AUTOBIOGRAFIAS DOCENTES E A NECESSIDADE DO RETORNO DA VOZ FEMININA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i3.12782

Palavras-chave:

Formação de professores, Ensino de Ciências, Pesquisa qualitativa, Jornada do Herói/Heroína, Feminilidade

Resumo

O estudo aqui apresentado apoia-se no pressuposto de que a formação de professores implica a promoção de um contexto para o desenvolvimento nas dimensões intelectual, social e emocional de adultos por meio da reflexividade e do pensamento crítico advindos do ato de narrar sobre si. Com o objetivo de promover esse contexto, trazemos reflexões sobre a trajetória formativa de uma das pesquisadoras, a qual foi apresentada em uma tese doutoral juntamente com as narrativas autobiográficas de outros professores formadores de uma Instituição de Ensino Superior (IES) amazônica. Este artigo consiste em um recorte dessa pesquisa qualitativa e analisa a trajetória de formação da pesquisadora, que foi estruturada com base na Jornada do Herói/Heroína. Conclui-se que a formação, tanto da pesquisadora quanto dos professores formadores de licenciatura em Ciências Biológicas que participaram da pesquisa doutoral citada, situada em um paradigma positivista da ciência, no qual predomina a experimentação, a objetividade e a pesquisa quantitativa, ainda que estes atuem em ambientes onde há necessidade de se conciliar esta abordagem com o paradigma emergente de ciência, no qual há espaço para a pesquisa qualitativa, a subjetividade e as narrativas. Entende-se também, que há uma necessidade do retorno da voz feminina na ciência e na formação de professores, mas que este não é um processo fácil e rápido, que demanda muito esforço político, financeiro, institucional e pessoal, sendo que a reflexão proporcionada pela narrativa, especialmente aquela apoiada na Jornada do Herói é um caminho promissor nos processos de formação permanente de professores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cinara Calvi Anic, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFAM), Manaus, Amazônas, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1995), mestrado em Ecologia pela Universidade de São Paulo (2002), e doutorado em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal do Mato Grosso (2016). Atualmente é professora do ensino superior e pós graduação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas-IFAM, atuando nos cursos de licenciatura em Ciências Biológicas, Química, Física e Matemática e mestrado profissional em Ensino Tecnológico. Tem experiência na área de Educação e Ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de ciências, formação de professores, ensino de Biologia, metodologia da pesquisa científica, além da experiência como professora no ensino fundamental,médio e superior.

Elizabeth Antônia Leonel de Moraes Martines, Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Porto Velho, Rondônia, Brasil.

Graduada em Licenciatura em Ciências pela Faculdade de filosofia, Ciências e Letras (atual Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce) da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) em 1973 e em Ciências Biológicas pela Faculdade de Ciências e Letras de Votuporanga (1974), mestre (2000) e doutora (2005) em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professora aposentada da Universidade Federal de Rondônia - UNIR. Coordenou na UNIR o Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM) ofertado pela REDE AMAZÔNICA DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS E MATEMÁTICA (REAMEC). É docente colaboradora do programa de pós-graduação: REAMEC / PPGECEM - Linhas de pesquisa "Formação de professores" e "Fundamentos e metodologias de Educação em ciências e matemática"; Lidera (vice líder) o Grupo de pesquisa Laboratório de Ensino de Ciências (EDUCIENCIA) registrado no CNPq. Coordenou projetos de formação de professores de Biologia financiados pela CAPES (LICBIO e PIBID). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação em Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, ensino de ciências naturais, ensino de biologia, ensino e aprendizagem de ciências e pesquisa ação colaborativa. Coordenou o Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio em Rondônia de janeiro a junho de 2014 e participou do programa como formadora de julho 2014 a maio de 2015.

Amarildo Menezes Gonzaga, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFAM), Manaus, Amazônas, Brasil.

Doutor em Educação: Desenvolvimento Curricular (Universidad de Valladolid,2002), Mestre em Ciências Humanas (Universidade Federal do Amazonas,1998), Especialista em Metodologia do Ensino Superior (Universidade Federal do Amazonas, 1995), Licenciado em Letras (Universidade Federal do Amazonas, 1990). Curso Adicional em Estudos Sociais: Habilitação para 5ª e 6ª séries no Colégio Batista de Parintins (1984). Curso Técnico: Habilitação para o Magistério 1ª a 4ª série do primeiro grau no Colégio Nossa Senhora do Carmo - Parintins (1980-1983). MInistrou aulas nas Séries Iniciais, no Ensino Fundamental e no Ensino Médio. Atualmente ministra aulas em Cursos de Graduação, nas disciplinas de Metodologia da Pesquisa Científica e Didática das Ciências nos Cursos de Licenciatura em Química, Física, Biologia e Matemática; e também no Curso de Mestrado Profissional em Ensino Tecnológico, na condição de professor na disciplina Transdisciplinaridade, Currículo e Educação Tecnológica, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM). Também atua no Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (REAMEC). Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: PROCESSOS FORMATIVOS DE PROFESSORES NO ENSINO TECNOLÓGICO, AUTOFORMAÇÃO DOCENTE E SENTIDOS DA AUTORIA NA PESQUISA NARRATIVA.

Referências

ALVES, D. A.; MESQUITA, N. A. S. Influências Positivistas na formação de professores

de Química no Instituto Federal Goiano. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Anais do X ENPEC.- Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 10, p. 1-8, 2015. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R0310-1.PDF. Acesso em: 03 nov. 2021.

ANIC, C.C.; GONZAGA, A. M. A “Jornada do Herói” como possibilidade para estruturação e análise de narrativas de professores. In: AZEVEDO, R. O. M.; GUERREIRO, E. M. B. R.; PACHECO, M. L. T. (Org). Formação de professores em diferentes perspectivas. Curitiba: Appris, 2019. Disponível em: https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=pfguEAAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT11&dq=jornada+do+heroi&ots=qPkLGHZAO5&sig=spT6zMiwtyuUUc_45mrnbrnnibI#v=onepage&q&f=false. Acesso em: 03 nov. 2021.

BERTAUX, D. Narrativas de vida: a pesquisa e seus métodos. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2010. 167 p.

BOLÍVAR, A. Dimensiones epistemológicas y metodológicas de la investigación (auto)biográfica. In: ABRAAO, M. H. M.; PASSEGGI, M.C. (Org). Dimensões epistemológicas e metodológicas da pesquisa (auto) biográfica/ Tomo I. Natal: EDUFRN; Porto Alegre: EDIPUCRS; Salvador: EDUNEB, 2012. p. 27-70.

BRASIL, Ministério da Educação. Resolução CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação).Brasília: 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file. Acesso em: 28 out. 2021.

BRUNER, J. A cultura da educação. Porto Alegre: ArtMed, 2001.

CAMPBELL, J. O herói de mil faces. São Paulo: Cultrix/ Pensamento. 1997.

CECIN, J. S. R. ; STRAFORINI, R. Narrativa autobiográfica e formação docente em Geografia. Reconstruindo percursos formativos a partir da narrativa da experiência. Jataí, Itinerarius Reflectionis, v. 14, n. 2, p. 01-18, 2018. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/rir/article/view/52725. Acesso em: 01 nov. 2021.

CLANDININ, D. J; CONNELLY, F. M. Pesquisa Narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. Uberlândia, EDUFU, 2011.

DINIZ-PEREIRA, J. E. O ovo ou a galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 92, n. 230, p. 34-51, jan./abr., 2011.

FERRAROTTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, A.; FINGER, M.

(Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Lisboa: Departamento de Recursos

Humanos/ Ministério da Saúde. 2010. p. 31-58.

GALIAZZI, M. C. Educar pela Pesquisa: Ambiente de Formação de

Professores de Ciências. Ijuí: Unijuí, 2014. 288 p

GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. 2 ed. Chapecó: Argos, 2012.

GARCIA, C. M. A formação de professores: algumas notas sobre sua história, ideologia e potencial. In: In: NÓVOA. A. (Org.). Os Professores e a sua Formação. 3 ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote. Instituto de Inovação Educacional, 1997. p. 93-114.

GATTI, B. A. Formação do professor pesquisador para o Ensino Superior: desafios. In: BARBOSA, R. L. L. (Org.). Trajetórias e perspectivas da formação de educadores. São Paulo: UNESP, 2004. p.433-441.

GHEDIN, E.; FRANCO, M. A. S. Questões de método na construção da pesquisa em educação. São Paulo: Cortez, 2011.

GOODSON, I. F. Dar voz ao professor: as histórias de vida dos professores e o seu desenvolvimento profissional. In: NÓVOA, A (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto Editora, 2007, p. 63-78.

JOSSO, M. C. Experiências de vida e formação. Lisboa: Educa, 2002.

LÜDKE, M (Coord.). O que conta como pesquisa? São Paulo: Cortez, 2009.

MARTINEZ, M. Jornada do herói: a estrutura narrativa mítica na construção das histórias de vida em jornalismo. São Paulo: Annablume, 2008.

NÓVOA. A. (Org.). Os Professores e a sua Formação. 3 ed. Lisboa: Publicações Dom Quixote. Instituto de Inovação Educacional, 1997.

NÓVOA, A. Vida de professores. Portugal: Porto Editora, 2007.

SILVA, R. M. O. O memorial autobiográfico como nova possibilidade didática nos processos de formação docente de professores da Educação Infantil. Ensino em Perspectivas, Fortaleza, v. 2, n. 2, p. 1-16, 2021.

RABELO, A. O. A importância da investigação narrativa na educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 32, n. 114, p. 171-188, jan.-mar. 2011.

SOUZA, E. C. A arte de contar e trocar experiências: reflexões teórico-metodológicas sobre história de vida em formação. Revista Educação em Questão, Natal, v. 25, n. 11, p. 22-39, jan./abr. 2006.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 7ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

VENTURA, L.; LOSTADA; L. R.; CRUZ, D. M. A formação continuada de educadores a partir da Jornada do Herói: narrativas autobiográficas em foco. In: XV Congresso Brasileiro de Ensino Superior à Distância. IV Congresso Internacional de Educação Superior à Distância. Natal, 2018. Disponível em: https://esud2018.ufrn.br/wp-content/uploads/187109_1ok.pdf. Acesso em: 03 nov. 2021.

VENTURA, L.; CRUZ, D. M. Metodologia de narrativas autobiográficas na formação de educadores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 19, n. 60, p. 426-446, jan./mar. 2019. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/23455. Acesso em: 01 nov. 2021.

VOGLER, C. A jornada do escritor: estruturas míticas para escritores. 2ª ed. Rio de Janeiro : Nova Fronteira, 2006.

Publicado

2021-11-25

Como Citar

ANIC, C. C.; MARTINES, E. A. L. de M.; GONZAGA, A. M. AUTOBIOGRAFIAS DOCENTES E A NECESSIDADE DO RETORNO DA VOZ FEMININA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 9, n. 3, p. e21100, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i3.12782. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/12782. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)