MAPEAMENTO DE PESQUISAS BRASILEIRAS: INVESTIGAÇÃO-AÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.14481

Palavras-chave:

Ensino de Ciências., Análise de Conteúdo., Banco de dissertações e teses.

Resumo

Este artigo tem como objetivo geral: mapear as concepções e as contribuições de autores de teses e dissertações produzidas no país, analisando a Investigação Ação (IA) na Formação de professores em Ciências nos Anos Iniciais. Assim, questiona-se: Como as pesquisas articulam a IA na formação de professores em Ciências para os Anos Iniciais? Quais eixos teóricos da IA estão refletidos nas pesquisas sobre a formação de professores em Ciências para os Anos Iniciais? Esta pesquisa apresenta uma abordagem qualitativa, desenvolvida por meio da tipologia de pesquisa bibliográfica. Foi realizado um mapeamento da base de dados, disponíveis na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), no período de 2013 a 2020, que indicou um quantitativo de seis pesquisas nesta delimitação. Para análise dos dados obtidos na busca foi utilizada a metodologia de Análise de Conteúdo. Foi possível perceber que a maior parte das Pesquisas envolvendo IA na Formação de professores em Ciências nos Anos Iniciais se concentram na Região Sul. Em relação aos tipos de IA, uma pesquisa foi classificada como IA Técnica, duas pesquisas foram identificadas como IA Prática e três pesquisas identificadas como IA Crítica. Salienta-se, a importância de seguir investigando e utilizando nas pesquisas a IA para a formação de professores em Ciências nos Anos Iniciais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Kaliandra Pacheco de Lima, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Carro Largo, Rio Grande do Sul, Brasil.

Kaliandra Pacheco de Lima, 24 anos. Possui formação no Magistério - Curso Normal. Possui graduação em Pedagogia e em Licenciatura em Matemática (IFFar). Bolsista Pibid 2019-2020. Possui Pós graduação em Ensino de Matemática. Mestranda em Ensino de Ciências PPGEC, Campus Cerro Largo- Linha 2: Formação de Professores e Práticas pedagógicas. Orientanda da Dr. Rúbia Hemmel. Professora dos Anos Iniciais da Escola Municipal Nossa Senhora de Fátima -Santa Rosa - Efetiva 20h.

Rúbia Emmel, Instituto Federal Farroupilha (IFFAR), Santa Rosa, Rio Grande do Sul, Brasil.

Possui Licenciatura em Pedagogia, pela Sociedade Educacional Três de Maio - SETREM (2008), Especialização em Educação Infantil e Alfabetização (2009), Mestrado em Educação Nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI (2011) e Doutorado em Educação Nas Ciências pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUI (2015). Durante o Curso de Doutorado, participou de Projeto de Pesquisa: Concepções de Saúde e Educação para a Saúde na formação continuada de Professores: contribuições a organização curricular da educação básica e superior, no Centro de Investigação e Estudos da Criança, da Universidade do Minho, Braga, Portugal. Atuou como Pedagoga/Técnica Administrativa em Educação, junto ao Departamento de Ensino do Câmpus Feliz, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul. Foi professora de ensino superior, no Curso de Licenciatura em Pedagogia da Sociedade Educacional Três de Maio/SETREM. Foi Professora Adjunta, Magistério Superior, no Curso de Licenciatura em Pedagogia, da Universidade do Tocantins - UFT, Câmpus Arraias.Atuou como Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, no Instituto Federal do Rio Grande do Sul, IFRS, Câmpus Feliz, na área da Pedagogia. Atualmente é Professora de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, no Instituto Federal Farroupilha, IFFAR, Câmpus Santa Rosa, na área de Pedagogia, nos Cursos de Licenciatura em Matemática e Licenciatura em Ciências Biológicas.Professora do Quadro permanente do PPGEC - Mestrado em Ensino de Ciências. Pesquisadora do Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Públicas Educacionais e Práticas Pedagógicas - GEPPEPPE, UFFS (Universidade Federal Fronteira Sul). Pesquisadora do Grupo de Estudos em Formação Docente, IFFAR. Tem experiência na área de Educação, com ênfase na Pedagogia, atuando principalmente nos seguintes temas: Currículo, Formação de Professores, Fundamentos e Metodologias do Ensino de Ciências, Educação Infantil, Pesquisa em Educação, Pesquisa-ação, Práticas de Ensino e Estágio Supervisionado, livro didático, cultura escolar, Gestão Educacional, Coordenação Pedagógica. 

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BIEMBENGUT, M. S. Mapeamento na pesquisa Educacional. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna Lida, 2008.

BIZZO, N. Ciências: fácil ou difícil? São Paulo: Biruta, 2009. 158 p.

BRASIL, Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC. 2018.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Ensino Fundamental: Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1997. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencias.pdf. Acesso em: 23 jan. 2023.

BREMM, D.; GÜLLICH, R. I. da C. Sistematização de experiências: conceito e referências para formação de professores de ciências. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. v. 8, n. 3, p. 553-573, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i3.10788

CAPES. Portal de Periódicos da Capes. Disponível em: www.periodicos.capes.gov.br.

Acesso em 10 jun. 2022.

CASTRO, E. B. Formação Docente em Contexto: Processos de Investigação-Ação sobre a Abordagem de Conhecimento Químico nos Anos Iniciais, 2018. 154 f. Dissertação. (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) - Instituto de Educação Matemática e Científica da Universidade Federal do Pará, 2018. Disponível em http://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/12434. Acesso em: 23 jan. 2023.

CARR, W.; KEMMIS, S. Teoria Crítica de la enseñanza: la investigación-acción em la formación del profesorado. Barcelona: Martinez Rocca. 1988.

CONTRERAS, J. D. La investigación en la acción. Cuadernos de Pedagogia, n. 224, Madrid: Morata, p. 7-31, abril 1994.

Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Prorrogação de bolsas beneficia mais de 28 mil estudantes. Disponível em: https://www1.capes.gov.br/36-noticias/10546-prorrogacao-de-bolsas-beneficia-mais-de-28-mil-estudantes. Acesso em: 28 abr. 2022.

DE OLIVEIRA, C. B.; GONZAGA, L. T.; GOMES, E. C.; TERÁN, A. F. Espaços educativos: oportunidade de uma prática educativa problematizadora. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. v. 7, n. 1, p. 59-73, 2019. https://doi.org/10.26571/REAMEC.a2019.v7.n1.p59-73.i6962

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de ciências: fundamentos e métodos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

FRACALANZA, H.; AMARAL, I. A.; GOUVEIA, M. S. F. O ensino de Ciências no Primeiro Grau. São Paulo: Atual, 1987.

GARCIA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Portugal: Porto Editora, 1999.

GOLDSCHMIDT, A. I. O ensino de Ciências nos Anos Iniciais: sinalizando possibilidades de mudanças. 226 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências, Universidade Federal de Santa Maria, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/3525/GOLDSCHMIDT%2c%20ANDREA%20INES.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 23 jan. 2023.

GÜLLICH, R. I. C. O livro didático, o professor e o ensino de ciências: um processo de investigação-formação-ação, 2012. Tese. 263 f. (Doutorado em Educação nas Ciências) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2012. Disponível em: https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/handle/123456789/2043. Acesso em: 23 jan. 2023.

LOPES, T. B.; CANGUSSU, E. S.; HARDOIM, E. L.; GUARIM NETO, G. Atividades de campo e STEAM: possíveis interações na construção de conhecimento em visita ao Parque Mãe Bonifácia em Cuiabá-MT. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática. v. 5, n. 2, p. 304-323, 2017. https://doi.org/10.26571/2318-6674.a2017.v5.n2.p304-323.i5739

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. A pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.1986.

LUNARDI, L.; EMMEL, R. Investigando os motivos para ensinar Ciências às novas gerações. Revista Insignare Scientia - RIS, v. 4, n. 3, p. 179-193, 3 mar. 2021. https://doi.org/10.36661/2595-4520.2021v4i3.12127 .

MALDANER, O. A. A pesquisa como perspectiva de formação continuada do professor de química. Química Nova, p. 289-292, 1999. Disponível em: http://quimicanova.sbq.org.br/detalhe_artigo.asp?id=2072. Acesso em: 23 jan. 2023.

NÓVOA, A. A formação contínua de professores: realidades e perspectivas. Aveiro: Universidade de Aveiro, 1991.

NÓVOA, A. Os professores na virada do milênio: do excesso do discurso à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.25, [s.n], 1998.

PEREIRA, J. E. D. Da racionalidade técnica à racionalidade crítica: formação docente e transformação social. Revista de Educação e Sociedade, Naviraí, v.01, n.01, p. 34-42, jan-jun.2014. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/persdia/article/view/15. Acesos em: 23 jan. 2023.

ROCHA, C. J. T. da; FARIAS, S. A. de. Metodologias ativas de aprendizagem possíveis ao ensino de ciências e matemática. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 69-87, 2020. https://doi.org/10.26571/reamec.v8i2.9422

SCHNETZLER, R. P. Como associar ensino com pesquisa na formação inicial e continuada de professores de Ciências? Atas do II Encontro Regional de Ensino de Ciências. Piracicaba: UNIMEP, 18-20 out, 1996.

SCHÖN, D. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA,

Antônio (Coord.). Os professores e sua formação. 2. ed. Lisboa: Dom Quixote, p. 77-91, 1995.

VIECHENESKI, J. P.; CARLETTO, M.R. Por quê e para quê ensinar ciências para as crianças. Revista Brasileira de Educação, Ciência e Tecnologia, v.6, n.2, p.213-227, 2013. Disponível em: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbect/article/viewFile/1638/1046. Acesso em: 23 jan. 2023.

YAGER, R.E. The constructivist learning model. Science Teacher, New York, v. 58, n.6, p.52-57, mar. 1991.

Downloads

Publicado

2023-02-05

Como Citar

LIMA, K. P. de; EMMEL, R. MAPEAMENTO DE PESQUISAS BRASILEIRAS: INVESTIGAÇÃO-AÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23002, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.14481. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/14481. Acesso em: 25 fev. 2024.