A SISTEMATIZAÇÃO DE SABERES PARA ENSINAR ARITMÉTICA NA REVISTA DO ENSINO DE MINAS GERAIS (1928-1930)

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i3.13036

Palavras-chave:

História da Educação Matemática, Escola Nova, Centros de Interesse, Saberes aritméticos

Resumo

Em Minas Gerais, uma das principais reformas educacionais para o Ensino Primário se instituiu em 1927, a Reforma Francisco Campos, tendo como finalidades promover a instrução popular e incorporar as referências da Escola Nova, no estado. Portanto, o objetivo deste trabalho visa analisar, ao longo de um conjunto de artigos, a sistematização de saberes para ensinar aritmética propostos pelos professores em planos de aula para compreensão de transformações e objetivações destes saberes, que possam caracterizar uma provável aritmética alinhada aos Centros de Interesse. Tomam-se como fonte histórica os artigos educacionais, resultados das práticas docentes, encontrados na Revista do Ensino (1928-1930), e que possivelmente reverberaram aquela que seria a nova vaga que tentava se estabelecer. O referencial teórico-metodológico respalda-se na História Cultural e nos saberes profissionais. As considerações indicam uma sistematização dos saberes aritméticos dos Centros de Interesse por intermédio dos artigos de aulas-modelo, onde a rubrica “Arithmetica” relaciona-se à resolução de problemas. O “Calculo” e “Numeros” são vinculados ao ensino de contagem de números e objetos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Robert Rene Michel Junior, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Membro do grupo de pesquisa GHEMAT-SC. Mestre em Educação Matemática pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2020). Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2017).

David Antonio da Costa, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Doutor em Educação Matemática pela PUC/SP, com estágio realizado na modalidade sanduíche (junho 2008 - maio 2009) no INRP/SHE - Institut National de Recherche Pédagogique/Service d'Histoire de l'Éducation, Paris-França (bolsista CNPq). Possui graduação em Licenciatura Matemática pela Faculdade Filosofia Ciências e Letras MOEMA (1984), graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação Ciências e Letras Don Domênico (2001), mestrado em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005) e pós-doutorado pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Atualmente é professor associado do Departamento de Metodologia de Ensino e professor credenciado no Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina. É pesquisador lider do Grupo de Pesquisa de História da Educação Matemática - GHEMAT-SC. Membro fundador da GHEMAT-BRASIL: Grupo Associado de Estudos e Pesquisas sobre História da Educação Matemática : 1o. secretário (Mandato 2018-2021). Na pesquisa investiga principalmente os seguintes temas: livro didático de matemática, didática da matemática, história da educação matemática e história da matemática.

Referências

BARROS, M. G. Secção do Centro Pedagógico Decroly. Centro de interesse: a alimentação - Assunto do dia: o leite. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 26. p. 106-108, out., 1928a.

BARROS, M. G. Secção do Centro Pedagógico Decroly. Centro de interesse: a alimentação - Assunto da semana: a laranja. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 27. p. 88-91, nov., 1928b.

BARROS, M. G. Do Caderno de Preparações das Lições do 1º anno. Centro de Interesse: os meios de transporte. Assumpto da semana: o automóvel. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 31. p. 76-81, mar., 1929a.

BARROS, M. G. Secção do Centro Pedagógico Decroly. Centro de Interesse: alimentação. Assunto: o abacate. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 33. p. 63-64, maio, 1929b.

BARROS, M. G. Secção do Centro Pedagógico Decroly. Centro de Interesse: A necessidade de luctar contra a intemperies. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 34. p. 58-60, jun., 1929c.

BICCAS, M. S. O impresso como estratégia de formação Revista do Ensino de Minas Gerais (1925-1940). Belo Horizonte: Argumentum, 2008.

CARVALHO, C. H. Escola Nova, educação e democracia: o projeto Francisco Campos para a escola em Minas Gerais. Acta Scientiarum Education, Maringá, v. 34, n. 2, p. 187-198, jul./dez. 2012. https://doi.org/10.4025/actascieduc.v34i2.17421

CHARTIER, R. A História Cultural: entre práticas e representações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil S.A., 2002.

CHARTIER, R. A “nova” História Cultural. In: GARNICA, A. V. M. (org.). Pesquisa em História da Educação Matemática no Brasil: sob o signo da pluralidade. São Paulo: Livraria da Física, 2016. p. 19-36.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, n. 2, p. 177-229, 1990.

DE CERTEAU, M. A Escrita da História. Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982.

FERNANDES, J. C. B. A aritmética, os centros de interesse e o saber profissional do professor que ensina matemática, 1920-1940. 2020. 135f. Tese (Doutorado em Ciências). Universidade Federal de São Paulo. Guarulhos, SP, 2020. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/221246. Acesso em: 15 fev. 2021.

FONSECA, S. S. Aproximações e distanciamentos sobre os saberes elementares geométricos no ensino primário entre Sergipe e São Paulo (1911-1930). 2015. 114f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática). Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2015. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/133877. Acesso em: 15 fev. 2021.

FONTES, J. S. Classes de Aperfeiçoamento: ensaio da escola ativa no ensino primário em Sergipe (1932-1933). 2018. 145f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática). Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, SE, 2018. Disponível em: https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/9495/2/JULIANA_SANTOS_FONTES.pdf. Acesso em: 15 fev. 2021.

HOFSTETTER, R.; SCHNEUWLY, B. (2017). Saberes: um tema central para as profissões do ensino e da formação. In: HOFSTETTER, R.; VALENTE, W. R. (org.). Saberes em (trans)formação: tema central da formação de professores. São Paulo: Livraria da Física, 2017. p. 113-172.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, v. 1, n. 1, p. 9-43, jan./jun. 2001. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/rbhe/article/view/38749 . Acesso em: 11 fev. 2021.

LUCA, T. R. Fontes Impressas: História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, C. B. (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Editora Contexto, 2008. p. 111-153.

MARQUES, C. L. A Voz da Pratica: Plano de Lição: Centro de Interesse: O porco. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 5, nº 43. p. 55-67, mar., 1930.

MINAS GERAIS, Collecção das Leis e Decretos (1927). Belo Horizonte: Imprensa Official do Estado, v. 3, 1928.

OLIVEIRA, J. Secção do Centro Pedagógico Decroly - O Systema Decroly. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 26. p. 98-105, out., 1928a.

OLIVEIRA, J. Secção do Centro Pedagógico Decroly: Um programa de escola infantil. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 4, nº 28. p. 52-55, dez., 1928b.

RODRIGUES, E.; BICCAS, M. S. Imprensa pedagógica e o fazer historiográfico: o caso da Revista do Ensino (1929 – 1930). Acta Scientiarum Education, Maringá, v. 37, n. 2, p. 151-163, abr./jun. 2015. https://doi.org/10.4025/actascieduc.v37i2.22666

SEIXAS, D. M. A Voz da Pratica: Plano de Lição - Centro de Interesse: o feijão. Revista do Ensino. Belo Horizonte, v. 5, nº 42. p. 55-56, fev., 1930.

SOUZA. A. F. Discursos sobre problemas aritméticos (São Paulo, 1890-1930). 2017. 135f. Dissertação (Mestrado em Ciências). Universidade Federal de São Paulo. Guarulhos, SP, 2017. Disponível em: https://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50870. Acesso em: 15 fev. 2021.

VALDEMARIN, V. T. História dos métodos e materiais de ensino: a Escola Nova e seus modos de uso. São Paulo: Cortez Editor, 2010.

VALENTE, W. R. Aritmética e interdisciplinaridade: ecos da história da educação matemática. Educar em Revista, Curitiba, v. 35, n. 75, p. 305-318, mai./jun. 2019. https://doi.org/10.1590/0104-4060.66837

VALENTE, W. R.; PINHEIRO, N. V. L. A Matemática nos Livros Didáticos em Tempos de Pedagogia Científica. In: MENDES, I. A.; VALENTE, W. R. (Org.). A Matemática dos Manuais Escolares: Curso Primário, 1890-1970. São Paulo: Editora LF, 2017, p. 69-108.

VALENTE, W. R.; BERTINI, L. F.; MORAIS, R. S. Novos aportes teórico-metodológicos sobre os saberes profissionais na formação de professores que ensinam Matemática. Acta Scientiae, Canoas, v. 19, n. 2, p. 224-235, mar./abr. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/acta/article/view/2816/2299 . Acesso em: 20 dez. 2020.

Downloads

Publicado

2021-11-06

Como Citar

MICHEL JUNIOR, R. R.; COSTA, D. A. da. A SISTEMATIZAÇÃO DE SABERES PARA ENSINAR ARITMÉTICA NA REVISTA DO ENSINO DE MINAS GERAIS (1928-1930). REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 3, p. e21088, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i3.13036. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13036. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Estudos históricos sobre currículo de Matemática