ACENO - Revista de Antropologia do Centro-Oeste

ACENO - Revista de Antropologia do Centro-Oeste é um periódico científico lotado no Departamento de Antropologia e vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Mato Grosso, que tem como propósito se constituir em um espaço permanente para o debate, a construção do conhecimento e a interlocução entre antropólogos e pesquisadores de áreas afins, do país e do exterior. Apesar de ACENO fazer referência ao Centro-Oeste, em seu título, ela não tem como único objetivo dar visibilidade a resultados de pesquisas científicas relativas às populações desta região, mas sim, se tornar um fórum que traduza a pluralidade de perspectivas teóricas e temáticas que caracterizam a antropologia na contemporaneidade. 

ISSN: 2358-5587

Qualis 2017-2018: A3


 

Notícias

 

SUBMISSÕES PRORROGADAS: DOSSIÊ EXPERIÊNCIAS DE CAMPO E LOCALIZAÇÕES ETNOGRÁFICAS

 

Experiências de campo e localizações etnográficas: A antropologia de brasileiros no estrangeiro e estrangeiros no Brasil (v. 7, n. 13, 2020)

COORDENADORAS: Prof. Dra. Marina Veiga França (PPGAS/UFMT; Prof. Dr. Rogério Brittes W. Pires (DAA/FAFICH/UFMG)

PRAZO FINAL DE SUBMISSÃO: 30 de novembro

A antropologia no/do Brasil sempre foi marcada por deslocamentos internacionais, no âmbito da pesquisa e do ensino. A presença de estrangeiros foi muito marcante na consolidação da antropologia brasileira. Ao mesmo tempo, não demorou para que pesquisadores brasileiros começassem a circular internacionalmente, indo estudar fora, e, em menor medida, fazer trabalho de campo, comparativo ou não, em outros países. Se as possibilidades de campo no Brasil são ricas e atraíram desde cedo pesquisadores estrangeiros (especialmente para questões indígenas e afro-brasileiras), os deslocamentos para fora do país também foram se intensificando, especialmente nas últimas décadas, direcionando-se para diversos países na Europa, nas Américas, na África e na Ásia.

O dossiê tem como proposta reunir textos que situem pesquisas tanto de brasileiros que produziram etnografias além dos limites nacionais, quanto de estrangeiros com campo no Brasil, de forma a pensar as localizações etnográficas, os deslocamentos transnacionais, e o que eles provocam no trabalho de campo e na antropologia brasileira. Interessa-nos sobretudo discussões sobre a prática do campo – como ele se constrói, ditos e os não-ditos antes e durante o campo, dúvidas, negociações, constituição de relações, localização sociocultural do/a pesquisador/a, relações de poder.

Buscamos trabalhos que explicitem o fazer antropológico e o cotidiano em campo e coloquem a alteridade, em diferentes sítios, em questão. Dirigimos a chamada a pesquisadores de diferentes áreas temáticas que tenham em seu trabalho uma dimensão transnacional e que: 1) detalhem experiências de campo – incluindo pesquisas já finalizadas ou em andamento, realizadas recentemente, campos duradouros ou campos e anotações revisitados; ou 2) versem sobre as experiências de outros antropólogos – a partir de trabalhos em arquivos ou bibliográficos. Aceitamos propostas de campos situados em uma localidade, online, multissituados ou comparativos.

 
Publicado: 2019-10-28 Mais...
 

Novo Qualis Periódicos da Capes traz a Aceno nos estratos superiores

 

 
Publicado: 2019-07-21 Mais...
 
Outras notícias...

v. 5, n. 10 (2018)


Capa da revista