ANÁLISE DOS TIPOS DE ENGAJAMENTOS EM VÍDEOS PRODUZIDOS PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO YOUTUBE EM 2021

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.14782

Palavras-chave:

Tipos de engajamentos, Vídeos, Aprendizagem multimídia, Ensino de Química

Resumo

As redes sociais fornecem um ambiente para a comunicação direta e rápida para um amplo público engajado com seus interesses pessoais (e acadêmicos). Em particular, o YouTube oferece um ambiente rico por meio do qual professores e estudantes de Química podem se envolver e construírem conhecimento. Nesse sentido, esta pesquisa teve como objetivo analisar os tipos de engajamentos presentes nos vídeos produzidos para o ensino de Química nos canais nacionais mais acessados na plataforma YouTube no ano de 2021, além de identificar os princípios da aprendizagem multimídia e os tipos de vídeos presentes. Para isso, a pesquisa foi realizada em quatro etapas: (I) seleção das páginas na plataforma do YouTube; (II) classificação dos canais a partir dos criadores de conteúdos; (III) Análise dos princípios da aprendizagem multimídia e dos tipos de vídeos; (IV) análise dos tipos de engajamento apresentados nos vídeos dos canais. Os resultados mostraram que três tipos de engajamentos foram observados nos canais analisados, sendo o emocional e cognitivo os mais presentes. Por outro lado, pelo menos cinco princípios da aprendizagem multimídia foram observados nos vídeos e que o vídeo como integração foi o mais abordado nas produções dos canais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Francisco de Assis Alves Neto, Professor de Química da Educação Básica, Recife, Pernambuco, Brasil.

Graduado em Licenciatura em Química pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Professor de Química da Educação Básica, Recife, Pernambuco, Brasil.

Bruno Silva Leite, Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Departamento de Educação, Recife, Pernambuco

Professor de Química e de Tecnologias no Ensino de Química da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Licenciado em Química (2008) e mestre no Ensino de Ciências (2011) pela UFRPE e Doutor em Química Computacional (2016) pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Coordenador do programa de mestrado profissional em Química (PROFQUI) da UFRPE. Docente permanente do programa de pós-graduação em Ensino das Ciências da UFRPE. Coordenador do programa Residência Pedagógica em Química da UFRPE. Coordenador do Laboratório para Elaboração e Utilização de Tecnologias no Ensino de Química (LEUTEQ) e do Grupo de pesquisa InPraMEQ (Investigação de Práticas Metodológicas no Ensino de Química) da UFRPE. Tem experiência na área de Química e Ensino de Química: Em Química desenvolve pesquisas em Astroquímica e Química Computacional; Em Ensino de Química atua principalmente nas seguintes temáticas: (1) Tecnologias no Ensino de Química; (2) Metodologias Ativas, Aprendizagem Tecnológica Ativa, Gamificação e Ensino Híbrido; (3) processos e materiais educativos no Ensino de Ciências/Química; (4) Experimentação, divulgação científica e formação de professores. 

Referências

ALARCON, A. M. Y.; NOVELLO, T. P. Produções científicas: abordagens pedagógicas da utilização da plataforma YouTube. REAMEC –Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. Cuiabá, v. 9, n. 2, e21048, maio-agosto, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.26571/reamec.v9i2.11656.

ARANHA, C. P.; SOUSA, R. C.; BOTTENTUIT JUNIOR, J. B.; ROCHA, J. R.; SILVA, A. F. G. O YouTube como Ferramenta Educativa para o ensino de ciências. Olhares & Trilhas, v. 21, n. 1, p. 10–25, 2019. https://doi.org/10.14393/OT2019v21.n.1.46164

CHINTALAPATI, N.; DARURI, V. S. K. Examining the use of YouTube as a Learning Resource in higher education: Scale development and validation of TAM model. Telematics and Informatics, v. 34, n. 6, p. 853-860, 2017. http://dx.doi.org/10.1016/j.tele.2016.08.008

FINN, J. D.; ZIMMER, K. Student engagement: what is it and why does it matter? In: CHRISTENSON, S.; RESCHY, A. L.; WYLIE, C. (Eds.), Handbook of research on student engagement (pp. 97-131). New York: Springer, 2012. https://doi.org/10.1007/978-1-4614-2018-7_5

FREDRICKS, J. A.; BLUMENFELD, P. C.; PARIS, A. H. School Engagement Potential of the Concept. Review of Educational Research, v. 74, n. 1, p. 59–109, 2004. https://doi.org/10.3102/00346543074001059

FREDRICKS, J. A.; WANG, M.-T.; SCHALL LINN, J.; HOFKENS, T. L.; SUNG, H.; PARR, A.; ALLERTON, J. Using qualitative methods to develop a survey measure of math and science engagement. Learning and Instruction, v. 43, p. 5–15, 2016. http://dx.doi.org/10.1016/j.learninstruc.2016.01.009

GELLI, P. 5 dicas para se tornar relevante no YouTube e ganhar dinheiro com isso. Exame. 2021. Disponível em: https://exame.com/bussola/5-dicas-para-se-tornar-relevante-no-youtube-e-ganhar-dinheiro-com-isso. Acesso em: 26 jun. 2022.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2017.

KLEM, A. M.; CONNELL, J. P. Relationships matter: Linking teacher support to student engagement and achievement. Journal of School Health, v. 74, n. 7, p. 262-273, 2004. http://dx.doi.org/10.1111/j.1746-1561.2004.tb08283.x

LARSSON, A. O. “I Shared the News Today, oh Boy” News provision and interaction on Facebook. Journalism studies, v. 19, n. 1, p. 43-61, 2018. https://doi.org/10.1080/1461670X.2016.1154797

LEITE, B. S. Da aula presencial para a aula virtual: relatos de uma experiência no ensino virtual de Química. Educación Química, v. 31, n. 5, p. 66-72, 2020. http://dx.doi.org/10.22201/fq.18708404e.2020.5.77097

LEITE, B. S. Tecnologias digitais na educação: da formação à aplicação. São Paulo: Livraria da Física, 2022.

LEITE, B. S. Tecnologias no ensino de química: teoria e prática na formação docente. Curitiba: Appris, 2015.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: E.P.U, 2012.

MASSUCHIN, M. G.; CERVI, E. U. Tipos de engajamento e circulação de notícias nas redes sociais: A relação da audiência com os temas publicados nas fanpages de jornais regionais brasileiros. Revista Eptic, v. 20, n. 3, p. 193-214, 2018. Disponível em: https://seer.ufs.br/index.php/eptic/article/view/10782/11503. Acesso em: 20 out. 2022.

MAYER, R. E. Cognitive Theory of Multimedia Learning. In: MAYER, R. E. (Ed), The Cambridge Handbook of Multimedia Learning. (pp. 31-48). Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

MELO, M. E.; DUSO, L. Utilização de vídeos educativos de biologia no youtube por estudantes do ensino médio. ETD - Educação Temática Digital, v. 24, n. 1, p. 71–90, 2022. https://doi.org/10.20396/etd.v24i1.8665025

MORÁN, J. M. O vídeo na sala de aula. Comunicação & Educação, n. 2, p. 27-35, 1995. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9125.v0i2p27-35

PAULA, H. F.; TALIM, S. L.; SALEMA, C. S.; LAMILO, V. R. Engajamento de estudantes em um Ensino Remoto e Emergencial de Física. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 23, e26568, 2021. https://doi.org/10.1590/1983-21172021230117

PEREIRA, J. A. LEITE, B. S. ercepções sobre o aplicativo FOQ1 Química por estudantes de uma escola pública. REAMEC –Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, v. 9, n.1, e21001, 2021. https://doi.org/10.26571/reamec.v9i1.11227

PINA, A. R. B.; SOUZA, F. N.; LEÃO, M. C. Investigación Educativa a Partir de La Información Latente en Internet. Revista Eletrônica de Educação, v. 7, n. 2, p. 301-316, 2013. https://doi.org/10.14244/19827199713

PORTUGAL, K. O.; ARRUDA, S. D. M.; PASSOS, M. M. Free-choice teaching: how YouTube presents a new kind of teacher. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 17, n. 1, p. 183-199, 2018. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen17/REEC_17_1_9_ex1217.pdf. Acesso em: 20 out. 2022.

REIS, R. S., LEITE, B. S., LEÃO, M. B. C. Apropriação das Tecnologias da Informação e Comunicação no ensino de ciências: uma revisão sistemática da última década (2007-2016). RENOTE - Revista Novas Tecnologias na Educação, v. 15, n. 2, p. 1-10, 2017. https://doi.org/10.22456/1679-1916.79232

REIS, R. S.; LEITE, B. S.; LEÃO, M. B. C. Percepções sobre a incorporação das TIC em cursos de licenciatura em Química no Brasil. Revista Debates em Educação, v. 11, n. 23, p. 01-18, 2019. https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n23p01-18

SERRES, M. Polegarzinha: Uma nova forma de viver em harmonia, de pensar as instituições, de ser e de saber. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015.

SILVA NETO, S. L.; SILVA, B. R. F.; LEITE, B. S. Inclusão digital: um estudo de caso nas escolas do sertão pernambucano. Atos de Pesquisa em Educação, v. 16, e8675, 2021. http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354202116e8675

SILVA, J. M. B.; CERQUEIRA, L. L. M. Plataforma youtube® como ferramenta para o ensino de biologia. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 774-792, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.10191

SILVA, M. J.; PEREIRA, M. V.; ARROIO, A. O papel do YouTube no ensino de ciências para estudantes do ensino médio. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 7, n. 2, p. 35-55, 2017. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/recm/article/view/4560/2524. Acesso em: 14 nov. 2022.

SILVA, R. C. F.; SOUZA, V. C. A. Investigação das habilidades e competências trazidas nas questões de química do ENEM 2009-2017 a partir da análise de conteúdo de Bardin. Revista Ciências & Ideias, v. 9, n. 3, p. 125-139, 2018. https://doi.org/10.22407/2018.v9i3.1002

SOUZA, F. N. (2010). Internet: Florestas de Dados Ainda por Explorar. Internet Latent Corpus Journal, v. 1, n. 1, p. 2-4, 2010. https://doi.org/10.34624/ilcj.v1i1.14908

SRINIVASACHARLU, A. Using YouTube in Colleges of Education. Shanlax International Journal of Education, v. 8, n. 2, p. 21-24, 2020. https://doi.org/10.34293/education.v8i2.1736

VALENÇA, B. A.; WEBER, C.; KRUPCZAK, C.; AIRES, J. A. Uma análise de vídeos para o ensino de Química. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 20, n. 2, p. 245-266, 2021. Disponível em: http://reec.uvigo.es/volumenes/volumen20/REEC_20_2_4_ex1746_450.pdf. Acesso em: 12 nov. 2022.

Downloads

Publicado

2023-06-23

Como Citar

ALVES NETO, F. de A.; LEITE, B. S. ANÁLISE DOS TIPOS DE ENGAJAMENTOS EM VÍDEOS PRODUZIDOS PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO YOUTUBE EM 2021 . REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23032, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.14782. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/14782. Acesso em: 21 jun. 2024.