ESTRATÉGIA DE RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES-PROBLEMA ANCORADA NA TEORIA DOS CAMPOS CONCEITUAIS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i3.13030

Palavras-chave:

Invariante Operatório, Otimização, Ponto Crítico, Subtarefa

Resumo

A pandemia da COVID-19 conduziu a suspensão de aulas presenciais. Obrigando os atores envolvidos no processo de ensino e aprendizagem a buscarem, de forma emergencial, estratégias que possibilitassem a continuidade das atividades escolares. Entretanto, a comunicação entre professor e aluno ficou bastante prejudicada, devido às limitações tecnológicas, ou a pouca afinidade com os encontros virtuais. Assim, este trabalho construído a partir de uma abordagem qualitativa, aos moldes de uma pesquisa de cunho bibliográfico e ancorada na Teoria dos Campos Conceituais - TCC, objetivou propor estratégia de resolução de situações do campo conceitual da otimização, que favoreça a comunicação entre os atores do processo de ensino e aprendizagem, possibilitando a reflexão dos envolvidos e o (re) direcionamento do planejamento pedagógico do professor. Conclui-se que a estratégia de resolução de situações do campo conceitual da otimização através de subtarefas, a sombra da TCC, é um recurso que pode contribuir com a melhor comunicação entre alunos e professores, principalmente em momentos de encontros virtuais. Outrossim, considera-se que a estratégia discutida neste artigo não é exclusiva do campo abordado, podendo ser experimentada em outros campos conceituais e outras áreas do conhecimento, pois em tempos como este, nenhum recurso baseado na ciência deve ser descartado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rudinei Alves dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), Santarém, Pará, Brasil

Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Especialização em Fundamentos da Matemática Elementar pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Especialização em Metodologia do Ensino de Matemática pela Faculdade Internacional de Curitiba (FACINTER) e Mestrado Profissional em Matemática pela Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Atuou como professor: de ensino superior no CEULS/ULBRA; de educação básica na SEDUC/PA e no SESI/PA. Atualmente é professor, em regime de dedicação exclusiva, no IFPA, ministrando disciplinas da área de Matemática e Educação Matemática em cursos técnicos da educação básica, graduação e pós-graduação. Tem interesse pela área de Fundamentos e Metodologias para Educação em Ciências e Matemática

Francisco Hermes Santos da Silva, Universidade Federal do Pará (UFPA), Belém, Pará, Brasil

É Doutor em Educação na área de Educação Matemática pela UNICAMP (1999), Mestre em Educação na área de Psicologia Educacional pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Licenciado em Matemática pela Universidade Federal do Pará ( 1993). Atualmente é docente sem vínculo empregatício da Universidade Estadual do Pará no Programa de pós-graduação em Mestrado profissional em Ensino de matemática ; tem vínculo como docente da Universidade Federal de Mato Grosso do Program de Pós-Graduação em educação em Ciências e Matemática - PPGECM, pólo UFPA do program em REDE de Formação da Amazônia - REAMEC. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Métodos e Técnicas de Ensino, Teorias de Aprendizagem, atuando principalmente nos temas: educação matemática, aprendizagem significativa e obstáculos didáticos.

Joelson Magno Dias, Secretaria de Educação do Estado do Pará (SEDUC), Santarém, Pará, Brasil.

Mestre em Matemática pela Universidade Federal do Oeste do Pará em parceria com a Sociedade Brasileira de Matemática, Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional (PROFMAT / UFOPA), 2018/19, Professor Especialista em Fundamentos da Matemática Elementar, pela Universidade Federal do Pará, 2004/05 e Licenciado em Matemática pela UFPA (Belém-PA) 2002. Professor efetivo da Rede Estadual de Ensino, lotado no município de Santarém; e Professor Voluntário do Curso de GeoGebra, na modalidade a distância, oferecido pela UNESPAR, Campus de Apucarana-PR.

Vanessa Pires Santos Maduro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), Santarém, Pará, Brasil.

Possui Mestrado em Matemática - PROFMAT, pela Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, Especialização em Educação Matemática e graduação em Matemática pela Universidade Federal do Pará, e ainda, graduação em Fisioterapia pela Universidade do Estado do Pará. Atualmente é docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - IFPA. 

Referências

BITTAR, Marilena. Contribuições da Teoria dos Campos Conceituais para o estudo das dificuldades dos alunos na passagem da Geometria Afim à Geometria Vetorial. In: BITTAR, M.; MUNIZ, C. A. (Orgs.). A aprendizagem matemática na perspectiva da teoria dos campos conceituais. 1ª ed., Curitiba: CRV, 2009. p. 53 – 76.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 3ª ed., São Paulo: Atlas S.A, 1991.

GUIDORIZZI, Hamilton Luiz. Um Curso de Cálculo. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2000.

HOFFMANN, L. D.; BRADLEY, G. L. CÁLCULO: um curso moderno e suas aplicações. 10. ed. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2011.

LEVAIN, Jean-Pierre. Aprender a matemática de outra forma: desenvolvimento cognitivo e proporcionalidade. Lisboa: Instituto Piaget, 1997.

MAGINA, Sandra; CAMPOS, Tânia Maria Mendonça; NUNES, Terezinha; GITIRANA, Verônica. Repensando adição e subtração: contribuições da teoria dos campos conceituais. 2. ed. São Paulo: Editora PROEM, 2001.

MONTEIRO, Roberta Borges et al. Contribuição da Resolução de Problemas como Metodologia de Ensino de Matemática. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, v. 8, n. 2, p. 57-68, mai/ago, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.9396.

MOREIRA, Antônio Moreira. A teoria dos campos conceituais de Vergnaud, o ensino de ciências e a pesquisa nesta área. Investigações em Ensino de Ciências – IENCI. v.7, n.1, 2002, p. 07 – 29. ISSN: 1518-8795. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/569/361. Acesso em: 16 jul. 2019.

MUNIZ, C. A. O conceito de “esquema” para um novo olhar para a produção matemática na escola: as contribuições da Teoria dos Campos Conceituais. In: BITTAR, M.; MUNIZ, C. A. (Orgs.). A aprendizagem matemática na perspectiva da teoria dos campos conceituais. 1ª ed., Curitiba: CRV, 2009. p. 37 – 52.

PALMERO, Maria Luz Rodríguez; MOREIRA, Marco Antonio. La Teoría de los Campos Conceptuales de Gérard Vergnaud. In: MOREIRA, Marco Antonio (Org.). La Teoría de los Campos Conceptuales de Vergnaud, la Enseñanza de las Ciencias y la Investigación en el Área. Porto Alegre: Instituto de Física da UFRGS, 2004. p. 7 – 39.

SILVA, F. H. S. Construir ou Desconstruir o algoritmo para conhecer os invariantes operatórios II. Facebook, 2020. Disponível em: www.facebook.com/photo.php?fbid=

&set=pb.100037559690114.-2207520000..&type=3. Acesso em: 29 dez. 2020.

STEWART, James. Cálculo – Volume 1. 7.ed. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

VERGNAUD, G. A comprehensive theory of representation for mathematics education. Journal of Mathematical Behavior. v. 17, n. 2, p. 167-181, 1998. https://doi.org/10.1016/S0364-0213(99)80057-3

VERGNAUD, G. A criança, a matemática e a realidade: problemas do ensino da matemática na escola elementar. Curitiba: UFPR, 2009.

VERGNAUD, G. (2007). ¿En qué sentido la teoría de los campos conceptuales puede ayudarnos para facilitar aprendizaje significativo? (In what sense the conceptual fields theory might help us to facilitate meaningful learning?). In: Investigações em Ensino de Ciências. v.12 (2), 285-302, 2007. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/

ienci/article/download/475/277. Acesso em: 30 mai. 2020.

VERGNAUD, G. La teoria de los campos conceptuales. Recherches em Didactique des Mathématiques, Grenoble, v. 10, n. 23, 1990, p. 133-170. Disponível em: Vergnaud_CamposConceptuales.PDF (usp.br). Acesso em: 27 nov. 2019.

VERGNAUD, G. O que é aprender? In: BITTAR, M.; MUNIZ, C. A. (Orgs.). A aprendizagem matemática na perspectiva da teoria dos campos conceituais. 1ª ed. Curitiba: CRV, 2009. p. 13 – 35.

VERGNAUD, G. Psicologia do desenvolvimento cognitivo e didáctica das matemáticas. Um exemplo: as estruturas aditivas. Análise Psicológica, v. 1, p. 75-90, 1986. Disponível em: https://repositorio.ispa.pt/bitstream/10400.12/2150/1/1986_1_75.pdf. Acesso em: 17 out. 2019.

Downloads

Publicado

2021-11-13

Como Citar

SANTOS, R. A. dos .; SILVA, F. H. S. da; DIAS, J. M.; MADURO, V. P. S. ESTRATÉGIA DE RESOLUÇÃO DE SITUAÇÕES-PROBLEMA ANCORADA NA TEORIA DOS CAMPOS CONCEITUAIS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 3, p. e21095, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i3.13030. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13030. Acesso em: 5 dez. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)