MALHAS GEOMÉTRICAS E LIVROS DIDÁTICOS: EM DESTAQUE OS OLHARES, AS APREENSÕES E A DESCONSTRUÇÃO DIMENSIONAL DAS FORMAS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i2.13401

Palavras-chave:

Ensino de geometria, Anos iniciais do ensino fundamental, Teoria dos Registros de Representação Semiótica

Resumo

A aprendizagem em geometria, a partir da Teoria dos Registros de Representação Semiótica (TRRS), perpassa pela condução e pelo desenvolvimento de uma forma de olhar própria, que envolve, entre outros, três elementos cognitivos, os quais daremos destaque no artigo, a saber: os olhares, as apreensões e a desconstrução dimensional. Nosso objetivo, neste trabalho, é apresentar a análise de uma coleção de livros didáticos de matemática, destinados aos anos iniciais do Ensino Fundamental, no tocante ao uso de malhas geométricas, no ensino e aprendizagem de figuras planas e espaciais, focando nos três elementos da aprendizagem em geometria citados anteriormente. É uma investigação de abordagem qualitativa, em que buscamos identificar o que o uso dessas malhas, presentes em atividades da coleção analisada, nos diz sobre os três elementos cognitivos destacados como importantes para a aprendizagem em geometria na TRRS. Destacamos, como resultado da análise realizada, que a coleção em questão explora dois tipos de malhas nas atividades, a triangular e a quadriculada, dando grande destaque à última, porém, sendo interessante a articulação dos olhares e das apreensões apresentadas. No entanto, indicamos que os olhares avançam do icônico ao não icônico construtor, porém, o olhar inventor ainda precisa ser melhor explorado, pois é o olhar que mais favorece a desconstrução dimensional no trabalho com figuras em geometria. Também em relação à desconstrução dimensional, observamos que ela é explorada normalmente mudando apenas um nível da dimensão, o que é negativo frente a formação do olhar próprio para o trabalho em geometria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria Bezerra Tejada Santos, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Sinop, Mato Grosso, Brasil

Possui graduação em Licenciatura Plena em Pedagogia pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2009). Pós graduação em Educação Inclusiva e Especial pela Faculdade do Noroeste de Minas (2011). Mestre em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática pelo Programa de Pós graduação em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática (PPGECM) da UFMT Campus de Sinop/MT na linha de pesquisa Ensino de Matemática (2021). Desenvolve suas atividades profissionais na Escola Estadual Luiza Nunes Bezerra no município de Juara/MT

Eberson Trevisan, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Sinop, Mato Grosso, Brasil

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2006), Mestrado em Matemática pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas (2010) Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (2016) pela Rede Amazônica de Educação Em Ciências e Matemática (REAMEC) do polo da UFMT/Cuiabá. Atualmente é professor Adjunto II da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) campus universitário de Sinop/MT, atuando também como professor e orientador do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática (PPGECM) na linha de pesquisa Ensino de Matemática, atuando como coordenador do programa na gestão 2021-2023. Membro do Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas em Ensino de Ciências e Matemática - NIPECeM. 

Andreia Cristina Rodrigues Trevisan, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Sinop, Mato Grosso, Brasil

Doutora em Educação em Ciências e Matemática pelo Programa de Pós Graduação em Educação em Ciências e Matemática- REAMEC (2018). Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2005), especialização em Ensino de Matemática pela mesma instituição (2007) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2013). Atualmente é professora Adjunto III com dedicação exclusiva da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Câmpus Universitário de Sinop/MT, lotada no Instituto de Ciências Naturais, Humanas e Sociais, atuando também como professora e orientadora no Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática (PPGECM), na linha de pesquisa Ensino de Matemática, pesquisando principalmente nos seguintes temas: educação matemática, formação de professores, livro didático e ensino de matemática.

Referências

BARISON, Maria Bernadete. Resumo: definições e figuras relativas ao estudo de Malhas Planas Poligonais em Desenho Geométrico. Geométrica, vol. 1, n. 12ª, 2005.

BRANDT, Celia Finck; MORETTI, Méricles Thadeu. O cenário da pesquisa no campo da educação Matemática à Luz da Teoria dos Registros de Representação Semiótica. Perspectivas da Educação Matemática, v. 7, n. 13, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/pedmat/article/view/488. Acesso em 02 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação (ORG). Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2017. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/conselho-nacional-de-educacao/base-nacional-comum-curricular-bncc>. Acesso em: 17 set. 2019.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC; SEF, 1997.

COLOMBO, Janecler Aparecida Amorin; FLORES, Claudia Regina; MORETTI, Méricles Thadeu. Registros de representação semiótica nas pesquisas brasileiras em Educação Matemática: pontuando tendências. Zetetike, v. 16, n. 1, 2008.

DANTE, Luiz Roberto. Ápis Matemática, 4º ano: Ensino Fundamental, anos iniciais. 3. ed. São Paulo: Ática, 2017.

DUVAL, Raymond. Les conditions conitives de l’aprentissage de La geometrie: développement de La visualisation, différenciation dês raisonnements et coordination de leus fonctionnements. Annales de Didactique e de Sciences Cognitives, nº 10 p. 5 a 53, 2005.

DUVAL, Raymond. Ver e Ensinar a Matemática de Outra Forma - entrar no modo matemático de pensar: os registros de representações semióticas. Organização: Tânia M. M. Campos. Tradução: Marlene Alves Dias. 1ª ed. São Paulo: PROEM, 2011.

DUVAL, Raymond. Abordagem cognitiva de problemas de geometria em termos de congruência. REVEMAT - Revista Eletrônica de Educação Matemática. v. 7, n. 1, p. 118-138. Tradução: Méricles Thadeu Moretti. Florianópolis, 2012. https://doi.org/10.5007/1981-1322.2012v7n1p118

DUVAL, Raymond. Entrevista: Raymond Duval e a teoria dos registros de representação semiótica. Revista Paranaense de Educação Matemática. (Entrevista realizada por José Luiz Magalhães de Freitas e Veridiana Resende) v.2, n.3 jul-dez. Campo Mourão, PR, 2013.

DUVAL, Raymond. Rupturas e Omissões entre manipular, ver, dizer e escrever: história de uma sequência de atividades em geometria. In BRANDT, C. F. e MORETTI, M. T. (Org.) As contribuições da teoria das representações semióticas para o ensino e pesquisa na Educação Matemática. Ed. Unijuí, p. 15 – 38. Ijuí, RS, 2014.

HILLESHEIM, Selma Felisbino; MORETTI, Méricles Thadeu. Elementos transversais para a aprendizagem da geometria nos anos iniciais do Ensino Fundamental: uma proposta de currículo possível. Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 15, p. 1-20, 2020.

KUMMER, Tarcisio.; MORETTI, Méricles. Thadeu. Processos Psicológicos na construção do conhecimento matemático. Revista ARETÉ, Manaus, v. 9, n. 8, p. 100 – 114, jan-jul, 2016.

LELLIS, Marcelo. Desenho em perspectiva no Ensino Fundamental: considerações sobre uma experiência. Seminários de Ensino de Matemática, v. 2, p. 1-9, 2009.

MORETTI, Méricles Thadeu. Semiosfera do olhar: um espaço possível para a aprendizagem da geometria. Acta Scientiae, vol. 15, n. 2, p. 289 – 303. Canoas/RS, 2013.

SANTOS, Maria Bezerra Tejada. Ensino e aprendizagem de figuras planas e espaciais nos anos iniciais do ensino fundamental: um olhar à desconstrução dimensional das formas. Dissertação (mestrado profissional). UFMT, 2021

SCHEIFER, Carine. Design metodológico para análise de atividades de geometria segundo a teoria dos registros de representação semiótica. Dissertação. UFSC. 2017.

SOUZA, Roberta Nara Sodré de. Desconstrução dimensional das formas: gesto intelectual necessário à aprendizagem da geometria. Tese (doutorado) UFSC, Florianópolis, 2018.

TREVISAN, Eberson Paulo; TREVISAN, Andreia Cristina Rodrigues. LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA: um olhar a validações teóricas e empíricas com enfoque na teoria dos registros de representação semiótica. In: Carmen Wobeto; Eberson Paulo Trevisan; Jean Reinildes Pinheiro; Larissa Cavalheiro. (Org.). Ciências da Natureza e Matemática: relatos de Ensino, Pesquisa e Extensão. 1 ed. Cuiabá: Sustentável, 2019, v. 1, p. 364-392.

Publicado

2022-05-20

Como Citar

SANTOS, M. B. T. .; TREVISAN, E. P.; TREVISAN, A. C. R. MALHAS GEOMÉTRICAS E LIVROS DIDÁTICOS: EM DESTAQUE OS OLHARES, AS APREENSÕES E A DESCONSTRUÇÃO DIMENSIONAL DAS FORMAS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 2, p. e22026, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i2.13401. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13401. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação Matemática