DE OLHO NO CÉU: DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA COM AS CRIANÇAS EM ESPAÇO NÃO FORMAL MANAUARA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i3.12684

Palavras-chave:

Crianças, Astronomia, Divulgação Científica, Democratização da Ciência, Espaço nãoformal

Resumo

Este artigo aborda uma experiência – Exposição De olho no céu - realizada no Largo São Sebastião, Manaus – AM, em parceria com o Museu Amazônico, órgão suplementar da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). A atividade teve como objetivo analisar o interesse das crianças por temas de Astronomia, identificando seus conhecimentos prévios e curiosidades sobre as temáticas que envolvem os corpos celestes, salientando assim, a importância dos museus para a democratização da ciência, desde o público infantil. O artigo possui uma abordagem qualitativa, com enfoque descritivo. A técnica de gerenciamento de dados foi a observação participante, mediante a gravações, filmagens e fotografias, por meio de smartphones. Diante da Análise de Conteúdo, elencou-se cinco categorias: 1) curiosidades; 2) reações; 3) desejo de conhecer os corpos celestes; 4) conhecimento apresentado; e, 5) A importância de atividades de democratização à ciência em espaços não formais. De acordo com os resultados, as crianças demonstraram interesse em participar das atividades, dialogando entre si e com as pesquisadoras, respondendo perguntas sobre os planetas e aprendendo algumas curiosidades (tamanho dos planetas do sistema solar, quantos planetas tem anéis, outros). O estudo possibilitou mostrar uma prática de divulgação científica realizada em um espaço não formal, com crianças de várias nacionalidades, idades e classes sociais, demonstrando a necessidade de mais práticas que envolvam temáticas científicas para esse público na cidade de Manaus - AM.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alexandra Nascimento de Andrade, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Manaus, Amazonas, Brasil.

outoranda pelo Programa de Pós-graduação em Educação na Amazônia ? PGEDA ? Associação em Rede Curso de Doutorado em Educação na Amazônia (UFAM); Mestra em Educação em Ciências na Amazônia (UEA); Especialista em Gestão e Supervisão Escolar (Uninorte); Especialista em Metodologia do Ensino Superior (FSDB); Especialista em Gestão Escolar (FSDB); Graduada em Pedagogia (FSDB). Pedagoga da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino. Palestrante de temas relacionados à Educação Infantil, crianças e infâncias. Integrante dos grupos de Pesquisa: Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação em Ciências em Espaços não formais (Gepecenf); Laboratório de Neurodidática e formação de professores (Ufam); Divulgação Científica (UEA).

Adana Teixeira Gonzaga Gonzaga, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Manaus, Amazonas, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Amazonas (2014). Especialização em Perícia, Gestão e Auditoria Ambiental na Faculdade FAMETRO (2016). Tem experiência na área da educação , atuando principalmente nos seguintes temas que envolvem estratégia de ensino aprendizagem no Ensino de Ciências bem como as áreas de currículo do ensino de ciências. Possuo título de Mestre em Educação em Ensino de Ciências na Amazônia, tendo como área específica a prática pedagógica de professores com enfoque no meio ambiente (2018-2020). 

Carolina Brandão, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Manaus, Amazonas, Brasil.

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (1999), mestrado em Ciências da Comunicação pela Universidade Federal do Amazonas (2012) e doutorado em Ciências da Educação pela Universidade do Minho (2010). Atualmente é professora titular da Universidade do Estado do Amazonas, pedagoga do Museu Amazônico na Universidade Federal do Amazonas, atualmente exercendo o cargo de diretora da Divisão de Difusão Cultural do museu. Tem experiência na área de Divulgação Científica, com ênfase em Educação e Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: divulgação científica, educação, ensino de ciências, cultura e arte.

Referências

ANDRADE, A. N. As potencialidades do uso dos desenhos das crianças da educação infantil para a Divulgação Científica. Dissertação – PGSS – Educação em Ciências na Amazônia (Mestrado). Universidade do Estado do Amazonas. Manaus, 2018. Disponível em: http://177.66.14.82/handle/riuea/3293. Acesso em: 20 de maio de 2021.

ANDRADE, A. N. Desenho infantil: uma experiência com, por e para os curumins e cunhantãs. 1ª ed. Curitiba: Appris, 2020.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

FONSECA, Luiz Almir Menezes. Metodologia científica ao alcance de todos. Manaus: Editora Valer, 2010.

KALLERY, M. Astronomical Concepts and Events Awareness for Young Children. International Journal of Science Education, v. 01, p. 1-29, 2010. DOI:10.1080/09500690903469082.

MENDES, M. F. A. Uma perspectiva histórica da divulgação científica: a atuação do cientista-divulgador José Reis (1948-1958). Tese. (Doutorado). Pós-Graduação em História das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz- FIOCRUZ. Rio de Janeiro, 2006.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 25ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

Ministério da Educação. Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME, 1997. Disponível em: https://www.dge.mec.pt/sites/default/files/Basico/orientacoes_curriculares_pre_escolar.pdf. Acesso em: 20 de maio de 2021.

NATAL, C. B.; ALVIM, M. H. A divulgação científica e a inclusão social. Revista do Edicc, v. 5, n. 1, p. 76-86, 2018. ISSN: 2317-3815. Disponível em: https://revistas.iel.unicamp.br/index.php/edicc/article/view/5964/7309. Acesso em: 22 de maio de 2021.

PEIXOTO, A. A criança e o conhecimento do mundo: atividades laboratoriais em ciências físicas. Penafiel: Editorial Novembro, 2008.

REIS, E. F. dos; SOUSA, M. F. da C.; ALVES, D. dos S.; PINHO, M. I. M.; RIZATTI, I. M. Espaço não formais de educação na prática pedagógica de professores de ciências. REAMEC - Revista da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 7, n. 3, 2019. p. 23-36 ISSN: 2318-6674. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/8265/pdf . Acesso em: 22 de maio de 2021. DOI: 10.26571/reamec.v7i3.8265.

SELBACH, S. et al. Matemática e didática: como bem ensinar. Petrópolis: Vozes, 2010

VOGT, C. A. Espiral da cultura científica. Com Ciência-Cultura Científica [online], 2003. Disponível em: http://www.comciencia.br/reportagens/cultura/cultura01.shtml.

Acessado em: 21 de maio de 2021.

VYGOTSKY, L. S. O desenvolvimento dos conceitos científicos na infância. In: CAMARGO, J. L. Pensamento e linguagem. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

ANDRADE, A. N. de .; GONZAGA, A. T. G.; GONÇALVES, C. B. DE OLHO NO CÉU: DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA COM AS CRIANÇAS EM ESPAÇO NÃO FORMAL MANAUARA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 3, p. e21074, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i3.12684. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/12684. Acesso em: 25 out. 2021.