OS EXPERTS E OS CURRÍCULOS DE MATEMÁTICA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i3.13033

Palavras-chave:

Matemática, Ensino, Expert, Currículo, História

Resumo

O artigo tem por objetivo discutir o papel dos chamados experts no movimento de produção curricular para o ensino e formação de professores de matemática. Para além desse objetivo, o texto apresenta o Dicionário dos Experts como base empírica importante para a abertura de novas possibilidades de pesquisas sobre os currículos de matemática. O estudo utiliza como referências teórico-metodológicas a conceituação própria de expert vinda de autores como Peter Burke, Rita Hofstetter e Bernard Schneuwly dentre outros. Em destaque, está a análise da elaboração de novos saberes matemáticos objetivados numa dada documentação curricular. Como ela teria sido elaborada? Que processos levaram a seu estabecimento? Como compreender que tenham sido privilegiados determinados saberes e não outros? Que articulações foram estabelecidas entre a matemática a estar presente no ensino e aquela da formação de professores dadas pela documentação curricular? Tais interrogações levam à conclusão de que por intermédio de estudos das ações dos experts torna-se possível compreender, num dado momento, os complexos elementos presentes na construção de documentos curriculares em termos da produção de novos saberes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wagner Rodrigues Valente, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, São Paulo

Possui graduação em Engenharia (Escola Politécnica) pela Universidade de São Paulo (1979) e Pedagogia pela Universidade Santa Cecília dos Bandeirantes (1987), mestre em História e Filosofia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991) e doutor em Educação pela Universidade de São Paulo/ INRP- Paris (1997). Pós-Doutor pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1999). Livre Docente no Departamento de Educação da Universidade Federal de São Paulo (2010). Realizou estágio-pesquisa FAPESP na Université de Genève, Suíça, junto à Équipe de Recherche en Histoire des Sciences de l?Éducation (ERHISE) em 2015 e 2017. Presidente do GHEMAT Brasil - Grupo Associado de Estudos e Pesquisas em Historia da Educação Matemática (ghemat-brasil.com). Coordenador do GHEMAT-SP (ghemat.com.br). Professor Associado Livre Docente da Universidade Federal de São Paulo. Coordenador pelo lado brasileiro de projeto de cooperação internacional CAPES-GRICES (Brasil-Portugal) (2006-2009).Coordenador pelo lado brasileiro de projeto de cooperação internacional CAPES-COFECUB (Brasil-França) (2014-2017). Professor Visitante da Universidade de Múrcia, Espanha, em 2019. Presidente da Comissão Científica do XI ENEM - Encontro Nacional de Educação Matemática (Curitiba, 2013). Membro da Diretoria Nacional da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (2011-2013). Coordenador de Matemática do Projeto Livres - Banco de Dados de Livros Escolares Brasileiros (1810 a 2005). Editor do International Journal for Research in Mathematics Education - RIPEM (2011-2013). Co-editor do International Journal for Research in Mathematics Education - RIPEM (2013-2016). Co-chair do II Congresso Iberoamericano de História da Educação Matemática (México, 2013). Membro do Comitê de Avaliação Externa da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Portugal, desde 2011. Membro da diretoria da Sociedade Brasileira de História da Matemática (2015-2019). Editor da HISTEMAT - Revista de História da Educação Matemática. Editor do Boletim Acervo, do Centro de Documentação do GHEMAT-SP. Na pesquisa investiga principalmente os seguintes temas: livro didático de matemática, didática da matemática, história da educação matemática, história da matemática, saber profissional do professor de matemática 

Referências

BURKE, P. O que é história do conhecimento? São Paulo: Editora Unesp, 2016.

GODOY, Elenilton Vieira; SILVA, Marcio Antonio; SANTOS, Vinício de Macedo. Currículos de Matemática em Debate: questões para políticas educacionais e para a pesquisa em Educação Matemática. São Paulo: Livraria da Física, 2018.

HOFSTETTER, Rita; SCHNEUWLY, Bernard; FREYMOND, Mathilde; BOS, François. Penetrar na verdade da escola para ter elementos concretos de sua avaliação - A irresistível institucionalização do expert em educação (século XIX e XX). In: Hofstetter, Rita; VALENTE, Wagner Rodrigues (Orgs.). Saberes em (trans) formação: tema central da formação de professores. 1ª ed. Editora Livraria da Física, (Coleção Contextos da Ciência), 2017.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: Editora da UNIFESP, 2000.

MAXIM, Laura; ARNOLD, Gérard. Entre recherche académique et expertise scientifique: des mondes de chercheurs. Hermès, 2012.

MAXIM, Laura; ARNOLD, Gérard. Les chercheurs au coeur de l’expertise. Hermès, 2015.

JOYE, C. R. (Coord.). Currículos e programas.Fortaleza: UAB/IFCE, 2010. Disponível em: https://educapes.capes.gov.br/bitstream/capes/429222/1/Curr%C3%ADculos%20e%20Programas.pdf . Acesso em: 24/09/2021.

PORRET, Michel; BRANDLI, Fabrice; LOZAT, Mélanie. Introduction. La Fabrique des savoirs. Figures et pratiques d’experts. Genève: Georg, 2013.

VALENTE, W. R.; MACIEL, C. M. L. A.; COSTA, D. A.; ALMEIDA, L. I. M. V. Experts – saberes para o ensino e para a formação de professores. São Paulo: L F Editorial, 2021.

Downloads

Publicado

2021-11-06

Como Citar

VALENTE, W. R. OS EXPERTS E OS CURRÍCULOS DE MATEMÁTICA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 3, p. e21090, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i3.13033. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/13033. Acesso em: 5 dez. 2021.

Edição

Seção

Estudos históricos sobre currículo de Matemática