APROXIMAÇÃO ENTRE REALIDADE E “FICÇÃO MATEMÁTICA” DE ISABELLE STENGERS, COM O USO DO GEOGEBRA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i1.9295

Palavras-chave:

Ficção. Realidade. Ensino de Ciências. Ensino de Matemática. GeoGebra.

Resumo

O artigo tem como temática a aproximação entre realidade e “ficção matemática” de Isabelle Stengers, com o uso do GeoGebra. A pesquisa justifica-se pela importância da discussão acerca dos dilemas e percalços oriundos ao ensino de matemática, levando em consideração a teoria do conhecimento defendida por Isabelle Stengers (1949). Para tanto, utilizou-se da pesquisa bibliográfica a partir das ideias de autores como Brasil (1998), D’Ambrosio (1986), Ausubel (1983), dentre outros. O objetivo geral dá-se em determinar de que forma softwares como o GeoGebra pode ser uma ferramenta de aproximação entre a realidade e a “ficção” no Ensino da Matemática. A proposta investigativa será apresentada em três seções, sendo a primeira referente a alguns conceitos vinculados à teoria de Isabelle Stengers, posteriormente abre-se espaço para uma breve discussão sobre algumas contribuições da autora para o ensino de ciências, levando em consideração o conceito de ficção matemática e em seguida a aproximação da ficção matemática com a realidade usando o GeoGebra. Em suma, percebe-se que as contribuições da teoria de Isabelle Stengers ainda permanecem válidas e muito presentes no contexto do ensino atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Nilton Carlos Costa, Universidade do Estado do Amazonas

Graduado em Licenciatura plena em amtemática pela Universidade Estadual do Amazonas - UEA, Manaus , Amazonas, Brasil. MESTRANDO DO CURSO DE ENSINO E CIÊNCIAS DA AMAZÔNIA, NA LINHA DE PESQUISA 1: ENSINO CURRICULO E COGITAÇÃO, PELA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO AMAZÔNAS.

Railce da Silva de Azevedo, Universidade do Estado do Amazonas

Graduado em Licenciatura plena em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas - UFAM, Manaus , Amazonas, Brasil. MESTRANDA DO CURSO DE ENSINO E CIÊNCIAS DA AMAZÔNIA, NA LINHA DE PESQUISA 1: ENSINO CURRICULO E COGITAÇÃO, PELA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO AMAZÔNAS.

Alcides Castro Amorim Neto, Universidade do Estado do Amazonas

Graduado em Tecnologia Elétrica pelo UTAM (UEA) (1998) e em Matemática pela UFAM (2000), Especialista em Metodologia do Ensino Superior pelo UNINORTE (2004), Mestre em Matemática Pura com ênfase em Geometria Diferencial pela UFAM (2007) e Doutor em Clima e Ambiente com ênfase em Interações Biosfera-Atmosfera da Amazônia pela UEA/INPA (2013). Tem experiência no Ensino Superior em Matemática Pura, Aplicada e Educação Matemática. Atualmente, Professor Adjunto D e Coordenador do curso de Licenciatura em Matemática Mediado Tecnológico e Professor do Curso de Mestrado Acadêmico em Educação e Ciências na Amazônia e do Mestrado Profissionalizante em Matemática em Rede Nacional - PROFMAT, ambos da Universidade do Estado do Amazonas - UEA.

Referências

ALMEIDA, D.P. Aprendizagem significativa em espaços educativos: o uso dos quelônios como tema facilitador. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências na Amazônia), Universidade do Estado do Amazonas, Manaus, 2013.

BOYER. C.B. História da Matemática. São Paulo, Ed. Edgard Blücher, 2014, Reimp. 2016. 496p.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática/ Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998.

D’AMBROSIO, Ubiratan, Da Realidade à ação: Reflexões sobre Matemática. São Paulo, Summus Editorial. 1986.

EDUCADOR BRASIL ESCOLA. A história do ensino de matemática na sala de aula. Estratégias de Ensino. Disponível em: <(https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/a-historia-ensino-matematica-na-sala-aula.htm> , Acessado em 02 de Fevereiro de 2020.

FELICETTI, S. A.; PASTORIZA, B. S. Uma experiência visando a aprendizagem significativa, a partir do conceito de geração e aproveitamento de energia elétrica. Revista Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias. Bogotá, Colombia, 2015 http://revistas.udistrital.edu.co/ojs/index.php/GDLA/index>http://www.filoinfo.net/node/54, acesso às 08:32:21 do dia 23/09/2018.

FERREIRA, S. M. M. Os recursos didáticos no processo de ensino-aprendizagem. 68 p. Dissertação (Monografia) – Universidade Jean Piaget de Cabo Verde. 2007.

FILHO, A.; TIMÓTEO, S.; COSTA, D.; REIS, S. Contribuições do software GeoGebra no processo de ensino e aprendizagem de geometria analítica em uma turma da 3º série do ensino médio. Revista REAMEC, Cuiabá - MT, v. 7, n. 1, jan/jun 2019, p. 288 – 311. Disponível em :<https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec> Acessado em: 27 de fevereiro de 2020.

GÓMEZ, P. Tecnología y educación Matemática. Rev. Informática Educativa. uniandes – lidie. Vol 10, Nº. 1. Pp 93-11, 1997.

HOHENWARTER, Markus; JARVIS, Daniel; LAVICZA, Zsolt. Linking Geometry, Algebra, and Mathematics Teachers: Geogebra Software and the Establishment of the International Geogebra Institute. International Journal for Technology in Mathematics Education. [online]. v.16, n. 2, p. 83-87, jul. 2008. Disponível em: < https://www.researchgate.net/publication/307936818_Linking_Geometry_Algebra_and _Mathematics_Teachers_Geogebra_Software_and_the_Establishment_of_the_Internati onal_Geogebra_Institute>. Acesso em: 27 de fevereiro de 2020.

PARRA, C. SAIZ: Matemática/ Secretaria de Educação Fundamental, I. Didática da Matemática: Reflexões Psicopedagógica. Porto Alegre, Artmed (Artes Médicas). 1996. 258p.

PCN - Parâmetros Curriculares Nacionais – Brasília: MEC/ SEF. 2008. 148p.

PRIGOGINE, I.; STENGERS, I. A nova aliança: metamorfose da ciência. Brasília: Univ. de Brasília, 247 p., 1991.

SANTOS, S. C. S.; FACHÍN-TERÁN, A. Aprendizagem significativa, modelos mentais e analogias no contexto construtivista: uma aproximação possível para a educação em Ciências. In: BARBOSA, Ierecê et. al (org.). Educação em Ciências na Amazônia: múltiplos olhares. Manaus: UEA/Escola Normal Superior/PPGEECA, 2011.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 22ª edição, São Paulo: Cortez, 2002.

STENGERS, Isabelle. A invenção das ciências modernas. Tradução Max Altman. São Paulo: Ed. 34, 2002.

STENGERS, I. L’invention des sciences modernes. Paris: Champs-Flammarion, 1995.

VITTI, C. M. Matemática com prazer, a partir da história e da geometria. 2ª Ed. Piracicaba – São Paulo. Editora UNIMEP. 1999. 103p.

Publicado

2020-03-05

Como Citar

COSTA, N. C.; DE AZEVEDO, R. da S.; AMORIM NETO, A. C. APROXIMAÇÃO ENTRE REALIDADE E “FICÇÃO MATEMÁTICA” DE ISABELLE STENGERS, COM O USO DO GEOGEBRA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 8, n. 1, p. 286–301, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i1.9295. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/9295. Acesso em: 23 fev. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)