A INSERÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS NO CURSO DE PEDAGOGIA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v7i3.9337

Palavras-chave:

Formação de Professores, Espaços não formais, Matriz Curricular.

Resumo

A educação em espaços não formais é pauta de muitas pesquisas no âmbito do ensino de ciências, principalmente nos estudos desenvolvidos pelo GEPENCEF- Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação em Ciências em Espaços Não Formais da Universidade do Estado do Amazonas. Entretanto, nos últimos anos tem-se desenvolvido pesquisas que apontam o potencial pedagógico dos espaços não formais para outros componentes curriculares da educação básica, ampliando as discussões acerca da docência para além da sala de aula. Neste artigo, aborda-se o contexto da inclusão e implementação da disciplina de ‘educação em espaços não formais’ na matriz do curso de Pedagogia de uma universidade privada de Manaus, apresentando os ganhos cognitivos a partir do ensino de uma prática educativa que rompe com a perspectiva cartesiana do ensino tradicional. Os dados refletem a possibilidade do desenho de uma disciplina com teor prático ancorado em pressupostos teóricos, que além de despontarem a aprendizagem significativa, também valorizam a regionalidade presente no Amazonas, ao possibilitar que professores em formação inicial conheçam sua cultura e, ainda, planejem propostas de ensino para uma docência futura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Felipe da Costa Negrão, Universidade Federal do Amazonas

Graduado em Pedagogia (UNL). Mestre em Educação em Ciências na Amazônia pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Especialista em Neuropsicopedagogia (UNL), Didática do Ensino Superior (UNL) e Gênero, Sexualidade e Direitos Humanos (UEA). Membro do Grupo de Pesquisa Educação Matemática no Amazonas (UEA). Atualmente é Professor Substituto da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e Tutor Presencial de Educação à Distância na Faculdade Anhanguera Educacional.

Priscila Eduarda Dessimoni Morhy, Centro Universitário do Norte

Bióloga, Especialista em Didática do Ensino Superior, Mestre em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia - PPGEEC/UEA. Pesquisadora membro do Grupo de Estudo e Pesquisa Educação em Ciências em Espaços Não Formais - GEPECENF/UEA.

Referências

ANDRADE, A. N. et al. Conhecimento prévio das crianças sobre o recurso água. Educação Ambiental em Ação, Novo Hamburgo, RS, v. 15, n. 1, p. 1-9, 2016.

ARAÚJO, L. F. S.; DOLINA, J. V.; PETEAN, E.; MUSQUIM, C. A.; BELLATO, R.; LUCIETTO, G. C. Diário de pesquisa e suas potencialidades na pesquisa qualitativa em saúde. Revista Brasileira Pesquisa Saúde, Vitória, Espírito Santo, v. 1, n. 1, p. 53-61, 2013.

BARDIN, L. Análise do Conteúdo. 4 ed. Lisboa: Edições 70, 2016.

BARROS, V. C.; SANTOS, I. M. Além dos muros da escola: a educação não formal como espaço de atuação da prática do pedagogo. In: V ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DE ALAGOAS, 5, 2010, Alagoas. Anais..., Alagoas, 2010. p. 1-9.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Resolução CNE/CP n. 02/2015, de 1º de julho de 2015. Brasília, Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, seção 1, n. 124, p. 8-12, 02 de julho de 2015.

CAVALCANTE, B. L. L.; LIMA U. T. S. Relato de experiência de uma estudante de Enfermagem em um consultório especializado em tratamento de feridas. Journal of Nursing and Health, Pelotas, Rio Grande do Sul, v. 1, n. 2, p. 94-103, 2012.

FERNANDES, H. D. D. Espaço não-formal de aprendizagem: um estudo da interação do museu com a formação de professores/as. 2006. 98 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Educação, Universidade de Uberaba. Uberaba: UNIUBE, 2006.

FONSECA, L. A. M. Metodologia científica ao alcance de todos. Manaus: Editora Valer, 2010.

JACOBUCCI, D. F. C. Contribuições dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Revista Em Extensão, Uberlândia, v. 7, n. 1, p. 55-66, 2008.

MACIEL, H. M.; FACHÍN-TERÁN, A. O Potencial Pedagógico dos Espaços Não Formais da Cidade de Manaus. Curitiba, PR: CRV, 2014.

MORHY, P. E. D. O sentimento de pertença com crianças da educação infantil em relação a água em espaços educativos. 2018. 121 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências). Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Amazonas, Manaus, 2018.

NEGRÃO, F. C.. O ensino de língua portuguesa em espaços não formais: sequências didáticas e a cultura amazônica na educação infantil. In: SOUSA, I. D. de. (Org.). Sequências Didáticas no Ensino de Línguas: Experiências, Reflexões e Propostas. Jundiaí: Paco Editorial, 2018. p. 105-118.

NEGRÃO, F. C.; REIS, A. R. H. A cultura amazônica e o ensino de geografia no Centro Histórico de Manaus (AM). In: I CONGRESSO NORTE NORDESTE DE EDUCAÇÃO, 2017, Fortaleza. Anais... Campina Grande: Editora Realize, 2017. p. 147-159.

NEGRÃO, F. C.; MORHY, P. E. D.; AMORIM NETO, A. C.; FACHÍN-TERAN, A. Possibilidades para o ensino e aprendizagem da matemática no Bosque da Ciência (INPA). In: 6º SIMPÓSIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA, 2016, Manaus. Anais... Manaus: UEA Edições, 2016. p. 01-10.

NEGRÃO, F. C.; RAMOS, E. S.; SOUZA, A. M. Transversalidade na educação psicomotora: desenvolvendo a docência em espaços não formais. In: III CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 2016, Natal. Anais... Natal: Realize Eventos e Editora, 2016. p. 01-10.

QUEIROZ, R. M. et al. A caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. Revista Areté, Manaus, v. 4, n. 7. p. 12-23, 2011.

ROCHA, S. C. B; FACHÍN-TERÁN, A. O uso de espaços não formais como estratégia para o Ensino de Ciências. Manaus: UEA Edições, 2010.

SANTOS, S. C. S. Espaços educativos científicos: formal, não formal e informal. In: 6º SIMPÓSIO DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA, 2016, Manaus. Anais... Manaus: UEA Edições, 2016.

SCHMIEDECKE, W.G.; SILVA, M.P.C.; SILVA, W.M. A história da ciência na composição de sequências didáticas: possibilidades trabalhadas em um curso de licenciatura em física. In: XIX Simpósio Nacional de Ensino de Física – SNEF. Anais. Manaus, AM, 2011. p. 1-10.

SILVA, C. C. da.; FACHÍN-TERÁN, A. A utilização dos espaços não formais como contribuição para a educação científica: uma prática pedagógica (que se faz) necessária. In: FACHÍN-TERÁN, A.; SEIFFERT-SANTOS, S. C. (Orgs.). Novas perspectivas de ensino de ciências em espaços não formais amazônicos. Manaus: UEA Edições, 2013. p. 53-63.

SILVA, F. S. et al. O potencial pedagógico do Museu do Seringal Vila Paraíso para o ensino de ciências. Revista Areté. Manaus, v.11, n.24, p. 186-206, ago-dez, 2018.

SOARES, O. I. Áreas verdes públicas como ferramenta para educação ambiental: estudo de caso o projeto ecocidadãos. In: FESTIVAL DE TURISMO DAS CATARATAS DO IGUAÇU, FOZ DO IGUAÇU, 1, 2013, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu, Paraná, 2013. p. 1-15.

VIEIRA, V.; BIANCONI, L. M.; DIAS, M. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 57, n. 4, 2005.

VILAR, E. T. F. S. Re-significando o saber-fazer/dizer da prática pedagógica de professoras ao ensinar geografia às crianças do 2º ciclo. 2003. 132 f. Dissertação (Mestrado em Educação). Faculdade de Formação de Professores, Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, 2003.

Downloads

Publicado

2020-07-21

Como Citar

NEGRÃO, F. da C.; MORHY, P. E. D. A INSERÇÃO DA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO EM ESPAÇOS NÃO FORMAIS NO CURSO DE PEDAGOGIA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 219-234, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v7i3.9337. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/9337. Acesso em: 25 set. 2020.