniciação científica e o uso de TDICs na Educação Básica (2015-2016).

Bárbara Scartezzini, Universidade Vale do Taquari

Possui ensino-medio-segundo-graupela Escola Estadual de Educação Básica São Francisco(2010). Atualmente é Bolsista de Iniciação Científica da Universidade do Vale do Taquari - UNIVATES.

Andreia Aparecida Guimarães Strohschoen, Universidade Vale do Taquari

Possui graduação em Licenciatura em Ciências com habilitação Plena em Biologia pelo Centro Universitário UNIVATES (1998). Tem especialização em Planejamento e Gestão Ambiental pelo Centro Universitário UNIVATES (2000). Realizou Mestrado em Biologia Animal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (2002) e Doutorado em Ciências: Ecologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (2011). Atualmente é professora do Departamento de Ciências Biológicas e da Saúde da UNIVATES como Professora Titular nos cursos de graduação e pós graduação. Está vinculada ao Programa de Doutorado e Mestrado em Ensino (PPGEnsino) e Programa de Doutorado e Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE). Tem experiência na área de Ensino e Aprendizagem atuando principalmente nos seguintes temas: Ciência, sociedade e ensino; Recursos, tecnologias e ferramentas no Ensino; Novas tecnologias, metodologias e recursos didáticos, além de Epistemologia da Prática Pedagógica no Ensino de Ciências. Pesquisadora em Ensino de Ciências e Biologia, Iniciação à Pesquisa, Metodologias Ativas de Ensino e de Aprendizagem. Atua junto ao INEP na avaliação de Cursos de Graduação. Atualmente, é membro da Comissão Técnica de Acompanhamento de Avaliação - CTAA, do INEP..

Referências

BRANDI, A.T.E.; GURGEL, C.M.do A. A alfabetização Científica e o processo de ler e escrever em séries iniciais: emergências de um estudo de investigação-ação. Ciência & Educação, v.8, n.1, p.113-125, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o ensino médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC, 2003, v. 2.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. Resultados Nacionais PISA 2006. Programa Internacional de Avaliação de Alunos. Brasília: MEC/INEP. 2008, 153 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Brasília: MEC, 1996.

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.

DEL PINO, J.C.; FRISON, M.D. Química: um conhecimento científico para a formação do cidadão. Revista de Educação, Ciências e Matemática. v.1, n.1, 2011.

DEMO, P. Metodologia da investigação em Educação. Curitiba: Ibpex, 2005. 192 p.

DIESEL, A., OLIVEIRA, E.C.; DEL PINO, J.C.; MARMITT, D. Contribuições da Língua Portuguesa para uma proposta de Letramento Científico e Tecnológico no contexto escolar. Revista Eletrônica Debates em educação Científica e Tecnológica. V.6, n.2, p.58-69, 2016.

FOUREZ, G. Crise no Ensino de Ciências? Investigações em Ensino de Ciências, v. 8, n. 2, 2003.

KOLSTO, S D. Scientific Literacy for Citizenship: tools for Dealing with the Science Dimension of Controversial Sicioscientific Issues. Stephen Norris, Section Editor, University of Bergen, 2001.

KRASILCHIK, M.; MARANDINO, M. Ensino de ciências e cidadania. São Paulo: Moderna, 2004.

LORENZETTI, L. DELIZOICOV, D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências. v.3, n.1, p.1-17, 2001.

MILARÉ, T.; ALVES FILHO, J.P.de. Ciências no nono ano do Ensino Fundamental: da disciplinaridade à alfabetização científica e tecnológica. Rev. Ensaio. v.12, n.2, p. 101-120, 2010.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva: processo reconstrutivo de múltiplas faces. Revista Ciência e Educação, v. 12, n. 1, p. 117-128, 2006.

NASCIMENTO, T. G.; ALVETTI, M. A. S. Temas Científicos Contemporâneos no Ensino de Biologia e Física. Revista Ciência & Ensino, vol. 1, nº 1, p. 29-39, 2006.

NETO, Jorge M; FRACALANZA, Hilário. O livro didático de Ciências: Problemas e Soluções. Revista Ciência e Educação, v.9, n.2, p. 147-157, 2003.

OLDONI, J.F.W.B.; LIMA, B.G.T.de. A compreensão dos professores sobre a Alfabetização Cintífica: perspectivas e realidade para o Ensino de Ciências. ACTIO, v.2, n.1, p.41-59, 2017.

OLIVEIRA, L. L.; ZANCUL, M. S. Textos de divulgação científica nas aulas de biologia na Educação de Jovens e Adultos (EJA) para abordar a temática alimentação. Revista Práxis, ano VI, v. 6, n. 11, p. 53-63, 2014.

SANTOS, W. L. P. Educação Científica na perspectiva de letramento como prática social: funções, princípios e desafios. Revista Brasileira de Educação, vol. 12, n. 36, p. 474-492, 20017.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Almejando a Alfabetização Científica no ensino fundamental: A proposição e a procura de indicadores do processo. Revista Investigações me Ensino de Ciências, v. 13 (3), p. 333-352, 2008.

SHAMOS, M.H. The myth os scientific literacy. New Brunswick: Rutgers University Press, 1995.

VIECHENESKI, J. P.; CARLETTO, M. R. Iniciação à alfabetização científica nos anos

iniciais: contribuições de uma sequência didática. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 525-543, 2013.

ZANCAN, G. T. Educação Científica: uma prioridade Nacional. Revista Perspectiva, v. 14, n. 3, P. 3-7, 2000.

Publicado

2018-12-04

Como Citar

SOUZA, T. T. de; HENCKES, S. B. R.; GEWEHR, D.; SCARTEZZINI, B.; STROHSCHOEN, A. A. G. LETRAMENTO CIENTÍFICO NA DOCÊNCIA DE PROFESSORES DE BIOLOGIA: CONCEPÇÃO E PRÁTICA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 6, n. 2, p. 310–323, 2018. DOI: 10.26571/REAMEC.a2018.v6.n2.p310-323.i6560. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/6560. Acesso em: 16 jun. 2024.