AS CONTRIBUIÇÕES DAS DISCUSSÕES SOBRE A CIÊNCIA FRENTE À IDEIA DE PESQUISA COMO ENSINO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i1.9533

Palavras-chave:

Espirito Científico, Obstáculos Epistemológicos, Professor Pesquisador.

Resumo

O ato de pesquisar é algo delicado que exige atenção, metodologia adequada e comprometimento científico, sobretudo, quando ocorre no exercício da docência. Assim sendo, o presente artigo objetiva “discutir as contribuições das discussões sobre a ciência em Gaston Bachelard para compreender os caminhos do docente frente à ideia de pesquisa como ensino e a figura do professor pesquisador, buscando compreender os caminhos do docente diante da pesquisa, no ato de ensinar. O manuscrito  tratado na análise é de cunho qualitativo e bibliográfico, tendo como base Gaston Bachelard (1996; 1978), com o enfoque na construção do espírito científico e superação dos obstáculos “epistemológicos”. Valemo-nos também de Lima e Kalhil (2016), Santos et al (2016), Dominguini e Silva (2010), Barcellos e Santos (2010), que em seus escritos se lançam nas ideias de Bachelard. Igualmente, caminhamos junto a Pedro Demo (2004; 2010; 2011) os quais contribuem com a base teórica a respeito da ação docente e pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Mateus de Souza Duarte, Universidade do Estado do Amazonas

Mestre em Educação em Ciências na Amazônia- PPGEEC- UEA, ano de 2019. Foi Bolsista da Fundação da Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas - FAPEAM, 2017/2019. Foi Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior- CAPES, 2012/2016. Atualmente é professor voluntário na Universidade do Estado do Amazonas-UEA. Participa do Grupo de Estudo e Pesquisa de Educação em Ciências em Espaços Não Formais (GEPENCEF). Tem experiência em pesquisa na Educação, nas áreas do Ensino de Ciências, Espaços Não-Formais, Divulgação Científica, Alfabetização Ecológica, Educação e Percepção Ambiental, Escolas e Comunidades Ribeirinhas, Saberes Tradicionais, Percepção e Criança, Saberes Docentes. Graduado em Licenciatura em Pedagogia pela Universidade do Estado do Amazonas- UEA, 2016. Especialista em Gestão Escolar e Coordenação Pedagógica pela Faculdade de Ciências de Wenceslau Braz-FACIBRA, 2016

Francisca Keila de Freitas Amoedo, Universidade do Estado do Amazonas

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática. Mestre em Educação e Ensino de Ciências da Amazônia- PPGEEC/UEA. Possui graduação em Pedagogia - UNIALSSELVE (2010) e graduação em Normal Superior pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA (2005). Pós-graduação em: Psicopedagogia, Ed. Inclusiva e LIBRAS. Atualmente é professora efetiva da Universidade do Estado do Amazonas-UEA.

Referências

ALMEIDA. M. C. Complexidade, saberes científicos, saberes da tradição. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2010.

BACHELARD, G. A complexidade essencial da filosofia científica. O Novo Espírito Científico. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Os pensadores).

BACHELARD, G. Formação do espírito científico: contribuição para uma Psicanálise do conhecimento. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

BARCELLOS, A. C. K. SANTOS, A. In: 8ª Mostra Acadêmica. Desafios da Educação Superior no Novo Milênio. Piracicaba: UMIMEP, v. 516. p. 1-4, 2010. Disponível em: http://unimep.edu.br/noticias/8a-mostra-academica-473-trabalhos-sao-apresentados. Acesso em 20/12/2019.

BARROSO, M. A. SANTOS PINTO, T. J. Bachelard: a aprendizagem científica como ruptura. Educação Em Perspectiva, v. 8, n. 2, p. 232-249, maio/ago. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.22294/eduper/ppge/ufv.v8i2.855. Acesso em 20/11/2019.

BARROS, A. J. P; LEHFELD, N. A. S. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. 21°. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

CARVALHO, A. M. P. Pesquisas em Sala de Aula: Um Importante Fator na Formação do Professor. In: Revista Perspectiva 17, 1992, p. 47-57. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/9148/10690. Acesso em 20/12/2019.

CHASSOT, A. A Ciência é masculina? Sim senhora. 3ª ed. São Leopoldo: Editora UNISINOS. 2007.

DEMO, P. Introdução à metodologia da ciência. -2. ed. --São Paulo: Atlas, 1985. UNISINOS. 2007.

DEMO. P. Professor do futuro e reconstrução do conhecimento. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

DEMO. P. Educação e alfabetização científica. SP: Papirus, 2010.

DEMO. P. Educar pela pesquisa. -9. ed. Revista-Campinas, SP, 2011.

DOMINGUINI, L. SILVA, I. B. Obstáculos a Construção do Espírito Científico: Reflexões Sobre o Livro Didático. In: V CINFE. Congresso Internacional de Filosofia e Educação. Caxias do Sul – Rio Grande do Sul, 2010. Disponível em: https://www.ucs.br/ucs/tplcinfe/eventos/cinfe/artigos/artigos/arquivos/eixo_tematico10/OBSTACULOS%20A%20CONSTRUCAO%20DO%20ESPIRITO%20CIENTIFICO.pdf. Acesso em 10/11/2019.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo, Paz e Terra, 2011.

FAGUNDES, T. B. Os conceitos de professor pesquisador e professor reflexivo: perspectivas do trabalho docente. In: Revista Brasileira de Educação, v. 21 n. 65 abr.-jun. p. 281-298, 2016. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-24782016216516. Acesso em 20/12/2019.

GOLOMBEK, D. A. Aprender e ensinar Ciências: do laboratório à sala de aula e vice-versa. -2 ed. São Paulo: Sangari do Brasil: Fundação Santillana, 2009.

JAPIASSU, H. F. Introdução ao pensamento epistemológico. Rio de Janeiro, F. Alves, 1992.

LIMA, A. C. S.; KALHIL, J. B. A Epistemologia de Gaston Bachelard e a Formação de Conceitos Científicos no Ensino de Ciências. In: Simpósio de Educação em Ciências na Amazônia. Manaus, 2016. Anais 6º SECAM. Manaus, 2016.

LOPES, A. R. C. Conhecimento escolar: ciência e cotidiano– Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 1999.

NÓVOA. A. Professores: Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

SANTOS, E. C. A.; GADELHA, L.; AGUIAR, J. V. S.; COSTA, M. G. Considerações sobre a construção do Espírito Científico a partir da Formação Continuada de Professores. In: – Simpósio de Educação em Ciências na Amazônia, Manaus, 2016. Anais 6º SECAM. Manaus, 2016.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as Ciências. -7 ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GENGNAGEL, C. L; PASINATO, D. Professor pesquisador: perspectivas e desafios. In: Revista Educação por Escrito – PUCRS, v.3, n.1, jul. 2012, p. 53-61. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/11208/8146. Acesso em 19/12/2019.

PIMENTA, S. G. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, S. G. (Org). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez Editora, 1999.

PRIGOGINE, I. Carta às futuras gerações. In: Almeida, M. C; CARVALHO, E. A. (Org). Razão e paixão Ciência, Belém: EDUEPA, 2001.

Downloads

Publicado

2020-03-05

Como Citar

DUARTE, M. de S.; AMOEDO, F. K. de F. AS CONTRIBUIÇÕES DAS DISCUSSÕES SOBRE A CIÊNCIA FRENTE À IDEIA DE PESQUISA COMO ENSINO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 268-285, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i1.9533. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/9533. Acesso em: 25 set. 2021.