ANÁLISE DAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DA ÁREA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA ORIENTADAS ATRAVÉS DA ABORDAGEM STEAM

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i1.13094

Palavras-chave:

Ensino Fundamental, Formação docente, BNCC, DRC-MT

Resumo

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aprovada em 2017 e o Documento de Referência Curricular do estado de Mato Grosso (DRC-MT) homologado em 2018, enfatizam o desenvolvimento de competências e habilidades através de métodos e abordagens que fortalecem o protagonismo do estudante, o que tem proporcionado diversas reflexões sobre a aprendizagem ativa e como promovê-la. Com isso, o objetivo deste artigo foi analisar as possíveis contribuições da abordagem STEAM (Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática) no desenvolvimento das competências e habilidades da área de Ciências da Natureza contidas na Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e no Documento de Referência Curricular do estado de Mato Grosso (DRC-MT) nos anos finais do Ensino Fundamental em uma escola pública. A metodologia adotada foi a abordagem qualitativa de natureza aplicada com características de pesquisa exploratória. Os colaboradores foram dez professores e dezessete estudantes do 9º Ano de uma escola de educação básica localizada no município de Jauru – MT. A produção de dados foi realizada a partir de dois questionários semiestruturados e também da observação participante. Os resultados exprimem os desafios identificados, tais como engajamento nos processos educativos, construção de formação docente voltada para a realidade escolar com ênfase na resolução de problemas reais através da criatividade e desenvolvimento do pensamento crítico do estudante e também, êxito nas possibilidades de desenvolver a Abordagem STEAM.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Tatiane Maria da Silva Dias , Secretaria Estadual de Educação (SEDUC), Jauru, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário de Várzea Grande (2004), Graduação em Química pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (2012), Graduação em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso (2012) e Mestrado em Ciência da Educação - Universidad Internacional Tres Fronteras (2018), Mestranda do Programa de Pós-Graduação STRICTO SENSU - Mestrado em Ensino oferecido pelo Instituto Federal de Mato Grosso (2020). Atualmente é Assessora Pedagógica do município de Jauru - MT.

Geison Jader Mello, Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Possui Licenciatura Plena em Ciências Naturais e Matemática - Habilitação em Física (2008), Mestrado (2010) e Doutorado (2013) ambos pelo Programa de Pós-Graduação Física Ambiental (PGFA), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), em Mudanças Climáticas Globais com enfoque em Teoria dos Sistemas Dinâmicos Não Lineares. Atualmente é professor de Física no Campus Cuiabá do Instituto Federal de Mato Grosso (CBA IFMT), Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ensino - Mestrado Acadêmico (PPGEn IFMT) e do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica - Mestrado Profissional (ProfEPT IFMT). Possui mais de 30 artigos publicados, 10 livros e 16 capítulos de livros entre diversos trabalhos de eventos.

Referências

BACICH, L. HOLANDA, L. (Orgs). STEAM em sala de aula: a aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na educação básica. Porto Alegre: Penso, 2020.

BACICH, L. MORAN, J. (Orgs). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BENDER, W.N. Aprendizagem baseada em projetos: educação diferenciada para o século XXI. Porto Alegre: Penso, 2014

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Fundamental. Brasília: 2017

CORREA, F. T. G; TOMCEAC, J. R. Considerações sobre o ensino e a aprendizagem de tecnologia no contexto do STEAM. IN. BACICH, L. HOLANDA, L. (Orgs). STEAM em sala de aula: a aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na educação básica. Porto Alegre: Penso, 2020.

COSTA, M. M. A. e F. F da. Social STEAM Maker, do digital ao barro: tecnologia social, integrativa e prática para o ensino médio. 2020. 185f. Tese (Educação, Arte e História da Cultura) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo. Disponível em: https:space.mackenzie.br/handle.10899/26618. Acesso em 20 ago. de 2021.

FIUZA, L. V. R. CUNHA, J. M. G. DUARTE, T. A. CUNHA, A. M. G. Principais variantes em circulação no mundo. Revista Rede CO-VITA, ICS. n.2.p.11-20. Universidade Federal da Bahia. 2021.

FRANCO, L. G. MUNFORD, D. Reflexões sobre a Base Nacional Comum Curricular: Um olhar da área de Ciências da Natureza. Revista Horizontes, v. 36, n. 1, p.158-170, jan./abr. 2018. https://doi.org/10.24933/horizontes.v36i1.582

GAROFALO, D. BACICH, L. Um olhar para a aprendizagem socioemocional no STEAM. In. BACICH, L. HOLANDA, L. (Orgs). STEAM em sala de aula: a aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na educação básica. Porto Alegre: Penso, 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ºed. São Paulo: Atlas, 2008.

HARDOIM, E. L. Breve História da abordagem STEM-STEAM. 2021. Disponível em: (1) “Breve História da Abordagem STEM, STEAM” Dra Edna Hardoim - YouTube Acesso em 30/05/2021.

GEWANDSZNAJDER, F. PACCA, H. Teláris: Ensino Fundamental Anos Finais – Ciências: 9º Ano. Ática: São Paulo, 2018.

GUERA, L. M. GHIDINI, A. R. ROSA, J. V. A da. A BNCC e o ensino de Ciências: Oportunidades e Limitações. Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Revista REAMEC -Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 9, n.3, e 21078, setembro-dezembro, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i3.12385

INSTITUTO AYRTON SENNA (IAS). Competências socioemocionais: material para discussão. Rio de Janeiro: IAS, 2014.

KALHIL. J, B. Aplicação da abordagem STEAM na construção de projetos interdisciplinares, Youtube. 19 de maio de 2021. Disponível em: #Encontro(3)"Aplicação Abordagem STEAM construção projetos interdisciplinares"Dra Josefina Kalhil - Bing video. Acesso em 10 de juh. de 2021.

LAKATOS, E. M. MARCONI, M. de A. Fundamentos de Metodologia Científica. 5ªed. São Paulo: Atlas, 2011.

LIMA, J, E. Artes e STEAM: percursos e perspectivas. Youtube. 26 de maio de 2021. Disponível em: #Encontro (4) 25/05/2021: "Artes e STEAM: percursos e perspectivas" Palestrante: Dr João Epifânio - YouTube. Acesso em 15 de jun. de 2021.

LIMA, W. G, de. Experiências STEAM no Ensino Médio. Youtube. 12 de Maio de 2021. Disponível em: (2) "Experiências STEAM no Ensino Médio" MSc Waleska Gonçalves de Lima - YouTube. Acesso em 30 de mai. de 2021.

LORENZIN, M. ASSUMPÇÃO, C. M. BIZERRA, A. Desenvolvimento do currículo STEAM no ensino médio: a formação de professores em movimento. In. BACICH, L. MORAN, J. (Orgs). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

LORENZIN. M.P. Sistemas de atividades, tensões e transformações em movimento na construção de um currículo orientado pela abordagem STEAM. 2019. 174f Dissertação de mestrado. Programa de pós graduação Interunidades em Ensino de Ciências da Universidade de São Paulo, São Paulo. https:doi.org/10.11606/D.81.2019.tde-10122019-155229.

MATO GROSSO. Secretaria de Estado e Educação. Documento de Referência Curricular de Mato Grosso: Anos Finais do Ensino Fundamental. Cuiabá. 2018.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 7. ed. São Paulo: Hucitec; Rio de Janeiro: Abrasco, 2001.

PIRES, M. P. O STEAM e as atividades experimentais investigativas. IN. BACICH, L. HOLANDA, L. (Orgs). STEAM em sala de aula: a aprendizagem baseada em projetos integrando conhecimentos na educação básica. Porto Alegre: Penso. 2020.

POUGY, E. VILELA, A. Teláris: Ensino Fundamental Anos Finais: Arte – 9º Ano. São Paulo: Ática, 2018.

PUGLIESE, G, O. Os modelos pedagógicos de ensino de ciências em dois programas educacionais baseados em STEM (Science, Technology, Engineering and Mathematics).2017. 187f. Dissertação de Mestrado. Programa do Instituto de Biologia da Universidade Estadual de Campinas. Campinas. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/331557/1Pugliese_GustavoOliveira_M.pdf. Acesso em: 15 jul. de 2021.

RILEY, S.M. No permission required: Bringing S.T.E.A.M to Life in K-12 Schools. Visionyst Press. Westmnister, 2014.

SANTOS, J. S. HARDOIM, E. L. Protozoários, “Vilões ou Mocinhos”? Uma proposta integrativa e inclusiva nas aulas de Ciências. Revista Reamec. V.9, n. 2 (2021): Maio a Agosto de 2021. ISSN:2318-6674 DOI: http://dx.doi.org/10.26571/reamec.v9i2.11493.

SEVERINO. A. J. Metodologia do trabalho Científico. São Paulo: Cortez. 2014.

SILVA, I. O. ROSAB, J. E. B. HARDOIM, E. L. NETO, G. G. Educação Científica empregando o método STEAM e um makerspace a partir de uma aula-passeio. Revista Latin Amarican Journal of Sciense Education. 4, 22034. Out. 2017. Disponível em: http://www.lajse.org/nov17/22034_Silva_2017.pdf. Acesso em 20 de set. de 2021.

SOUZA, J. Matemática: Realidade & Tecnologia – 9º Ano. FTD: São Paulo, 2018

WHO – WORD HEALTH ORGANIZATION. Weekly epidemiologiocal update – 12 January 2021. Disponível em: Weekly epidemiological update - 12 January 2021 (who.int). Acesso em: 10 de ago. de 2021.

YAKMAN, G. HYONYONG, L. Exploring the Exemplary STEAM Education in the U.A as Practical Educational Framework for Korea. J Korrea Associ. Sci. Edu, vol.32, nº6, p. 1072-1086, 2012.

Publicado

2022-03-05

Como Citar

DIAS , T. M. da S.; MELLO, G. J. ANÁLISE DAS COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DA ÁREA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA ORIENTADAS ATRAVÉS DA ABORDAGEM STEAM. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 1, p. e22013, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i1.13094. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13094. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências