FEIRA DE CIÊNCIAS DO ESTADO DO TOCANTINS: CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO CIENTÍFICA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i2.11966

Palavras-chave:

Educação Básica, Ensino de Ciências, Eventos Científicos

Resumo

Este trabalho traz apontamentos sobre as contribuições que as feiras de ciências podem proporcionar a educação científica no estado do Tocantins. Tendo como objeto de pesquisa a Feira de Ciências do estado do Tocantins – FECITO, que ocorre anualmente no município de Araguaína – TO, promovido na Universidade Federal do Tocantins, pelos cursos de licenciatura em ciências naturais, coordenado por um professor do curso de licenciatura em biologia. O objetivo geral constituiu-se em identificar as contribuições desses eventos para educação científica na educação básica no Tocantins, destacando como se deram essas contribuições ao longo das edições do evento, para tanto, foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa fundamentada nos pressupostos metodológicos da análise documental e coleta de dados, examinados à luz da análise de conteúdo. A partir do qual construímos duas categorias, educação científica acadêmica e educação científica no ensino básico, ambas revelam as contribuições do evento em diferentes contextos ao longo dos anos de suas edições e, corroboram a promoção da interação de professores e alunos da educação básica, acadêmicos dos cursos de licenciaturas em ciências naturais e professores da universidade, em um ambiente propício à troca de experiência proporcionada pela FECITO, como identificado nas duas categorias que emergiram da análise dos dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leonardo Cipriano Nogueira, Universidade Federal do Tocantins

Licenciado em Biologia pela Universidade Federal do Tocantins - UFT - (2016). Mestrando em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal do Tocantins (PPGecim/UFT). Atualmente é professor da educação básica do Estado do Tocantins - SEDUC - TO. Professor Preceptor do programa Residência Pedagógica Núcleo Biologia - UFT. Experiência docente pelo PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) e pelo PIMI (Programa Institucional de Monitoria Indígena) - UFT (2016). Desenvolve pesquisas com ênfase nas áreas de ensino de ciências - metodologias no ensino ciências, formação de professores e feiras de ciências. 

Gecilane Ferreira, Universidade Federal do Tocantins

Licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT - (1996). Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso - IE/UFMT - (2009). Doutorado em Educação em Ciências e Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso - REAMEC/UFMT/UEA/UFPA - (2014). Atualmente é professor adjunto IV na UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS - UFT. Coordenador do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Ensino de Ciências e Matemática - PPGECIM. Coordenador da Feira de Ciências do Estado do Tocantins - UFT/CNPq. Desenvolve pesquisas na área de Educação, com ênfase em Métodos e Técnicas de Ensino e espaços não formais de aprendizagem.

Nilciane Pinto Ribeiro de Sousa, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Ciências Biológicas (Bacharelado e Licenciatura) pela Fundação Universidade Federal do Tocantins (2006), especialização em Vigilância em Saúde: Controle de Zoonoses pelo Instituto de Medicina Tropical do Tocantins e especialização em Embriologia Clínica pela Faculdade de Medicina de São Jose do Rio Preto. Atualmente trabalha como docente do ensino fundamental e médio na rede estadual de ensino (funcionária pública efetiva) e como embriologista na área da reprodução humana assistida. Cursando mestrado em Ensino de Ciências e Matemática ( PPGecim) - UFT. 

Referências

BARCELOS, Nora Ney Santos; JACOBUCCI, Giuliano Buzá; JACOBUCCI, Daniela Franco Carvalho. Quando o cotidiano pede espaço na escola, o projeto da feira de ciências ''Vida em Sociedade'' se concretiza. Ciência & Educação (bauru), [s.l.], v. 16, n. 1, p. 215-233, 2010. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1516-73132010000100013. Acesso em: 05 jun. 2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016. 282 p.

COSTA, Luzinete Duarte; MELLO, Geison Jader; ROEHRS, Marfa Magali. Feira de Ciências: aproximando estudantes da educação básica da pesquisa de iniciação científica. Ensino em Re-vista, [s.l.], p.504-523, 30 jun. 2019. EDUFU - Editora da Universidade Federal de Uberlandia. http://dx.doi.org/10.14393/er-v26n2a2019-10.

DOMINGUES, Edina; MACIEL, Maria Delourdes. Feira de ciências: o despertar para o ensino e aprendizagem. Revista de Educação, [s.l.], v. 14, n. 18, p.139-150, out. 2011. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com/index.php/educ/article/view/1724. Acesso em: 10 jun. 2019.

FARIAS, Luciana de Nazaré. Feiras de ciências como oportunidades de (re) construção de conhecimentos pela pesquisa. 2006. 90 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal do Pará, Belém-PA, 2006.

FERREIRA, Gecilane. As feiras de ciências como estratégias para o ensino de ciências na educação básica. Revista BiodÁtica: As Feiras de Ciências e a Alfabetização Científica, Araguaína-to, v. 3, n. 1, p. 5-11, dez. 2019. Disponível em: https://revistabiodatica.wixsite.com/website/3-edicao. Acesso em: 01 maio 2020.

GALLON, Mônica da Silva; SILVA, Jonathan Zotti da; NASCIMENTO, Silvania Sousa do; ROCHA FILHO, João Bernardes da. Feiras de Ciências: uma possibilidade à divulgação e comunicação científica no contexto da educação básica. Revista Insignare Scientia - Ris, [s.l.], v. 2, n. 4, p. 180-197, 19 dez. 2019. Universidade Federal da Fronteira Sul. http://dx.doi.org/10.36661/2595-4520.2019v2i4.11000. Disponível em: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11000/7339 . Acesso em: 28 fev.

GOHN, Maria da Gloria. Educação nao formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 14, n. 50, p. 27-38, mar. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ensaio/v14n50/30405.pdf. Acesso em: 06 maio 2020.

GODOY, Arilda Schmidt. Pesquisa qualitativa tipos fundamentais. Revista

de Administração de Empresas, São Paulo, v. 3, n. 35, p. 20-29, maio 1995.

HARTMANN, Angela Maria; ZIMMERMANN, Erika. O trabalho interdisciplinar no ensino médio: a reaproximação das “duas culturas”. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.7, n. 2, 2007. Disponibilidade em: < http://www.cienciamao.usp.br/dados/rab/_otrabalhointerdisciplina.artigocompleto.pdf>.

Acesso em: 15 dez. 2020.

LIMA, Maria Edite Costa. Feira de ciências: a produção escolar veiculada e o desejo de conhecer no aluno. In: BRASIL. Ministério da Educação. Iniciação Científica: um salto para a ciência. Brasília: TV Escola, Boletim 11, p. 20‐28, jun. 2005.

LOPES, Alice Ribeiro Casimiro. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999.

MANCUSO, Ronaldo; LEITE FILHO, Ivo. Feiras de ciências no brasil: uma

trajetória de quatro décadas. In: Brasil. Francisco das Chagas Fernandes. Programa Nacional de Apoio às Feiras de Ciências da Educação Básica Fenaceb. Brasília-df. 2006. p. 11-43.

MANCUSO, Ronaldo. A evolução do programa de feiras de ciências do Rio Grande do Sul avaliação tradicional x avaliação participativa. 1993. 334 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós - Graduacão em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis- Sc, 1993. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/75883. Acesso em: 01 maio 2020.

MEZZARI, Susana; FROTA, Paulo Rômulo de Oliveira; MARTINS, Miriam da Conceição. Feiras multidisciplinares e o ensino de Ciências. Revista Electrónica de Investigación y Docencia, n. monográfico, p. 107-119, 2011. Disponibilidade em:

<https://revistaselectronicas.ujaen.es/index.php/reid/article/view/1142/964>. Acesso em 9 de Mai. 2020.

PAVÃO, Antonio Carlos; LIMA, Maria Edite Costa. Feiras de ciência, a revolução científica na escola. Revista Brasileira de Pós-Graduação, [S.L.], v. 15, n. 34, p. 1-11, 22 nov. 2019. CAPES. http://dx.doi.org/10.21713/rbpg.v15i34.1612. Disponível em: https://rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/1612. Acesso em: 17 mar. 2021.

ROLAN, Cátia Viana. Feiras de ciências e mostras científicas: debate e proposta sobre seus conceituais. 2016. 68 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Ciências e Tecnologias na Educação, Instituto Federal Sul-Rio-Grandense Câmpus Pelotas Visconde da Graça, Pelotas-Rs, 2016. Disponível em: http://ppgcited.cavg.ifsul.edu.br/mestrado/images/downloads/dissertacoes/catia_rolan. Acesso em: 15 dez. 2020.

SANTOS, Adevailton Bernardo dos. Feiras de Ciência: Um incentivo para desenvolvimento da cultura científica. Rev. Ciências em Extensão. v.8, n.2, p.166, 2012.Disponibilidade em:

<https://ojs.unesp.br/index.php/revista_proex/article/view/717/677>. Acesso em 9 de abr. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-27

Como Citar

NOGUEIRA, L. C.; FERREIRA, G. .; SOUSA, N. P. R. de. FEIRA DE CIÊNCIAS DO ESTADO DO TOCANTINS: CONTRIBUIÇÕES PARA A EDUCAÇÃO CIENTÍFICA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 2, p. e21057, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i2.11966. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/11966. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Educação em Ciências