O COMPÊNDIO GEOMETRIA ELEMENTAR DE H. B. LÜBSEN: UMA ANÁLISE A PARTIR DE SUAS QUESTÕES CONCEITUAIS E METODOLÓGICAS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v7i3.9304

Palavras-chave:

História da educação matemática, Livro didático, Geometria elementar, Maranhão.

Resumo

Este texto apresenta uma análise em perspectiva histórica do Compêndio de Geometria Elementar de H. B. Lübsen, traduzido do alemão para o português por Carlos Jansen, professor do Imperial Collegio D. Pedro II, em 1902. Para alcançar esse objetivo, apoia-se no quadro teórico da história cultural, nos estudos sobre história do livro didático e da história da educação matemática. O estudo se atém a caracterizar o contexto de sua circulação como livro didático, os aspectos relacionados à sua materialidade e a metodologia adotada por seu autor relacionada ao ensino da Geometria. Pode-se observar que esse livro circulou pelo Rio de Janeiro, por São Paulo e pelo Maranhão. Os conteúdos são apresentados via definições, problemas e teoremas que valorizam os aspectos teóricos e algébricos como meios de abreviar as demonstrações geométricas. A obra ainda se intitula de caráter prático, mediante à aplicação dos conceitos na resolução de questões ligadas ao cálculo de distâncias, volumes e nivelamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcos Denilson Guimarães, Universidade Federal do Maranhão

Professor Visitante do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da Universidade Federal do Maranhão (PPECEM/UFMA). 

Antonio José da Silva, Universidade Federal do Maranhão

Professor Adjunto do Departamento de Matemática da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPECEM/UFMA) e Mestrado PROFMAT/UFMA.

David Antônio da Costa, Universidade Federal de Santa Catarina

Professor associado do Departamento de Metodologia de Ensino (MEN). Professor credenciado do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica Tecnológica (PPGECT) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Referências

A INSTRUCÇAO PUBLICA. Noticiário. Rio de Janeiro, ano V, n.11, 15 de dezembro de 1887.

BASEI, A. M.; VALENTE, W. R. A introdução de conteúdos algébricos na formação de professores: tempos da escola normal de São Paulo, década de 1880. Revista Cocar, Edição Especial, n. 6, mai./ago., 2019, p. 118-135.

BLAKE, A. V. S. Dicionario Bibliographico Brazileiro. Tio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1895.

BITTENCOURT, C. M. F. (Org.). Em foco: História, produção e memória do livro didático. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p.471-473, set./dez. 2004.

BITTENCOURT, C. M. F. Livro didático e saber escolar – 1810-1910. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

CHOPPIN, A. L’histoire des manuels scolaires: une approche globale. Histoire de l’éducation. Paris: INRP, n. 9, p. 1-25, déc. 1980.

CHOPPIN, A. História dos livros didáticos e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 3, p. 549-566, set./dez. 2004.

DALCIN, A. Um olhar sobre o paradidático de Matemática. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, 2002.

FRIZZARINI, C.R.B.; LEME DA SILVA, M.C. Primeiras noções de Geometria Prática de Olavo Freire: um compêndio inovador? In: 14º SEMINÁRIO NACIONAL DE HISTÓRIA DA CIÊNCIA E DA TECNOLOGIA, 2014, Belo Horizonte, Anais eletrônicos... Belo Horizonte, Campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, Disponível em:<

https://www.14snhct.sbhc.org.br/conteudo/view?ID_CONTEUDO=800>. Acesso em 21 dez 2019.

HALLEWELL, L. O livro no Brasil: sua história. Trad. Maria da Penha Villalobos, Lólio Lourenço de Oliveira e Geraldo Gerson de Souza. 3.ed. São Paulo: EDUSP, 2012.

LIMA, L. A. M.; SOSA, G.P.H. Carlos Jansen e a vulgarização literária para a mocidade. Cad.Trad. (Florianópolis. On-line), v.35, n.2, p.102-123, jul-dez/2015.

LORENZ, K. M.; VECHIA, A. Os livros didáticos de matemática na escola secundária brasileira no século XIX. História da Educação, ASPHE/FaE/UFPel, Pelotas, n. 15, p. 53-72, abr., 2004.

LORENZ, K. M. A biblioteca do ensino intuitivo e o ensino de ciências na escola primária brasileira: 1880-1990. Revista Educação em Questão, Natal, v. 28, n. 14, p. 7-23, jan./jun. 2007.

LÜBSEN, H. B. Compendio de Geometria Elementar. Traduzido por Carlos Jansen. Rio de Janeiro: Laemmert & Cia., 1902.

LÜBSEN, H. B. Ausführliches Lehrbuch der EIementar geometrie: Ebene und körperliche Geometrie. 11 ed. Leipzig. Friedrich Brandstetter, 1867. Disponível em: <https://books.google.com/books?id=agPNVoPnN7YC&vq=LUBSEN%2C%20Heinrich%20Borchert&dq=LUBSEN%2C%20Heinrich%20Borchert&hl=pt-BR&pg=PP1#v=onepage&q&f=true>. Acesso em 03 mar. 2019.

MUNAKATA, K. O livro didático: alguns temas de pesquisa. Rev. bras. hist. educ., Campinas-SP, v. 12, n. 3 (30), p. 179-197, set./dez. 2012.

O PAIZ. Propriedade de uma sociedade anonyma. Rio de Janeiro, ano IX, n.3935, 15 de fevereiro de 1893.

SCHUBRING, G. Analise histórica de livros didáticos: notas de aula. (Tradução Maria Laura Magalhaes Gomes) - Campinas, SP: Autores Associados, 2003.

SOARES, F. Análise do Livro Curso de Geometria de Timotheo Pereira no contexto da Escola Normal Catharinense na transição dos séculos XIX-XX. 2014. 69f. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

STEINER, R. Autobiography. Volume 28. Coleção Works of Rudolf Steiner. SteinerBooks, 2006. Disponível em: <https://books.google.com/books?id=0CNrD9WWCXAC&lpg=PP1&hl=pt-BR&pg=PP1#v=onepage&q&f=false>. Acesso em 18 abr., 2019.

TOURINHO, M. A. C.; MOTA, D. G. As normalistas no início do século XX em São Luís do Maranhão: ações e mobilizações estudantis. Revista Educação e Emancipação, São Luis, v.5, n.1, p. 114-138, jan./jul. 2012.

VALENTE, W. R. Uma história da matemática escolar no Brasil (1730-1930). 2. ed. São Paulo: Annablume: FAPESP, 2007.

Publicado

2020-07-21

Como Citar

GUIMARÃES, M. D.; SILVA, A. J. da; COSTA, D. A. da. O COMPÊNDIO GEOMETRIA ELEMENTAR DE H. B. LÜBSEN: UMA ANÁLISE A PARTIR DE SUAS QUESTÕES CONCEITUAIS E METODOLÓGICAS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 7, n. 3, p. 325–339, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v7i3.9304. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/9304. Acesso em: 18 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)