APORTES TEÓRICOS E ENFOQUES INVESTIGATIVOS NAS PESQUISAS RELACIONADAS AO ENSINO DE ASTRONOMIA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.16564

Palavras-chave:

Aportes teóricos, Enfoques investigativos, Ensino de Astronomia

Resumo

O processo de investigação científica é rigoroso e sistemático. Para se compreender e responder questões inerentes ao contexto científico, formular hipóteses e verificar teorias, é necessária a produção de novos conhecimentos, que deverá ocorrer por meio dos enfoques investigativos. Todavia, esses enfoques investigativos devem estar de acordo com aportes teóricos condizentes com o que a pesquisa propõe. Neste trabalho, realizou-se uma investigação sobre os aportes teóricos e os enfoques investigativos presentes nas publicações relacionadas ao ensino de Astronomia. Nessa perspectiva, formulou-se uma questão: de que forma aportes teóricos e enfoques investigativos poderão contribuir com estudos sobre a pesquisa em Educação e Ensino de Astronomia? A pesquisa, de natureza básica e abordagem qualitativa, adotou como parâmetro artigos publicados em revistas de qualis B1 acima, no período de 2012 a 2022, indexados na base de dados SciELO. Os resultados revelam que a compreensão dos aportes teóricos e dos enfoques investigativos será favorável para além da formação dos professores e alunos, como para qualquer que tenha interesse em compreender como ocorre a construção e o processo científico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Clara Souza Araújo Araújo, Instituto Federal do Ceará (IFCE), Fortaleza, Ceará, Brasil

Doutoranda em Ensino, na linha de pesquisa Ensino de Física e Engenharias pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Mestre em Ensino de Ciências e Matemática (2023) pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE). Especialista em Ciências da Natureza, suas Tecnologias e o Mundo do Trabalho (2022) pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Licenciada em Física (2022) pelo Instituto Federal do Ceará (IFCE). Exerceu a função de pesquisador/bolsista (2022-2023) com dedicação exclusiva pela Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Ceará (FUNCAP), em projeto de extensão (2018-2019) pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e de iniciação científica (2020-2021) pela Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (PRPI) do IFCE nas áreas de ensino de Astronomia, Física ambiental e currículos. É membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Astronomia e Cosmologia (GEPAC) e do Grupo de Eletromagnetismo Aplicado, ambos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Atualmente, como pesquisadora, tem interesse pelas linhas de pesquisa: ensino de Cosmologia; metodologias ativas com ênfase na Problem-based Learning; Radioastronomia; e Óptica. 

Vitoria Hellen Juca dos Santos, Instituto Federal do Ceará (IFCE), Fortaleza, Ceará, Brasil

Graduada em Licenciatura em Física pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - campus Fortaleza. Integrante do Grupo de Ensino, Pesquisa em Astrofísica e Cosmologia - GEPAC. Foi membro do Laboratório de Astrofísica e Cosmologia onde foi bolsista em Iniciação Cientifica em Astrofísica do Infravermeho (IR). Atualmente, Mestranda em Ensino de Ciências e Matemática, na linha de pesquisa Ensino de Física pelo IFCE.

Mairton Cavalcante Romeu, Instituto Federal do Ceará (IFCE), Fortaleza, Ceará, Brasil

Doutor em Física e em Engenharia de Teleinformática. Possui graduação em Licenciatura Plena em Física pela Universidade Estadual do Ceará (Uece-2002), graduação em Bacharelado em Física pela Universidade Federal do Ceará (UFC-2004), Mestrado em Física pela Universidade Federal do Ceará (UFC-2007),Doutorado em Engenharia de Teleinformática pela Universidade Federal do Ceará ( 2014 ) e Doutorado em Física pela Universidade Federal do Ceará ( 2022 ). Atua principalmente nos seguintes temas: Física experimental e Aplicada, Ensino de Astronomia e de Física.

Referências

ARAÚJO, A. C. S. et al. Aprendizagem Significativa no ensino de Cosmologia na perspectiva da Neurociência. Research, Society and Development, v. 11, n. 1, 2022. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i11.33253

ARAÚJO, A. C. S.; JÚNIOR, J. A. D.; ROMEU, M. C. Introdução à astronomia no ensino fundamental: análise da Team-based Learning como estratégia facilitadora de ensino. Revista Prática Docente, v. 7, p. 01-21, 2022. https://doi.org/10.23926/RPD.2022.v7.n3.e22061.id1504

ARAÚJO, A. C. S.; SILVA, F. H. B. da S.; ROMEU, M. C.; PEREIRA, A. C. C. Ensino de Cosmologia frente à abordagem curricular pedagógica encontrada em artigos científicos. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 11, n. 1, p. e23035, 2023. https://doi.org/10.26571/reamec.v11i1.14995

AUSUBEL, D. P. Educational psychology: a cognitive view. Nova York: Holt, Rinehart and Winston, 1978.

BAGDONAS, A. et al. Discussões sobre a natureza da ciência em um curso sobre a história da Astronomia. Revista Latino-Americana de Educação em Astronomia, n. 9, p. 17-31, 2010. https://doi.org/10.37156/RELEA/2010.09.017

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: Ciências da Natureza. Brasília: MECSEF, 1998. BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: Matemática. Brasília: MECSEF, 1997.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Educação é a Base. Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=8511-bncc-ensino-medio&category_slug=abril-2018-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 01 nov. 2023.

BRASIL, Orientações Educacionais Complementares aos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN+). Ciências da Natureza e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2006.

BROCKINGTON, G. Neurociência e educação: investigando o papel da emoção na aquisição e uso do conhecimento científico. (Doutorado em Educação) ‒ Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, p. 199, 2011.

CALIZAYA, J. M. Algunas ideas de investigación científica. Minerva, v. 1, n. 3, p. 35-39, 2020. https://doi.org/10.47460/minerva.v1i3.15

CARVALHO, A. O que é metodologia científica? In: CARVALHO, Alex; et al. (org.) Aprendendo Metodologia Científica. São Paulo: O Nome da Rosa, 2000.

CELLARD, A. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, Vozes, 2008.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: Método qualitativo, quantitativo e Misto. Porto Alegre: Artmed. 2010.

CROSSETTI, M. G. O. Revisão integrativa de pesquisa na enfermagem o rigor científico que lhe é exigido. Revista gaúcha de enfermagem, v. 33, p. 8-9, 2012. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/94920/000857666.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 27 jan. 2024.

DAMASCENO JÚNIOR, J. A.; ROMEU, M. C. Interface entre neurociência e aprendizagem significativa: um estudo preliminar sobre as contribuições desta interlocução para o ensino de física e Astronomia. Revista Expressão Científica, v. 6, n. 2, p. 48-60, 2021. Disponível em: https://periodicos.ifs.edu.br/periodicos/REC/article/view/741. Acesso em: 27 jan. 2024.

DELÁBIO, F. et al. Divulgação científica e percepção pública de brasileiros (as) sobre ciência e tecnologia. Revista Insignare Scientia, v. 4, n. 3, p. 273-290, 2021. https://doi.org/10.36661/2595-4520.2021v4i3.12132

DEMO, P. Método Científica em Ciências Sociais. São Paulo: Atlas, 2009.

DIAS, C. A. RITA, J. S. Inserção da astronomia como disciplina curricular do ensino médio. Revista Latino-americana de educação em astronomia, n. 6, p. 55-65, 2008. https://doi.org/10.37156/RELEA/2008.06.055

FLICK, U. Uma introdução à pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Bookman, 2007.

FERREIRA, M. et al. Ensino de astronomia: uma abordagem didática a partir da Teoria da Relatividade Geral. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 43, 2021.

HERNÁNDEZ, S. R. et al. Metodologia de la Investigación. México: Mc-GrawHill, 2010.

JACOBOVSKI, R.; FERRO, L. F. Educação permanente em saúde e metodologias ativas de ensino: uma revisão sistemática integrativa. Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, v. 10, n. 3, 2021. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i3.13391

JENSEN, E. Enriqueça o Cérebro: como maximizar o potencial de aprendizagem de todos os alunos. Porto Alegre: Artmed, 2011.

KLIEMANN, C. R. M. et al. Comparando as correntes metodológicas: positivismo, fenomenologia e materialismo histórico dialético. In: V SIMPÓSIO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E XXVI SEMANA DE PEDAGOGIA, 2016, Cascavel. Unioeste. p. 1 - 10.

LANGHI, R. Um estudo exploratório para a inserção da Astronomia na formação de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. 2004. Dissertação (Mestrado em Física) ‒ Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2004.

LANGHI, R. Educação em Astronomia: da revisão bibliográfica sobre concepções alternativas à necessidade de uma ação nacional. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 28, n. 2, p. 373-399, 2011. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2011v28n2p373

LANGHI, R.; NARDI, R. Educação em Astronomia: repensando a formação de professores. São Paulo: Escritoras editoras, 2012.

LIRA, B. C. Passo a passo do trabalho científico. Petrópolis: Editora Vozes, 2019.

MARANDINO, M. Transposição ou recontextualização? Sobre a produção de saberes na educação em museus de ciências. Revista brasileira de educação, n.26, p. 95-108, 2004.

MÁXIMO, M. E.; IERVOLINO, S. A. Guia de Metodologia do Ielusc. Joinville: Bom Jesus/IELUSC, 2016.

MAZUCATO, T. et al. Metodologia da pesquisa e do trabalho científico. Penápolis: Funepe, 2018.

MEDRONHO, R. A. Epidemiologia. São Paulo: Atheneu, 2009.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. de C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto & contexto-enfermagem, v. 17, p. 758-764, 2008.

MOREIRA, M. A. Uma análise crítica do ensino de Física. Estudos avançados, v. 32, p. 73-80, 2018.

MOREIRA, M. A. Metodologia de Pesquisa em Ensino. Porto Alegre: LF, 2011.

MORAES, L. D.; SILVEIRA, I. F. Educação não formal em astronomia: análise de artigos acadêmicos nacionais e internacionais. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 189–209, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10625

MORIN, E. Sobre interdisciplinaridade. São Paulo: Publicações Icesi, 2010.

PEREIRA, M. G. Epidemiologia: Teoria e Prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan SA, 2002.

PEREIRA, A. S. et al. Metodologia da pesquisa científica. Petrópolis: Vozes, 2018.

PIAGET, J. Seis estudos de Psicologia. 24ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1999.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social: Métodos e Técnicos. São Paulo: Atlas, 2012.

SANTANA, E. B.; SILVA, V. A.; FREITAS, N. M. da S. Metodologia da problematização: o uso de situações-problema no ensino de astronomia. Revista Exitus, v. 9, n. 1, p. 175-201, 2019. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/exitus/v9n1/2237-9460-exitus-9-1-175.pdf. Acesso em: 27 jan. 2024.

SAGAN, C. Cosmos. Barcelona: Edicions Universitat Barcelona, 2006.

SCHNEIDER, E. M.; FUJII, R. A. X.; CORAZZA, M. J. Pesquisas quali-quantitativas: contribuições para a pesquisa em ensino de ciências. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 5, n. 9, p. 569-584, 2017. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/article/view/157. Acesso em: 27 jan. 2024.

SILVA, L. F. da; RUSSO, R. F. S. M.; DE OLIVEIRA, P. S. G. Quantitativa ou qualitativa? um alinhamento entre pesquisa, pesquisador e achados em pesquisas sociais. Revista Pretexto, p. 30-45, 2018. https://doi.org/10.21714/pretexto.v19i4.5647

STEINER, J. E. Astronomia no Brasil. Ciência e Cultura, v. 61, n. 4, p. 45-48, 2009.

TONELLI, M. J.; ZAMBALDI, F. Pesquisas qualitativas, pesquisas quantitativas e além. Revista de Administração de Empresas, v. 58, p. 449-450, 2018. https://doi.org/10.1590/S0034-759020180501

VIEIRA, J. A. O uso do diário em pesquisa qualitativa. Cadernos de Linguagem e Sociedade, Brasília, v. 5, p. 93-104, 2001. Disponível em: https://periodicos.unb.br/index.php/les/article/view/6518. Acesso em: 27 jan. 2024.

XAVIER, B. R.; VOELZKE, M. R.; FERREIRA, O. R. Vozes que saem das mãos: o ensino de Astronomia para surdos. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, v. 10, n. 3, p. 257-276, 2019. Disponível em: https://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/rencima/article/view/1744. Acesso em: 27 jan. 2024.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

ARAÚJO, A. C. S. A.; SANTOS, V. H. J. dos; ROMEU, M. C. APORTES TEÓRICOS E ENFOQUES INVESTIGATIVOS NAS PESQUISAS RELACIONADAS AO ENSINO DE ASTRONOMIA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24008, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.16564. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16564. Acesso em: 17 abr. 2024.