O BRAILLE FÁCIL EM MATEMÁTICA NO ENSINO SUPERIOR: UMA EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO NA PERSPECTIVA DE PROMOÇÃO DE AUTONOMIA

Felipe Moraes dos Santos, Marcos Evandro Lisboa de Moraes, Elielson Ribeiro de Sales

Resumo


O presente artigo refere-se ao acesso de informações no âmbito da matemática de nível superior. O objetivo é que esses estudantes façam uso de softwares que atendam suas necessidades com certa autonomia e propõe a utilização destes, tanto por alunos quanto por professores que tenham a necessidade de preparar materiais específicos para pessoas com deficiência visual. A metodologia adotada foi a pesquisa de campo, a partir do estudo de caso. As técnicas utilizadas foram entrevista semiestruturada e o uso de exercícios com a utilização do software Braille Fácil. A pesquisa teve como participante um aluno deficiente visual graduando em Matemática e concluiu-se que o software citado possibilita certa autonomia a uma pessoa com deficiência visual, além de ser acessível a pessoas que não dominem completamente a simbologia Braille.

Palavras-chave


Braille; Softwares; Matemática

Texto completo:

PDF

Referências


ABNT NBR 9050: 2015. Disponível em: . Acesso 20 Mar.2016.

ALMEIDA, Edvaldo. O método braille e sua história. Disponível em:

blogspot.com.br/2010/07/o-metodo-braile-e-sua-historia.html> . Acesso em 27.Out.2013.

BRASIL, Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei N° 13.146, de 06 de Julho de 2015. Estatuto da Pessoa com Deficiência. Brasília. Casa Civil. Subchefia para assuntos Jurídicos. 2015.

______. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Secretaria de Educação Especial (SEESP). Normas técnicas para a produção de textos em Braille. Brasília: MEC; SEESP, 2002.

______. Ministério da Educação e Cultura (MEC). Secretaria de Educação Especial (SEESP). Código Matemático Unificado para a Língua Portuguesa. Elaboração Cerqueira, Jonir Bechara...[et al.]. Brasília: MEC; SEESP, 2006.

GUIDORIZZI. Hamilton Luís. Um curso de cálculo. Rio de Janeiro: LTC, 2001.

INSTITUTO BENJAMIM CONSTANT - IBC. Programa Braille Fácil. Manual do Braille Fácil 3.1. 2009. Disponível em < http://intervox.nce.ufrj.br/brfacil/>. Acesso em 13.11.2013.

MANZINI, E. J. A entrevista na pesquisa social. São Paulo: Didática, 1990/1991.

O que é um leitor de tela. Disponível em: . Acesso 20 Mar. 2016.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão. Construindo uma sociedade para todos. Rio de Janeiro: WVA, 1991.

YIN, Robert K. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.26571/2318-6674.a2017.v5.n1.p164-176.i5448

Apontamentos

  • Não há apontamentos.