FORMAÇÃO CONTINUADA ANCORADA NO MODELO DE BARRAS: MULTIESTRATÉGIAS NO ENSINO DE ÁLGEBRA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v12.15608

Palavras-chave:

Álgebra, Resolução de Problemas, Formação de Professores, Formação Matemática. Licenciatura em Matemática. Modelo dos Campos Semânticos.

Resumo

Este texto tem como objetivo apresentar e discutir o potencial do Modelo de Barras, como disparador de multiestratégias para resolução de problemas matemáticos, possíveis contribuições no processo de ensino e aprendizagem na transição da Aritmética para a Álgebra e para ampliação do repertório docente em situação de formação continuada. Com postura de pesquisa qualitativa, implementou-se, junto a onze professores que ensinam matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental uma Ação Formativa, na qual os professores conheceram a estratégia do Modelo de Barras conciliado com os quatro passos para resolução de problemas de Pólya (2006). Com base no Modelo dos Campos Semânticos (MCS), realizamos a leitura plausível das soluções desenvolvidas pelos docentes, das falas dos professores a respeito do potencial do Modelo de Barras como disparador para desenvolvimento de várias estratégias de resolução do problema na transição da Aritmética para a Álgebra, como ampliador do repertório docente e avaliamos implicações de sua adoção em salas de aulas do Ensino Fundamental. Como resultado, observamos que o uso do Modelo de Barras apresentou potencial para oportunizar, na formação docente, multiestratégias de resolução de problemas, ampliar repertório docente e, quando aplicado em sala de aula, de modificar o modo que alunos e professores resolvem problemas, contribuir para constituir espaço de negociação de significado ao uso de letras em expressões matemáticas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gislaine Aparecida Maria Zambiasi, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Sinop, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura em Ciências Naturais e Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso (2018). , atuando principalmente nos seguintes temas: educação matemática, ensino colaborativo, atividades didáticas, categorias do cotidiano e ctsa.

Edson Pereira Barbosa, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Sinop, Mato Grosso, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT (1997), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2002), Especialização em Matemática pela UNICAMP (2005), Doutorado em Educação Matemática na UNESP/Rio Claro (2012) e é professor efetivo, Associado I da Universidade Federal de Mato Grosso, Campus de Sinop. Tem experiência na área de Matemática e Educação Matemática, com ênfase em Didática da Matemática e Formação de Professores. Atualmente é coordenador do Grupo de Estudos em Ciências Naturais e Matemática (GECINMAT), é membro do corpo docente permenente do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da Natureza e Matemática (PPGECM) do Campus de Sinop/UFMT, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, educação matemática,educação inclusiva, ensino de matemática e produção de significados.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 23 dez. 2020.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/matematica.pdf. Acesso em: 26 out. 2020.

CINTRA, Camila Coppi. Proposta para o ensino de frações para o 7 ano: do diagnóstico a aprendizagem mediada por Modelo de Barras. 2017. 180 f. Dissertação. (Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional - PROFMAT) - Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/10005/CINTRA_Camila_Disserta%C3%A7%C3%A3o%20Mestrado%20Profmat.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 17 dez. 2020.

DOTTI, Tamara Garcia Pinheiro. Um estudo do Modelo de Barras nos livros didáticos da Matemática de Singapura: Fundamentação da Álgebra no Ensino Fundamental I Ciclo. 2016. 88 f. Monografia (Graduação em Matemática) ― Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2016 Disponível em: https://www.dm.ufscar.br/dm/index.php/component/attachments/download/2304. Acesso em: 17 dez. 2020.

GARNICA, Antonio Vicente Marafioti. História Oral e Educação Matemática. In: BORBA, Marcelo de Carvalho; ARAÚJO, Jussara de Loiola (org.). Pesquisa Qualitativa em Educação Matemática. 6. ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019. p. 85-105.

GOIS, Renata Cláudia. O efeito do Material Concreto e do Modelo de Barras no Processo de Aprendizagem Significativa do Conteúdo Curricular de Frações pelos Alunos de 7º Ano do Ensino Fundamental. 2014. 99 f. Dissertação (Mestrado) - Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/4472/6458.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 23 dez. 2020.

HILAQUITA INGA, Veronica. Método Singapur en la Resolución de Problemas Matemáticos en los Estudiantes del Quinto Grado de Educación Primaria de la Institución Educativa Mercedario San Pedro Pascual de la Ciudad de Arequipa 2018. 2018. 103f. Dissertação (Mestrado em Ciências: Educação com menção em Gestão e Administração Educativa) ― Universidad Nacional de San Agustín, Escuela de Posgrado, Unidad de Posgrado Facultad de Ciencias de la Educación, Arequipa (Peru), 2018. Disponível em: http://repositorio.unsa.edu.pe/bitstream/handle/UNSA/7241/EDMhiinv.pdf?sequence=3&isAllowed=y. Acesso em: 28 jan. 2022.

HOLETZ, Melissa Samanta. Utilizando a gamificação e a metodologia de ensino de Singapura para trabalhar com as operações matemáticas básicas nos anos iniciais do Ensino Fundamental. 2019. 147 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias) ― Centro Universitário Internacional UNINTER, Mestrado Profissional em Educação e Novas Tecnologias, Curitiba, 2019. Disponível em: https://repositorio.uninter.com/bitstream/handle/1/491/Disserta%c3%a7%c3%a3o%20Final_Melissa%20Samantha%20Holetz.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 12 set. 2022.

LINS, Romulo. Categories of everyday life as elements organising mathematics teacher education and development projects. In: ICMI STUDY CONFERENCE: The professional education and development of teachers of mathematics, 15., 2005, Águas de Lindóia (SP). Anais […]. Águas de Lindóia (SP): International Mathematical Union (IMU), 2005, p. 1-6. Disponível em: http://sigma-t.org/permanente/2005b.pdf. Acesso em:16 set. 2022.

LINS, Romulo Campos. O Modelo dos Campos Semânticos: estabelecimentos e notas de teorizações. In: ANGELO, Claudia L. et al. (org.). Modelo dos Campos Semânticos e Educação Matemática: 20 anos de história. São Paulo: Midiograf, 2012. p. 11-30.

LINS, Romulo Campos. Por que discutir teoria do conhecimento é relevante para a Educação Matemática. In: BICUDO, M. A. V. (org.). Pesquisa em Educação Matemática: concepções e perspectivas. São Paulo: Editora UNESP, 1999. p. 75-94.

LINS, Romulo Campos; GIMENEZ, Joaquim. Perspectivas em Aritmética e Álgebra para o Século XXI. Campinas, SP: Papirus, 1997.

PÓLYA, George. [1887-1985]. A arte de resolver problemas: um novo aspecto do método matemático. Tradução e adaptação: Heitor Lisboa de Araújo. Rio de Janeiro: Interciência, 2006.

PORTO, Simone Cristina do Amaral. A inserção da resolução de problemas na prática Docente de uma professora de Matemática. 2015. 148 F. Dissertação. (Mestrado em Educação Matemática) − Universidade Anhanguera de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: https://repositorio.pgsskroton.com/bitstream/123456789/3666/1/SIMONE%20CRISTINA%20DO%20AMARAL%20PORTO.pdf. Acesso em: 12 set. 2022

QUEIROZ, Jonas Marques dos Santos. Resolução de problemas da pré-Álgebra e Álgebra para fundamental II do ensino básico com auxílio do Modelo de Barras. 2014. 144 f. Dissertação. (Mestrado em Ensino de Ciências Exatas) – Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade Federal de São Carlos, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/bitstream/handle/ufscar/4473/6507.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 23 dez. 2020.

RICHIT, Luiz Augusto e RICHIT, Adriana. O Modelo de Barras de Singapura na Resolução de Problemas Aritméticos e Algébricos. Bolema - Boletim de Educação Matemática, Rio Claro, v. 36, n. 73, p. 697-724, ago.2022. Disponível em: https://www.scielo.br/j/bolema/a/DKJvqbxGfpy8g6mwQCqHs9r/abstract/?lang=pt. Acesso em: 29 de nov. 2022.

SILVA, Amarildo Melchiades da. O Modelo dos Campos Semânticos – Um Modelo Epistemológico em Educação Matemática. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Ltda., 2022.

SILVA, Paulo Eugênio da; CURI, Edda. Análise da Abordagem do Pensamento Algébrico no Currículo ao Longo do Tempo. REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 11, n. 1, p. 1-25, e23009, jan./dez., 2023. https://doi.org/10.26571/reamec.v11i1.14168

SILVA, Magno Rodrigo da. BARBOSA, Edson Pereira. O Processo de Apresentação das Orientações Curriculares aos Professores da Educação Básica Do Estado de Mato Grosso na Cidade de Sinop (MT). REAMEC – Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 5, n. 2, p. 2015-234, jul/dez 2017. https://doi.org/10.26571/2318-6674.a2017.v5.n2.p215-234.i5440

VARGAS ACOSTA, Liliana Mercedes; SOTILLO FAJARDO, Elkye Xiomara Sotillo. Efecto de la metodología Singapur en el desarrollo de la competencia comunicación en el área de matemática para estudiantes de grado sexto. 2019. 138 f. Projeto de Pesquisa (Magister en Educación) ― Universidad de La Costa CUC, Facultad de Humanidades Maestría en Educación, Barranquilla (Colômbia), 2019. Disponível em: https://repositorio.cuc.edu.co/handle/11323/5538. Acesso em: 28 jan. 2022.

VIOLA DOS SANTOS, João Ricardo. Grupo de Trabalho como Espaço Formações (ou: a arte de produzir efeitos sem causa). Perspectivas da Educação Matemática. Campo Grande, v. 11, n. 16, p. 365-391, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/pedmat/article/view/7701/5497. Acesso em: 10 out. 2020.

VIOLA DOS SANTOS, João Ricardo; LINS, Rômulo Campos. Movimentos de Teorizações em Educação Matemática. Bolema — Boletim de Educação Matemática, Rio Claro (SP), v. 30, n. 55, p. 325-367, ago. 2016. https://doi.org/10.1590/1980-4415v30n55a02

ZAMBIASI, Gislaine Aparecida Maria. Modelo de Barras como Estratégia para Educação Algébrica: um Estudo com Professores de Matemática do Ensino Fundamental. 2022. 435 f. Dissertação (Mestrado Profissional), Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, 2022. Disponível em: https://cms.ufmt.br/files/galleries/87/Disserta%C3%A7%C3%B5es%202021/disserta%C3%A7%C3%A3o%202022/Gislaine.pdf. Acesso em: 22 fev. 2023.

ZAMBIASI, Gislaine Aparecida Maria. BARBOSA, Edson Pereira. Produto Educacional. Modelo de Barras como Estratégia de Resolução de Problemas Algébricos. p. 198-435. In: ZAMBIASI, Gislaine Aparecida Maria. Dissertação. Modelo de Barras como Estratégia para Educação Algébrica: um Estudo com Professores de Matemática do Ensino Fundamental. 2022. Universidade Federal de Mato Grosso, Sinop, 2022. Disponível em: https://cms.ufmt.br/files/galleries/87/Disserta%C3%A7%C3%B5es%202021/disserta%C3%A7%C3%A3o%202022/Gislaine.pdf. Acesso em: 22 fev. 2023.

Downloads

Publicado

2024-01-31

Como Citar

ZAMBIASI, G. A. M.; BARBOSA, E. P. FORMAÇÃO CONTINUADA ANCORADA NO MODELO DE BARRAS: MULTIESTRATÉGIAS NO ENSINO DE ÁLGEBRA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 12, p. e24010, 2024. DOI: 10.26571/reamec.v12.15608. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/15608. Acesso em: 17 abr. 2024.