UMA ANÁLISE DAS PERCEPÇÕES DOS ACADÊMICOS SOBRE A AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NOS CURSOS PRESENCIAIS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DE RONDÔNIA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.14675

Palavras-chave:

Licenciatura em Matemática., Componentes curriculares específicos., Componentes curriculares didáticos-pedagógicos., Avaliação do processo de ensino-aprendizagem.

Resumo

O presente estudo decorre de uma pesquisa de Mestrado em Educação Matemática do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática (PPGEM) da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Campus de Ji-Paraná. Neste recorte, objetivou-se evidenciar as percepções dos acadêmicos sobre como ocorre a avaliação do ensino-aprendizagem nos cursos presenciais de Licenciatura em Matemática de IES públicas de Rondônia. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa e de modalidade de campo, realizada com quatro cursos de Licenciatura em Matemática, sendo dois ofertados pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), nos campi de Ji-Paraná e Porto Velho, e dois ofertados pelo Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO), nos campi de Cacoal e Vilhena. Participaram da pesquisa 14 acadêmicos dos referidos cursos. Para a produção de dados, foi utilizado entrevista semiestruturada. Dentre os resultados, foi possível verificar que os acadêmicos pontuaram diferenças na avaliação realizada nos componentes curriculares didáticos-pedagógicos e específicos, evidenciando indícios de que nos componentes específicos predominou uma avaliação pontual e classificatória, sendo privilegiada a prova com um dos instrumentos avaliativos. No que tange aos componentes didático-pedagógicos, os acadêmicos mencionaram que houve uma diversidade de instrumentos e técnicas utilizadas pelos professores dos referidos componentes no processo de avaliação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcelo Orlando Sales Pessim, Professor na Fundação Bradesco, Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.

Graduado em Licenciatura em Matemática na Universidade Federal de Rondônia. Pós-graduado em Didática e Metodologia do ensino superior. Pós-graduado em Educação Matemática pela Universidade Federal de Rondônia. Participou do seguinte grupo de pesquisa: Grupo de Pesquisa Laboratório de Ensino de Ciências (EDUCIENCIA) na linha de pesquisa: Políticas educacionais e formação inicial e continuada de professores. da Universidade Federal de Rondônia, coordenado pela profa Dra Elizabeth Leonel Martinês, no período de 2014 a 2016. Mestre em Educação Matemática do Programa de Pós Graduação Stricto Sensu em Educação Matemática - PPGEM da Universidade Federal de Rondônia. Professor de Matemática na instituição Fundação Bradesco Cuiabá/MT.

Eliana Alves Pereira Leite, Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Ji-Paraná, Rondônia, Brasil.

Possui Graduação em Matemática pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Mestrado em Educação, na linha de pesquisa Educação em Ciências e Matemática, pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Doutorado em Educação, na linha de pesquisa Educação em Ciências e Matemática, no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). É coordenadora do Grupo Rondoniense de Estudos e Pesquisas em Formação de Professores/as que Ensinam Matemática (GFOPEM/UNIR - Ji-Paraná) e participa dos seguintes grupos de pesquisa: Grupo Rondoniense de Estudos e Pesquisas em Educação Matemática (GROEPEM) da UNIR/Ji-Paraná; Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Matemática (GRUEPEM) da UFMT. Atualmente é Professora do Departamento Acadêmico de Matemática e Estatística (DAME), bem como do Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática (PPGEM) da UNIR - Campus de Ji-Paraná. Temáticas de interesse de pesquisa: Formação inicial e continuada de professores que ensinam matemática (Pedagogo e Professor de Matemática), professores iniciantes e experientes que ensinam matemática, formação de formadores dos cursos de Pedagogia e Licenciatura em Matemática, conhecimentos docentes, metacognição/estratégias metacognitivas, resolução de problemas e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Referências

ÁLVAREZ MÉNDEZ, J. M. Avaliar para conhecer, examinar para excluir. Porto Alegre: Artmed, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Parecer CNE/CP n. 22, de 7 de novembro de 2019. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília-DF: MEC, 2019.

BURKERT, R. S. Professores que somos, educadores que queremos ser: reflexões sobre o processo de formação inicial do professor de Matemática. 2012. 74f. Dissertação (Mestrado em Educação e Ciências) - Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da vida e saúde, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande, RS, 2012.

BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto, 1994.

FIORENTINI, D; NACARATO, A. M.; FERREIRA, A. C.; LOPES, C. S.; FREITAS, M. T. M.; MISKULIN, R. G. S. Formação de professores que ensinam Matemática: um balanço de 25 anos da pesquisa brasileira. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 36, p.137-160, dez. 2002. Disponível em: http://www.repositorio.ufop.br/handle/123456789/1098 . Acessado em: 19 jan. 2022.

FIORENTINI, D. A formação Matemática e didático-pedagógica nas disciplinas da Licenciatura em Matemática. Revista de Educação da Pontifícia Universidade Católica, Campinas, n. 18, p. 107-115, jun. 2005. Disponível em: http://periodicos.puc-campinas.edu.br/seer/index.php/reveducacao/article/view/266. Acesso em: 21 abr. 2021.

FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2012.

FISCHER, M. C. B. Os formadores de professores de Matemática e suas práticas avaliativas. In: VALENTE, Wagner Rodrigues (org.). Avaliação em Matemática: história e perspectivas atuais. Campinas: Papirus, 2012.

FÜRKOTTER, M; MORELATTI, M. R. M. A articulação entre teoria e prática na formação inicial de professores de Matemática. Educação Matemática Pesquisa, São Paulo, v. 9, n. 2, p. 319-334, 2007. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/emp/article/view/906. Acessado em: 19 jan. 2022.

HAYDT, R. C. C. Curso de didática geral. São Paulo: Ática, 2011.

HOFFMANN, J. Pontos & contrapontos: do pensar ao agir em avaliação. 9. ed. Porto Alegre: Mediação, 2005.

GAMA, R. P. Desenvolvimento profissional com apoio de grupos colaborativos: o caso de professores de Matemática em início de carreira. 2007. 239f. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2007.

LEITE, E. A. P. Formação Inicial e Base de conhecimento para o Ensino de Matemática na Perspectiva de Professores Iniciantes da Educação Básica. 2016. 269f. (Doutorado em Educação, Ciências e Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Educação, na Linha de Educação em Ciências e Matemática, Universidade Federal de São Carlos, São Paulo, 2016.

MARCELO GARCIA, C. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

MAYER, E. Licenciatura em Matemática da UFSC: sobre a questão da integração entre as disciplinas específicas e pedagógicas e sua concretização pelos docentes. 127f. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) - Faculdade de Física, Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS, 2009.

NACARATO, A. M; PASSOS, C. L. B. As licenciaturas em Matemática no estado de São Paulo. Horizontes, Bragança Paulista, v. 25, n. 2, p. 169-179, 2007. Disponível em: https://www.usf.edu.br/publicacoes/edicoes-exibir/75268951/horizontes+volume+25+numero+02+2007.htm. Acesso em: 19 jan. 2022.

PERIN, A. P. Dificuldades vivenciadas por professores de Matemática em início de carreira. 133f. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Ciências Humanas, Universidade Metodista de Piracicaba, Piracicaba/SP, 2009.

PESSIM, M. O. S; LEITE, E. A. P. Um estudo de teses e dissertações que abordam a avaliação da aprendizagem na formação inicial de professores de matemática (2007-2019). In: LEITE, K. G (Org.). Formação de professores que ensinam matemática: aspectos teóricos, práticos e histórico. Porto Velho: EDUFRO, 2021. (Coleção Pós-Graduação da UNIR).

PINHEIRO, N. V. Avaliação na licenciatura em Matemática sob a ótica dos discentes: implicações para a aprendizagem e para a formação como docente. 2019. 194f. Dissertação (Mestrado em Educação). - Programa de Pós-Graduação em Educação - Conhecimento e Inclusão Social, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2019.

ROMÃO, J. E. Avaliação Dialógica: desafios e perspectivas. São Paulo: Cortez, 2008.

SBEM. Sociedade Brasileira de Educação Matemática. Subsídios para a discussão de propostas para os cursos de Licenciatura em Matemática: uma contribuição da Sociedade Brasileira de Educação Matemática. São Paulo: SBEM, 2003.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

PESSIM, M. O. S. .; LEITE, E. A. P. . UMA ANÁLISE DAS PERCEPÇÕES DOS ACADÊMICOS SOBRE A AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NOS CURSOS PRESENCIAIS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DE RONDÔNIA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23031, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.14675. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/14675. Acesso em: 21 jun. 2024.