A PROFISSIONALIZAÇÃO DA CARREIRA DOCENTE EM QUÍMICA E O CONHECIMENTO PROFISSIONAL DO PROFESSOR: UM VIÉS HISTÓRICO

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v9i1.11294

Palavras-chave:

Profissão docente. Processo histórico da docência. Formação docente. Formação em Química. Epistemologia do conhecimento docente.

Resumo

Este trabalho é fruto de uma análise crítica realizada por meio de revisão bibliográfica, dividida em duas dimensões, no plano sócio-histórico, sendo elas: o processo de profissionalização da carreira docente, com foco especial em Química, e a natureza do conhecimento profissional docente. Este artigo tem como objetivo compreender como ocorreu a profissionalização da carreira docente em Química e qual a natureza do conhecimento profissional docente. A legitimação da profissão docente está intimamente ligada ao reconhecimento de um corpo de conhecimentos profissionais específicos. Entretanto, a falta de entendimento sobre a natureza e concepção do conhecimento profissional docente dificulta o reconhecimento social da docência e, também, do processo de profissionalização da carreira docente, especialmente, pelo modo como algumas políticas públicas para a formação docente são implantadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Graziele Borges de Oliveira Pena, Universidade Federal de Mato Grosso

Professora Adjunto II (desde 2010) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Campus Universitário do Araguaia (CUA) - Instituto de Ciências Exatas e da Terra (ICET) - Curso de Química Licenciatura. Doutora em Química (2018) pelo Departamento de Química de Pós-Graduação da UFG na área de concentração de Ensino de Química. Mestre em Química (2010) pelo Departamento de Pós-Graduação em Química da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) na área de concentração de Ensino em Química com ênfase na Formação Docente. Possui Graduação em Química: Licenciatura e Bacharelado (2004) pela UFU. Pesquisadora na área de Ensino de Química. Subáreas: Formação Docente, Início da Carreira Docente, Programas de Inserção à docência, História e Epistemologia da Ciência, Epistemologia do Conhecimento profissional Docente em Química, Desenvolvimento do PCKC, Profissionalização da carreira docente, Teoria de Aprendizagem e Currículo. Pesquisadora membro do Grupo de Pesquisa NECSus: Núcleo de Estudos em Currículo, Cultura e Subjetividades. Atuou como coordenadora de projetos de extensão PAPIC (Programa de Acompanhamento de Professores em Início de carreira) e PAPIC/Química (Programa de Acompanhamento de Professores de Química em início de carreira), orientadora de alunos de extensão (editais PBEXT e EXT), Mulheres Cientistas, coordenadora de projetos de pesquisa, orientadora de alunos de pesquisa (PIBIC), membro do Núcleo Estruturante Docente (NDE) do Curso de Licenciatura em Química da UFMT/CUA, Coordenadora do Laboratório de Pesquisa em Ensino de Química do Araguaia ? LaPEQuiA. Atuou como professora de Química da Educação Básica e Ensino Técnico (2005-2008). Atuou na indústria (2004-2005).

Nyuara Araújo da Silva Mesquita, Universidade Federal de Goiás

Licenciada, mestre e doutora em Química pela Universidade Federal de Goiás. Professora associada da área de Ensino de Química na Universidade Federal de Goiás, orientando no mestrado e doutorado do Programa de Pós-Graduação em Química do Instituto de Química-UFG e no Programa de Mestrado em Educação em Ciências e Matemática da UFG, coordenadora de área do PIBID/Química UFG campus Goiânia (Edição 2020), coordena o LEQUAL- Laboratório de Educação Química e Atividades Lúdicas. Pesquisadora colaboradora da Rede Latino-Americana de Pesquisa em Educação Química (RELAPEQ) desde a criação da rede em 2014. É pesquisadora do NUPEC-Núcleo de Pesquisa em Ensino de Ciências da UFG. Vice-diretora da Divisão de Ensino da Sociedade Brasileira de Química nas gestões 2016-2018 e 2018-2020. Editora da seção de Educação da Revista Química Nova. Responsável pela seção "Relatos de Sala de Aula" da Revista Química Nova na Escola. Desenvolve pesquisas na área de Ensino de Química, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores de Química/Ciências, Educação Ambiental, políticas públicas e ensino de Química, jogos e atividades lúdicas voltadas para o ensino de Química e mídias no ensino de Química.

Referências

ALMEIDA, P. C. A.; BIAJONE, J. Saberes docentes e formação inicial de professores: implicações e desafios para as propostas de formação. Revista Educação e Pesquisa. v. 33, n. 2, 2007, p. 281-295. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v33n2/a07v33n2.pdf Acesso em: 01 out. 2020.

BRASIL. Lei nº 010172/ 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília: 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/L10172.pdf Acesso em: 01 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº. 1, de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília: 2001. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02.pdf Acesso em: 14 out. 2020

BRASIL. Ministério da Educação. Decreto nº. 6.096, de 24 de abril de 2007. Institui o Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – REUNI. Brasília: 2007. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20072010/2007/decreto/d6096.htm Acesso em: 09 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Análise sobre a expansão das universidades federais de 2003-2012. Brasília: 2012. http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=12386-analise-expansao-universidade-federais-2003-2012-pdf&Itemid=30192 Acesso em: 09 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº. 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Brasília: 2019. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file Acesso em: 14 out. 2020.

COSTA, K. M. G.; KALHIL, J. D. B.; TEIXEIRA, A. F. Perspectiva histórica da formação de professores de Química no Brasil. Latin American Journal of Science Education. n. 1, 2015, p. 1-15. Disponível em: http://www.lajse.org/may15/12061_Guimaraes.pdf Acesso em: 11 out. 2020

CUNHA, A. L. O. Ensino Superior no Octênio FHC. Revista Educação & Sociedade. v. 24, n. 83, 2003. p. 37-61. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v24n82/a03v24n82 Acesso em: 09 out. 2020.

FENSTERMACHER, G. D. The Knower and the Known: The Nature of Knowledge in Research on Teaching, Review of Research in Education. v. 20, 1994, p. 3-56. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/1167381?seq=1 Acesso em: 23 ago. 2018.

FERNANDEZ, C. Revisitando a base de conhecimentos e o conhecimento pedagógico do conteúdo (PCK) de professores de ciências. Revista Ensaio. v.17, n.2, 2015, p. 500-528. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/epec/v17n2/1983-2117-epec-17-02-00500.pdf Acesso em: 13 out. 2020.

FREITAS, H. C. L. A (nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação & Sociedade. v. 28, n. 100, 2007. p. 1203-1230. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v28n100/a2628100.pdf Acesso em: 15 out. 2020.

GATTI, B. A. Formação de professores no brasil: características e problemas. Educação & Sociedade. v. 31, n. 113, 2010, p. 1355-1379. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v31n113/16 Acesso em: 16 out. 2020

GAUTHIER, Clermont. Por uma teoria da pedagogia: Pesquisas contemporâneas sobre o saber docente. Ijuí: Unijuí, 1998.

GOODSON, Ivor. Conhecimento e Vida Profissional. Estudos sobre educação e mudança. Porto: Editora Porto, 2008.

GUIMARÃES, V. S. Profissão e Profissionalização docente: disposições em relação ao ser professor. In: GUIMARÃES, V. S. (Org.). Formação e profissão docente: cenários e propostas. Goiânia: Editora da PUC de Goiás, 2009.

LÔBO, S.F.; MORADILLO, E. F. Epistemologia e a Formação Docente. Química Nova na Escola. v.17, 2003, p. 39-41. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc17/a10.pdf Acesso em: 16 out. 2020.

MESQUITA, N. A. S.; CARDOSO, M. G. C.; SOARES, M. H. F. B. O projeto de educação instituído a partir de 1990: caminhos percorridos na formação de professores de química no Brasil. Química Nova. v. 36, n. 1, 2013, p. 195-200. Disponível em: http://www.quimicanova.sbq.org. Acesso em: 23 ago. 2020.

MESQUITA, N. A. S.; SOARES, M. H. F. B. Aspectos históricos dos cursos de licenciatura em química no Brasil nas décadas de 1930 a 1980. Química Nova. v. 34, n. 1, 2011, p. 165-174. Disponível em: http://www.quimicanova.sbq.org. Acesso em: 09 out. 2020.

MONTERO, Lourdes. A construção do conhecimento profissional docente. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 23. ed. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, 2017.

NÓVOA, António. (Org.). Profissão Professor. Porto: Porto Editora, 1999.

PENA, G. B. O. O início da docência: vivências, saberes e conflitos de professores de Química. 2010. 215 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Uberlândia, Instituto de Química, Programa de Pós-Graduação em Química, Uberlândia, 2010. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/17319 Acesso em: 13 out. 2020.

PENA, G.B.O., MESQUITA, N. S. Conhecimento Pedagógico do Conteúdo de Química (PCKC): conhecimento profissional específico para a docência em Química. In: FALEIRO, W.; VIGÁRIO, A. F.; FELICIO, C. M. (Org.). Entre fios e tramas da formação inicial e continuada de professores. Goiânia: Kelps, 2020. p. 304-329 (Capítulo 15). Disponível em: https://kelps.com.br/catalogo/entre-fios-e-tramas-da-formacao-inicial-de-professores/ Acesso em: 11 out. 2020.

ROLDÃO, M. C.; FIGUEIREDO, M.; CAMPOS, J.; LUÍS, H. O conhecimento profissional dos professores – especificidade, construção e uso da formação ao reconhecimento social. Revista Brasileira de formação de professores. v. 1, n. 2, 2009, p.138-177. Disponível em: https://repositorio.ipl.pt/bitstream/10400.21/2900/1/Conhecimento%20profissional%20dos%20professores.pdf Acesso em: 16 out. 2020.

ROLDÃO, M. C. Função docente: natureza e construção do conhecimento profissional. Revista Brasileira de Educação. v.12, n.34, 2007, p. 94-181. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a08v1234.pdf Acesso em 16 out. 2020.

SCHNETZLER, R. P. Apontamentos sobre a História do Ensino de Química no Brasil. In: SANTOS, W. L. P.; MALDANER, O. A. (Org.). Ensino de Química em Foco. Ijuí: Editora Unijuí, 2010.

SCHÖN, Donald. The reflective practitioner. Nova York: Basic Books, 1983.

SHULMAN, L. Knowledge and Teaching: Foundations of the new reform. Havard Education Review. v. 57, n. 1, 1987, p. 1-22. Disponível em: https://people.ucsc.edu/~ktellez/shulman.pdf Acesso em: 13 out. 2020.

SHULMAN, L. Those who understand: Knowledge growth in teaching. Educational Researcher. v. 15, n. 2, 1986, p. 4-14.

SILVA, K. A. C. P. C. A (de) formação de professores na Base Nacional Comum Curricular. In: UCHOA, A. M. C.; LIMA, Á. M; SENA, I. P. F. S. (Org.) Diálogos críticos, reformas educacionais: avanço ou precarização da educação pública? Porto Alegre: Editora Fi, 2020. Disponível em: file:///C:/Users/grazi/AppData/Local/Temp/48d206_b5a8740a4b0a4ae0a58087199eefbc6a%20(1)-1.pdf Acesso em 01 out. 2020.

SOUZA, V. C. Política de Formação de professores para a Educação Básica: a questão da igualdade. Revista Brasileira de Educação. v. 19, n. 58, 2014. p. 629-653. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-24782014000800006&script=sci_arttext Acesso em 16 out. 2020.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários Elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação. n.13, 2000, p. 5-24. Disponível em: http://www.ergonomia.ufpr.br/Metodologia/RBDE13_05_MAURICE_TARDIF.pdf Acesso em: 11 out. 2020.

TARDIF, Maurice.; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

Downloads

Publicado

2021-01-22

Como Citar

PENA, G. B. de O.; MESQUITA, N. A. da S. A PROFISSIONALIZAÇÃO DA CARREIRA DOCENTE EM QUÍMICA E O CONHECIMENTO PROFISSIONAL DO PROFESSOR: UM VIÉS HISTÓRICO. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 9, n. 1, p. e21011, 2021. DOI: 10.26571/reamec.v9i1.11294. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/11294. Acesso em: 16 maio. 2021.

Edição

Seção

Educação em Ciências