A CRIANÇA E A TECNOLOGIA DIGITAL: BRINCANDO E APRENDENDO CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i2.11116

Palavras-chave:

Educação, Mesas Educacionais, Tecnologia Digital

Resumo

O presente artigo tem como objetivo refletir sobre as possíveis articulações das tecnologias digitais na educação, destacando, nesta pesquisa, as mesas educacionais chamadas Mundo das Descobertas ao desenvolvimento das ciências com/por e para as crianças, pois elas são sujeitas de direitos, dotadas de inteligência, emoções e sentimentos; capazes de observar, registrar informações, argumentar, debater, fazer escolhas e expressar-se em diferentes linguagens. A escolha das mesas educacionais Mundo da Descoberta se deu por fazer parte de um projeto da Secretaria Municipal de Educação (SEMED /Manaus) aos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). O destaque aos conhecimentos das ciências foi uma decisão, mediante a uma votação das crianças pelo jogo “No tempo dos dinossauros”. A investigação realizada perpassou por uma pesquisa de abordagem qualitativa, através de uma intervenção pedagógica organizada mediante a uma sequência didática. O presente estudo abordou temáticas sobre as tecnologias digitais na educação e práticas pedagógicas envolvendo vivências/experiências e brincadeiras sobre curiosidades científicas de Paleontologia na Educação Infantil (EI), oportunizando as crianças explorarem algumas curiosidades sobre os Dinossauros. A pesquisa foi realizada em um CMEI, localizado na zona leste de Manaus, com crianças do 1º período. As atividades realizadas nas Mesas Educacionais possibilitaram às crianças a aproximação das tecnologias digitais e uma aprendizagem mais satisfatória, acompanhada de um processo de práticas pedagógicas que buscou envolver a linguagem científica e tecnológica digital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Dayane Wellén Silva Brito, Secretaria Municipal de Educação (SEMED/AM)

Possui graduação em Pedagogia pela Faculdade Metropolitana de Manaus (2013). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Infantil. Pós graduada em Metodologia do Ensino a Docência Superior(2014). Faculdade Metropolitana de Manaus.

Alexandra Nascimento de Andrade, Secretaria do Estado de Educação (SEDUC/AM)

Doutoranda pelo Programa de Pós-graduação em Educação na Amazônia ? PGEDA ? Associação em Rede Curso de Doutorado em Educação na Amazônia (UFAM); Mestra em Educação em Ciências na Amazônia (UEA); Especialista em Gestão e Supervisão Escolar (Uninorte); Especialista em Metodologia do Ensino Superior (FSDB); Especialista em Gestão Escolar (FSDB); Graduada em Pedagogia (FSDB). Pedagoga da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino. Palestrante de temas relacionados à Educação Infantil, crianças e infâncias. Integrante dos grupos de Pesquisa: Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação em Ciências em Espaços não formais (Gepecenf); Laboratório de Neurodidática e formação de professores (Ufam); Divulgação Científica (UEA).

Huanderson Barroso Lobo, Secretaria Municipal de Educação (SEMED/AM)

Doutorando em Educação na Amazônia - Universidade Federal do Amazonas. Possui graduação em Gestão Ambiental (2012) e Pedagogia (2014) ambas pela Universidade do Estado do Amazonas, mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia (2017) pela mesma universidade. Especialista em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica - Faculdade Intervale (2020). Acumula experiências na área de educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Fenomenologia, Corporeidade, Facticidade, Dimensões Filosóficas do Corpo e Epistemologia Merleau-Pontyana. Participa do grupo de estudos e pesquisas: Fundamentos da Educação e Ensino de Ciências (UEA). A partir do campo teórico fenomenológico busca compreender as dimensões do corpo e dos significados das experiências vividas, realizando deslocamentos conceituais para área de ensino. Atualmente, faz parte do quadro de docentes da Secretaria Municipal de Educação, acumula premiações na Feira de Ciências, Sarau da Floresta e Prêmio Professor Nota 10, além das aprovações nos concursos públicos: SEDUC-2014, SEMED-2018 e SEDUC-2018. "Tudo aquilo que sei do mundo, mesmo por ciência, eu o sei a partir de uma visão minha ou de uma experiência do mundo sem a qual os símbolos da ciência não poderiam dizer nada" - Merleau-Ponty 

Referências

ARCE, A. Ensinando Ciências na Educação Infantil. Campinas, SP: Editora Alínea, 2011.

ALMEIDA, M. E. B. de. Informática e Educação: diretrizes para uma formação reflexiva de professores. 1996. Tese. Departamento de Supervisão e Currículo da PUC, São Paulo. In: VALENTE, J. A. (Org.). O professor no ambiente. Logo. Campinas: Unicamp/Nied, 1996.

BARBOSA, R. A. S.; SHITSUKA, R. Uso de tecnologias digitais no ensino remoto de alunos da educação infantil e anos iniciais do ensino fundamental: relato de experiência. e-Acadêmica, v. 1, n.1, p. 1-8, 2020. Disponível em: https://eacademica.org/eacademica/article/view/12. Acesso em: 31 de maio de 2021.

BITTENCOURT, P. A. S.; ALBINO, J. P. O uso das tecnologiasdigitaisna educação do século XXI. RIAEE–Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v.12, n.1, p. 205-214, 2017. E-ISSN: 1982-5587. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/9433/6260. Acesso em: 30 de maio de 2021.

BIZZO, Nelio. Ciências: fácil ou difícil? São Paulo: Biruta 2009.

BRASIL, Ministério da Educação Básica. Diretrizes Curriculares para a Educação Infantil / Secretaria de Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, 2010. Disponível em: Acesso em: 03 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Curricular Comum. 2018. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/ > Acesso em: 02 dez. 2019.

CARVALHO, Ana Maria Pessoa. GIL-PÉRES, Daniel. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 8 ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CRAIDY, Carmen Maria. KAERCHER, Gládis Elise. Educação Infantil: Pra que te quero? Porto Alegre: Artmed, 2001.

DANTAS, D. M. P.; CRISTOVAM, F. K. G.; ARAÚJO, M. J. BRANDÃO, I. A.; SANTANA, A. M. S.; PÊ, S. Z. O descompasso da sala de aula e as Tecnologias Digitais. Research, Society and Development, v. 9, n. 11, p. 1-18, 2020. ISSN 2525. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd.

FERREIRA, Andréia de A. Apropriação da novas Tecnologias: concepções de professores de História acerca da Informática Educacional no processo de ensino-aprendizagem. 2004. 130 f. Dissertação (Mestrado em Educação Tecnológica). CEFET/MG.

FLÔR, Maria Rosilene Gomes. Educação Infantil: Análise do uso das tecnologias da informação e comunicação no processo pedagógica. II CONEDU – Congresso Nacional de Educação. Editora Realize, Campina Grande, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. 2019.

KENSKI, Vani Moreira. Novas Tecnologias: O redimensionamento do espaço e do tempo e os impactos no trabalho docente. Revista Brasileira de Educação, n. 8, p. 58-71, mai./ago, 1998.

KENSKI, Vani Moreira. O que são tecnologias e por que elas são essenciais. In: KENSKY, Vani Moreira. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 8. ed. Campinas: Papirus, 2012.

KLISYS, A. Ciência, arte e jogo: projetos e atividades lúdicas na Educação Infantil. São Paulo: Peirópolis, 2010.

MANAUS, Prefeitura. Proposta Curricular EI, creche/ pré-escola, 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 dez. 2019.

MASSETO, M. T. Mediação pedagógica e o uso da tecnologia. In: MORAN, José Manuel; MASSETO, M. T. BEHRENS, M. A. (Org.). Novas Tecnologias e mediação Pedagógicas.17 ed. Campinas, SP: Papirus, 2010.

MELLO F. T.; MELLO, L. H. C.; TORELLO, M. B. F. A paleontologia na Educação Infantil: Alfabetizando e Construindo o Conhecimento. Ciência e Educação, v. 11, n. 03, p. 395-410, 2005.

MORAN, José M. Desafios que as tecnologias digitais nos trazem. In: MORAN, José M. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas, São Paulo: Papirus, 2013.

MORAN, José Manuel. Os Novos Espaços de Atuação do Professor com as Tecnologias. Curitiba. Revista Diálogo Educacional, 2005.

OLIVEIRA, Zilma Ramos (Org.). O trabalho do professor na Educação Infantil. São Paulo: Biruta, 2012.

PRENSKY, M. Don’t bother me mom – I’m learning!: How computer and video games are preparing your kids for 21st century success and how you can help! St. Paul, MN: Paragon House, 2006.

PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. MCB University Press, 2001. Disponível em: <http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20% 20Digital%20. Acesso em: 20 dez. 2019.

PUGENS, N. de B.; HABOWSKI, A. C.; CONTE, E. O ensino de aprendizagem permeados pelas tecnologias digitais. In: Congresso Internacional de Educação e Tecnologia. Anais do CIET e EnPED, 2018. Disponível em: https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2018/article/view/517/561. Acesso em: 31 de maio de 2021.

VIEIRA, M.M.F e ZOUAIN, D. M. Pesquisa qualitativa em administração: teoria e prática. Rio de Janeiro: Editora: FGV, 2005.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.

Downloads

Publicado

2021-08-22

Como Citar

BRITO, D. W. S. .; ANDRADE, A. N. de .; LOBO, H. B. . A CRIANÇA E A TECNOLOGIA DIGITAL: BRINCANDO E APRENDENDO CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 2, p. e21049, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i2.11116. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/11116. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Educação em Ciências