UMA PROPOSTA DE ATIVIDADE MATEMÁTICA SOBRE O TEMPO DE EXPOSIÇÃO AO SOL

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i2.10210

Palavras-chave:

Modelagem Matemática. Fator de Proteção Solar. Ensino de Matemática.

Resumo

A necessidade de pensar novas metodologias para o ensino da matemática, especialmente a partir de temas relacionados ao cotidiano dos alunos, motivou a realização desta pesquisa, que tem como objetivo aliar teoria e prática no contexto da educação básica, para verificar o tempo que uma pessoa, fazendo uso adequado do fator de proteção solar (FPS) 30, pode ficar exposta à radiação ultravioleta (UV) do sol, sem sofrer queimaduras. Por meio da modelagem matemática, apresenta-se uma proposta para o ensino de matemática, que tende a permitir ao professor do ensino médio tratar conceitos de função exponencial de maneira crítica e reflexiva, para a construção de um conhecimento mais significativo e também fornecer aos alunos condições de perceber a integração da matemática com outras áreas. Ao considerar os níveis de radiação, o FPS 30 em relação ao tipo de pele, os dados remetem a uma função exponencial, que, ao se aplicar a metodologia do método dos mínimos quadrados, viabilizou elaborar um modelo matemático para cada um dos quatro tipos de pele. Os resultados mostram que, se as pessoas fizerem o uso correto do FPS 30, a depender do tipo de pele, é possível permanecer em exposição ao sol por um tempo mínimo de 1h e 45 minutos, sem sofrer queimaduras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kattia Ferreira da Silva, Professora Adjunta I, Universidade de Gurupi (UNIRG), Campus de Gurupi, Curso de Ciências Contábeis, Curso de Engenharia Civil, Curso de Farmácia. Professora da Rede Municipal de Gurupi, Escola Municipal Odair Lúcio, Gurupi, Brasil.

Mestre em Matemática, pela Universidade Federal do Tocantins - UFT. Pós - Graduação Lato Sensu em Metodologia de Ensino e Pesquisa na Educação Matemática e Física, pela Faculdade Católica de Anápolis. Possui Licenciatura Plena em Matemática, pela Universidade Estadual de Goiás (UEG);. Atualmente é Professora Efetiva da Universidade de Gurupi - UNIRG e Professora da Rede Municipal de Gurupi. Tem experiência nas áreas de Educação Matemática, Estatística e Matemática. 

Raylson Dos Santos Carneiro, Professor do Magistério Superior, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Curso de Engenharia Florestal e Licenciatura em Matemática EaD, Campus de Gurupi, Brasil.

Mestre em Matemática pela Universidade Federal do Tocantins (UFT). Licenciatura Plena em Matemática, pela Universidade Estadual de Goiás (UEG); Pós-Graduação Lato Sensu em Metodologia de Ensino e Pesquisa na Educação Matemática e Física, pela Faculdade Católica de Anápolis. Integrante do Grupo de Pesquisa em Sustentabilidade de Solos e Recursos Hídricos. Professor Efetivo da Universidade Federal do Tocantins - UFT, curso de Engenharia Florestal e Matemática EaD. Atua nas áreas: Matemática; Física; Educação Matemática; Educação e Estatística.

Rogerio dos Santos Carneiro, Professor do Magistério Superior, Universidade Federal do Tocantins (UFT), Curso de Licenciatura em Matemática, Campus de Araguaína, Brasil.

Doutorando em Educação em Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECEM) da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática (REAMEC), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); Mestre em Educação Matemática, pela Universidade Severino Sombra (USS); Graduado em Licenciatura Plena em Matemática, pela Universidade Estadual de Goiás (UEG); possui Pós-Graduação Lato Sensu em Metodologia de Ensino e Pesquisa na Educação Matemática e Física, pela Faculdade Católica de Anápolis; Pós-Graduação Lato Sensu em Educação em Direitos Humanos, pela Universidade Federal do Tocantins (UFT), e Pós-Graduação Lato Sensu em Engenharia de Produção, pela Universidade Cândido Mendes (UCAM). Integrante do Grupo de Pesquisa de História da Educação Matemática no Brasil (GHEMAT-Brasil). Professor Efetivo da Universidade Federal do Tocantins - UFT, curso de Licenciatura em Matemática do Câmpus de Araguaína. Atua nas áreas: Educação Matemática; História da Educação Matemática; Matemática; Educação; Física; Estatística.

Referências

BARBOSA, V. C.; BREITSCHAFT, A. M. S. Um aparato experimental para o estudo do princípio de Arquimedes. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 28, n.1, p.115–122, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbef/v28n1/a14v28n1.pdf. Acesso em: 13 jan. 2019.

BASSANEZI, R. C. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. São Paulo: Contexto, 2004.

BASSANEZI, R. C. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática: uma nova estratégia. 3. ed., São Paulo: Contexto, 2011.

BIEMBENGUT, M. S.; HEIN, N. Modelagem matemática no ensino. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2009.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, seção 1, ano CXXXIV, n. 248, Brasília, 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 20 fev. 2019.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 15 fev. 2019.

D’AMBROSIO, U. Da realidade à ação: reflexões sobre educação matemática. Campinas: Sammus, 1986.

FITZPATRICK, T. B.; MOSHER, D. B. Pigmentação cutânea e distúrbios do metabolismo da melanina. In: ISSELBACHER, K. J. et al. Medicina interna, 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p.276-284, 1983.

GOMES, R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: DESLANDES, S. F; GOMES, R.; MINAYO, M. C. S.(org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 26. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, p. 79-108, 2007.

INPE. Radiação solar, camada de ozônio e saúde humana. Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação, 2012. Disponível em: http://satelite.cptec.inpe.br/uv/. Acesso em: 10 fev. 2019.

KIRCHHOFF, V. W. J. H. Ozônio e Radiação UV–B. São José dos Campos, São Paulo: Transtec Editorial, 1995.

MATOS, S. P. Cosmetologia aplicada. 1. ed. São Paulo: Érica, 2014.

MENEZES, R. O.; BRAGA, R. M.; SANTO, A. O. E. Cooperação no desenvolvimento de atividades de modelagem na educação básica. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S.l.], v. 7, n. 1, p. 147-170, jan./jul. 2019. ISSN 2318-6674. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/7966. Acesso em: 08 jan. 2020. Doi: https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2019.v7.n1.p147-170.i7966

MEYER, J. F. C. A.; CALDEIRA, A. D.; MALHEIROS, A. P. S. Modelagem em Educação Matemática. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MILESE, S. S.; GUTERRES, S. S. Fatores determinantes na eficácia de fotoprotetores. Caderno de Farmácia, v. 18, n. 2, p. 81-87, 2002. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/19680/000378373.pdf?sequence=1. Acesso em: 10 jan. 2019.

ROUESSAC, F.; ROUESSAC, A. Chemical analysis, modern instrumentation methods and techniques. New Jersey, USA: John Wiley & Sons, p. 189, 2000.

RUGGIERO, M. A. G.; LOPES, V. L. da R. Cálculo numérico: aspectos teóricos e computacionais. 2. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1996.

SCHALKA, S. Influência da quantidade aplicada de protetores solares no fator de proteção solar (FPS): avaliação de dois protetores solares com os mesmos ingredientes em diferentes concentrações. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de medicina e dermatologia, Departamento de Dermatologia, Programa de Pós-Graduação em Ciências, São Paulo, 2009. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-29092009-164750/publico/SergioSchalka.pdf. Acesso em: 03 jan. 2019.

SILVA, W. P. et al. “LAB Fit Ajustes de Curvas”: um software em português para tratamento de dados experimentais. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 26, n. 4, p. 419-427, 2004. ISSN 1806-9126. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbef/v26n4/a18v26n4.pdf. Acesso em: 12 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2020-06-21

Como Citar

SILVA, K. F. da; CARNEIRO, R. D. S.; CARNEIRO, R. dos S. UMA PROPOSTA DE ATIVIDADE MATEMÁTICA SOBRE O TEMPO DE EXPOSIÇÃO AO SOL. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 562-583, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i2.10210. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/10210. Acesso em: 25 set. 2020.