INDICADORES DE ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: ANÁLISE DAS AÇÕES EDUCATIVAS NOS PARQUES ECOLÓGICOS NA CIDADE DE MACEIÓ, AL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i3.14181

Palavras-chave:

Ações educativas, Análise de Conteúdo, Espaços de educação não formal, Indicadores de alfabetização científica, Parques ecológicos

Resumo

Esta pesquisa estudou as ações educativas desenvolvidas nos Parques Ecológicos: Parque Municipal e no Parque do Horto na cidade de Maceió, estado de Alagoas, por meio da ferramenta teórico-metodológica dos indicadores de Alfabetização Científica. O objetivo geral foi investigar a aplicabilidade da ferramenta teórico-metodológica de indicadores de alfabetização científica para o estudo e avaliação de ações educativas desenvolvidas pelos parques ecológicos na cidade de Maceió. Para isso, propor-se o seguinte problema: Quais as ações educativas desenvolvidas nos parques ecológicos promovem, por meio da ferramenta teórico-metodológica, a alfabetização científica do público visitante? A pesquisa foi do tipo qualitativa, e a abordagem trata-se de um estudo de caso, a saber, o caso da equipe técnica do Parque Municipal e do Parque do Horto em Maceió, que elabora ações educativas para promoção da alfabetização científica. Para tal, utilizou-se a análise de conteúdo, que abrange diálogos e comunicação em massa ou em um grupo específico.  Como instrumentos de coleta de dados, utilizou-se a entrevista, elaborada por meio de um roteiro predefinido e questionário com perguntas abertas, somados às seguintes fontes de evidência: documentos institucionais, fotografias e artefatos físicos. Os resultados apontam a presença dos indicadores e seus atributos de alfabetização científica em duas ações educativas denominadas o Parque nas Escolas e o Projeto Planta Maceió, na qual identificou-se a presença e ausência dos indicadores e seus atributos, com isso indica potencialidade para alfabetizar cientificamente a população por meio das ações educativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Geovanio da Silva Santana, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, Alagos, Brasil.

Pedagogo, formado pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL, 2016), Psicopedagogo Institucional pela Faculdade de Educação da Lapa-PR (FAEL, 2017), Pós- Graduado em Autismo: A prática do ensino estruturado aplicada à educação de pessoas com TEA (FAEL, 2019), Pós-graduado em Educação Especial pela Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI, 2021). Mestrando em Educação, formado pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL, 2020) na linha de pesquisa Educação em Ciências e Matemática do grupo Formação de Professores e Ensino de Ciências. Experiência como tutor online no curso de Especialização na Docência na Educação Profissional pelo Instituto Federal de Alagoas ( IFAL, 2021), na qual atuamos em sete disciplinas pedagógicas a saber: Organização Curricular para Educação Profissional e Tecnológica, História da Educação Profissional no Brasil, Trabalho e Políticas Educacionais, Legislação Brasileira na Educação Profissional, Gestão Educacional, Desenvolvimento e aprendizagem e Seminário II. Atualmente trabalho como professor na Educação Infantil no Município de Roteiro/ AL e atendimento Psicopedagógico, em uma clínica, com crianças com Transtornos do Espectro Autista em Maceió- AL.

Elton Casado Fireman, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Maceió, Alagoas, Brasil.

Possui graduação em Física-Bacharelado pela Universidade Federal de Alagoas (1995), mestrado em Física da Matéria Condensada pela Universidade Federal de Alagoas (1997) e doutorado em Física pela Universidade Federal de São Carlos (2002). Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Alagoas, atuando nos Programas de Pós-Graduação em Educação Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática, e Doutorado em Ensino (Rede RENOEN) orientando alunos de mestrado e doutorado. Tem experiência na área de Educação, com ênfase no Ensino de Ciências para os Anos Iniciais, pautados na Alfabetização Científica e no Ensino por Investigação, e na Formação de Professores para o Ensino de Ciências, desenvolve, também, estudos que envolvem a prática do professor e o uso de ferramentas didático-pedagógicas no Ensino de Ciências e Matemática.

Referências

ABREU, W. V. et al. Acessibilidade em planetários e observatórios astronômicos: uma análise de 15 instituições brasileiras. JCOM América Latina, v. 2, edição 2, 2019. Disponível em: https://jcomal.sissa.it/02/02/JCOMAL_0202_2019_A04. Acesso em: 11 jan. 2022.

ALLEN, S. Looking for learning in visitor talk: a methodological exploration. In: LEINHARDT, G.; CROWLEY, K.; KNUTSON, K. Learning conversations in museums. Mahwah, N. J.: Lawrence Erlbaum, 2002. Disponível em: https://www.exploratorium.edu/sites/default/files/pdfs/lookingforlearning.pdf. Acesso em: 11 jun. 2021.

ALMEIDA, M.G.R. et al. Análise de 4 sessões apresentadas no planetário da UNIPAMPA: Alfabetização Científica. Revista Educar Mais, 4(3), 481–499.2020 Disponível em: https://doi.org/10.15536/reducarmais.4.2020.1886. Acesso em: 13 dez. 2021.

ALMEIDA, W. N. C.; AMORIM, J. L.; MALHEIRO, J. M. S. O desenho e a escrita como elementos para o desenvolvimento da alfabetização científica: análise das produções dos estudantes de um clube de ciências. Actio: Docência em Ciências, 2020. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/Actio/article/view/11766. Acesso em: 10 nov. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei n.º 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 27833, 23 dez. 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/lei9394_ldbn1.pdf. Acesso em: 11 jun. 2021.

CERATI, T. M. Educação em jardins botânicos na perspectiva da alfabetização científica: análise de uma exposição e público. Orientadora: Martha Marandino. 2014. 240 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação. Área de Concentração: Ensino de Ciências e Matemática, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-02042015-114915/publico/TANIA_MARIA_CERATI_rev.pdf. Acesso em: 13 de set. 2021.

FERREIRA, M. et al. Indicadores de alfabetização científica: um estudo em espaços não formais da cidade de Toledo, PR. Actio, Curitiba, v. 2, n. 2, p. 159-176, jul-set. 2017. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/Actio/article/view/6801/4454. Acesso em: 15 out. 2021.

HURD, P. D. Scientific literacy: news minds for a changing world. Science Education, v. 82, n. 3, p. 407-416, 1998. Disponível em: http://www.csun.edu/~balboa/images/480/Hurd%20-%20Science%20Literacy%5B1%5D.pdf. Acesso em: 13 set. 2021.

JUNIOR, A. A. de C.; SOUSA, M. F. da C.; OLIVEIRA, S. K. S. de; RIZZATTI, I. M.; SILVA, W. L. da. Sequência didática para abordar a poluição ambiental em espaço não formal com estudantes do 1º ano do ensino fundamental em Boa Vista - Roraima. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 28-43, 2019. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/8122. Acesso em: 25 set. 2022.

KAYANO, J.; CALDAS, E. L. Indicadores para o diálogo: texto de apoio da Oficina 2. Série Indicadores, n. 8, out. 2002. Disponível em: https://polis.org.br/wp- content/uploads/2020/

content/uploads/2020/03/Indicadores-para-o-Dialogo.pdf. Acesso em: 14 set. 2020.

KRASILCHIK, M. Ensino de ciências: um ponto de partida para a inclusão. In: WERTHEIN, J.; CUNHA, C. Ensino de ciências e desenvolvimento: o que pensam os cientistas. 2. ed. Brasília: Unesco, Instituto Sangari, 2009. p. 207-211. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000185928. Acesso em: 15 set. 2020.

MARANDINO, M. O conhecimento biológico nos museus de ciências: análise do processo de construção do discurso expositivo. 2001. 451 f. Tese (Doutorado) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo. Disponível em: http://www.geenf.fe.usp.br/v2/wp-content/uploads/2012/09/marandino_2001.pdf. Acesso em: 10 jun. 2022.

MARANDINO, M. et al. Ferramenta teórico-metodológica para o estudo dos processos de alfabetização científica em ações de educação não formal e comunicação pública da ciência: resultados e discussões. JCOM América Latina, v. 1, edição 1, 2018. Disponível em: https://jcomal.sissa.it/sites/default/files/documents/JCOMAL_0101_2018_A03_pt.pdf. Acesso em: 17 jun. 2021.

MARQUES, A. C. T. L.; MARANDINO, M. Alfabetização científica e criança: análise de potencialidades de uma brinquedoteca. Revista Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 21, p. 1-19, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/j/epec/a/6RNKGSmHpbqxKBVs6YCwRXp/?lang=pt. Acesso em: 17 jun. 2021.

MASSARANI, L.; ABREU, W. V.; ROCHA, N. Apoio a projetos de divulgação científica: análise de edital realizado pela Fundação Oswaldo Cruz. Reciis, v. 13, n. 2, p. 391-410, 2019. Disponível em: https://www.reciis.icict.fiocruz.br/ index.php/reciis/article/view/1646/

Acesso em: 17 jun. 2021.

NEVES, J. L. Pesquisa qualitativa: características, usos e possibilidades. Caderno de Pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 3, 2.º sem. 1996. Disponível em: https://www.hugoribeiro.com.br/biblioteca-digital/NEVES-Pesquisa_Qualitativa.pdf. Acesso em: 17 jun. 2020.

NORRIS, S. P.; PHILLIPS, L. M. ‘How literacy in its fundamental sense is

central to scientific literacy’. Science Education, v. 87, n. 2, p. 224-240, 2003. Disponível em: https://literacy473.weebly.com/uploads/9/1/6/7/9167715/science_and_literacy.pdf.Acesso em: 15 jun.2021.

PÉREZ BUSTOS, T. P.; LOZANO BORDA, M. (ed.). Ciencia, tecnología y democracia: reflexiones en torno a la apropiación social del conocimiento. Medellín, Colombia: Colciencias, Universidad Eafit, 2011.

PSCHEIDT C.; LORENZETTI, L. Contribuições de um curso de formação continuada para a promoção da alfabetização científica de docentes no Museu da Terra e da Vida. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 155-179, maio, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/alexandria/article/view/1982-5153.2020v13n1p155/43173. Acesso em: 10 jul.2021.

ROBERTS, D. A. Scientific literacy/science literacy. In: ABELL, S. K; LEDERMAN, N. G. Handbook of research in science education. Mahwah, N.J.: Lawrence Erlbaum Associates, 2007. p. 729-779. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=leyrAgAAQBAJ&oi=fnd&pg=PR3&dq=ABELL,+S.+K%3B+LEDERMAN,+N.+G.+Handbook+of+research+in+science+education.&ots=moO0DFvrSG&sig=zPULlZOQ5kQa4JraIb3OVi2Qn5w#v=onepage&q=ABELL%2C%20S.%20K%3B%20LEDERMAN%2C%20N.%20G.%20Handbook%20of%20research%20in%20science%20education.&f=false. Acesso em: 15 jun.2021.

ROCHA, J. N.; MARANDINO, M. O papel e os desafios dos mediadores em quatro experiências de museus e centros de ciências itinerantes brasileiros. JCOM América Latina, v. 3, edição 2, 2020. Disponível em: https://jcomal.sissa.it/pt-br/03/02/JCOMAL_0302_2020_A08. Acesso em: 19 mar. 2021.

SCALFI, G. et al. Análise do processo de alfabetização científica em crianças em espaços de educação não formal e divulgação da ciência. Actio: Docência em Ciências, v. 4, n. 3, p. 386-410, 2019. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/Actio/article/view/10533/7378. Acesso em: 19 set. 2021.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e método. Porto Alegre: Bookman, 2005.

Publicado

2022-11-07

Como Citar

SANTANA, G. da S.; FIREMAN, E. C. INDICADORES DE ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA: ANÁLISE DAS AÇÕES EDUCATIVAS NOS PARQUES ECOLÓGICOS NA CIDADE DE MACEIÓ, AL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 3, p. e22068, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i3.14181. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/14181. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências