APRENDIZAGEM COOPERATIVA BASEADA EM PROBLEMAS E ORQUESTRAÇÃO INSTRUMENTAL NO ENSINO DE CÁLCULO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i1.11798

Palavras-chave:

Aprendizagem Baseada em Problemas, Cálculo, Orquestração Instrumental

Resumo

Este trabalho trata da análise do processo de concepção e aplicação de uma orquestração instrumental, por meio remoto, visando a desenvolver a habilidade de resolver problemas, tais como maximizar áreas, volumes e lucros e minimizar distâncias, tempo e custos, isto é, problemas de otimização. Para isso, realizou-se uma pesquisa qualitativa de caráter descritivo na qual aplicamos o método Aprendizagem Cooperativa Baseada em Problemas com 21 discentes do curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Amazonas. Os pressupostos teóricos estão fundamentados na Teoria da Orquestração Instrumental e nos princípios da aprendizagem cooperativa. Os discentes foram divididos em grupos, e as situações de ensino foram trabalhadas em atividades síncronas e assíncronas de modo que, ao final da orquestração, cada grupo apresentou um relatório escrito e uma apresentação oral. A análise dos dados nos possibilitou perceber que a maioria dos discentes apresentou interesse pelo trabalho em grupo e se mostrou satisfeita com a metodologia empregada, desenvolvendo a habilidade de resolver os problemas propostos neste estudo. Além disso, percebeu-se o aumento da satisfação discente com as atividades de ensino, melhora qualitativa na aprendizagem, seu rendimento e diminuição da evasão/desistência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Francisco Eteval da Silva Feitosa, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, Amazonas, Brasil

Possui graduação em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal do Amazonas (1999), mestrado em Matemática pela Universidade Federal do Amazonas (2002),Doutorado em Matemática pela Universidade Federal do Amazonas (2016) e Pós-Doutorado em Educação Matemática pela PUC-SP. Atualmente é professor adjunto no Departamento de Matemática da Universidade Federal do Amazonas, professor colaborador do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática (PPGECIM-UFAM) e Coordenador do Núcleo Matemática do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid-UFAM). Tem experiência na área de Matemática, com ênfase em Educação Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: matemática, ensino, cálculo diferencial e integral, feiras de matemática e metodologias ativas.

Roberta dos Santos Rodrigues, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, Amazonas, Brasil

Está se graduando em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Amazonas. Foi bolsista no Projeto SUPER, uma parceria entre a UFAM e a Samsung, atuando como monitora na disciplina de Cálculo I, e hoje atua como bolsista de PIBIC na área de Ciências Exatas e da Terra na UFAM. Possui certificação de formação em Língua Inglesa.

Referências

ABDULLAH, N. I.; TARMIZI, R. A.; ABU, R. The effects of problem based learning on mathematics performance and affective attributes in learning statistics at form four secondary level. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 8, p. 370-376, 2010. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2010.12.052

AJAI, J. T.; IMOKO, B. I. Gender Differences in Mathematics Achievement and Retention Scores: A Case of Problem-Based Learning Method. International Journal of research in Education and Science, v. 1, n. 1, p. 45-50, 2015. Disponível em: https://files.eric.ed.gov/fulltext/EJ1105194.pdf. Acesso em: 02 fev. 2021.

BELLEMAIN, F.; TROUCHE, L. Compreender o trabalho do professor com os recursos de seu ensino, um questionamento didático e informático. I Simpósio Latino-Americano de Didática de Matemática, 2016. Disponível em: https://aplicacoes.ifs.edu.br/periodicos/index.php/caminhos_da_educacao_matematica/article/view/300/204. Acesso em: 02 fev. 2021.

COHEN, Elizabeth G.; LOTAN, Rachel A. Planejando o trabalho em grupo: estratégias para salas de aula heterogêneas. Penso Editora, 2017.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto; Tradução Magda Lopes. – 3 ed. – Porto Alegre: ARTMED, 296 páginas, 2010.

DALL’ANNE, C.; TRENTIN, P.H. A Aprendizagem significativa no Cálculo Diferencial e Integral: Relato de experiência com a abordagem de problemas de taxa de variação na formação de engenheiros. In. GODOY, Elenilton Vieira; GERAB, Fábio. Ensino e aprendizagem de matemática no Ensino Superior: Inovações, propostas e desafios. Alta Books Editora, 2018.

DA SILVA, E. C. R. T. O processo de gênese instrumental em um ambiente online colaborativo. In: XXII Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática. Belo Horizonte, 2018. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1Rn4H18bd0jggCqyiCHEABK0adXj0qzlQ/view. Acesso em: 02 fev. 2021.

DE JESUS, Marcos Antonio Santos; TACACIMA, Juliana. As atitudes em relação à matemática e o desempenho em cálculo diferencial e integral de alunos de engenharia. In. GODOY, Elenilton Vieira; GERAB, Fábio. Ensino e aprendizagem de matemática no Ensino Superior: Inovações, propostas e desafios. Alta Books Editora, 2018.

DRIJVERS, Paul et al. The teacher and the tool: Instrumental orchestrations in the technology-rich mathematics classroom. Educational Studies in mathematics, v. 75, n. 2, p. 213-234, 2010. https://doi.org/10.1007/s10649-010-9254-5

ENEMARK, S.; KJAERSDAM, F. A ABP na teoria e na prática: a experiência da Aalborg na inovação do projeto no ensino universitário. In: ARAÚJO, U. F.; SASTRE, G. (Org.). Aprendizagem Baseada em Problemas. São Paulo: Summus, 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GLASSER, W. William Glasser. Fonte: PPD, 2017. Disponível em: http://www.ppd.net.br/william-glasser/. Acesso em: 15 abr. 2021.

GORDON, R. Balancing real-world problems with real-world results. Phi Delta Kappan, v.79, n.5, p. 390, 1998.

JOHNSON, David W.; JOHNSON, Roger T. Instructional goal structure: Cooperative, competitive, or individualistic. Review of educational research, v. 44, n. 2, p. 213-240, 1974.

JOHNSON, David W.; JOHNSON, Roger T. Cooperation and competition: Theory and research. Interaction Book Company, 1989.

JOHNSON, David W.; JOHNSON, Roger T. Making cooperative learning work. Theory into practice, v. 38, n. 2, p. 67-73, 1999.

JOHNSON, David W.; JOHNSON, Roger T.; SMITH, Karl A. Cooperative learning: Improving university instruction by basing practice on validated theory. Journal on Excellence in University Teaching, v. 25, n. 4, p. 1-26, 2014. Disponível em: http://personal.cege.umn.edu/~smith/docs/Johnson-Johnson-Smith-Cooperative_Learning-JECT-Small_Group_Learning-draft.pdf. Acesso em: 02 fev. 2021.

JOHNSON, David; JOHNSON, Roger; SMITH, Karl. A aprendizagem cooperativa retorna às faculdades. Change, v. 3, n. 4, p. 91-102, 1998. Disponível em: https://www.andrews.edu/~freed/ppdfs/readings.pdf. Acesso em: 02 fev. 2021.

MERRITT, J. et al. Problem-based learning in K–8 mathematics and science education: A literature review. Interdisciplinary Journal of Problem-Based Learning, v. 11, n. 2, 2017. https://doi.org/10.7771/1541-5015.1674

NEVES, V. J. et al. Aprendizagem Baseada em Problemas. In: NEVES, V. J., MERCANTI, L.B.(Org.). Metodologias Ativas: perspectivas teóricas e práticas no ensino superior. Campinas: Pontes Editora, 2018.

PÓLYA, G. Como resolver problemas (Tradução do original inglês de 1945). Lisboa: Gradiva, 2003.

RASMUSSEN, C.; MARRONGELLE, K.; BORBA, M. C. Research on calculus: what do we know and where do we need to go? ZDM: Mathematics Education, v. 46, n. 4, p. 507-515, 2014. https://doi.org/10.1007/s11858-014-0615-x

RIBEIRO, L. R. de C. Aprendizagem baseada em problemas (PBL): uma experiência no ensino superior. 2010.

ROBERT, A.; SPEER, N. Research on the teaching and learning of Calculus/Elementary Analsys. In: HOLTON, D. (ed.). The teaching and learning of mathematics at university level - an ICMI study, Netherlands: Kluwer Academic Publishers, 2001. p. 283-299.

TALL, David. Students’ difficulties in calculus. In: proceedings of working group. 1993. p. 13-28. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/David_Tall/publication/242298018_Students'_Difficulties_in_Calculus_Plenary_presentation_in_Working_Group_3_ICME_Quebec_August_1992/links/546ded870cf2d5ae3670800e.pdf. Acesso em: 02 fev. 2021.

TARMIZI, Rohani Ahmad. Visualizing Student's Difficulties in Learning Calculus. Procedia-Social and Behavioral S¬ciences, v. 8, p. 377-383, 2010. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2010.12.053

TEIXEIRA, P. C.; MATOS, J. M. L. de; DOMINGOS, A. A orquestração instrumental dos recursos tecnológicos no ensino da matemática. Recursos na Educação Matemática, p. 291-302, 2016. Disponível em: https://run.unl.pt/bitstream/10362/21301/1/ATAS_EIEM_2016_pt_jmm_amdd.pdf. Acesso em: 02 fev. 2021.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da Pesquisa-Ação. São Paulo: Cortez, 1985.

TROUCHE, Luc. An instrumental approach to mathematics learning in symbolic calculator environments. In: The didactical challenge of symbolic calculators. Springer, Boston, MA, 2005. p. 137-162.

Downloads

Publicado

2021-04-17

Como Citar

FEITOSA, F. E. da S.; RODRIGUES, R. dos S. APRENDIZAGEM COOPERATIVA BASEADA EM PROBLEMAS E ORQUESTRAÇÃO INSTRUMENTAL NO ENSINO DE CÁLCULO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 1, p. e21030, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i1.11798. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/11798. Acesso em: 13 maio. 2021.

Edição

Seção

Educação Matemática