AS CIÊNCIAS E A VISÃO DE MARCUSE: O CONSUMO INCONSCIENTE DA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i2.13462

Palavras-chave:

Consumo, Educação Científica, Ensino de Ciências, Séries Iniciais

Resumo

O consumismo é caracterizado por uma compra em excesso e, muitas vezes, de produtos ou de serviços que não são necessários para a pessoa, levando ao crescimento de inadimplências e acúmulos de materiais nocivos ao meio ambiente.  Neste contexto, o presente estudo tem por objetivo realizar uma reflexão sobre a dominação da sociedade pelo excesso de consumo inconsciente que pressupõe a partir da manipulação das falsas necessidades. Para isso, utilizou-se de pesquisa bibliográfica, tendo como base estudos feitos acerca da obra do epistemólogo Herbert Marcuse no seu livro - Eros e civilização, pensando na relevância social de suas contribuições para a educação científica e para o ensino de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental. Entendemos a importância de abordar este tema em sala de aula com o auxílio do professor na construção da opinião crítica dos alunos acerca de consumo consciente e sustentabilidade, pois com o crescimento das ciências com o passar do tempo a educação científica tem se tornado uma necessidade permanente da humanidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jacqueline Samantha Garcia Cavalcante, Universidade Estadual de Roraima (UERR), Boa Vista, Roraima, Brasil.

Graduação em LICENCIATURA PLENA EM PEDAGOGIA pela FACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TEOLOGIA DO NORTE DO BRASIL (RR) (2011) Segunda Graduação em Letras/Espanhol pela Universidade Estadual de Roraima (2018) e Pós Graduação em Docência no Ensino Superior pela Faculdade Roraimense de Ensino Superior -FARES (2012). Atuou como Coordenadora Pedagógica por cinco anos na na Rede Municipal de Ensino (2014-2018), Atualmente é professora da Educação Básica e da Disciplina de Arte na Prefeitura Municipal de Boa Vista. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação. 

Edilene Pimentel de Sousa, Universidade Estadual de Roraima (UERR), Boa Vista, Roraima, Brasil.

Possui licenciatura em Pedagogia pela Universidade Estadual de Roraima (2009), licenciatura em Filosofia pela Universidade Estadual de Roraima (2011), licenciatura em letras - Língua Portuguesa pelo Centro Universitário Facvest-Unifacvest (2021), Especialista em Gestão do Trabalho Pedagógico: Administração, Orientação e Supervisão pela FACINTER, com experiência como docente na área de Educação na Rede Pública do Estado de Roraima, desde 2003 e na Rede Municipal do ensino básico desde 2012

Ediane Sousa Miranda Ramos, Universidade Estadual de Roraima (UERR), Boa Vista, Roraima, Brasil.

Doutoranda em Ensino de Ciências e Educação Matemática pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima (UERR), Especialista em Educação Especial e Educação Inclusiva pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER), Licenciatura plena em Pedagogia pela Faculdade de Itaituba (FAI), Professora da Educação Básica pela Secretaria Municipal de Educação em Boa Vista RR (SMEC).

Patrícia Macedo de Castro, Universidade Estadual de Roraima (UERR), Boa Vista, Roraima, Brasil.

Graduada em Biologia Marinha (Bacharelado) pela Faculdade de Biologia e Psicologia Maria Thereza (FAMATH), Mestre em Biociências (Zoologia) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) e Doutora em Ciências Biológicas (Zoologia) pela Universidade de São Paulo (USP). Professora Associada da Universidade Estadual de Roraima (UERR) do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e do Programa de Pós-Graduação Mestrado Profissional em Ensino de Ciências (PPGEC). Docente do Programa de Pós-Graduação Doutorado em Educação em Ciência e Matemática UEA-UFMT-UFPA (PPGECEM) da Rede Amazônica de Educação em Ciências (REAMEC). Pesquisadora da Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado de Roraima (FEMARH). Desenvolve pesquisas na área de Ensino de Ciências com os seguintes temas: Educação em Ciências; Educação Ambiental; Formação de Professores; Ensino de Ciências, Espaços Educativos, Alfabetização Científica e Metodologias para o Ensino de Ciências. Possui experiência em gestão pública tendo ocupado cargos de direção e assessoramento, como: Coordenação do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas/UERR; Coordenação do PPG Ensino de Ciências/UERR; Reitora da Universidade Estadual de Roraima. 

Referências

AMABIS, J. M. A. Permanência da educação científica. In: WERTHEIN, J.; CUNHA, C. (Orgs). Educação científica e desenvolvimento: o que pensam os cientistas. Brasília: Unesco, Instituto Sangari, 2005.

AMARAL, L. L. R.; ARANTES, G. G.; BERNARDES, M. B. J. Consumo consciente por meio da educação ambiental na escola. Revista Ensino de Geografia (Recife), v. 3, n. 1 p. 45-57, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/ensinodegeografia/article/viewFile/244511/34844. Acesso em: 03 jan. 2022.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Meio Ambiente: Saúde. Brasília: MEC/SEF, 1997.

CACHAPUZ, A.; GIL-PEREZ, D.; CARVALHO, A. M. P.; PRAIA, J.; VILCHES, A. A necessária renovação do ensino das ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, n. 22, p. 89-100, jan/abr. 2003. https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000100009

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a Educação. 4 ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.

CERATI, T. M. Educação em jardins botânicos na perspectiva da alfabetização cientifica, analise de uma exposição pública. 2014. 254 f. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Educação, São Paulo, 2014. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-02042015-114915/pt-br.php. Acesso em: 03 jan. 2022.

GARCÍA, C. M. Formação inicial de professores. In: Formação de professores para uma mudança educativa. Lisboa: Porto Editora, 1999.

GUEDIN, E. O Ensino de Ciências e suas Epistemologias. Boa Vista: Editora da UFRR, 2017.

KLEIMAN, Angela B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, Angela B. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado das Letras, 2008.

MARCUSE, H. A ideologia da sociedade industrial: O homem unidimensional. Trad. Giasone Rebuá. 4 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

MARCUSE, H. Cultura e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 1997-1998.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MOURA, G. R. S.; VALE, J. M. F. O ensino de ciências na 5ª e na 6ª série da escola fundamental. In: NARDI, R. (Orgs.). Educação em ciências: da pesquisa a prática docente. São Paulo: Escrituras, 2003.

NASCIMENTO, V. F. F. A.; LEITE, J. S.; CASTRO, P. M. A filosofia logicista de Bertrand Russel no ensino da matemática escolar. Revista Ambiente: Gestão e Desenvolvimento, v. 12, n. 1, p. 38-46, jan/jul. 2019. https://doi.org/10.24979/192

OLIVEIRA, C.; GUEDIN, E. As contribuições de Hebert Marcuse a uma sociologia do conhecimento e suas implicações para a educação científica. In: VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Anais do VII ENPEC – Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2009. Disponível em: http://fep.if.usp.br/~profis/arquivos/viienpec/VII%20ENPEC%20%202009/www.foco.fae.ufmg.br/cd/pdfs/840.pdf.

ROSA, C. W. A importância de discutir física nas séries iniciais. Ciência hoje: ciência, tecnologia e empreendedorismo. 2007.

SALOMON, D. V. Como fazer uma monografia. 11 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

VALE, J. M. F. Educação Científica e Sociedade. In: NARDI, Roberto (Org.). Questões atuais no ensino de ciências. São Paulo: Escrituras, 2005.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em ensino de ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 59-77. 2011. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/246/172. Acesso em: 03 jan. 2022.

SAUVÉ, L. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 317-322, mai/ago. 2005. Disponível em: https://www.foar.unesp.br/Home/projetoviverbem/sauve-ea-possibilidades-limitacoes-meio-ambiente---tipos.pdf. Acesso em: 03 jan. 2022.

Publicado

2022-08-29

Como Citar

GARCIA CAVALCANTE, J. S.; SOUSA, E. P. de; RAMOS, E. S. M.; CASTRO, P. M. de. AS CIÊNCIAS E A VISÃO DE MARCUSE: O CONSUMO INCONSCIENTE DA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO CIENTÍFICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL . REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 2, p. e22045, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i2.13462. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13462. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)