INTERFACE ENTRE O ENSINO POR ATIVIDADES EXPERIMENTAIS E TENDÊNCIAS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.13969

Palavras-chave:

Educação Matemática, Experimentação no Ensino, Teoria da Atividade, Ensino de Matemática por Atividades Experimentais.

Resumo

O estudo aqui apresentado trata de um ensaio teórico, que tem como propósito, discutir a existência de uma possível componente experimental existentes nas tendências e abordagens em educação matemática, admitindo-se de que ela está presente na maior parte das atividades estabelecidas nas tendências, em seus estruturantes e elementos funcionais. Assim, o objetivo deste artigo é apontar para uma hipótese inicial, de que o Ensino de Matemática por Atividades Experimentais (EMAE), está estabelecido, de alguma forma e de maneira consciente ou inconsciente, em uma diversidade de tipos de atividades (doravante denominadas de Atividades Experimentais) presentes nas diversas tendências e abordagens da educação matemática. A base teórica e filosófica está ancorada em alguns pressupostos da Teoria da Atividade (TA), seguido de um exame analítico de tendências e abordagens em educação matemática. Conclui-se, apresentando-se uma discussão inicial e relacionada com a caracterização para o EMAE, presentes nestas tendências e abordagens e suas relações e características com os elementos internos de uma atividade de base experimental. Em adição, constata-se a necessidade de um estudo de maior densidade e amplitude para confirmação ou não das inferências aqui apontadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

José Ricardo e Souza Mafra, Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), Santarém, Pará, Brasil

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade do Estado do Pará (1999), Mestrado (2003) e Doutorado (2006) em Educação, área de concentração em Educação Matemática, pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal do Oeste do Pará/UFOPA e professor permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UFOPA). Atua como professor permanente do Programa de Pós-graduação em Educação na Amazônia - Doutorado em Educação em Rede (PGEDA/UFPA) - e no Programa de Doutorado em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM/UFMT) - Associação em Rede intitulada Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC). Tem experiência na área de Matemática, com ênfase no ensino, atuando principalmente nos seguintes temas: etnomatemática, tecnologias educacionais e prática de ensino em matemática.

Pedro Franco de Sá, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Belém, Pará, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura Plena Em Matemática pela Universidade Federal do Pará (1988), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Pará (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2003). Foi o diretor, no periodo de junho de 2012 à maio de 2016, do Centro de Ciencias Sociais e Educação da Universidade do Estado do Pará onde é professor Titular de Educação Matemática do Departamento de Matemática, Estatística e Informática desde 2013. É docente fundador do Programa de Mestrado em Educação do CCSE- UEPA, docente fundador da REAMEC e docente fundador do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Matemática do CCSE- UEPA. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: educação matemática, ensino de matemática por atividades, matemática no ensino fundamental e uso de novas tecnologias em sala de aula, em particular uso didático da calculadora.

Francisco Robson Alves da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA/Campus Santarém), Santarém, Pará, Brasil.

Doutorando em Educação na Amazônia, na Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Mestre em Engenharia Elétrica - área de concentração em Computação Aplicada, pela Universidade Federal do Pará (UFPA) em 2009. Licenciado Pleno em Matemática pela UFPA em 1997. Especialista em Educação Matemática pela Universidade do Estado do Pará (UEPA) em 2001. Especialista em Estatísticas Educacionais pela UFPA em 2007. Especialista em Docência para Educação Profissional, Científica e Tecnológica pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA) em 2018. Docente do IFPA/Campus Óbidos desde 2016. Atualmente desenvolve atividades voltadas as Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação na Educação, Modelagem Matemática e Análise de Modelos em conjunto com o Grupo de Estudos e Pesquisas Educacionais em Modelagem Matemática - GEPEMM/UFOPA.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de filosofia. 5. Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

CARDOSO, Rosinaldo de Trindade, O ensino de medida de área por atividade. Dissertação (Mestrado). Pós-graduação em Ensino de Matemática. Universidade do Estado do Pará, Belém, 2019.

COSTA, Airton da Silva. O ensino de expressões algébricas por meio de atividade. Dissertação (Mestrado) Pós-graduação em Ensino de Matemática. Universidade do Estado do Pará, Belém, 2019.

DEWEY, John. Como pensamos. 4 ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1979.

DEWEY, John. Experiência e Educação. Tradução de Renata Gaspar-Petrópolis, RJ: Vozes. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

FOSSA, John Andrew; MENDES, Iran Abreu. Tendências atuais na educação matemática: experiências e perspectivas. In: Encontro de pesquisa educacional do Nordeste, 13. 1998. Natal. Anais do XIII Encontro de Pesquisa Educacional do Nordeste. Natal: EDUFRN, 1998 (Coleção EPEN, n. 19).

FOSSA, John Andrew. Algumas considerações teóricas sobre o ensino de matemática por atividades. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, ano 15, n. 35, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.37084/REMATEC.1980-3141.2020.n15.p10-26.id283

GRAÇA, Vagner Viana. O ensino de problemas do 1º grau por atividades. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-graduação em Educação. Universidade do Estado do Pará, Belém, 2011.

LEONTIEV, Alexei. O desenvolvimento do psiquismo. 2. ed. São Paulo: Centauro, 2004.

LEONTIEV, Alexei. Probleme der Entwicklung des Psychischen. Berlin: Volk und Wissen. 1971.

LOBATO JUNIOR, José Maria dos Santos. O ensino de razão e proporção por meio de atividades. Dissertação (Mestrado). Ensino de Matemática. Universidade do Estado do Pará, Belém, 2018.

MAFRA, José Ricardo e Souza; SÁ, Pedro Franco de. Abordagens na pesquisa em educação Matemática: algumas reflexões e perspectivas epistemológicas. Revista Tempos e Espaços em Educação, 13(32), 1-21. 2020. https://doi.org/10.20952/revtee.v13i32.13465

MOURA, P. de S.; RAMOS, M. do S. F.; LAVOR, O. P. Investigando o ensino de trigonometria através da interdisciplinaridade com um simulador da plataforma PhET. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 8, n. 3, p. 573-591, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10784

NÚÑEZ, Izauro Beltrán, PACHECO, Otmara Gonzalez. La formación de conceptos científicos: uma perspectiva desde la Teoria da Atividade. Natal: EDUFRN, 1997.

SÁ, Pedro Franco de; MAFRA, José Ricardo e Souza. A diversidade de abordagens nas pesquisas em educação matemática. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 15, n. 36, p. 192-209, 22 dez. 2020. https://doi.org/10.37084/REMATEC.1980-3141.2020.n16.p192-209.id305

SÁ, Pedro Franco de. As atividades experimentais no ensino de matemática. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, ano 15, n. 35, 2020. https://doi.org/10.37084/REMATEC.1980-3141.2020.n15.p143-162.id290

SÁ, Pedro Franco de. Possibilidades do ensino de matemática por atividades. Belém: SINEPEM, 2019.

SANTOS, Aline Pinheiro dos; FERNANDES, Geraldo Rocha. O papel das atividades investigativas para o ensino de física na educação de jovens e adultos. Experiências em Ensino de Ciências v.13, n.4, 2018. Disponível em: https://fisica.ufmt.br/eenciojs/index.php/eenci/article/view/58. Acesso em: 20 maio 2023.

SANTOS, Gilson Pedroso dos. O pensamento computacional e as tecnologias digitais como uma base de ação epistemológica na formação inicial de professores. Projeto de pesquisa. Programa de Pós-graduação na Amazônia (PGEDA). Doutorado em Educação em Rede. 2022.

SILVA, Francisco Robson Alves da. Base de estudos educacionais em matemática: articulando pressupostos da análise de modelos e referenciais de TDIC fundamentados no ensino de matemática por atividades experimentais. Projeto de pesquisa. Programa de Pós-graduação na Amazônia (PGEDA). Doutorado em Educação em Rede. 2022.

TEIXEIRA, A. S. M.; MUSSATO, S. Contribuições do software GeoGebra nas aulas com sólidos geométricos de faces planas nos anos iniciais do ensino fundamental. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 8, n. 3, p. 449-466, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10835

VYGOTSKY, Lev Semionovitch. Mind and Society: The development of higher mental processes. Cambridge: Harvard University Press, 1978.

VIGOTSKI, Lev Semionovitch. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Downloads

Publicado

2023-05-31

Como Citar

MAFRA, J. R. e S.; SÁ, P. F. de; SILVA, F. R. A. da . INTERFACE ENTRE O ENSINO POR ATIVIDADES EXPERIMENTAIS E TENDÊNCIAS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23012, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.13969. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13969. Acesso em: 21 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)