ENSINO DE BOTÂNICA POR INVESTIGAÇÃO: PROMOVENDO A ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO MÉDIO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i1.11276

Palavras-chave:

Ensino de Botânica. Sequência de Ensino Investigativo (SEI). Alfabetização Científica.

Resumo

Considerando o atual cenário de ensino de Botânica no país, sua importância para a compreensão dos fenômenos naturais e atendendo à demanda de um ensino voltado para o entendimento da natureza da ciência, da assimilação de conceitos e da compreensão dos impactos da ciência e das suas tecnologias, desenvolvemos uma Sequência de Ensino Investigativo (SEI) a fim de motivar ainda mais o ensino de Botânica e contribuir para a Alfabetização Científica (AC) de estudantes do Ensino Médio. Este trabalho possui uma natureza quanti-qualitativa e a proposta metodológica desenvolvida está em concordância com a visão cognitiva/cultural de ensino. O trabalho foi realizado em uma escola pública no interior de Mato Grosso, região da Amazônia Legal. O potencial didático desta SEI pode promover avanços na Alfabetização Científica, pois sua aplicação proporcionou aos alunos a possibilidade de argumentação, construção de conceitos e o contato com o método científico, da mesma forma possibilitou à pesquisadora-professora refletir sobre possíveis soluções para o papel da formulação de estratégias de ensino investigativo na aprendizagem dos estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Michele Eidt Tognon, Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso (2006) e mestrado em Ensino de Biologia pela Universidade Federal de Mato Grosso (2019). Atualmente é professora - Secretaria de Estado de Educação do Estado do Mato Grosso. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Biologia.

Patrícia Carla de Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso

Bióloga, bacharel e licenciada pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), mestre em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), doutora em Botânica pela Universidade de Brasília (UnB), com experiência em Ecofisiologia Vegetal e Ecologia de Plantas. Docente na Universidade Federal de Mato Grosso, Departamento de Botânica e Ecologia - Instituto de Biociências e pesquisadora com interesse nos estágios iniciais da vida de plantas do Pantanal e Cerrado.

Referências

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Ensino e aprendizagem de Ciências: referenciais teóricos e dados empíricos das sequências de ensino investigativas (SEI). In: LONGHINI, M. D. (Org.). O uno e o diverso na educação. Uberlândia: EDUFU, 2011. p. 253-266.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino por investigação. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 18, n. 3, p. 765-794, set./dez. 2018.

CARVALHO, Anna Maria Pessoa de (Org.). O ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2017.

CARVALHO, Francinete Bandeira et al. Possibilidades de alfabetização científica no bosque da ciência, Manaus, AM, Brasil. Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC), Cuiabá, v. 6, n. 2, p. 342-356, 21 dez. 2018. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/7042. Acesso em: 7 jan. 2021.

CHASSOT, Áttico. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, jan./fev./mar./abr. 2003, v. 22, n. 1, p. 89-100. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n22/n22a09.pdf. Acesso em: 31 jan. 2019.

CHEDID, Kátia A. Kühn. Psicopedagogia, Educação e Neurociências. Revista Psicopedagogia, São Paulo, v. 24, n. 75, p. 298-300, 2007.

DAMIANI, Magda Floriano; ROCHEFORT, Renato Siqueira; CASTRO, Rafael Fonseca de; DARIZ, Marion Rodriguez; PINHEIRO, Silvia Siqueira. Discutindo pesquisas do tipo intervenção pedagógica. Cadernos de Educação, Pelotas, n. 45, p. 57-67, jul./ago. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/caduc/article/view/3822. Acesso em: 6 jan. 2021.

DE ANDRADE, Maria José Dias; ABÍLIO, Francisco José Pegado. Alfabetização Científica no Ensino de Biologia: uma leitura fenomenológica de concepções docentes. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 18, n. 2, p. 429-453, maio/ago. 2018.

DE MELO MOUL, Renato Araújo Torres; DA SILVA, Flávia Carolina Lins. A construção de conceitos em Botânica a partir de uma sequência didática interativa: proposições para o ensino de Ciências. Revista Exitus, Santarém v. 7, n. 2, p. 262-282, 2017.

DEL-CORSO, Thiago Marinho et al. Indicadores de alfabetização científica em uma SEI de Biologia: a proposição de inscrições literárias como um novo indicador. In: X ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (X ENPEC), 2015, Águas de Lindoia, SP.

KLINK, Carlos A.; MACHADO, Ricardo B. A conservação do Cerrado brasileiro. Megadiversidade, v. 1, n. 1, p. 147-155, jul. 2005.

KRASILCHIK, Myriam. Prática de ensino de Biologia. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2016.

LEFRANÇOIS, Guy R. Teorias da aprendizagem. São Paulo: Cengage Learning, 2008.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC) et al. Educacenso 2016: relação de cadastro de escolas: Mato Grosso. Secretaria de Estado de Educação (SEDUC). Disponível em: http://www2.seduc.mt.gov.br/-/8221360-censo-escolar?ciclo=. Acesso em: 29 jul. 2019.

MOTOKANE, Marcelo Tadeu. Sequências didáticas investigativas e argumentação no ensino de Ecologia. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17, p. 115-138, nov. 2015.

RIBEIRO, Leandro Carvalho. Aspectos ecofisiológicos da germinação de sementes de espécies do cerrado sensu stricto e da mata de galeria do bioma Cerrado expostas a diferentes condições de estresse. 2010. 94f. Dissertação (Mestrado em Botânica) – Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

SALATINO, Antonio; BUCKERIDGE, Marcos. "Mas de que te serve saber Botânica?". Estudos Avançados, São Paulo, v. 30, n. 87, p. 177-196, ago. 2016.

SASSERON, Lúcia Helena; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16, n. 1, p. 59-77, 2011.

SASSERON, Lúcia Helena; CARVALHO, Anna Maria Pessoa de. Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 13, n. 3, p. 333-352, 2008.

SCARPA, Daniela Lopes; SILVA, Maíra Batistoni. A Biologia e o ensino de Ciências por investigação: dificuldades e possibilidades. In: CARVALHO, A. M. P. de. Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 2017.

SOUZA, Silvana Messere de Lacerda; DUQUE, Danielle Cristina; BORIM, Estrada. Propostas pedagógicas para o ensino de Botânica nas aulas de Ciências: diminuindo entraves. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 16, n. 2, p. 298-315, 2017.

VYGOTSKY, Lev Semenovich. Pensamento e linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

ZILLER, Sílvia R. (consultora). Lista comentada de espécies exóticas invasoras no estado de Santa Catarina: espécies que ameaçam a diversidade biológica. Florianópolis: FATMA, 2016. 88p. Disponível em: http://www.institutohorus.org.br/download/artigos/2016%20FATMA%20Lista%20comentada.pdf. Acesso em: 29 set. 2020.

Downloads

Publicado

2021-04-03

Como Citar

TOGNON, M. E. .; OLIVEIRA, P. C. de . ENSINO DE BOTÂNICA POR INVESTIGAÇÃO: PROMOVENDO A ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO MÉDIO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 1, p. e21028, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i1.11276. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/11276. Acesso em: 21 abr. 2021.

Edição

Seção

Educação em Ciências