CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA: CONCEPÇÕES DE FUTUROS PROFESSORES

Autores

DOI:

10.26571/REAMEC.a2018.v6.n2.p291-309.i6941

Palavras-chave:

Ensino de Matemática, Formação Inicial de Professores, Contextualização.

Resumo

O presente estudo é fruto de inquietações referentes à formação inicial do professor de Matemática frente a uma prática contextualizada. Objetivou-se investigar de que maneira futuros professores de Matemática, compreendem a contextualização no processo de Ensino de Matemática. A pesquisa, de abordagem qualitativa, teve como questões centrais a natureza das concepções dos futuros professores acerca da contextualização e o modo como eles poderão concretizar sua prática em uma perspectiva contextualizada. A análise dos dados revelou como os futuros professores concebem a contextualização no processo de ensino de matemática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jadson de Souza Conceição, Universidade Estadual de Santa Cruz

Mestre em Educação Matemática pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Licenciado em Matemática pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Atualmente é professor da Rede Estadual de Educação da Bahia (SEC-BA), Colégio Estadual Profa. Nilde Mª Monteiro Xavier; membro do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação Matemática e Contemporaneidade - EduMatCon (UNEB, Campus XIII) e Membro da Diretora da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Regional Bahia - SBEM-BA,triênio 2019-2021. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática, mais especificamente em Formação de Professores que ensinam Matemática, formação inicial e continuada; prática pedagógica e planejamento.

Gilson Bispo de Jesus, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal da Bahia - UFBA. Mestrado e Doutorado em Educação Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor Adjunto na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB, Centro de Formação de Professores - CFP. Professor colaborador do Programa de Mestrado em Educação Matemática. Atualmente,membro da diretora da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Regional Bahia, SBEM-BA e de 2017 a 2019. Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática, Geometria e Didática da Matemática.

Zulma Elizabete de Freitas Madruga, Universidade Estadual de Santa Cruz

Doutora em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com período de estágio doutoral realizado na Universidade de Salamanca (USAL), Espanha. Possui Mestrado em Educação em Ciências e Matemática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), Especialização em Educação Matemática pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Especialização em Educação - Ênfase em Gestão de Polos pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Licenciatura em Matemática pela Universidade da Região da Campanha (URCAMP) e Licenciatura em Pedagogia pelo Centro Universitário Internacional (UNINTER). Possui experiência na Educação Básica, Ensino Fundamental e Médio. Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) - Centro de Formação de Professores, Amargosa, Bahia. Também atua como docente permanente do Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática (PPGECM_UESC). É líder do Grupo de Pesquisa em Educação Matemática do Recôncavo da Bahia (GPEMAR), membro do Grupo de Pesquisa Educação Matemática e Diversidade Cultural (GPEMDiC) e faz parte dos Grupos de Trabalho sobre Currículo e Educação Matemática (GT3) e História da Matemática e Cultura (GT5) da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM). Linha de Investigação: Aprendizagem e Formação de Professores; Tendências da Educação Matemática, em especial Modelagem na Educação e Etnomatemática.

Referências

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. K. Investigação Qualitativa em Educação: uma introdução à Teoria e aos Métodos. Porto: Editora Porto, 1994.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Matemática, Bacharelado e Licenciatura. 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES13022.pdf>. Acesso em: 10 Fev. 2015.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio: RESOLUÇÃO CEB nº 3, de 26 de junho de 1998b. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rceb03_98.pdf>. Acesso em 12 Mar. 2015.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Médio. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias Brasília: MEC/SEB, 2000. Parte III. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/cp/v40n140/a1540140.pdf>. Acesso em: 15 Mar. 2015.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEB, 2006. v. 2. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf>. Acesso em: 15 Mar. 2015.

BRASIL. Secretaria do Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais – Matemática – 5ª a 8ª séries. Brasília: MEC/SEF, v. 3. 1998a. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf>. Acesso em: 10 Fev. 2015.

BRITO, A. J.; ALVES, F. T. O. Profissionalização e saberes docentes: análise de uma experiência em formação inicial de professores de matemática. In: NACARATO, A. M.;

PAIVA, M. A. V. (Orgs.). A formação do professor que ensina Matemática: perspectivas e pesquisas. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 27 – 42.

D’AMBROSIO, U. Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, jan/mar. 2005. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/ep/article/view/27965>. Acesso em: Mar. 2015.

FERNANDES, S. S. A contextualização no ensino de Matemática – um estudo com alunos e professores do ensino fundamental da rede particular de ensino do Distrito Federal. 2006. 16f. Trabalho Monográfico (graduação) – Universidade Católica de Brasília, Brasilia, 2006. Disponível em: <https://www.ucb.br/sites/100/103/TCC/22006/SusanadaSilvaFernandes.pdf>. Acesso em: 12 Mar. 2015.

FIORENTINI, D; CASTRO, F. C. Tornando-se professor de Matemática: o caso de Allan em prática de ensino e estágio supervisionado. In: FIORENTINI, D. (org). Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas: Mercado de Letras, 2003, p. 121-156.

FÜRKOTTER, M; MORELATTI, M. R. M. A articulação entre teoria e prática na formação inicial de professores de Matemática. Educação Matemática Pesquisa, v. 9, p. 319 – 334, 2007.

JARAMILLO, D. Processos metacognitivos na (re)constituição do ideário pedagógico de licenciandos em matemática. In: FIORENTINI, D. (org.). Formação de professores de matemática: explorando novos caminhos com outros olhares. Campinas: Mercado de Letras, 2003, p. 87-120.

MAIOLI, M. A contextualização na matemática do Ensino Médio. 2012. 210 p. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP, São Paulo, 2012.

MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva. 2ed. Ijuí: Editora Unijuí: 2013.

MOREIRA, P. C.; DAVID, M. M. M. S. A formação matemática do professor: licenciatura e prática docente escolar. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. (Coleção Tendências em Educação Matemática).

PIRES, C. M. C. Novos desafios para os cursos de licenciatura em matemática. Educação Matemática em Revista, São Paulo, n. 8, p. 10 – 15, 2000.

PIRES, C. M. C. Reflexões sobre os cursos de Licenciatura em Matemática, tomando como referência as orientações propostas nas Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica. Educação Matemática em Revista, São Paulo, n. 11a (abr.), p. 44 – 56, 2002.

RICARDO, E. C. Competências, interdisciplinaridade e contextualização: dos Parâmetros Curriculares Nacionais a uma compreensão para o ensino das ciências. 2005. 249 p. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2005.

ROSEIRA, N. A. Educação Matemática e valores: concepções dos professores à construção da autonomia. Brasília: Liber Livro, 2010.

SOUZA, N. F. Concepções de professores acerca da contextualização. 2011. 41f. Trabalho Monográfico (graduação) – Centro de Formação de Professores, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Amargosa, 2011.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 16 ed. Petrópolis – RJ: Vozes, 2014.

TOMAZ, V. S.; DAVID, M. M. M. S. Interdisciplinaridade e aprendizagem da Matemática em sala de aula. 3 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. (Coleção Tendências em Educação Matemática).

TUFANO, W. Contextualização. ln: FAZENDA, I. C. (Org.). Dicionário em Construção: Interdisciplinaridade. São Paulo: Cortez, 2001. P. 40 – 41.

Downloads

Publicado

2018-09-16

Como Citar

CONCEIÇÃO, J. de S.; JESUS, G. B. de; MADRUGA, Z. E. de F. CONTEXTUALIZAÇÃO NO ENSINO DE MATEMÁTICA: CONCEPÇÕES DE FUTUROS PROFESSORES. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 291-309, 2018. DOI: 10.26571/REAMEC.a2018.v6.n2.p291-309.i6941. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/6941. Acesso em: 13 maio. 2021.