ANÁLISE INTERDISCIPLINAR DAS ESTÓRIAS DO LIVRO “ESPORTES DE AVENTURA” NUMA PERSPECTIVA STEAM

Dandara Lima Viana, Cleusa Suzana Oliveira de Araujo, Daniela dos Santos Cavalcante

Resumo


Este artigo foi desenvolvido a partir da análise do livro “Esporte de Aventura”, componente da coleção “Almanaque do sítio” que contém vários livros com diferentes temáticas. O livro é composto por estórias que se passam no cenário do famoso Sítio do Pica Pau Amarelo, uma composição do autor brasileiro Monteiro Lobato, que foi adaptada para televisão com uma série infanto-juvenil. Esta pesquisa se enquadra predominantemente como pesquisa qualitativa, no que concerne ao interesse pela ênfase na qualidade dos fenômenos educacionais, no que tange aos fenômenos humanos, à sua multiplicidade e a suas interconexões. A proposta desta análise é identificar como trabalhar conjuntamente diferentes disciplinas do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, a partir das estórias do livro, em uma proposta interdisciplinar, mostrando articulação entre as diferentes disciplinas numa abordagem STEAM – Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática, bem como identificar os conteúdos que o professor pode desenvolver na sala juntamente com propostas de atividades para esse conteúdo. Através dos resultados obtidos com a pesquisa pode-se constatar que com apenas esse livro é possível fazer no mínimo 10 (dez) atividades interdisciplinares com os alunos, abordando as disciplinas de artes, matemática, ciências, educação física, história, geografia, física, língua portuguesa e inglês. Ainda é possível explorar muito mais do livro.

Palavras-chave


Interdisciplinaridade; Estória de aventura; Ensino

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo. 3ª reimp. Edição revista e ampliada, São Paulo: Edições 70, 2011.

BRAGA, M.A.B.; FREITAS, L.D. GUERRA,Andreia. REIS, José Claudio. Interdisciplinaridade no ensino das ciências a partir de uma perspectiva histórico-filosófica. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, ISSN-e 2175-7941, Vol. 15, Nº. 1, 1998, págs. 32-46.

CARDOSO BRABO, J.; SOUSA, C.M. Pedagogia e pedagogos no imaginário dos professores de ciências brasileiros: um estudo preliminar. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciência. 2006. 5(3):430.

DUARTE, A.J., MALHEIRO, B.; RIBEIRO, C.; SILVA, M.F.; FERREIRA, P. e GUEDES, P. Developing an aquaponics system to learn sustainability and socialcompromise skills. Journal of Technology and Science Education. Vol 5(4): 235-254, 2015.

GENELLO, L.; FRY, J.P.; FREDERICK, J. A.; LI, X.; LOVE, D.C. Fish in the Classroom: A Survey of the Use of Aquaponics in Education. European Journal of Health & Biology Education, 4(2), 9-20, 2015.

GASQUES, M.V. Esportes de aventura. Ilustrações Traviatta Produções Artísticas, São Paulo. Globo, 2005. (Coleção Almanaque Sítio).

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio – Pesquisa em Educação em Ciências. 3(1)1-17, Jun. 2001.

SANTOS, W.L.P. Educação Científica Humanística em Uma Perspectiva Freireana: Resgatando a Função do Ensino de CTS. Alexandria Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, v.1, n.1, p. 109-131. ISSN 1982-5153. 2008.

ROITMAN, I. Ciência para os jovens: falar menos e fazer mais. In: Werthein , J; Cunha, C. (Orgs.). Educação científica e desenvolvimento: o que pensam os cientistas. Brasília: UNESCO, Instituto Sangari, 232 p. 2005.

SILVEIRA, J.R.A. Arte e Ciência: uma reconexão entre as áreas. Cienc. Cult. vol.70 no.2 São Paulo Apr./June 2018 (p. 24-25). Disponível em: http://dx.doi.org/10.21800/2317-66602018000200009

TEIXEIRA, P. M. M. A Educação Científica sob a perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica e do movimento CTS no ensino de Ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 9, n. 2, p. 177-190, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.26571/REAMEC.a2019.v6.n3.p105-117.i7723

Apontamentos

  • Não há apontamentos.