ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA DE MENINAS EM PRIVAÇÃO DE LIBERDADE: REFLEXÕES E PERSPECTIVAS DE INTERVENÇÃO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.14810

Palavras-chave:

Espaços socioeducativos, Educação científica, Formação cidadã, Vida em sociedade

Resumo

O objetivo deste estudo foi refletir sobre as possíveis conjecturas e perspectivas para o processo de Alfabetização Científica de meninas em situação de privação de liberdade em um Centro Socioeducativo da cidade de Manaus-AM, a partir do nível de Alfabetização Científica apresentado por esse público. A pesquisa possui abordagem qualitativa. Foi utilizado um questionário para coleta de dados e a análise de conteúdo e triangulação de dados para interpretação e análise dos resultados. Foi verificado que apenas uma, dentre as cinco participantes, apresenta índices correspondentes aos necessários para ser considerada alfabetizada cientificamente. Destaca-se, também, que os eixos 2 (Natureza da Ciência) e 3 (Impactos da Ciência) são aqueles que apresentam maiores carências em relação à Alfabetização Científica das participantes. Com isso, o instrumento se mostra como uma importante ferramenta para orientação docente no processo de ensino e aprendizagem, auxiliando-o na escolha por novas ferramentas didático-pedagógicas e na conscientização de que a Ciência faz parte da formação humana e, sendo essencial para a formação cidadã dos indivíduos, especialmente no caso daqueles privados de liberdade, auxiliando-os, assim, no processo de ressocialização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Miceia de Paula Rodrigues, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil

Possui graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Internacional (2018) e graduação em Ciências Biológicas pelo Centro Universitário Luterano de Manaus/Universidade Luterana do Brasil (2010). Atualmente é Professor EAD do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas e Pedagoga do Sistema Socioeducativo da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental. Tem experiência em Gerenciamento de Projetos Educacionais, atuando principalmente nos seguintes temas: Ressocialização, Educação Científica e Tecnológica, Espaços Não Formais de Ensino, Formação de Professores na Educação Básica de Ensino Público.

Natanael Charles da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil

Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Faculdade de Educação Ciências e Letras do Sertão Central (FECLESC/ UECE). Pós-graduação em Biologia Vegetal (UCAM). Mestre em Ensino de Biologia (Profbio) pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Doutorando em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Atuou como professor de biologia da Educação Básica pelas escolas: E.E.M. Euclides Pinheiro de Andrade - CE; Centro de Ensino Professor Aquiles Batista Vieira - Cidade de Alcântara - MA; Escola de Ensino Integral Joana Batista Sousa Silva na cidade de São Luís - MA. Atualmente é Professor EBTT pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará - (IFPA) Campus Abaetetuba, responsável pelas disciplinas Biossegurança e Zoologia dos invertebrados (I e II) no curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.

Magnólia Fernandes Florêncio de Araújo, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, Rio Grande do Norte, Brasil

Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2021). Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1987, licenciatura; 1988 bacharelado), Especialização em Microbiologia (1995, UFRN), Mestrado em Bioecologia Aquática pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (1997) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (2004). Desenvolveu pós doutoramento na Universidade de Coimbra (2012-2013). É professora associado IV da Universidade Federal do Rio Grande do Norte atuando no ensino presencial e a distância. Tem experiência na área de Microbiologia ambiental, com ênfase em Ecologia de Microrganismos aquáticos, principalmente em ecossistemas aquáticos do semi-árido norteriograndense. Em uma segunda linha de trabalho e orientação de alunos de pós-graduação, desenvolve pesquisas sobre o Ensino de Biologia, notadamente sobre as dificuldades de aprendizagem e concepções alternativas de professores e alunos do ensino básico em conteúdos biológicos e sustentabilidade. Desenvolve trabalhos de divulgação científica e educação para a sustentabilidade.

Referências

AMARAL, L. Z.; ROSA, C. T. W. da; LOCATELLI, A. Educação em ciências/química e alfabetização científica na perspectiva da formação cidadã: características e tendências das pesquisas nacionais. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 7, n. 3, p. 297-324, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v7i3.9146

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016

BARRETO, R. O.; CARRIERI, A. P.; ROMAGNOLI, R. C. O rizoma deleuze-guattariano nas pesquisas em estudos organizacionais. Cadernos EBAPE, v. 18, n. 1, p. 47-60, 2019.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do adolescente e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 1990.

BYBEE, R. W. Achieving Scientific Literacy. The Science Teacher, v. 62, n. 7, p. 28-33, 1995.

CALDAS, E. C. R. Significados das práticas educativas no Centro Socioeducativo de Internação Feminina de Manaus/AM: a perspectiva das meninas. 2022. 214 f. Tese (doutorado) – Universidade Federal de São Carlos, Faculdade de Educação, 2022. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/16090/Tese%20de%20Edla%20Cristina%20Rodrigues%20Caldas_PPGE_UFSCar_final.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 10 jun. 2022.

CARVALHO, F. B.; BELTRÃO, G. G. B.; FEIO, J. da S.; TERÁN, A. F. Possibilidades de alfabetização científica no bosque da ciência, Manaus, AM, Brasil. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 6, n. 2, p. 342-356, 2018. https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2018.v6.n2.p342-356.i7042

CHASSOT, A. Alfabetização científica: questões e desafios para a Educação. Ijuí: Ed. Unijuí, 2000.

CHASSOT, A. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, p. 89-100, 2003.

CAVALCANTE, E. C. B. Cinema na cela de aula: o uso de filmes no ensino de Biologia para a EJA prisional. Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências. Mestrado Profissional em Ensino de Ciências. Universidade de Brasília, 153 p. Brasília-DF, 2011.

ESPÍRITO SANTO, M. E. S. F.; BALBINO, F. R. B.; BISPO, M. P.; HEIDELMANN, S. P.; PINHO, G. L. A. Escolarização e Socioeducação: uma análise a partir da alfabetização científica em uma unidade de semiliberdade em duque de Caxias-Rio de Janeiro. Experiências em Ensino de Ciências, v. 16, n. 2, p. 245-258, 2021. Disponível em: https://fisica.ufmt.br/eenciojs/index.php/eenci/article/view/923. Acesso em: 24 maio 2023.

FABRICIO, L.; LORENZETTI, L.; MARTINS, A. A. Contribuições de uma sequência didática para a promoção da alfabetização científica nos anos iniciais. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 8, n. 3, p. 296-312, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10239

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. 3.ed. Porto Alegre: Bookman, 2013.

FORATO, T. C. M.; PIETROCOLA, M.; MARTINS, R. A. Historiografia e natureza da ciência na sala de aula. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 28, n. 1, p. 27-59, 2011. https://doi.org/10.5007/2175-7941.2011v28n1p27

FREIRE, P. A. Educação como prática da liberdade. 1ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1980.

FREIRE, P. Educação “bancária” e educação libertadora. Introdução à psicologia escolar, v. 3, p. 61-78, 1997.

GERHARDT, T. E.; SILVEIRA, D. T. Métodos de Pesquisa. Coordenado pela Universidade Aberta do Brasil. UAB/UFRGS e SEAD/UFRGS. 1ª ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

LAUGKSCH, R. C. Scientific literacy: a conceptual overview. Science Education, London, v. 84, n. 1, p. 71-94, 2000.

MALAFAIA, G.; BÁRBARA, V.; RODRIGUES, A. Análise das concepções e opiniões de discentes sobre o ensino da biologia. Revista Eletrônica de Educação, v. 4, n. 2, p. 18, 2010. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/viewFile/94/88. Acesso em: 23 nov. 2022.

MARQUES, R.; XAVIER, C. R. Análise da alfabetização científica de estudantes numa sequência didática de educação ambiental no ensino de ciências. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 4, p. 2595-2612, 2019.

MELLO, F. M.; SANTOS, L. M. Reflexões sobre a educação escolar no sistema prisional, Sistema de Bibliotecas da UESB: Banco de artigos, p. 1, 2017. Disponível em: http://www2.uesb.br/biblioteca/?page_id=14. Acesso em: 22 jul. 2018.

MILLER, J. Scientific literacy: A conceptual and empirical review. Daedalus: Journal of the American Academy of Arts and Sciences, v. 112, n. 12, p. 29-48, 1983.

MILLER, J. Scientific literacy for effective citizenship. In: YAGER, Robert E. Ed. Science/ technology/society as reform in science education. New York: State University of New York Press, 1996.

MUNIZ, M. S. F. A educação do adolescente infrator no município de Petrópolis. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós Graduação em Educação) Universidade Católica de Petrópolis. Petrópolis, RJ. 2006.

NASCIMENTO-SCHULZE, C. M. Um estudo sobre Alfabetização Científica com jovens catarinenses. Psicologia: teoria e prática, v. 8, n. 1, p. 95-117, 2006. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=193818626006. Acesso em: 25 maio 2023.

OLIVEIRA, Will F. A.; SILVA-FORSBERG, M. C. Níveis de Alfabetização Científica de estudantes da última série do Ensino Fundamental. In: Anais do VIII Encontro nacional de pesquisa em educação em ciências (ENPEC), Campinas, Abrapec, p. 1-11, 2011.

PRAIA, J.; GIL-PÉREZ, D.; VILCHES, A. O papel da natureza da ciência na educação para a cidadania. Ciência & Educação (Bauru), v. 13, p. 141-156, 2007. https://doi.org/10.1590/S1516-73132007000200001

PESSANO, E. C.; MULLER, I. G.; QUEROL, M. M.; FOLMER, V.; PUNTEL, R. Concepções de Ciência de educadores e estudantes, e identificação das estratégias do ensino de Ciências em uma escola localizada no interior da Fundação de Atendimento Socioeducativo em Uruguaiana-RS. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 58-80, 2014. http://dx.doi.org/10.14244/19827199651

RIVAS, M. I. E.; MOÇO, M. C. C.; JUNQUEIRA, H. Avaliação do nível de alfabetização científica de estudantes de biologia. Revista acadêmica licencia & acturas, n. 2, v. 5, p. 58-65, 2017.

SASSERON, L. H.; CARVALHO, A. M. P. Alfabetização Científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em Ensino de Ciências, v. 16, n. 1, p. 59–77, 2011. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/844768/mod_resource/content/1/SASSERON_CARVALHO_AC_uma_revis%C3%A3o_bibliogr%C3%A1fica.pdf. Acesso em: 24 maio 2023.

SASSERON, L. H.; MACHADO, V. F. Alfabetização Científica na prática: inovando a forma de ensinar física. 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2017.

SAVICZKI, M. L. F.; DIAMINI, J. M.; DE SÁ, C. C.; LARGA, F. V. C.; DE MORAES, F. M.; RIGOTTI, V. L. D. Alfabetização científica: germinando olhares. Revista Multidisciplinar de Educação e Meio Ambiente, v. 1, n. 2, p. 14-14, 2020. Disponível em: file:///C:/Users/dails/Dropbox/My%20PC%20(DESKTOP-CMNIBVH)/Downloads/348-Texto%20do%20Artigo-389-1-10-20210211.pdf. Acesso em: 24 maio 2023.

SHEN, B. S. P. Science literacy. American Scientist, v. 63, p. 265-268, 1975.

SILVA, V. R.; LORENZETTI, L. A alfabetização científica nos anos iniciais: os indicadores evidenciados por meio de uma sequência didática. Educação e Pesquisa, v. 46, 2020. https://doi.org/10.1590/S1678-4634202046222995

VILAS BOAS, T. de J. R.; KALHIL, J. B.; COELHO FILHO, M. de S.; COSTA, R. D. da S. O estado da arte de metodologias da produção científica sobre a formação do professor do ensino de ciências com enfoque CTS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 6, n. 1, p. 65-86, 2018. https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2018.v6.n1.p65-86.i5958

VIZZOTTO, P. A.; MACKEDANZ, L. F. Teste de Alfabetização Científica Básica: processo de redução e validação do instrumento na língua portuguesa. Revista Prática Docente, v. 3, n. 2, p. 575-594, 2018.

VIZZOTTO, P. A.; PINO, J. C. D. O uso do teste de alfabetização científica básica no Brasil: uma revisão da literatura. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 22, 2020. https://doi.org/10.1590/1983-21172020210116

Downloads

Publicado

2023-06-01

Como Citar

RODRIGUES, M. de P. .; SILVA, N. C. da; ARAÚJO, M. F. F. de . ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA DE MENINAS EM PRIVAÇÃO DE LIBERDADE: REFLEXÕES E PERSPECTIVAS DE INTERVENÇÃO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23029, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.14810. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/14810. Acesso em: 19 maio. 2024.