ENGENHARIA DIDÁTICA COMO METODOLOGIA DE PESQUISA NOS TRABALHOS PUBLICADOS NO EBRAPEM (2014-2021)

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.15208

Palavras-chave:

Ensino , Pesquisa em Ensino de Matemática, Engenharia Didática

Resumo

O termo Engenharia Didática foi definido por Michèlle Artigue (1996) e caracterizado como procedimentos metodológicos que se assemelham ao trabalho do engenheiro ao realizar um projeto arquitetônico, ou seja, trata-se da concepção, planejamento e execução de um projeto. A partir da divulgação das ideias de Artigue a Engenharia Didática (ED) vem sendo utilizada como metodologia de pesquisa por educadores de diversas áreas. Considerando tal temática, nos sentimos motivados a investigar a seguinte questão problema: Quais pesquisas apresentadas no Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática (EBRAPEM), no período de 2014 a 2021, fazem utilização da Engenharia Didática como metodologia? Diante disso, o presente artigo tem por objetivo analisar a presença da ED como metodologia de pesquisa em trabalhos apresentados no EBRAPEM de 2014 a 2021. Para a elaboração desse artigo foi realizada pesquisa bibliográfica nos anais do evento nesse período e uma ampliação do estudo de Lopes; Palma e Sá (2018) que tinha analisado trabalhos de 2014 a 2016. O resultado alcançado indicou a presença constante da ED nas edições do evento, assim como, uma queda do percentual de trabalhos com utilização da Engenharia Didática como metodologia a partir de 2017. Concluímos que a ED é uma metodologia importante e eficiente para se investigar o processo de ensino aprendizagem de matemática e útil para desenvolver novos modos de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Natali de Jesus Ferreira de Miranda, Escola Municipal de Ensino Fundamental São Felipe (EMEFSF), Palmares, Tailândia/PA, Brasil.

Mestra em Matemática pelo Programa de Mestrado Professional em Ensino de Matemática pela Universidade do Estado do Pará/UEPA- Campus Belém. Professora de matemática pela prefeitura municipal de Tailândia desde julho de 2014, e também pela Prefeitura Municipal de Cametá desde julho de 2015. Anteriormente trabalhei como professora de educação básica II, ministrando aulas de matemática para as series de 5 a 8 junto ao Programa Projovem Campo- Saberes da Terra. Especialista em Matemática Financeira pela faculdade Montenegro, Especialista em Educação do Campo, Desenvolvimento e Sustentabilidade no Campo na Amazônia pela Universidade Federal do Pará- UFPA. Graduada em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade do Estado do Pará- UEPA/Campus Altamira.

Maria de Lourdes Silva Santos, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Belém, Pará, Brasil.

Possui graduação em Curso de Educação Religiosa - Arquidiocese de Belém - PA (1985), graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (1988), mestrado em Mestrado em Educação pela UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA I (1999) e doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2010). Atualmente é professor auxilar i da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ, docente da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ, docente da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ, professor adjunto iv da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ, professor adjunto ii da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ, professor adjunto ii da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ e docente da UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em FORMAÇÃO DE PROFESSORES, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de matemática, ensino religioso, avaliação, educação e educação.

Pedro Franco de Sá, Universidade do Estado do Pará (UEPA), Belém, Pará, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura Plena Em Matemática pela Universidade Federal do Pará (1988), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Pará (1996) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2003). Foi o diretor, no periodo de junho de 2012 à maio de 2016, do Centro de Ciencias Sociais e Educação da Universidade do Estado do Pará onde é professor Titular de Educação Matemática do Departamento de Matemática, Estatística e Informática desde 2013. É docente fundador do Programa de Mestrado em Educação do CCSE- UEPA, docente fundador da REAMEC e docente fundador do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Matemática do CCSE- UEPA. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: educação matemática, ensino de matemática por atividades, matemática no ensino fundamental e uso de novas tecnologias em sala de aula, em particular uso didático da calculadora.

Referências

ALMOLOUD, S. A.; COUTINHO, C. Q. S. Engenharia Didática: características e seus usos em trabalhos apresentados no GT-19/ ANPEd. Revista Eletrônica de Educação Matemática, Florianópolis, n. 3, p. 62-77, 2008. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/1981-1322.2008v3n1p62. Acesso em: 10 ago. 2021.

ARTIGUE, Michelle. Engenharia didáctica. ln. BRUN, Jean (Org.). Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Instituto Piaget, 1996, p. 193-217.

BITTAR, Marilena. Contribuições da Teoria das Situações Didáticas e da Engenharia Didática para Discutir o Ensino de Matemática. In. TELES, Rosinalda Aurora de Melo; BORBA, Rute Elisabete de Souza Rosa; MONTEIRO, Carlos Eduardo Ferreira (Orgs.) Investigações em Didática da Matemática. Recife: UFPE, 2017, vol. 2, p. 101-132. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/321148987. Acesso em: 20 mar. 2022.

BRUN, Sophie Joffredo-Le et al. Engenharia cooperativa como ação conjunta. Revista Europeia de Pesquisa Educacional journals. n. 1, v. 17, p. 187 – 208, 2018.

LIMA, Rafael Pontes. O ensino e a aprendizagem significativa das operações com frações: sequência didática e o uso de tecnologias digitais para alunos do Ensino Fundamental II. 2014. 240f. Tese de Doutorado. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. Universidade Federal do Pará. Macapá, 2014.

LOPES, T. B.; PALMA, R. C. D.; SÁ, P. F. Engenharia didática como metodologia de pesquisa nos projetos publicados no EBRAPEM (2014-2016). Educação Matemática Pesquisa: Revista do Programa de Estudos Pós-Graduados em Educação Matemática, São Paulo, v.20, n.1, p. 159-181, 2018. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/34925. Acesso em: 03/03/2021.

OLIVEIRA, Juliane da Cruz; MORAES, Moema Gomes. As pesquisas sobre o uso de softwares de geometria dinâmica no Brasil. REAMEC –Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. Cuiabá, v. 9, n.1, e21001, janeiro-abril, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i1.11147 .

PAIS, Luiz Carlos. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. Belo Horizonte: Autentica, 2001. p. 127.

PANTOJA, L. F. L.; SILVA, F. H. S. Engenharia didática: articulando um referencial metodológico para o ensino de matemática na EJA. In: IX Encontro Nacional de Educação Matemática. Anais do IX ENEM - Encontro Nacional de Educação Matemática, Belo Horizonte: MG, 2007.

PORTO, Francirley Moura. Uma engenharia didática para o ensino das operações com frações e com produtos notáveis. 2019. 105f. Dissertação (Mestrado Profissional em Matemática) - Programa de Pós-Graduação Matemática em Rede Nacional, Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2019. Disponível em: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/297. Acesso em: 31 de maio de 2021.

PAZUCH, Vinícius. Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática EBRAPEM. Boletim Sociedade Brasileira de Educação. Universidade de Brasília (UnB), Campus Darcy Ribeiro Faculdade de Educação (FE), Asa Norte, Brasília – DF, n. 11, p. 1-10, 2012. Disponível em: http://www.sbembrasil.org.br/files/Boletim11.pdf. Acesso em: 03/03/2023.

SÁ, P.F.; ALVES, F.J.C. A engenharia didática: alternativa metodológica para pesquisa em fenômenos didáticos. In: MARCONDES, M. I. (Org.).; OLIVEIRA, I. A. (Org.) ; TEIXEIRA, E. (Org.) . Abordagens teóricas e construções metodológicas na pesquisa em educação. 1. ed. Belém: EDUEPA, 2011. v.1, p. 145-160, 2011.

TEIXEIRA, Alcinda Souza Muniz; MUSSATO, Solange. Contribuições do software geogebra nas aulas com sólidos geométricos de faces planas nos anos iniciais do ensino fundamental. REAMEC –Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. Cuiabá, v. 8, n.3, p. 449-466, setembro-dezembro, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10835

Downloads

Publicado

2023-11-29

Como Citar

MIRANDA, N. de J. F. de .; SANTOS, M. de L. S.; SÁ, P. F. de. ENGENHARIA DIDÁTICA COMO METODOLOGIA DE PESQUISA NOS TRABALHOS PUBLICADOS NO EBRAPEM (2014-2021). REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23090, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.15208. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15208. Acesso em: 13 jul. 2024.