O ENSINO DE CIÊNCIAS: ESPECIFICIDADES PEDAGÓGICAS ENTRE O DIZER E O FAZER

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i3.11089

Palavras-chave:

Ciências da Natureza. Anos iniciais do Ensino Fundamental. Formação Docente.

Resumo

Considerando as especificidades e as implicações das narrativas de três professoras, bem como as particularidades da ação pedagógica destas à luz do contexto escolar, no intuito de averiguar indícios da área das Ciências da Natureza em meio à prática pedagógica, buscou-se analisar, refletir e discutir sobre as possibilidades desencadeadas por estas para o acesso à cultura científica aos alunos desde o início do processo de escolarização. Os dados foram coletados por meio da observação e posterior transcrição em um diário de bordo, além da aplicação de um questionário analisado no viés qualitativo da pesquisa fenomenológico-hermenêutica. Nesse sentido, pontua-se que apesar de haver um consenso em relação a importância do ensino de Ciências da Natureza no início do processo de escolarização, evidencia-se limitados indícios de Ciências tanto na narrativa das professoras quanto durante o período de observação das aulas. É necessário que esta discussão permeie os processos de formação de professores, e que a mesma seja contemplada de forma articulada à BNCC.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Débora Luana Kurz, Universidade Luterana do Brasil

Possui graduação em Química Licenciatura pela Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC (2018/02). Atuou como bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) em escolas da rede estadual do município de Santa Cruz do Sul/RS; como bolsista do Programa de Bolsas de Estudos para Atividades de Ensino (PROBAE) auxiliando acadêmicos de diversos cursos; e também no Programa Institucional de Nivelamento Acadêmico (PINAC). Atualmente é mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Luterana do Brasil - ULBRA, pesquisando sobre o ensino de Ciências da Natureza no início do processo de escolarização.

Everton Bedin, Universidade Luterana do Brasil

Graduado em Química Licenciatura Plena pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2009). Especialista em Tecnologia de Informação e Comunicacão na Educação - TICEDU - pela Universidade Federal de Rio Grande - FURG (2014), Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2018) e em Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável pela Faculdade Dom Alberto (2018). Mestre em Educação em Química pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU (2012). Doutor em Educação em Ciências: química da vida e saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2015).

Claudia Lisete Oliveira Groenwald, Universidade Luterana do Brasil

Possui graduação em Matemática pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, especialização em Matemática pela Universidade do Vale do Rio do Sinos (UNISINOS), doutorado em Ciências da Educação pela Universidade Pontifícia de Salamanca, Espanha, título reconhecido pela Universidade de São Paulo (USP). Pós-doutorado pela Universidade de La Laguna na Espanha. Atualmente é professora titular da Universidade Luterana do Brasil. Atua no curso de Matemática Licenciatura e como coordenadora do Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da ULBRA. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase na formação de professores, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Matemática, Currículo de Matemática, Tecnologias da Informação e Comunicação, Formação Continuada e Ensino e Aprendizagem. 

Referências

AZAMBUJA, P. L.; CONTE, E.; HABOWSKI, A. C. O planejamento docente na educação infantil: metamorfoses e sentidos ao aprender. Pesquisa e Foco, v. 22, n. 2, 2017, p. 157-178. Disponível em: https://doi.org/10.18817/pef.v22i2.1503. Acesso em: 29 ago. 2020.

BEDIN, E. Formação de professores de química: um olhar sobre o Pibid da Universidade Federal de Uberlândia. 2012. 166 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-Graduação em Química, Uberlândia, 2012.

BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. A formação inicial de professores de química a partir da integração e da cooperação nas rodas de conversa: um caso específico. Revista Debates em Ensino de Química, v. 4, n. 2, 2019a, p. 68-85. Disponível em:

http://journals.ufrpe.br/index.php/REDEQUIM/article/view/2011. Acesso em: 29 ago. 2020.

BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. Análise de Atitudes: proposições docentes sobre a utilização de Rodas de Conversa na formação inicial de professores. Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico (EDUCITEC), v. 5, n. 11, 2019b, p. 132-149. Disponível em: https://doi.org/10.31417/educitec.v5i11.730. Acesso em: 29 ago. 2020.

BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. Situação de Estudo como artefato para a qualificação metodológica. Educar em Revista, v. 34, n. 69, 2018, p. 293-309. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/53297. Acesso em: 29 ago. 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: 14 out. 2020.

BLASZKO, C. E. O uso do blog aliado ao ensino de ciências para a formação dos professores dos anos iniciais do ensino fundamental. 2014. 118 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Tecnologia, Ponta Grossa, 2014.

CARDOSO, L. C. M.; COSTA, M. L. Notas sobre a prática de pesquisa etnográfica no campo da Comunicação. Questões Transversais, v. 5, n. 10, p. 1-8 2018. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/questoes/article/view/15734. Acesso em: 15 out 2020.

CHAER, M. R.; GUIMARÃES, E. G. A. importância da oralidade: educação infantil e séries iniciais do Ensino Fundamental. Pergaminho-Centro Universitário de Patos de Minas, v. 3, n. 1, p. 71-88, 2012.

FRANCO, M. A. S. Philippe Meirieu: fragmentos de uma Conversa. Revista Eletrônica Pesquiseduca, v. 3, n. 6, p. 274-281, 2011. Disponível em: http://periodicos.unisantos.br/index.php/pesquiseduca/article/viewFile/192/pdf. Acesso em: 25 ago. 2020.

JESUS, A. M. P. Contributos de Philippe Meirieu para uma pedagogia inovadora: “da pedagogia magistral à pedagogia diferenciada". 2010. 300 f. Tese (Doutorado) - Universidade da Madeira, Programa de Ciências da Educação, Funchal, 2010.

KURZ, D. L.; BEDIN, E. As possibilidades de um e-book de experimentos para a promoção da alfabetização científica na área de ciências da natureza nos anos iniciais do ensino fundamental. Redin-Revista Educacional Interdisciplinar, v. 8, n. 1, 2019. Disponível em: http://seer.faccat.br/index.php/redin/article/view/1439. Acesso em: 15 ago. 2020.

LORENZETTI, L.; DELIZOICOV, D. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio Pesquisa em educação em Ciências, v. 3, n. 1, p. 45-61, 2001. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1983-21172001030104. Acesso em: 30 ago. 2020.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, Editora Pedagógica e Universitária, 1986.

MEIRIEU, P. A pedagogia entre o dizer e o fazer: a coragem de começar. Artmed, 2002.

NIGRO, R. G.; AZEVEDO, M. N. Ensino de ciências no fundamental I: perfil de um grupo de professores em formação continuada num contexto de alfabetização científica. Ciência & Educação, v. 17, n. 3, p. 705-720, 2011. Disponível em: 10.1590/S1516-73132011000300012. Acesso em: 25 ago. 2020.

POZO, J. I. La adquisición del conocimiento científico como un proceso de cambio representacional. Investigações em ensino de ciências, vol. 7, n. 3, p. 245-270, 2002. Disponível em: http://hdl.handle.net/10486/666207. Acesso em: 25 ago. 2020.

ROSA, C. W.; PEREZ, C. A. S.; DRUM, C. Ensino de física nas séries iniciais: concepções da prática docente. Investigações em Ensino de Ciências, v. 12, n. 3, 2007. Disponível em: https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/465. Acesso em: 29 ago. 2020.

SARMENTO, M. J. O estudo de caso etnográfico em educação. 2011.

SASSERON, L. H. Alfabetização científica no ensino fundamental: estrutura e indicadores deste processo em sala de aula. 2008. 281 f. Tese (Doutorado) – Universidade de São Paulo, Programa de Pós-Graduação em Educação, São Paulo, 2008.

SILVA, M. R. Currículo, ensino médio e BNCC-Um cenário de disputas. Retratos da Escola, v. 9, n. 17, 2015. Disponível em: file:///C:/Users/Acer/Downloads/586-1898-1-PB.pdf. Acesso em: 30 ago. 2020.

SOBREIRA, E. S. R. Tecnologias digitais no ensino de ciências para crianças: autoria e interações em uma proposta educativa explorando o tema energia. 2017. 263 f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Campinas, Programa de Pós-Graduação em Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática, Campinas, 2017.

VIECHENESKI, J. P.; LORENZETTI, L.; CARLETTO, M. R. Desafios e práticas para o ensino de ciências e alfabetização científica nos anos iniciais do ensino fundamental. Atos de Pesquisa em Educação, v. 7, n. 3, p. 853-876, 2012. Disponível em: http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2012v7n3p853-876. Acesso: 31 ago. 2020.

WENDLING, C. M.; CAMPOS, S. D. Análise dos registros em diário de bordo sobre alfabetização. São Paulo: Presidente Prudente, 2013.

Publicado

2020-12-09

Como Citar

KURZ, D. L. .; BEDIN, E.; GROENWALD, C. L. O. . O ENSINO DE CIÊNCIAS: ESPECIFICIDADES PEDAGÓGICAS ENTRE O DIZER E O FAZER. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 8, n. 3, p. 692–712, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i3.11089. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/11089. Acesso em: 25 maio. 2024.