UMA ANÁLISE DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA EM JI-PARANÁ/RO E A ATUAÇÃO DOS EGRESSOS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i2.12667

Palavras-chave:

Licenciatura em Matemática, Egressos, Formação de Professores, História da Educação Matemática

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma construção histórica do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), campus de Ji-Paraná, complementada pela análise descritiva do perfil e da atuação profissional dos seus egressos. Trata-se de um estudo que foi desenvolvido sob os aspectos teórico-metodológicos da História da Educação Matemática, buscando responder à questão cerne: passadas três décadas da criação da Licenciatura em Matemática da UNIR em Ji-Paraná, como ocorreu sua trajetória histórica e como estão atuando seus egressos? Foram eleitas e analisadas as seguintes fontes de dados: Projetos Políticos do curso, arquivos da secretaria do curso, currículo lattes dos egressos e publicações científicas acerca do curso pesquisado. Ficou evidente que o curso, ao longo dos seus 32 anos, passou por diversas rupturas, tendo contribuído significativamente para a Educação Matemática no Estado de Rondônia e região. Ademais, tem conseguido formar um quantitativo de professores por turma superior à média nacional, mas não tem conseguido preencher as vagas do seu processo seletivo discente, bem como uma quantidade considerável dos egressos não atua como docente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marlos Gomes de Albuquerque, Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Ji-Paraná, Rondônia, Brasil

Graduado em Matemática pela Universidade de Pernambuco (1988). Pós-Graduado em Matemática Pura pela Universidade Federal de Pernambuco (1996). Mestre em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000). Doutor em Educação em Ciências e Matemática, UFMT (2014). Professor Associado III da Universidade Federal de Rondônia - UNIR. Docente do Mestrado em Educação Matemática da UNIR em Ji-Paraná-RO. Coordenador da linha de pesquisa em História da Educação Matemática do Grupo Rondoniense de Estudos e Pesquisas em História da Educação Matemática - GROEPEM. Membro do Grupo de Pesquisa de História da Educação Matemática - GHEMAT. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: ensino de matemática, ensino-aprendizagem, História da Educação Matemática e Formação de Professores.

Márcia Rosa Uliana, Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Ji-Paraná, Rondônia, Brasil

Doutora em Educação em Ciência e Matemática pela Rede Amazônica de Educação em Ciência e Matemática (REAMEC) - Polo Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) (2015) e Mestre em Ensino de Ciências e Matemática pela PUC-Minas (2013). Especialização em Educação Inclusiva pela Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal (FACIMED) (2007) e em Metodologia do Ensino Superior pela Faculdade de Rolim de Moura ( FAROL) (2006) e Licenciatura em matemática pela Universidade Federal de Rondônia (2005). Professora efetiva da Universidade Federal de Rondônia - Departamento de Matemática e Estatística e do Mestrado em Educação Matemática ofertado pela Universidade Federal de Rondônia (PPGEM). Atual Coordenadora do PPGEM, Orientadora do Projeto Residência Pedagógica - Núcleo Matemática, Membro do Grupo de Pesquisa Grupo de Estudo Interativo e Pesquisa em Educação Inclusiva (GEIPEI) e do Grupo Rondoniense de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (GROEPEM. Atua desenvolvendo pesquisa nas seguintes temáticas: Formação de professores que ensinam Matemática; Educação Inclusiva; e o Processo de ensino-aprendizagem de Matemática para estudante com deficiência. 

Referências

ALBUQUERQUE, M. G. Da formação polivalente ao movimento da Educação Matemática: uma trajetória histórica da Formação de Professores de Matemática na Universidade Federal de Rondônia em Ji-Paraná (1988-2012). 2014. 277 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2014. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/208954. Acesso em: 15 maio 2021.

ANDRADE, J. M. V. Condição de trabalho e de formação do magistério: problemas e alternativas da licenciatura. In. ALMEIDA, M. D. M (org.). Licenciatura. Cidade: Natal -RN. Editora EDUFRN – Editora da UFRN, 2004. p. 11-24. Disponível em: http://arquivos.info.ufrn.br. Acesso em: 10 jun. 2021.

ARTES, A.; RICOLDI, A. M. Mulheres e as carreiras de prestígio no ensino superior: o não lugar feminino. In: ITABORAÍ, N. R.; RICOLDI, A. M. (orgs.). Até onde caminhou a revolução de gênero no Brasil? Implicações demográficas e questões sociais. Belo Horizonte: Abep, 2016. p. 81-93.

BITTAR, M.; OLIVEIRA, A. B.; SANTOS, R. M.; BURIGATO, S. M. M. S. A Evasão em um curso de Matemática em 30 Anos. Revista de Educação Matemática e Tecnologia Ibero-Americana, v. 3, n. 1, p. 1-17, 2012. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/emteia/article/view/2168. Acesso em: 20 abr. 2021.

BLOCH, M. Apologia da história ou o ofício do historiador. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BRASIL. Parecer nº 1050/CFE de 30 de dezembro de 1987. Autoriza o funcionamento do Curso de Licenciatura curta em Ciências da Universidade Federal de Rondônia – UNIR, nos Campi de Ji-Paraná e Vilhena. Brasília, 1 de dezembro de 1987.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Diretoria de Estatísticas Educacionais. Microdados do Censo da Educação Superior 2018. Brasília: INEP, 2019. Disponível em: https://www.gov.br/inep/pt-br/acesso-a-informacao/dados-abertos/microdados. Acesso em: 5 maio 2021.

BRASIL. Portaria MEC nº 486, de 14 de maio de 2020. Reconhece cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado). Diário Oficial da União: seção1, Brasília, DF, n. 93, p. 409-411, 18 mai. 2020.

CAPES. GEOCAPES – Sistema de Informações Georreferenciadas. Brasília: CAPES, 2019.Disponível em: https://geocapes.capes.gov.br/geocapes/#. Acesso em: 18 abr. 2021.

FIORENTINI, D. Alguns Modos e ver e conceber o ensino da matemática no Brasil. Zetetiké, v. 3, n. 4, p. 1-37,1995. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/zetetike/article/view/8646877. Acesso em: 1 jul. 2021.

GATTI, B. A. Políticas Docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: Ministério da Educação, 2011.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. S.; ANDRÉ, M. E. D. A.; ALMEIDA, P. C. A. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Contagem da população. 2019. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ro/ji-parana/panorama. Acesso em: 5 abr. 2021.

JI-PARANÁ. Normatização 001/DME/2010. Estabelece critérios de regulamentação para o desenvolvimento das atividades do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), do Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Campus de Ji-Paraná. Ji-Paraná: UNIR, 2010.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003.

MIGUEL, A.; GARNICA, A. V. M.; IGLIORI, S. B. C.; D’AMBROSIO, U. A. Educação Matemática: breve histórico, ações implementadas e questões sobre sua disciplinarização. Revista Brasileira de Educação, v. 27, p. 70-93, 2004. https://doi.org/10.1590/S1413-24782004000300006

PEDROSO, E. R. L.; ALBUQUERQUE, M. G. de. Um panorama histórico das Licenciaturas em Matemática nos estados do Amazonas, Pará e Rondônia. REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 9, n. 1, p. e21003, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i1.11345

PEREIRA, J. E. D. Formação de professores: pesquisas, representações e poder. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

PINTO, C. L. DE C.; ALBUQUERQUE, M. G. DE; NEVES, L. A. Das Políticas Públicas educacionais globais às locais: um movimento cíclico presente na construção histórica dos Cursos Parcelados e PROHACAP em Rondônia (1990-2000). Revista de Educação Matemática, v. 15, n. 18, p. 102 - 116, 1 jan. 2018. Disponível em: https://www.revistasbemsp.com.br/index.php/REMat-SP/article/view/103. Acesso em: 23 jul. 2021.

RUEZENNE, G. B. Os Cursos De Licenciatura em Matemática no Estado de Rondônia: um panorama histórico. 2012. 222 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Educação, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

UNIR. Universidade Federal de Rondônia. Aprova Programa Integrado de Qualidade Educacional (PIQUE). Resolução 071/CONSUN de 6 de maio de 1992. Cidade: Porto Velho. UNIR, 1992.

UNIR. Universidade Federal de Rondônia. Colegiado de Cursos da licenciatura em Matemática. Processo de Solicitação de Mudança de Curso. Protocolo Setorial nº 000062/94 de 19 de maio de 1994. Ji-Paraná: UNIR, 1994.

UNIR. Universidade Federal de Rondônia. Projeto Político do Curso de Licenciatura em Matemática. Ji-Paraná: UNIR, 2017.

VALENTE, W. R. Oito temas sobre História da Educação Matemática. Revista de Matemática, Ensino e Cultura – REMATEC, v. 8, n. 12, p. 22-50, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/bitstream/handle/123456789/160384/VALENTE%2c%20W %20-%20Oito%20temas%20em%20Hist%c3%b3ria%20da%20Educa%c3%a7%c3%a3o%20Matem%c3%a1tica.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 10 jun. 2021.

VALENTE, W. R. História da Educação Matemática: interrogações metodológicas. Revista Eletrônica de Educação Matemática – REVEMAT, v. 2, n. 2, p. 28-49, 2007. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/12990. Acesso em: 8 abr. 2021.

Downloads

Publicado

2021-09-02

Como Citar

ALBUQUERQUE, M. G. de .; ULIANA, M. R. UMA ANÁLISE DA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA EM JI-PARANÁ/RO E A ATUAÇÃO DOS EGRESSOS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 2, p. e21067, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i2.12667. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/12667. Acesso em: 26 set. 2021.

Edição

Seção

Educação Matemática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)