ENSINO DE CIÊNCIAS NA ERA DA PÓS-VERDADE: CONSIDERAÇÕES ACERCA DO DISCURSO PRESENTE EM FAKE NEWS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i1.13007

Palavras-chave:

Ensino de Ciências, Ciência, Fake News, Pós-verdade, Covid-19

Resumo

As Fake News não são novidade na história da humanidade. No entanto, quando as Fake News passam a veicular pretensos conhecimentos científicos, deve-se refletir como o Ensino de Ciências tem produzido conhecimentos e enfrentado os desafios da pseudociência nas salas de aula. Estamos vivenciando um fenômeno social chamado de “pós-verdade”, termo utilizado em circunstâncias onde pessoas atribuem maior importância a sentimentos e crenças do que aos fatos em si, o que favorece a disseminação de Fake News. Este trabalho teve como objetivo analisar o discurso presente em algumas Fake News – relacionadas à origem do vírus SARS-CoV-2 e os possíveis tratamentos para a Covid-19 – a partir das cenas da enunciação propostas por Dominique Maingueneau, além de discutir o papel do ensino de Ciências diante de tal cenário. O trabalho foi desenvolvido a partir de uma abordagem qualitativa, com elementos de pesquisa bibliográfica e exploratória. Os resultados mostraram que nas Fake News o discurso do enunciador geralmente flui sem dificuldades, em acordo com convicções prévias do leitor; a fonte parece familiar ou confiável (principalmente quando a cenografia se apropria do discurso científico); a cena genérica – redes sociais – favorece a formação de bolhas sociais. Consideramos que o ensino de Ciências precisa explorar as evidências que sustentam determinada informação ou teoria. Julgamos que saber lidar com informação de caráter duvidoso na era da pós-verdade seja uma questão estrutural que depende de uma formação inicial e continuada adequada para professores e, como consequência, para estudantes do ensino básico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniella Maria Coelho de Britto, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Mestranda em Educação em Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) - bolsista CAPES. Licenciatura plena em Ciências Biológicas pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), com experiência na área de biologia geral e atuação docente. Ex-bolsista da CAPES no Programa Ciências Sem Fronteiras, graduação sanduíche em Biological Science pela Deakin University - Melbourne Burwood Campus (2014)

Irene Cristina de Mello, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Concluiu o doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo em 2003. Professora lotada no Departamento de Química do Instituto de Ciências Exatas e da Terra. É professora pesquisadora permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da UFMT desde 2003 e do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática, Doutorado da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática - REAMEC. É docente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (Mestrado profissional) na UFMT. Foi Secretária de Relações Internacionais da Universidade Federa de Mato Grosso (gestão 2016-2020). Foi Coordenadora de Formação Docente da UFMT (gestão 2008-2012) e Pró-Reitora de Ensino de Graduação da UFMT (gestão 2012-2016). Participou da Comissão Avaliadora de Livros Didáticos de Química do Ministério da Educação no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD 2007, 2012, 2015 e 2018). Participou com avaliadora de cursos de graduação do Ministério da Educação (INEP). Foi membro do Comitê Assessor do Grupo Coimbra de Universidades Brasileiras (2017-2020). É Secretária Geral da Sociedade Brasileira de Ensino de Química (SBEnQ). É Editora Adjunto da Revista da Sociedade Brasileira de Ensino de Química (ReSBEnQ). Integra a Cátedra UNESCO Ética e Sociedade na Educação Superior (desde 2017) e é Consultora Especial do Grupo de Cooperação Internacional de Universidades Brasileiras.

Referências

ALLVES, F. Hospitais de Nova York estão curando pacientes com coronavírus com vitamina C. [S. l.], [s. d.]. Disponível em: https://www.coletividade-evolutiva.com.br/2020/03/hospitais-de-nova-york-estao-curando-pacientes-com-coronavirus-com-vitamina-c.html. Acesso em: 25 set. 2021.

ANDERSEN, K. G. et al. The proximal origin of SARS-CoV-2. Nature Medicine, [s. l.], v. 26, n. 4, p. 450–452, 2020. Disponível em: http://www.nature.com/articles/s41591-020-0820-9. Acesso em: 25 set. 2021.

ANGRIMANI, D. Espreme que sai sangue: um estudo do sensacionalismo na imprensa. São Paulo, SP: Summus Editorial, 1994. (Novas buscas em comunicação, v. 47).

BBC. Coronavírus: de sopa de morcego a arma biológica, teorias de conspiração se espalham com avanço de surto. BBC News Brasil, [s. l.], 30 jan. 2020. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-51311226. Acesso em: 15 jun. 2021.

BBC NEWS. Coronavirus: Outcry after Trump suggests injecting disinfectant as treatment. BBC News, [s. l.], 24 abr. 2020. US & Canada. Disponível em: https://www.bbc.com/news/world-us-canada-52407177. Acesso em: 9 set. 2021.

BRAINARD, J.; HUNTER, P. R. Misinformation making a disease outbreak worse: outcomes compared for influenza, monkeypox, and norovirus. Simulation, [s. l.], v. 96, n. 4, p. 365–374, 2020. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0037549719885021. Acesso em: 20 set. 2021.

BRASIL. Brasil confirma primeiro caso do novo coronavírus — Português (Brasil). [S. l.], 2020. gov br. Disponível em: https://www.gov.br/pt-br/noticias/saude-e-vigilancia-sanitaria/2020/02/brasil-confirma-primeiro-caso-do-novo-coronavirus. Acesso em: 9 set. 2021.

BRITTO, D. M. C. de; MELLO, I. C. de. O estudo dos vírus por intermédio da desmistificação de Fake News – um relato de experiência. Anais do Congresso Nacional Universidade, EAD e Software Livre, [s. l.], v. 1, n. 11, p. 1–6, 2020. Disponível em: http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/ueadsl/article/view/17030. Acesso em: 9 set. 2021.

CAREY, J. M. et al. The effects of corrective information about disease epidemics and outbreaks: Evidence from Zika and yellow fever in Brazil. Science Advances, [s. l.], v. 6, n. 5, p. 1–10, 2020. Disponível em: https://www.science.org/doi/10.1126/sciadv.aaw7449. Acesso em: 25 set. 2021.

CARVALHO, P. Quinino não é base da cloroquina e água tônica não cura covid-19. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2020/04/15/coronavirus-agua-tonica-nao-cura-covid-19-video-e-falso.htm. Acesso em: 25 jul. 2021.

D’ANCONA, M. Pós-verdade: a nova guerra contra os fatos em tempos de Fake News. Barueri, SP: Faro Editorial, 2018.

DARNTON, R. A verdadeira história das notícias falsas. [S. l.], 2017. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/28/cultura/1493389536_863123.html. Acesso em: 7 set. 2021.

EPTV 1. Compra de vitamina C em SP tem aumento de 198% no primeiro trimestre de 2020, diz Conselho. [S. l.], 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2020/05/05/compra-de-vitamina-c-em-sp-tem-aumento-de-198percent-no-primeiro-trimestre-de-2020-diz-conselho.ghtml. Acesso em: 9 nov. 2021.

FERNER, R. E.; ARONSON, J. K. Chloroquine and hydroxychloroquine in covid-19. BMJ, [s. l.], p. m1432, 2020. Disponível em: https://www.bmj.com/lookup/doi/10.1136/bmj.m1432. Acesso em: 9 set. 2021.

GELERIS, J. et al. Observational Study of Hydroxychloroquine in Hospitalized Patients with Covid-19. New England Journal of Medicine, [s. l.], v. 382, n. 25, p. 2411–2418, 2020. Disponível em: http://www.nejm.org/doi/10.1056/NEJMoa2012410. Acesso em: 7 set. 2021.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6.. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GRANDIN, F. É #FAKE que pesquisa recente indique a hidroxicloroquina como o tratamento mais eficaz contra o coronavírus. [S. l.], 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/05/21/e-fake-que-pesquisa-com-6-mil-medicos-indique-a-hidroxicloroquina-como-o-tratamento-mais-eficaz-contra-o-coronavirus.ghtml. Acesso em: 7 set. 2021.

GREIFENEDER, R. et al. (org.). The psychology of fake news: accepting, sharing, and correcting misinformation. London New York: Routledge, Taylor & Francis Group, 2021.

GUIMARÃES, H. É #FAKE que Tasuku Honjo, Nobel de Medicina em 2018, disse que coronavírus foi criado por cientistas. [S. l.], 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/04/29/e-fake-que-tasuku-honjo-nobel-de-medicina-em-2018-disse-que-coronavirus-foi-criado-por-cientistas.ghtml. Acesso em: 7 set. 2021.

HARSIN, J. Regimes of Posttruth, Postpolitics, and Attention Economies. Communication, Culture & Critique, [s. l.], v. 8, n. 2, p. 327–333, 2015. Disponível em: https://academic.oup.com/ccc/article/8/2/327-333/3979329. Acesso em: 9 ago. 2021.

HONJO, T. Statement from Tasuku Honjo on COVID-19. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.kyoto-u.ac.jp/en/news/2020-04-27. Acesso em: 7 set. 2021.

INSTITUTO QUESTÃO DE CIÊNCIA. Verdades, mentiras e exageros sobre a cloroquina. [S. l.: s. n.], 2020. E-book. Disponível em: https://d335luupugsy2.cloudfront.net/cms/files/141479/1591295272IQC_Ebook_Verdades_Cloroquina_v3_1.pdf.

KLUGER, J. Accidental Poisonings Increased After President Trump’s Disinfectant Comments. [S. l.], 2020. Disponível em: https://time.com/5835244/accidental-poisonings-trump/. Acesso

em: 9 set. 2021.

LAZER, D. M. J. et al. The science of fake news. Science, [s. l.], v. 359, n. 6380, p. 1094–1096, 2018. Disponível em: https://www.science.org/doi/10.1126/science.aao2998. Acesso em: 9 set. 2021.

LIMA, N. W. et al. Educação em Ciências nos Tempos de Pós-Verdade: Reflexões Metafísicas a partir dos Estudos das Ciências de Bruno Latour. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, [s. l.], p. 155–189, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rbpec/article/view/4933. Acesso em: 9 set. 2021.

MAINGUENEAU, D. Discours et analyse du discours: une introduction. Paris: A. Colin, 2014.

MARCONDES FILHO, C. O capital da notícia: jornalismo como produção social da segunda natureza. São Paulo: Editora Atica, 1986. (Ensaios, v. 121).

MATSUKI, E. Água tônica cura o coronavírus porque tem quinino da cloroquina #boato. In: BOATOS.ORG. 15 abr. 2020. Disponível em: https://www.boatos.org/saude/agua-tonica-cura-o-coronavirus-porque-tem-quinino-da-cloroquina-boato.html. Acesso em: 9 set. 2021.

MONGELLI, L.; GOLDING, B. New York hospitals treating coronavirus patients with vitamin C. In: NEW YORK POST. 24 mar. 2020. Disponível em: https://nypost.com/2020/03/24/new-york-hospitals-treating-coronavirus-patients-with-vitamin-c/. Acesso em: 9 set. 2021.

PANGRAZIO, L. What’s new about ‘fake news’? Critical digital literacies in an era of fake news, post-truth and clickbait. Páginas de Educación, [s. l.], v. 11, n. 1, p. 6, 2018. Disponível em: https://revistas.ucu.edu.uy/index.php/paginasdeeducacion/article/view/1551. Acesso em: 9 set. 2021.

PENNAFORT, R. É #FAKE que novo coronavírus morre ao ser exposto ao ar quente de secadores de cabelo ou de saunas. [S. l.], 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/coronavirus/noticia/2020/04/17/e-fake-que-novo-coronavirus-morre-ao-ser-exposto-ao-ar-quente-de-secadores-de-cabelo-ou-de-saunas.ghtml. Acesso em: 9 nov. 2021.

PENNYCOOK, G. et al. Fighting COVID-19 Misinformation on Social Media: Experimental

Evidence for a Scalable Accuracy-Nudge Intervention. Psychological Science, [s. l.], v. 31, n. 7, p. 770–780, 2020. Disponível em: http://journals.sagepub.com/doi/10.1177/0956797620939054. Acesso em: 9 out. 2021.

PILLER, C. Former FDA leaders decry emergency authorization of malaria drugs for coronavirus. [S. l.], 2020. Disponível em: https://www.science.org/content/article/former-fda-leaders-decry-emergency-authorization-malaria-drugs-coronavirus. Acesso em: 9 set. 2021.

POZO, J. I.; CRESPO, M. Á. G. A Aprendizagem e o Ensino de Ciências: Do Conhecimento Cotidiano ao Conhecimento Científico. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SERFOR. LOS MURCIÉLAGOS BRINDAN MAYORES BENEFICIOS DE LO QUE SE PIENSA. In:

SERFOR. 24 mar. 2020. Disponível em: https://www.serfor.gob.pe/portal/noticias/los-murcielagos-brindan-mayores-beneficios-de-lo-que-se-piensa. Acesso em: 7 set. 2021.

TANG, W. et al. Hydroxychloroquine in patients with mainly mild to moderate coronavirus disease 2019: open label, randomised controlled trial. BMJ, [s. l.], p. m1849, 2020. Disponível em: https://www.bmj.com/lookup/doi/10.1136/bmj.m1849. Acesso em: 9 set. 2021.

VALE, C. A. do; PREZOTO, F. A culpa não é do macaco: os primatas e a febre amarela - It’s not the monkey’s fault: the primates and the yellow fever. Multiverso: Revista Eletrônica do Campus Juiz de Fora - IF Sudeste MG, [s. l.], v. 2, n. 1, p. 1–12, 2017. Disponível em: http://periodicos.jf.ifsudestemg.edu.br/multiverso/article/view/168. Acesso em: 7 set. 2021.

VEJA. Coronavírus pode ter sido transmitido por sopa de morcego e carne de cobra. [S. l.], 2020. Disponível em: https://veja.abril.com.br/saude/coronavirus-pode-ter-sido-transmitido-por-sopa-de-morcego-e-carne-de-cobra/. Acesso em: 7 set. 2021.

Publicado

2022-01-13

Como Citar

BRITTO, D. M. C. de; MELLO, I. C. de. ENSINO DE CIÊNCIAS NA ERA DA PÓS-VERDADE: CONSIDERAÇÕES ACERCA DO DISCURSO PRESENTE EM FAKE NEWS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 1, p. e22002, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i1.13007. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13007. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)