GAMIFICAÇÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): ENSINO DE QUÍMICA ATRAVÉS DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE NECROCHORUME

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.16844

Palavras-chave:

Sequência Didática, Necrochorume, Química, Ensino, Gamificação

Resumo

Os estudantes que frequentam a Educação de Jovens e Adultos (EJA) encontram obstáculos ao retornarem à sala de aula, seja pela dificuldade de conciliar a carga horária de trabalho com compromissos escolares, ou pelo desafio que representa a assimilação de novos conceitos após um período longo de afastamento do ambiente escolar. Diante dessas adversidades, é essencial repensar e adaptar práticas educacionais, para torná-las atrativas e desafiadoras. Nesse contexto, optou-se pela incorporação de elementos de gamificação, em sequências didáticas, para estimular o interesse dos estudantes, especialmente no conteúdo de química, e avaliar sua influência na predileção dos estudantes e que, consequentemente, pode contribuir para melhoria da aprendizagem. Assim, esta pesquisa foi realizada em uma escola pública na região mesometropolitana de Porto Alegre, no estado do Rio Grande do Sul, durante quatro encontros, que aconteceram entre maio e junho de 2022. Introduziu-se uma sequência didática focada no tema do necrochorume, abordado por meio de uma atividade gamificada, embasada na metodologia aprendizagem baseada em problemas. Os comentários espontâneos dos participantes, coletados durante as sessões, refletiram uma mudança positiva na percepção e no engajamento com o conteúdo. Essas descobertas sublinham a importância de revisitar e inovar as metodologias didáticas na EJA, demonstrando que atividades bem estruturadas, quando corretamente alinhadas aos objetivos pedagógicos, podem ser uma estratégia poderosa para superar os desafios enfrentados no ensino de química.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Carlos Alberto Pauleti Lopes, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Sou um profissional especializado na intersecção entre educação, tecnologia e ciências químicas, e fui aprovado como Consultor ad hoc pela Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. Graduado em Licenciatura em Química pela Universidade de Franca - SP, estou atualmente aprofundando meus estudos como Doutorando em Ensino de Ciências e Matemática no programa PPGECIM da Universidade Luterana do Brasil - ULBRA/RS, após concluir meu mestrado na mesma instituição.Minha jornada acadêmica inclui uma especialização significativa em Educação e Tecnologias pela Universidade Federal de São Carlos/SP, com um foco adicional em Direito Digital na Educação, refletindo meu compromisso com a integração de metodologias digitais no cenário educacional contemporâneo.Além disso, estou em fase avançada de formação em Química Forense, adquirindo competências especializadas em Métodos Cromatográficos, Eletroforese Capilar, Métodos Gravimétricos, e uma compreensão aprofundada da Toxicologia Ambiental, abrangendo Praguicidas, Metais Pesados e Alimentos. Esta formação complementar não só expande meu leque de habilidades analíticas, mas também fortalece minha capacidade de contribuir para pesquisas interdisciplinares em áreas críticas de investigação científica e criminal.Minha experiência como professor de ciências em diversos contextos educacionais, combinada com a prática em desenvolver e implementar metodologias educacionais inovadoras, me posiciona de forma única para contribuir em ambientes acadêmicos e de pesquisa. Estou constantemente buscando formas de integrar tecnologias educacionais e práticas pedagógicas contemporâneas com o objetivo de otimizar o processo de ensino-aprendizagem, e estou comprometido em continuar evoluindo na minha carreira, focando em áreas emergentes e relevantes para a educação e as ciências no século XXI.

Arlete Beatriz Becker-Ritt, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Possui graduação em Química pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (1998), Especialista em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação pela Universidade Luterana do Brasil (2020). Mestre em Biologia Celular e Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001). Doutora em Biologia Celular e Molecular pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2005). Tem experiência na área de Bioquímica, com ênfase em Proteínas, atuando principalmente nos seguintes temas: urease, soja, toxicidade, expressão heteróloga, proteína, ensino de ciências, ensino de química. Atuou como pesquisadora associada e desenvolveu atividades no Laboratório de Proteínas Tóxicas, Centro de Biotecnologia, UFRGS. Atualmente é professora adjunta na ULBRA-Canoas atuando nos cursos de Medicina, Farmácia e, no Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM). Presidente da Comissão Interna de Biossegurança - ULBRA/Canoas (nomeada em 2013). Coordenadora Comitê de Ética em Pesquisa em Seres Humanos, CEP-ULBRA (2013-2016; 2019).

Letícia Lopes Azambuja, Universidade Luterana do Brasil (ULBRA), Canoas, Rio Grande do Sul, Brasil.

Possuo graduação em Ciências Biológicas pela Universidade da Região da Campanha (URCAMP), graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário Claretiano, mestrado em Zoologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e doutorado em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) e Pós Doutoramento com bolsa PNPD/CAPES no Programa de Pós Graduação em Ensino de Ciências da Universidade Luterana do Brasil (PPGECIM/ULBRA). Atualmente sou Professora Adjunta com Doutorado na Universidade Luterana do Brasil nos Cursos de Graduação: Licenciaturas: Física, Química, Ciências Biológicas, Matemática, Letras - Inglês, História, Geografia, Pedagogia, Engenharia Ambiental, Biomedicina e Professora Permanente no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática na Universidade Luterana do Brasil (PPGECIM/ULBRA). Tenho experiência na área de Zoologia, com ênfase em Entomologia e Conservação de Espécies Animais e na área de Educação em duas linhas de pesquisa: Educação em Ciências e Matemática para o Desenvolvimento Sustentável e Tecnologias Digitais no Ensino de Ciências. 

Referências

ALENCAR, W. R. C. de.; FONSECA, D. S. Desafios no ensino- aprendizagem na educação de Jovens e Adultos – EJA em Araguaína- REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 9, n. 2, p. e21062, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i2.12856

BACICH, L.; MORAN, J. Metodologias ativas para uma educação inovadora uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018.

BARROWS, H. S. Problem-based learning in medicine and beyond: a brief overview. In: WILKERSON, L.; GIJSELAERS, W. H. (Eds.). Bringing problem-based learning to higher education: theory and practice. San Francisco: Jossey-Bass, 1996. p. 3-12.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília. 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 28 abr. 2021.

BRASIL. Resolução CONAMA nº 335, de 3 de abril de 2003. Publicada no DOU no 101, de 28 de maio de 2003, Seção 1, páginas 98-99

BUSARELLO, R. I. Gamification: princípios e estratégias. São Paulo: Pimenta Cultural, 2016. 126p.

FILATRO, A.; CAVALCANTI, C. C. Metodologias Inov-Ativas - 2a edição.2023. [s.l.] Saraiva Educação S.A., 2022.

FONSECA, M. C. F. R. Educação Matemática de Jovens e Adultos: especificidades, desafios e contribuições. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

FRANCO, D. L. A importância da sequência didática como metodologia no ensino da disciplina de Física moderna no Ensino Médio. Revista Triângulo, Uberaba - MG, v. 11, n. 1, p. 151–162, 2018. https://doi.org/10.18554/rt. v0i0.2664

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. Ed. São Paulo: Atlas, 2008.

ILLERIS, Knud (Org.). Teorias Contemporâneas da Aprendizagem. Porto Alegre: Penso, 2013.

KISHIMOTO, T. M. (Org.). Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. São Paulo: Cortez, 2017.

LONGO, V. C. C. Vamos jogar? Jogos como recursos didáticos no ensino de Ciências e Biologia. Textos FCC, São Paulo, v. 35, p. 130–159, 2012. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/textosfcc/article/view/5561. Acesso em: 13 abr. 2023.

MATTAR, J. Aprendizagem em ambientes virtuais: teorias, conectivismo e MOOCs. TECCOGS: Revista Digital de Tecnologias Cognitivas, n. 07, 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/teccogs/article/view/52846/34673. Acesso em: 13 abr. 2023.

OSTERMANN, F.; CAVALCANTI, C. J. H. Teorias de aprendizagem. - Porto Alegre: Evangraf; UFRGS, 2011. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/253767/001157637.pdf?sequence=1. Acesso em: 13 abr. 2023.

PACHECO, A. Os cemitérios e o meio ambiente. [tema de livre docência]. São Paulo: Instituto de Geociências da USP, 2000.

PIAGET, J. Aprendizagem e conhecimento. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1979.

PNAD Educação 2019: Mais da metade das pessoas de 25 anos ou mais não completaram o ensino médio. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28285-pnad-educacao-2019-mais-da-metade-das-pessoas-de-25-anos-ou-mais-nao-completaram-o-ensino-medio. Acesso em: 13 abr. 2023.

SILVA, A. de F. O jogo didático como instrumento para Educação Ambiental nas séries finais do Ensino Fundamental: proposta para trabalhar os temas Diversidade da Vida nos Ambientes e Diversidade dos Materiais. Revista Brasileira de Educação Ambiental (Rev.BEA), [S. l.], v. 11, n. 5, p. 167–183, 2016. Disponível em: https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/2330. Acesso em: 13 mar. 2024.

VIGNOCHI, C. et al. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação em Saúde. Rev.HCPA, v. 29, n. 1, p. 45–50, 2009.

VYGOTSKY, L.S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Trad. Ernani F. da Rosa – Porto Alegre: ArtMed, 1998.

ZANATTA, J. A.; COSTA, M. L. Algumas reflexões sobre a pesquisa qualitativa nas ciências sociais. Estudos e Pesquisas em Psicologia, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 344–359, 2012. Disponível em: http://www.revispsi.uerj.br/v12n2/artigos/pdf/v12n2a02.pdf. Acesso em: 16 mar. 2024.

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

LOPES, C. A. P. .; BECKER-RITT, A. B.; AZAMBUJA, L. L. GAMIFICAÇÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA): ENSINO DE QUÍMICA ATRAVÉS DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA SOBRE NECROCHORUME. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24034, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.16844. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16844. Acesso em: 19 jun. 2024.