UMA ANÁLISE DA PRESENÇA DAS TEMÁTICAS EDUCAÇÃO INCLUSIVA NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DA REGIÃO NORTE DO BRASIL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i3.10185

Palavras-chave:

Licenciatura em Matemática. Região Norte. Educação Inclusiva.

Resumo

O estudo em tela teve por objetivo investigar como estão estruturadas, nos Projetos Pedagógicos de Cursos (PPCs) presenciais de Licenciatura em Matemática da região Norte, as temáticas educação de estudantes com deficiência, diversidade humana, Educação Inclusiva e outras correlatas. Conforme dados do Censo da Educação Superior de 2017, na região Norte do Brasil são ofertados 57 cursos presenciais de Licenciatura em Matemática. Deste quantitativo, foi possível inventariar e analisar os PPCs de 43 cursos. Trata-se de um estudo desenvolvido na abordagem qualitativa, do tipo documental, em que se deteve em analisar, nos currículos dos cursos, como estão estruturadas as temáticas referentes a Educação Inclusiva supracitadas. Constatou-se que as temáticas de Educação Inclusiva estão presentes de forma tímida nos currículos dos cursos, e, dentre os grupos estigmatizados, o de pessoas com deficiência é o que apresentou maior recorrência nas ementas dos PPCs analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcia Rosa Uliana, Fundação Universidade Federal de Rondônia

Professora do Departamento de Matemática e Estatística da Fundação Universidade Federal de Rondônia- Campus de Ji-Paraná

Ingryd Luana Wonczak de Paula, Fundação Universidade Federal de Rondônia

Licencianda em Matemática pela Fundação Universidade Federal de Rondônia- Campus de Ji-Paraná

Pamela da Silva Santos, Fundação Universidade Federal de Rondônia

Licencianda em Matemática pela Fundação Universidade Federal de Rondônia- Campus de Ji-Paraná

Thainani Rodrigues Amorim Nascimento, Fundação Universidade Federal de Rondônia

Licencianda em Matemática pela Fundação Universidade Federal de Rondônia- Campus de Ji-Paraná

Referências

ALBUQUERQUE, Carlos; VELOSO, Eduardo; ROCHA, Isabel; SANTOS, Leonor; SERRAZINA, Lurdes; NÁPOLES, Suzana. A matemática na formação inicial de professores. Lisboa: APM/SPCE, 2005.

BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari Knopp. Investigação Qualitativa em educação: uma introdução á teoria e aos métodos. Trad. Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei n° 13.146 de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília: Congresso Nacional, 2015.

BRASIL. Decreto n° 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei n° 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras, e o artigo 18 da Lei n° 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, 2005.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. 35. ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação. Parecer 1.302/2001. Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. Brasília: MEC/CNE/CES, 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução n° 2, de 1° de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: CP/CNE/MEC, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Resolução n° 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial de professores para a educação básica e institui a Base Nacional Comum para a formação inicial de professores da educação básica (BNC-Formação). Brasília: CP/CNE/MEC, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN). Brasília: MEC/SEF, 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Conselho Nacional da Educação. Câmara Nacional de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica. Brasília: MEC/SEB/DICEI, 2013.

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Cacoal: FACIMED, 2016.

FERREIRA, Ana Cristina. A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Minas Gerais e a primeira Licenciatura em Matemática do Estado 2012. In: FERREIRA, Ana Cristina; BRITO, Arlete de Jesus; MIORIM, Maria Ângela (Orgs.). História de formação de professores que ensinaram Matemática no Brasil. Campinas: Ílion, 2012. p. 93-114.

FIORENTINI, Dario. A formação matemática e didático-pedagógica nas disciplinas da Licenciatura em Matemática. Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, n. 18, p. 107-115, jun./jul. 2005.

FREIRE, Paulo. Política e educação: ensaios. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001. (Coleção Questões de Nossa Época. v. 23).

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Ji-Paraná: UNIR, 2016.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Araguaína: UFT, 2012.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Arraias: UFT, 2010.

GATTI, Bernardete Angelina et al. Professores do Brasil: novos cenários de formação. Brasília: UNESCO, 2019.

GIL, António Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008.

IMBERNÓN, Francisco. Formação Docente e Profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAPÁ. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Macapá: IFAP, 2016.

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PARÁ. Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática. Belém: IFPA, 2017.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão Escolar: O que é? Por quê? Como Fazer? São Paulo: Moderna, 2006.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicoletti. Aprendizagem da docência: conhecimento específico, contextos e práticas pedagógicas. In: NACARATO, A. M. A formação do professor que ensina matemática perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 213-231.

MITTLER, Peter. Educação inclusiva: contextos sociais. Porto Alegre: Artmed, 2003.

SERRAZINA, Maria de Lurdes Marquês. Conhecimento matemático para ensinar: papel da planificação e da reflexão na formação de professores. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 6, n. 1, p. 266-283, maio 2012.

STAINBACK, Susan; STAINBACK, William. Inclusão: um guia para educadores. Traduzido por Magda França Lopes. Porto Alegre: Artmed, 1999.

TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. 14. ed. Petrópolis: Vozes, 2012.

ULIANA, Marcia Rosa; MÓL, Gerson de Souza. Formação de professores de matemática na perspectiva da inclusão de estudantes com deficiência visual: análise de uma experiência realizada em Rondônia. Revista REAMEC, Cuiabá, v. 7, n. 2, p. 127-145, jul./dez. 2019.

Downloads

Publicado

2020-09-06

Como Citar

ULIANA, M. R.; PAULA, I. L. W. de; SANTOS, P. da S.; AMORIM NASCIMENTO, T. R. UMA ANÁLISE DA PRESENÇA DAS TEMÁTICAS EDUCAÇÃO INCLUSIVA NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DA REGIÃO NORTE DO BRASIL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 41-60, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i3.10185. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/10185. Acesso em: 1 out. 2020.