ARTICULAÇÕES ENTRE A ETNOBOTÂNICA E OS CONHECIMENTOS DA DISCIPLINA CIÊNCIAS DA NATUREZA

Autores

DOI:

10.26571/2318-6674.a2017.v5.n2.p249-264.i5625

Palavras-chave:

Etnocategorias, Escola, Interdisciplinaridade, Várzea Grande, Mato Grosso.

Resumo

O presente trabalho visa ressaltar as articulações cognitivas entre as áreas das Ciências da Natureza e a Etnobotânica no cenário educacional do ensino de Ciências no Brasil. A proposta metodológica partiu do conhecimento dos alunos e se estendeu aos familiares, que manifestaram diferentes categorias de usos das plantas, oriundas do conhecimento e cultura, reforçando a proposta de trazer a diversidade cultural e ambiental para dentro do currículo escolar. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Margô de David, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutoranda da Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal - BIONORTE. Mestre em Ciências Florestais e Ambientais, na Linha de Pesquisa em Análise e Gestão Ambiental pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa ESCER - Estudando o Cerrado, com certificação nacional pelo CNPq/Capes. Consultora ad hoc de periódico nacional. Membro do Conselho Editorial do livro Múltiplos Olhares sobre a Biodiversidade IV. Membro do Conselho Editorial do livro Múltiplos Olhares sobre a Biodiversidade vol. V (e-book). Professora de Biologia na Educação Básica - Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso. Atua em pesquisas nas áreas de Etnobotânica e Etnociências, vertentes das Ciências Biológicas e das Ciências Ambientais.

Maria Corette Pasa, Universidade Federal de Mato Grosso

Pós-Doutorado em Etnobotânica e Etnofarmacobotânica na Cultura de Comunidades Afrodescendentes - Brasil / Europa / África. Doutora em Ciências - Ecologia e Recursos Naturais pela UFSCar - São Paulo. Mestrado em Ecologia e Conservação da Biodiversidade pela UFMT - MT. Professora da Classe Associado do Departamento de Botânica e Ecologia - Instituto de Biociências UFMT - Cuiabá. Consultora ad hoc de periódicos nacionais e internacionais. Editora-chefe dos Periódicos BIODIVERSIDADE e FLOVET - Flora, Vegetação e Etnobotânica - UFMT, CNPq/CAPES. Member of the Editorial Team Advances in Forestry Science. Membro de DGPs com certificação nacional e internacional IVR (Inteligência Vibracional Reversa) pela UFSC - Florianópolis, SC. Coordenadora da Linha de Pesquisa - Bases Etnofarmacobotânicas a partir do Etnoconhecimento em Plantas Medicinais pela UFMT/UFSC/INPA/UL. Credenciada nos PPG em Ciências Florestais e Ambientais na Linha de Pesquisa - Uso e Gestão dos Recursos Naturais - Mestrado e no PPGECM/REAMEC - Rede da Amazônia Legal Brasileira - Doutorado. Atua nas áreas de Etnobotânica, Etnoecologia e Etnofarmacobotânica. Membro da Sociedade Ítalo Latinoamericano em Etnomedicina, inclusive África e Ásia - SILAE

Referências

AMARAL, C. N.; GUARIM NETO, G. Os quintais como espaços de conservação e cultivo de alimentos: um estudo na cidade de Rosário Oeste (Mato Grosso, Brasil). Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Belém, v. 3, n. 3, p. 329-341, set.- dez. 2008.

AMOROZO, M. C. M. Os quintais – funções, importância e futuro. In: GUARIM NETO, G.; CARNIELLO, M. A. (Org.). Quintais mato-grossenses: espaço de conservação e reprodução de saberes. Cáceres, MT, UNEMAT, 2008. p. 15-26.

AMOROZO, M.C.M. A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: DI STASI, L. C. (Org.) Plantas medicinais: arte e ciência – um guia de estudo interdisciplinar. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, 1996. p. 47-68.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação para Jovens e Adultos: ensino fundamental: proposta curricular - 1º segmento/coordenação e texto final (de) Vera Maria Masagão Ribeiro. São Paulo: Ação Educativa, Brasília: MEC, 2001.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais. MEC/SEF, Brasília. 1998.

CARVALHO, L. M. M. de. Estudos de Etnobotânica e Botânica Económica no Alentejo. 2006. 566 f. Tese (Doutoramento em Biologia - Sistemática e Morfologia) - Universidade de Coimbra, Coimbra-Portugal.

DE DAVID, M.; PASA, M.C. As plantas medicinais e a etnobotânica em Várzea Grande, MT, Brasil. Interações. Campo Grande, v. 16, n. 1, p. 13-25, jan./jun. 2015.

FLORENTINO, A. Fundamentos da educação 1. v.1, Rio de Janeiro: Fundação Cecierj, 2004. 153p.

FRIEDMAN, J.; YANIV, Z.; DAFNI, A. & PALEWITCH, D. A. A preliminary classification or the healing potential of medicinal plants based on a rational analysis of an etnopharmacological field survey among Beduins in the Negev desert, Israel. Journal of Ethnopharmacology, 16, 275-287, 1986

GOGOLPHIM, N. A fotografia como recurso narrativo: Problemas sobre a apropriação da imagem enquanto mensagem antropológica. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 1, 2:161-185. 1995.

GUARIM NETO, G.; CARNIELLO, M.A. Quintais Mato-grossenses: espaço de conservação e reprodução de saberes. Cáceres: UNEMAT, 2008. 203 p.

LUDKE, M. & ANDRÉ, M. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. EPU: São Paulo.

MORTIMER, E. F. Construtivismo, mudança conceitual e ensino de ciências: Para onde vamos? Investigações em ensino de ciências, v.1, n.1, p.20-39, 1996.

OLIVEIRA, W. A.; PASA, M. C. Os quintais na comunidade de Santo Antônio do Caramujo: etnobotânica e saber local. In: PASA, M. C. Múltiplos olhares sobre a biodiversidade II. Jundiaí, Paco Editorial, 2013. p.47-74.

PASA, M.C. Saber local e medicina popular: a etnobotânica em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Boletim Museu Paraense Emílio Goeldi Ciencias Humanas. Belém, v.6, n.1, p.179-196, jan-abr. 2011.

PASA, M.C. Um olhar etnobotânico sobre as comunidades do Bambá, Cuiabá, MT. Ed. Entrelinhas, Cuiabá, MT. 176 p. 2007.

PASA, M.C.; ÁVILA, G. Ribeirinhos e recursos vegetais: a etnobotânica em Rondonópolis, Mato Grosso, Brasil. Interações. Campo Grande, v.11, n.2, p.195-204, jul-dez. 2010.

RODRIGUEZ, C.A.; KOLLING, M.G.; MESQUITA, P. Educação em saúde: um binômio que merece ser resgatado. Revista Brasileira de Educação Médica. 31 (1): 3–4 - 2007.

VENDRUSCOLO, G. S.; MENTZ, L. A. Uso de plantas medicinais por uma comunidade rural de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. In: SILVA, V.A.; ALMEIDA, A.L.S.; ALBUQUERQUE, U.P. (Org.). Etnobiologia e Etnoecologia: pessoas & natureza na América Latina. 1ª Ed. Recife: NUPEEA, 2010. (Série Atualidades em Etnobiologia e Etnoecologia). p. 211-227.

VIERTLER, R. B. Métodos Antropológicos como ferramentas para estudo em Etnobiologia e Etnoecologia. In: AMOROZO, M. C. M.; MING, L. C.; SILVA, S. M. P. (Orgs). Métodos de coleta e análise de dados em etnobiologia, etnoecologia e disciplinas correlatas. Rio Claro, UNESP/CNPq. 2002. p. 11-29.

Publicado

2017-12-01

Como Citar

DAVID, M. de; PASA, M. C. ARTICULAÇÕES ENTRE A ETNOBOTÂNICA E OS CONHECIMENTOS DA DISCIPLINA CIÊNCIAS DA NATUREZA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 5, n. 2, p. 249-264, 2017. DOI: 10.26571/2318-6674.a2017.v5.n2.p249-264.i5625. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/5625. Acesso em: 14 ago. 2022.