OS INSTRUMENTOS AVALIATIVOS UTILIZADOS NA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II EM DUAS ESCOLAS DIFERENTES DE BOA VISTA - RORAIMA

Autores

Palavras-chave:

Instrumentos avaliativos, Recurso didático, Ensino-aprendizagem

Resumo

A presente pesquisa tem como objetivo, analisar os principais instrumentos avaliativos utilizados pelos professores na disciplina de Ciências Naturais e suas contribuições para o processo de ensino e aprendizagem. Esta pesquisa foi realizada em duas escolas da zona urbana do Município de Boa Vista - Roraima. A coleta de dados foi através da aplicação de questionários contendo perguntas objetivas e subjetivas utilizados para entrevistar dois professores que ministram aula de Ciências Naturais para as turmas de 6º ano do ensino fundamental II. Em relação ao tipo de pesquisa, utilizamos a pesquisa de abordagem qualitativa e descritiva, já em relação aos procedimentos técnicos, abordou-se a pesquisa bibliográfica e o estudo de caso. Em relação aos resultados alcançados, percebeu-se que os professores de Ciências Naturais utilizam de vários instrumentos avaliativos para auxiliar suas práticas pedagógicas, a utilização de instrumentos alternativos diversificados contribui para uma prática avaliativa de forma eficiente e eficaz, desde que adequados para as diferentes naturezas de aprendizagem dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aluizio Andrade de Castro Junior, Universidade Estadual de Roraima

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia de Roraima (2015). Tem experiência na área de Estágio Curricular Supervisionado de observação, monitoria e docência I, II, III e IV no Ensino Fundamental de 6º ao 9º ano (antigas 5ª, 6ª, 7ª e 8ª séries) e Ensino Médio. Com a realização de planejamento, organização, execução e avaliação de atividade curriculares utilizando em cada uma das etapas mencionadas recursos didáticos. Problematização das práticas pedagógicas vivenciadas. Participação em atividades previstas no Projeto Político Pedagógico da escola, produção e socialização de relatórios, perfazendo um total de 400 horas de estágio na disciplina de Ciências Biológicas. Nas seguintes escolas públicas estaduais do município de Boa Vista, Roraima. Escola Estadual Pedro Elias de Albuquerque Pereira (Ensino Fundamental) Escola Estadual Major Alcides Rodrigues (Ensino Médio) Escola Estadual Voltaire Pinto Ribeiro (Ensino Médio e EJA).

Enia Maria Ferst, Universidade Estadual de Roraima

Licenciada em Pedagogia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Especialização em Gestão de Sistemas Educacionais (Universidade Federal do Amazonas), Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática-ULBRA/RS e Doutorado em Educação em Ciências e Matemática do Programa da Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática – REAMEC- Universidade Federal do Mato Grosso. Professora do quadro efetivo da Universidade Estadual de Roraima-UERR no Curso de Pedagogia e Pro-Reitora de Desenvolvimento Social da UERR. Experiência na área docente nas disciplinas pedagógicas da Pedagogia. Desenvolve pesquisas na temática de ensino de Ciências nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, formação de professores e CTS. Possui experiência em gestão pública tendo ocupado diversos cargos de direção e assessoramento.

Bianca Maíra de Paiva Ottoni Boldrini, Universidade Estadual de Roraima

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2007), Especialização em Gestão Ambiental pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (2009), mestrado em Bioecologia Aquática pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2009) e doutorado em Ciências Biológicas - Entomologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (2015). Desde 2015 é professora de Biologia e Ciências do Colégio de Aplicação (CEDUC/UFRR). Ainda, desde 2016 atua como professora do Curso de Pós-graduação Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Universidade Estadual de Roraima, orientando principalmente na linha de pesquisa "Espaços não formais e a Divulgação científica no Ensino de ciências". Possui artigos tanto na área de Educação Científica, como na área de Ecologia e Biodiversidade. Além dos trabalhos de pesquisa, também participa frequentemente de projetos de extensão voltados para educação e divulgação científica. 

Referências

ALVARENGA, G. M. Avaliação: o olhar dos alunos. In: ALVARENGA, G. M. (org). Avaliação: o saber na transformação do fazer. Londrina: Núcleo de Estudos e Pesquisas em Avaliação Educacional, Editora da UEL, 2002.

BRASIL, Lei de Diretrizes e Bases. Ministério da Educação e do Desporto: Secretaria da Educação Fundamental: Brasília, 1996.

BRASIL, Parâmetros Curriculares Nacionais. Ministério da Educação e do Desporto: Secretaria da Educação Fundamental: Brasília, 1997.

CABRAL, I. V.; PENA, R. C. A. A prática avaliativa empregada pelos docentes do Ensino Superior do curso de Licenciatura Plena em Letras do Instituto do Ensino Superior do Amapá- IESAP, 2010.

CID, M. & FIALHO, I. (2011). Critérios de avaliação. Da fundamentação à operacionalização. In I. Fialho & H. Salgueiro (Orgs). Turma Mais e sucesso escolar. Contributos teóricos e práticos, pp. 109-124. Évora: Centro de Investigação em Educação e Psicologia – Universidade de Évora [ISBM: 078-989-8339-10-2]

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GONÇALVES, Andreia. Os desafios da avaliação da aprendizagem nas series iniciais do fundamental, 2010. Disponível em: http://www.uel.br/ceca/pedagogia/pages/arquivos/ANDREIA%20GONCALVES.pdf. Acesso em 21. Março. 2018.

HADJI, Charles. Avaliação Desmistificada. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

HAYDT, Regina Célia Cazaux. Curso de Didática Geral. São Paulo: Ática 1994, p. 286-319.

HOFFMANN, J. Avaliação: mito e desafio: uma perspectiva construtivista. Porto Alegre: Mediação, 1995.

HOFFMANN, J. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2005.

KRASILCHIK, M. Práticas do ensino de biologia. São Paulo: EDUSP, 2004.

LUCKESI, C. C. Prática decente e avaliação. Rio de Janeiro: ABT, 1990.

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar. São Paulo: Cortez, 2002.

LUCKESI, C. C. O que é mesmo o ato de avaliar a aprendizagem? Pátio, Rio Grande do Sul, n.12, p. 6-11, fev/mar. 2018.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: componente do ato pedagógico. 1 ed. São Paulo: Cortez, 2011.

LUCKESI, Cipriano C. Avaliação da aprendizagem escolar. 13º ed. São Paulo: Cortez, 2002.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. São Paulo: Cortez 2002

LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: estudos e proposições. 7.ed.São Paulo: Cortez, 2003.

MATOS, M. S. P. B.; FARIA. T. L.; SANTOS, I. H.; OLIVEIRA, M. S.; HIGUCHI, P. C. F. Reflexão sobre avaliação escolar e seus instrumentos avaliativos. XI Congresso Nacional de Educação EDUCERE. 2013.

ROMÃO, J. E. Avaliação dialógica: desafios e persperctivas. 9 ed., São Paulo: Cortez, 2011.

ROSA, Nara Beatriz Kreling da Rosa. A interação professor-aluno: significações de alunos de quinta série do ensino fundamental sobre os signos não-verbais. Dissertação (Mestrado Linguagem e Processos de Aprendizagem). Programa de Pós-Graduação em Letras do Centro Universitário Ritter dos Reis. Porto Alegre, 2009.

SANT’ANNA, Ilza Martins. Por que avaliar? Como avaliar? Critérios e instrumentos. 7. ed. Vozes. Petrópolis 2001.

SANTOS, Monalize Rigon da; VARELA, Simone. A Avaliação como um Instrumento Diagnóstico da Construção do Conhecimento nas Séries Inicias do Ensino Fundamental. Revista Eletrônica de Educação. Ano I, No. 01, ago. / dez. 2007.

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliação: concepção dialética libertadora do processo de avaliação escolar. São Paulo: Libertad, 1995.

HOFFMANN, Jussara. Avaliação: Mito e Desafio. Uma perspectiva construtivista. Porto Alegre: Mediação 2003.

HOFFMANN, J. Avaliação mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. 7. Ed. Porto Alegre: Mediação, 1993.

VERGARA, Sylvia Constant. Projeto e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 1998.

ZANON, Denise Puglia. ALTHAUS, Maiza Margraf. Instrumentos de avaliação na prática pedagógica universitária. 2008. Disponível em: <https://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:ru03l1XkDZIJ:https://www1.ufrb.edu.br/nufordes/pedagogia-universitaria%3Fdownload%3D19:instrumentos-de-avaliao-na-prtica-pedaggica-universitria+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br>. Acesso em: 06 fev. 2016.

Publicado

2019-08-01

Como Citar

JUNIOR, A. A. de C.; FERST, E. M.; BOLDRINI, B. M. de P. O. OS INSTRUMENTOS AVALIATIVOS UTILIZADOS NA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL II EM DUAS ESCOLAS DIFERENTES DE BOA VISTA - RORAIMA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 7, n. 2, p. 146–163, 2019. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/8628. Acesso em: 25 fev. 2024.