SISTEMATIZAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS: CONCEITO E REFERÊNCIAS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i3.10788

Palavras-chave:

Investigação-Ação. Investigação-Formação-Ação. Formação continuada. Reflexão Crítica. Pesquisa-Ação.

Resumo

O artigo apresenta como temática processo de Sistematização de Experiências (SE) junto à formação de professores de Ciências. Objetivamos identificar as concepções acerca da sistematização em contexto brasileiro, para que possamos ampliar e aprofundar esse tema de forma a construir um conceito e processo possível e referenciado para ser trabalhado durante a formação de professores de Ciências. Para tanto, realizamos estudo do tipo estado do conhecimento, envolvendo a busca por referências teóricas internacionais e pesquisas brasileiras na perspectiva de um processo cíclico de Investigação-Ação. O corpus da pesquisa apresentou 14 trabalhos brasileiros, após o aprofundamento conceitual, concebemos a Sistematização de Experiências como um macroprocesso central ao desencadeamento da Investigação-Formação-Ação (IFA). Esta proposição reitera a importância do desenvolvimento da SE para a dimensão formativa da IFA, contribui para sua efetivação integral e se estabelece como modelo possível para a formação de professores de Ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniele Bremm, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS

Graduada em Ciência Biológicas- Licenciatura pela Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Cerro Largo, foi bolsista do Programa de Educação Tutorial (PETCiências SESu/ MEC/ FNDE), foi bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID), foi bolsista CNPq de Apoio Técnico a Pesquisa- nível 1A. Atualmente é Mestranda do Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências (PPGEC) da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), também, Bolsista Institucional da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Tem pesquisado sobre Ensino de Ciências, com ênfase nos Processos de Formação de Professores de Ciências e Biologia. É participante dos Ciclos Formativos em Ensino de Ciências e Matemática, projeto de extensão do Grupo de Estudos e Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática (GEPECIEM) - UFFS, Cerro Largo/RS.

Roque Ismael da Costa Güllich, Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS

Possui Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões - URI (1999), Aperfeiçoamento em Biologia Geral: CAPES -UNIJUÍ (1999), Especialização em Educação e Interpretação Ambiental UFLA (2000), Mestrado em Educação nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ (2003) e Doutorado em Educação nas Ciências - UNIJUÍ (2012). Atualmente é professor da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS, Campus de Cerro Largo-RS, na área de Prática de Ensino e Estágio Supervisionado de Ciências Biológicas. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na Formação de Professores de Ciências e Biologia, atuando na pesquisa, na extensão e na docência, principalmente nos seguintes temas: Ensino de Ciências e Biologia, Educar pela Pesquisa. Metodologia e Didática no Ensino de Ciências/Biologia. Prática de Ensino e Estágio Supervisionado de Ciências e Biologia. Coordenou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência - PIBID/CAPES, Subprojeto Ciências até 2014 e o Subprojeto Ciências Biológicas até 2016. Atualmente é tutor do PETCiências- Programa de Educação Tutorial sendo bolsista SESu-MEC/FNDE, Pesquisador líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Ensino de Ciências e Matemática - GEPECIEM e Editor geral da Revista Insignare Scientia - RIS. Professor e Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências - PPGEC - UFFS

Referências

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2010.

CARO, M. C. G. Reconstrucción narrativa de la experiencia educativa “diálogos pedagógicos”: Mujeres tejen memoria desde las voces de la experiência. Orientador: Andrea Ciacchi. 2019. Dissertação (Mestrado em Estudos Latino-Americanos), Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Foz do Iguaçu, 2019.

CARR, W.; KEMMIS, S. Teoria crítica de la enseñanza: investigación-acción en la formación del profesorado. Barcelona: Martinez Roca, 1988.

BREMM, D. O papel da Sistematização da Experiência na Formação de Professores de Ciências e Biologia. Orientador: Roque Ismael da Costa Güllich. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Ciências Biológicas-Licenciatura), Universidade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, 2019.

FALKEMBACH, E. M. F. Sistematização. Ijuí: Editora Unijuí, 1991.

FALKEMBACH, E. M. F. Sistematização... Juntando cacos, construindo vitrais. In: FALKEMBACH, E. M. F. O que é sistematização? Uma pergunta. Diversas respostas. Cadernos da Cut, São Paulo: CUT/SNF, 2000.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 40. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2005.

GARCIA, C. M. A formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: NÓVOA, A. Os professores e sua formação. 2. ed. Lisboa: Instituto Inovação Educacional, 1992.

GAUTHIER, C. et al. Por uma teoria da pedagogia: pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. 2. ed. Ijuí: Editora Unijuí, 2006.

GÜLLICH, R. I. da C. Investigação-Formação-Ação em Ciências: um caminho para reconstruir a relação entre livro didático, o professor e o ensino. Curitiba: Editora Prismas Ltda, 2013.

JARA, O, H. Para Sistematizar Experiências. 2. ed. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2006.

KIEREPKA, J. S. N. GÜLLICH, R. I. da C. O desencadeamento do diálogo formativo pelo compartilhamento de narrativas em um contexto colaborativo de formação de professores de Ciências e Biologia. REIEC, Buenos Aires, v. 12, n. 1, p. 55-67, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.24317/2358-0399.2019v10i3.10840. Acesso em: 03 jun. 2020.

LARROSA, J. B. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Trad. João Wanderley Geraldi. Revista Brasileira de Educação, n. 19, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf. Acesso em: 03 jun. 2020.

MARTINIC, S. El objeto de la sistematización y sus relaciones com a evaluation y la investigación. Santiago do Chile: Fundación Universitaria Luis Amigó- CEAAL, 1998.

MEIRELLES, M. C. Conhecimento e prática social: a contribuição da sistematização de experiências. Orientadora: Ana Maria Saul. 2007. Dissertação (Mestrado em Educação) Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: São Paulo, 2007.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C.. Análise Textual Discursiva. 2. ed. Ijuí- Ed. Unijuí, 2011, 224 p.

MORGAN, M. L. La sistematización: apuesta por la generación de conocimientos a partir de las experiências de promoción. In: Escuela para el Desarrollo . Materias Didácticos, n. 1, Lima, 1995.

NÓVOA, A. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, António. (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995.

PERSON, V.; BREMM, D.; GÜLLICH, R. A formação continuada de professores de ciências: elementos constitutivos do processo. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 10, n. 3, p. 141-147, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.24317/2358-0399.2019v10i3.10840. Acesso em: 03 jun. 2020.

PORLÁN, R.; MARTÍN, J. El diario del profesor: un recurso para investigación en el aula. Sevilla, Díada, 2001.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte”. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 6, n. 19, p. 37-50, set. 2006. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1891/189116275004.pdf. Acesso em: 03 jun. 2020.

SANTOS, K. CASTRO, A. M. Sistematizar experiências para pensar a prática na educação social. Revista Educação Popular, v. 13, n. 2, p. 36-48. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/26221. Acesso em: 03 Jun. 2020.

SOUZA, J. F. Sistematização. In: SOUZA, J. F. O que é sistematização? Uma pergunta. Diversas respostas. Cadernos da Cut, São Paulo: CUT/SNF, 2000.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002

ZABALZA, M. A. Diários de aula: um instrumento de pesquisa e desenvolvimento profissional. Porto Alegre: Artmed, 2004.

ZANON, L. B. Interações de licenciandos, formadores e professores na elaboração conceitual de prática docente: módulos triádicos na licenciatura de Química. Orientadora: Roseli Pacheco Schnetzler. 2003. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba, 2003.

ZEICHNER, K. M. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Revista Educação e Sociedade, v. 29, n.103, p. 535-554, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v29n103/12.pdf. Acesso em: 03 Jun. 2020.

Downloads

Publicado

2020-10-26

Como Citar

BREMM, D.; GÜLLICH, R. I. da C. SISTEMATIZAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS: CONCEITO E REFERÊNCIAS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS . REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 553-573, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i3.10788. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/10788. Acesso em: 25 nov. 2020.