CONCEPÇÕES DOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO SOBRE MICROBIOLOGIA POR MEIO DE ELABORAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS DIDÁTICOS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v10i1.13051

Palavras-chave:

Microbiologia, Recursos Didáticos, Métodos de Ensino

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo identificar as concepções que os alunos apresentam sobre microbiologia, bem como auxiliar o trabalho dos professores através de uma abordagem com diferentes recursos didáticos, que promova absorção das informações de forma eficiente. O estudo foi realizado na Escola Estadual Emília Esteves Marques em Carangola-Minas Gerais. O número amostral foi de 101 alunos, de faixa etária entre 15 a 18 anos, dividida em 04 turmas do ensino médio. Os alunos foram analisados por meio de questionários em aula teórica com diversas atividades práticas. A utilização desses recursos didáticos se mostrou eficiente no ensino da microbiologia, pois permitiu verificar o aumento do interesse dos alunos promovendo a participação efetiva, possibilitando a associação dos conteúdos em sala de aula e o cotidiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rafaela Ribas Abreu, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Carangola, Minas Gerais, Brasil.

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado de Minas Gerais- UEMG Unidade Carangola MG (2015). Estagiou como bolsista do programa PAEx desenvolvendo um projeto de extensão denominado Elaboração e Aplicação de Recursos Didáticos no Ensino da Microbiologia no Ensino Médio, sob a coordenação dos Professores Dr. Mônica Pacheco da Silva e Dr. Alexandre Horácio Couto Bittencourt.

Marcela Marques, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT), Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Graduação em Ciências Biológicas pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Santa Marcelina-Muriaé, MG, no ano de 2007. Pós-graduação Lato sensu em Gestão, Auditoria, Perícia Judicial Ambiental; e em Direito Agrário e Ambiental; cursando Pós-graduação Lato sensu em Ecologia de Ecossistemas. Mestra em Ensino pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso - IFMT. Pesquisadora do TSK Group - Teacher's Specialized Knowledge Research Group / Grupo de Pesquisa Conhecimento Especializado de Professores; Experiência em docência na Educação Básica; Ensino Superior e em Pós-Graduação em Docência do Ensino Médio. Membro representante do Brasil do Grupo de Pesquisa de Educação Ambiental sobre Interações Animais no âmbito Pedagógico. Possui também experiência profissional em Licenciamento Ambiental; Coordenação e Elaboração de Programas Ambientais; Projeto de Reabilitação, Monitoramento e Soltura de Animais Silvestres; Monitoramento e Resgate de Fauna e Flora de Empreendimentos; Manejo de Animais Silvestres em Cativeiro; Projeto Socioambiental; Consultoria Ambiental e Coordenação de Equipe. Atualmente é Professora de Biologia na Secretária de Estado de Educação de Mato Grosso.

Alexandre Horácio Couto Bittencourt, Centro Universitário FAMININAS, Muriaé, Minas Gerais, Brasil.

Doutor em Ciências Naturais pela Universidade Estadual do Norte Fluminense UENF-Campos dos Goitacazes-RJ (2019), Mestre em Botânica pela Universidade Federal de Viçosa (1999), Especialista em Gestão e Implementação em EAD pela Universidade Federal Fluminense(2015) Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1996). Pesquisador Associado da Rede Nacional de Ciência para Educação. Atua como professor do Centro Universitário FAMINAS desde 2004 nos cursos de graduação na área de saúde e pós-graduação. Coordenador de Pesquisa desde 2007 e Coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa da FAMINAS Muriaé. Coordenador de Pesquisa da FAMINAS BH. Pesquisador na Fundação Cristiano Varella. Professor e Coordenador de Pesquisa da UEMG - Unidade Carangola 2014-2019. Detentor e responsável do domínio alexandrebittencourt.com.br. Tem experiência nas áreas de Fitoquimica, Atividade biocida de plantas medicinais, Ensino e pesquisa em ambientes virtuais, Morfologia e Anatomia de Plantas Vasculares, Educação e Gestão Ambiental.

Referências

BARBOSA, F. G.; OLIVEIRA, N. C. Estratégias para o Ensino de Microbiologia: uma Experiência com Alunos do Ensino Fundamental em uma Escola de Anápolis-GO. UNOPAR científica. Ciências Humanas e Educação, v. 16, p. 5-13, 2015.

BARBOSA, F. H. F.; BARBOSA, L. P. J. L. Alternativas Metodológicas em Microbiologia: viabilizando atividades práticas. Revista de Biologia e Ciências da Terra. v. 10, n. 2 – 2º semestre 2010.

BEZERRA, A. C.; MAGALHAES, A. S.; OLIVEIRA, E. S.; BORDONI, C. V.; MICHILES, D. E. F.; AIRES, R. S.; SANTOS, V. M. Trabalhando com microbiologia no ambiente escolar. Manaus-Amazonas: V. 3, ANAIS PCE, 2015.

BRAGA, R. M.; SOUSA, F. F.; VENTURIN, N.; BRAGA, F. A. Biomassa e atividade microbiana sob diferentes coberturas florestais. CERNE, v. 22, p. 137-144, 2016.

CANDEIAS, J. M. G.; HIROKI, K. A. N.; CAMPOS, L. M. L. A utilização do jogo didático no ensino de microbiologia no ensino fundamental e médio. In: Sheila Zambello de Pinho; José Roberto Corrêa Saglietti. (Org.). Núcleos de Ensino da Unesp - Edição 2007. São Paulo: Cultura Acadêmica, v. p. 595-603. 2007.

CASSANTI A. CLÁUDIA; CASSANTI, A. CLARA; ARAUJO, E.E.; URSI, S. Microbiologia Democrática: estratégias de ensino-aprendizagem e formação de professores. Enciclopédia Biosfera, v. 8, p. 1-23, 2008.

CAVINATTO, A. S.; PAGANINI, W. S. Os microrganismos nas atividades de disposição de esgotos no solo: estudo de caso. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 12, p. 42-51, 2007.

DAMINELI, A.; DAMINELI, D. S. C. Origens da vida. Estudos Avançados (USP Impresso), v. 21, p. 263-284, 2007.

Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/conexao

ELIZZARI, A; KRIEGL, M. L.; BARON, M. P.; FINCK, N. T. L.; DOROSINSCKI, S. I. Teoria da aprendizagem significativa segundo Ausubel. Revista PEC, v.2, nº. 1, p.3742, Curitiba: 2002.

FERREIRA, A. F. A importância da microbiologia na escola: uma abordagem no ensino médio. 2010. 69 f. Trabalho de conclusão de curso- Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes Departamento de Ensino de Ciências e Biologia, Rio de Janeiro, 2009.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

(INEP) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Notas estatísticas censo escolar. 3-22 p. 2016.

KIMURA, A. H. Microbiologia para o ensino médio e técnico: contribuição da extensão ao ensino e aplicação da ciência. Ponta Grossa, V. 9, nº 2 - jul./dez. 2013.

LEAL, P. F. G.; DIAS, I. G.; FIRMIANO, E. A. Projeto Higiene social: a questão da higiene pessoal e ambiental na prevenção das doenças infecto-parasitárias. In: II Congresso Brasileiro de Extensão Universitária, 2004.

LIMBERGER, K. M; SILVA, R .M; ROSITO, B. A. Investigando a contribuição de atividades experimentais nas concepções sobre microbiologia de alunos do ensino fundamental. IN: X Salão de iniciação científica, PUCRS, 2009.

MADIGAN, M., T.; MARTINKO, J.; M.; PARKER, J. Microbiologia de Brock. 10º ed. São Paulo: Prentice Hall, 2004. p. 9-21.

MORESCO, T. R.; BARBOSA, N. B. V. ROCHA, J. B. T. Ensino de microbiologia e a experimentação no ensino fundamental. Contexto & Educação, v. 32, p. 165-190, 2017.

PELCZAR, M. J.; CHAN, E. C. S.; KRIEG, N. R. Microbiologia: conceitos e aplicações. 2.ed. São Paulo: Pearson Makron Books, 1997. 524p.

PESSOA T. M. S. C.; MELO C. R.; SANTOS D. R.; CARNEIRO M. R. P. Percepção dos alunos do ensino fundamental da rede pública de Aracaju sobre a relação da Microbiologia no cotidiano. Scientia Plena vol. 8, n. 4, 2012.

PRADO, I. A. C.; TEODORO, G. R.; KHOURI, S. Metodologia de ensino de Microbiologia para Ensino Fundamental e Médio. VIII Encontro Latino Americano de Iniciação Cientifica e IV Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba. p. 127- 129. São José dos Campos: 2004.

ROMEIRO, S. S.; SOUSA, L. F.; OLIVEIRA, L. S. Microbiologia: uma abordagem através de aulas práticas/experimentais. Ciência & Tecnologia: Fatec-JB (Online), v. 08, p. Número Especial, 2016.

SILVA, S. A. S.; RODRIGUES, S. F. M.; PAIVA, G. M. V.; LOVO, A. K. M.; LAGASSI, T. R.; SANTOS, G. F. Conhecendo os fungos como cicladores de nutrientes e decompositores da matéria orgânica nas florestas tropicais. Revista de Ensino de Biologia da Associação Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio), v. 9, p. 2741-2751, 2016.

SOUTO, E. K. S. C.; SILVA, L. S.; SODRÉ NETO, L.; SILVA, F. C. L. A utilização de aulas experimentais investigativas no ensino de ciências para abordagem de conteúdos de microbiologia. Experiências em Ensino de Ciências V.10, No. 2, p. 59-69, 2015.

TORTORA, G., J.; FUNKE, B., R.; CASE, C., L. Microbiologia. 12º ed. Porto Alegre: Artmed Editora LTDA, 2017. p. 6-20.

TORTORA, G., J.; FUNKE, B., R.; CASE, C., L. Microbiologia. 10º ed. Porto Alegre: Artmed Editora LTDA, 2012. p. 9-25.

WELKER, C. A. D. O estudo de bactérias e protistas no ensino médio: uma abordagem menos convencional. Experiências em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 2, n. 2, p. 69-75, 2007.

ZOMPERO, A. F. Concepções de alunos do ensino fundamental sobre micro-organismos em aspectos que envolvem saúde: implicações para o ensino aprendizagem. In: Experiências em Ensino de Ciências. V. 4, nº. 3, p. 31-42. Porto Alegre: 2009

Publicado

2022-02-23

Como Citar

RIBAS ABREU, R.; MARQUES, M.; BITTENCOURT, A. H. C. CONCEPÇÕES DOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO SOBRE MICROBIOLOGIA POR MEIO DE ELABORAÇÃO E APLICAÇÃO DE RECURSOS DIDÁTICOS . REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 10, n. 1, p. e22010, 2022. DOI: 10.26571/reamec.v10i1.13051. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13051. Acesso em: 21 jun. 2024.

Edição

Seção

Educação em Ciências