ATIVIDADES DE CAMPO E STEAM: POSSÍVEIS INTERAÇÕES NA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VISITA AO PARQUE MÃE BONIFÁCIA EM CUIABÁ-MT

Autores

DOI:

10.26571/2318-6674.a2017.v5.n2.p304-323.i5739

Palavras-chave:

Fieldclass Activities, STEAM, Construction of knowledge

Resumo

Atualmente está sendo bastante utilizada, principalmente no Reino Unido, a metodologia de ensino STEAM, que é um acrônimo de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática. Para utilizar essa metodologia ao ensinar, é preciso estabelecer inter-relações entre essas cinco áreas do conhecimento. Nesse sentido, o presente estudo é fruto das discussões realizadas e da atividade solicitadas pela disciplina Tendências e abordagens de pesquisas em ensino de Ciências e Matemática, que ocorreu em julho de 2017, ofertada pelo Programa de Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM/REAMEC). Seu objetivo foi conjecturar possibilidades de problematizações STEAM na Atividade de Campo durante uma visita ao Parque Mãe Bonifácia, em Cuiabá-MT. Foram realizadas observações não estruturadas com intuito de identificar possibilidades didáticas, por meio de elementos, estruturas e lugares do referido parque. As possibilidades de problematizações encontradas foram as estruturas construídas no parque, sendo as cabanas de descanso, a estátua que faz referência à matriarca do parque e o mirante. Esta última já não existe mais devido a comprometimento em sua conjuntura estrutural, mas pode ser trabalhado devido registros em sites de notícias locais e nacionais. Logo, o estudo mostrou ser possível utilizar a metodologia STEAM para favorecer a construção de conhecimentos de forma inter-relacionada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thiago Beirigo Lopes, Universidade Federal de Mato Grosso

É Doutorando em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT (2017 - ) e possui Mestrado Profissional em Matemática - ProfMat pela Universidade Federal do Tocantins - UFT (2014 - 2015), Especialização em Matemática pela Faculdade de Tecnologia Equipe Darwin - FATED (2010 - 2011), Especialização em Gestão Escolar pela Faculdades Integradas de Jacarepaguá - FIJ (2008 - 2009) e Graduação em Licenciatura Plena Em Matemática pela Universidade do Estado do Pará - UEPA (2004 - 2007). Foi professor de matemática contratado pela Secretaria Municipal de Educação de Itupiranga - Pará, professor de matemática efetivo pela Secretaria de Educação do Estado do Pará, professor de matemática efetivo pela Secretaria Municipal de Educação, Cultura e Desporto de Água Azul do Norte - PA. Atualmente é Professor EBTT de Matemática efetivo com dedicação exclusiva do Instituto Federal de Mato Grosso - IFMT - Campus Confresa.

Everton Soares Cangussu, Universidade do Estado do Pará

icenciado Pleno em Matemática pela Universidade do Estado do Pará (2000), Especialista em Matemática e Estatística pela Universidade Federal de Lavras (2007), Mestre em Matemática pela UFMA - PROFMAT (2013) e Doutorando em Educação em Ciências e Matemática - REAMEC - Pólo UFPA. Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão - Campus Imperatriz. Atua principalmente na área de Ensino de Matemática.

Edna Lopes Hardoim, Universidade Gama Filho

Possui graduação em Licenciatura Em Ciências Biológicas pela Universidade Gama Filho (1982) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (1997). Professora Titular da Universidade Federal de Mato Grosso. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Ensino de Ciências Naturais e Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Inclusiva; Produção de Material Didático; Ensino de Microbiologia, Ecologia de Microrganismos e Biodiversidade Microbiana. Na área de gestão, foi diretora do Instituto de Biociências/UFMT de mar-2009 a fev-2013. Foi Coordenadora de Formação Docente/Pro-reitoria de Ensino de Graduação de 01.12.2012 a 14.10.2016. Foi Coordenadora Geral do Comitê Gestor Institucional da UFMT/RENAFORM, de abril/2013 a set/2016. Trabalhou na Secretaria de Relações Internacionais da UFMT, como Assessora para Acordos e Parcerias Internacionais de outubro/2016 a abril/2017. Atualmente coordena o curso de especialização em Diversidade e Educação Inclusiva no contexto das Ciências Naturais, em 8 Pólos EAD.

Germano Guarim Neto, Universidade Federal de Mato Grosso

Possui graduação em História Natural pela Universidade Federal de Mato Grosso (1974), mestrado em Ciências Biológicas (Botânica) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/Universidade do Amazonas (1978) e doutorado em Ciências Biológicas (Botânica) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/Universidade do Amazonas (1986). Foi Diretor da Sociedade Botânica do Brasil, secccional Centro Oeste; Membro do Conselho Superior da SBB;Secretário Regional da SBPC. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Fanerógamas, atuando principalmente nos seguintes temas: morfologia e taxonomia, etnobotânica, plantas medicinais, educação e meio ambiente/educação ambiental, comunidades humanas e recursos vegetais. É especialista em Sapindaceae neotropicais, família na qual tem diversas publicações. Foi implantador do Herbário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e seu primeiro Curador (1979-1983), função que voltou a ocupar a partir de 2010 até outubro de 2016. É professor titular, concursado, da Universidade Federal de Mato Grosso, vinculado ao Depto. de Botânica e Ecologia/Instituto de Biociências. Orientou trabalhos nos Mestrado e Doutorado em Educação, na Linha de Educação e Meio Ambiente/UFMT; no Mestrado e Doutorado em Saúde e Ambiente, na Linha de Etnobotânica de plantas medicinais; nos Programas de Pós-Graduação em Ecologia e Conservação da Biodiversidade - Mestrado e Doutorado (IB/UFMT); em Ciências Ambientais - Mestrado (UNEMAT-Cáceres-MT). Atualmente orienta no Mestrado em Ensino de Ciências Naturais (IF/UFMT); no Doutorado da REAMEC (pólo UFMT); no Doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia (UFMT), da Rede Pró Centro Oeste. De 14 de outubro de 2016 a 11 de agosto de 2017 exerceu o cargo de Pró-Reitor de Pesquisas da Universidade Federal de Mato Grosso.

Referências

ALENCASTRO, Aníbal. Cuyabá: histórias, crônicas e lendas. São Paulo: Yangraf, 2003.

BRASIL. Portal da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Portal do Ministério de Educação e Cultura, 2016. Disponível em: <http://redefederal.mec.gov.br/historico>. Acesso em: 24 julho 2017.

CARBONELL, Jaume. A aventura de inovar: a mudança na escola. Porto Alegre: Artmed, 2002.

CIRCUITO MATO GROSSO. Mirante do Parque Mãe Bonifácia é removido pela SEMA. Circuito Mato Grosso, 2015. Disponível em: <http://circuitomt.com.br/editorias/cidades/78932-mirante-do-parque-mae-bonifacia-e-removido-pela-sema.html>. Acesso em: 26 jul 2017.

DENNETT, Daniel C. A perigosa idéia de Darwin: a evolução e os significados da vida. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

FERNANDES, José Artur Barroso. Você vê essa adaptação? A aula de campo em ciências entre o retórico e o empírico. 2007. 326 f. São Paulo: Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-14062007-165841/publico/TeseJoseArturBarroso.pdf>. Acesso em: 09 jul. 2017.

KAMII, Constance. A criança e o número: Implicações educacionais da teoria de Piaget para a atuação com escolares de 4 a 6 anos. Tradução de Regina A. de Assis. 39ª. ed. Campinas: Papirus, 2012.

KRASILCHIK, Myrian. Prática de Ensino de Biologia. 4ª. ed. São Paulo: EDUSP, 2004.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. 2ª. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

LORENZIN, Mariana Peão. Choices USP. Sistemas de Atividade e STEAM: possíveis diálogos na construção de um currículo globalizador para o Ensino Médio, 2016. Disponível em: <http://sites.usp.br/choices/sistemas-de-atividade-e-steam-possiveis-dialogos-na-construcao-de-um-curriculo-globalizador-para-o-ensino-medio>. Acesso em: 24 julho 2017.

MARTINS, Eledir da Cruz; ROMANCINI, Sônia Regina. Natureza na cidade. In: ENCONTRO DE GEÓGRAFOS DA AMÉRICA LATINA, 10, São Paulo, 2005. Anais... São Paulo: USP, 2005. p. 8797-8815. Disponível em: <http://www.observatoriogeograficoamericalatina.org.mx/egal10/Procesosambientales/Proteccioncivil/01.pdf> . Acesso em: 24 jul 2017.

MATO GROSSO. SEMA retira mirante do Parque Mãe Bonifácia. Governo de Mato Grosso, 2015. Disponível em: <http://www.mt.gov.br/-/sema-retira-mirante-do-parque-mae-bonifacia>. Acesso em: 25 jul 2017.

PARK, Namje; KO, Yeonghae. Computer Education’s Teaching-Learning Methods Using Educational Programming Language Based on STEAM Education. In: IFIP INTERNATIONAL CONFERENCE ON NETWORK AND PARALLEL COMPUTING, 9, Gwangju/Korea, 2012. Anais... Gwangju/Korea: NPC 2012, 2012. p. 320-327. Disponível em: <https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-642-35606-3_38> . Acesso em: 23 julho 2017.

VIVEIRO, Alessandra Aparecida; DINIZ, Renato Eugênio da Silva. As atividades de campo no ensino de ciências: reflexões a partir das perspectivas de um grupo de professores. In: NARDI, Roberto (Org.). Ensino de ciências e matemática, I: temas sobre a formação de professores [online]. São Paulo: Editora UNESP e Cultura Acadêmica, 2009a. Cap. 2, p. 27-42. Disponível em: <http://static.scielo.org/scielobooks/g5q2h/pdf/nardi-9788579830044.pdf>. Acesso em: 10 jul. 2017.

VIVEIRO, Alessandra Aparecida; DINIZ, Renato Eugênio da Silva. Atividades de campo no ensino das ciências e na educação ambiental: refletindo sobre as potencialidades desta estratégia na prática escolar. Ciência em tela, v. 2, n. 1, p. 1-12, 2009b. Disponível em: <http://www.cienciaemtela.nutes.ufrj.br/artigos/0109viveiro.pdf>. Acesso em: 09 jul. 2017.

WATSON, Andrew D.; WATSON, Gregory H. Transitioning STEM to STEAM: Reformation of Engineering Education. Journal for Quality and Participation, v. 36, p. 1-4, 2013. Disponível em: <http://asq.org/quality-participation/2013/10/bonus-article-transitioning-stem-to-steam-reformation-of-engineering-education.pdf>. Acesso em: 23 julho 2017.

YAKMAN, Georgette. STEAM education. In: RESEARCH ON TECHNOLOGY, INNOVATION, DESIGN & ENGINEERING TEACHING, 19, Salt Lake City/Utah/USA, 2008. Anais... Salt Lake City/Utah/USA: Pupils' Attitudes Towards Technology - PATT, 2008. p. 1-28. Disponível em: <https://www.academia.edu/8113795/STEAM_Education_an_overview_of_creating_a_model_of_integrative_education> . Acesso em: 23 julho 2017.

Downloads

Publicado

2017-12-01

Como Citar

LOPES, T. B.; CANGUSSU, E. S.; HARDOIM, E. L.; GUARIM NETO, G. ATIVIDADES DE CAMPO E STEAM: POSSÍVEIS INTERAÇÕES NA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM VISITA AO PARQUE MÃE BONIFÁCIA EM CUIABÁ-MT. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 304-323, 2017. DOI: 10.26571/2318-6674.a2017.v5.n2.p304-323.i5739. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/5739. Acesso em: 25 jul. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>