ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE EDUCAÇÃO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v7i3.8265

Palavras-chave:

Espaços não formais, Roraima, Ensino de Ciências.

Resumo

Este artigo resulta de uma pesquisa realizada durante o Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Universidade Estadual de Roraima, e teve como objetivo investigar se na prática pedagógica de três professores de ciências do ensino fundamental II e dois de biologia do ensino médio integral de escolas estaduais de Boa Vista – RR utilizam espaços não formais para o ensino de ciências. A metodologia consistiu de uma pesquisa de campo do tipo qualitativa. A coleta de dados realizou-se por meio da aplicação de questionário contendo quatro questões subjetivas para compreender como os professores compreendem os espaços não formais e, se em sua prática docente envolvem o uso de algum espaço não formal voltado para o ensino de ciências. Como resultado, verificou-se que os docentes não fazem uso dos espaços não formais em sua prática pedagógica, citando fatores como falta de apoio da escola e inexperiência em como organizar as aulas nesses espaços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Esterline Félix dos Reis, Universidade Estadual de Roraima

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Roraima (2008). Especialização em Língua Brasileira de Sinais-LIBRAS. Foi professora na Escola Estadual São José -RR de 2017 até início de 2018. Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Biologia Geral e Ciências. Atualmente cursa o Mestrado Profissional em Ensino de Ciências com ênfase no Ensino de Ciências em espaços não formais e divulgação científica.

Mônica Feitosa da Costa Sousa, Universidade Estadual de Roraima

Acadêmica do Programa de Pós-graduação do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima - UERR.

Dilce dos Santos Alves, Universidade Estadual de Roraima

Acadêmica do Programa de Pós-graduação do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima - UERR

Maria Iranete Mineiro Pinho, Universidade Estadual de Roraima

Acadêmica do Programa de Pós-graduação do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências pela Universidade Estadual de Roraima - UERR

Ivanise Maria Rizzatti, Universidade Estadual de Roraima

Docente do Programa de Pós-graduação do Mestrado Profissional em Ensino de Ciênicas pela Universidade Estadual de Roraima - UERR.

Referências

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciência da Natureza e Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2000. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/blegais.pdf. Acesso em: 14 de outubro de 2018.

CASTELLAR, S. M. V. Mudanças na prática docente: a aprendizagem em espaços não formais. Livro itinerarios geográficos en la escuela: lecturas desde la virtualidad. Organizadores: Nubia Moreno Lache; Mario Fernando Hurtado Beltrán. Geopaideia: Colômbia. 2010. 340p. Disponível em:file:///C:/Users/Ivanise/Desktop/ITINERARIOS-GEOGRAFICOS-EN-LA-ESCUELA-LECTURAS-DESDE-LA-VIRTUALIDA. Acesso em: 20 de abril de 2019.

CHAVES. et. al. A percepção dos professores de uma escola municipal de Boa Vista- Roraima, sobre a utilização dos espaços não formais de ensino na educação infantil. Bol. Mus. Int. de Roraima. ISSN (online): 2317-5206. v 10(1): 20-27. 2016. Disponível em: em https://uerr.edu.br/bolmirr/wp-content/uploads/2016/09/BOLMIRR-v101-Chaves-et-al.pdf. Acesso em: 22 de abril de 2019.

FARIA, R. L. Jacobucci, D. C.; Oliveira, R. C. Possibilidades de ensino de botânica em um espaço não-formal de educação na percepção de professoras de ciências. Revista Ensaio, v.13, n.01, p.87-104, jan-abr, 2011. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/284684190_POSSIBILIDADES_DE_ENSINO_DE_BOTANICA_EM_UM_ESPACO_NAO- FORMAL_DE_EDUCACAO_NA_PERCEPCAO_DE_PROFESSORAS_DE_CIENCIAS. Acesso em: 20 de abril de 2019.

GOHN, M. G. Educação Não Formal, Aprendizagens e Saberes em Processos Participativos. Investigar em Educação - II ª Série, Número 1, 2014. Pág. 35 a 50. Disponível em: http://pages.ie.uminho.pt/inved/index.php/ie/article/view/4/4 . Acesso em: 20 de abril de 2019.

GOHN, M. G. Educação Não-formal, Aprendizagens e Saberes em Processos Participativos. Rev. Investigar em Educação, n. 1, 2014. Disponível em: http://pages.ie.uminho.pt/inved/index.php/ie/article/view/4. Acesso em: 20 de abril 2019.

GOHN, M. G. Educação Não Formal e o Educador Social: atuação no desenvolvimento de projetos sociais. São Paulo: Cortez, 2010.

JACOBUCCI, D. F. C.; JACOBUCCI, G. B.; MEGID NETO, J C.contribuições dos espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Disponível em: file:///C:/Users/genil/Downloads/20390-Texto%20do%20artigo-76872-1-10-20081105%20(4).pdf. Acesso em: 20 de setembro de 2018.

JACOBUCCI, D. F. et al. Experiências de formação de professores em centros e museus de ciências no Brasil. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 8, n.1, p. 118-136, 2009. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen8/ART7_Vol8_N1.pdf. Acesso em: 18 de abril de 2019.

LAU, P. F. R. Peripatéticos do século XXI: ensinando ciências no bosque dos papagaios. Boa Vista: Universidade Estadual de Roraima – UERR, 2014. Disponível em: https://uerr.edu.br/ppgec/wp content/uploads/2017/08/DISSERTA%C3%87%C3%83O-2014-PEURIS-FRANK-RODRIGUES-LAU.pdf. Acesso em: 10 de setembro de 2019.

MARANDINO, M. Museus de ciências, coleções e educação: relações necessárias. Museologia e Patrimônio, v. 2, p. 1-12, 2009.Disponível em: http://revistamuseologiaepatrimonio.mast.br/index.php/ppgpmus/article/view/63/68 Acesso em 23 de Agosto de 2018.

PORTO, M. G. C. et al. O ensino de Química e Física e espaços não-formais. Atas do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC), Campinas, SP, Brasil – 5 a 9 de dezembro de 2011. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R1170-2.pdf. Acesso em: 21 de abril de 2019.

PRESTES, M. L. M. A pesquisa e a construção do conhecimento científico: do planejamento aos textos, da escola à academia. 3ª ed. São Paulo, Rêspel, 2007.

QUEIROZ, R. M. et al. A caracterização dos espaços não formais de educação científica para o ensino de ciências. Revista Areté, v. 4, n. 7, p.12-23, 2011. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R1579-2.pdf. Acesso em: 18 de abril de 2019.

REIS T. R. O uso de espaços formais e não formais de educação em estratégias didáticas com enfoque cts. SINECT. IV Simpósio Nacional de Ciências e Tecnologia, Ponta Grossa-PR de 27 a 29 de novembro de 2014. Disponível em: file:///C:/Users/genil/Downloads/01409600992.pdf. Acesso em 15 de outubro de 2018.

RIBEIRO, F.A.; SILVA, I. G.; SILVA, D.F. Astroquímica – uma oficina temática. Atas do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC), Campinas, SP, Brasil – 5 a 9 de dezembro de 2011. Disponível em: http://www.nutes.ufrj.br/abrapec/viiienpec/resumos/R1543-1.pdf. Acesso em: 18 de abril de 2019.

ROCHA, S. C. B. & TERÁN, A. F. O uso de espaços não formais como estratégia para o ensino de ciências. Manaus: UEA/Escola Normal Superior/PPGEECA, 2010. Disponível em: file:///C:/Users/genil/OneDrive/Área%20de%20Trabalho/Mestre/inrterdisciplinaridade/espaço%20nao%20formal/2010_08_31_LivroUsodeEspacosnaoFormaisdeEnsino%20(1).pdf. Acesso em: 23 de setembro de 2018.

ROCHA, V.; LEMOS, E.; SCHALL, V. A contribuição do Museu da Vida para a educação não formal em saúde e ambiente: uma proposta de produção de indicadores para elaboração de novas atividades educativas. In: Red Pop Reunión de la Red de Popularización de la Ciência y la Tecnologia em America Latina y el Caribe, 10, 2007, San Jose, Costa Rica. Disponível em: http://www.cientec.or.cr/pop/2007/BR-VaniaRocha.pdf. Acesso em: 18 de abril de 2019.

TERCI, D. B. L.; Rossi, A. V. Dinâmicas de ensino e aprendizagem em espaços não formais. X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – X ENPEC Águas de Lindóia, SP – 24 a 27 de Novembro de 2015. Disponível em: http://www.abrapecnet.org.br/enpec/x-enpec/anais2015/resumos/R0977-1.PDF. Acesso em: 20 de abril de 2019.

VALENTE, M.; CAZELLI, S. ALVES, F. Museus, ciência e educação: novos desafios. História, Ciência e Saúde, v. 12, p. 183-203, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v12s0/09.pdf. Acesso em: 20 de abril de 2019.

VERDUM, P. Prática Pedagógica: o que é? O que envolve? Revista Educação por Escrito – PUCRS, v.4, n.1, jul. 2013. p 91—105. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/viewFile/14376/9703. Acesso em: 20 de abril de 2019.

Publicado

2020-07-21

Como Citar

REIS, E. F. dos; SOUSA, M. F. da C.; ALVES, D. dos S.; PINHO, M. I. M.; RIZZATTI, I. M. ESPAÇOS NÃO FORMAIS DE EDUCAÇÃO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 7, n. 3, p. 23–36, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v7i3.8265. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/8265. Acesso em: 25 fev. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)