NO CULTIVO DE UMA OFICINA COM ARTE CONTEMPORÂNEA INDÍGENA: A SOBERANIA DE UM SABER DA MATEMÁTICA NA ESCOLA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v11i1.16491

Palavras-chave:

Visualidade, Pesquisa Cartográfica, Filosofia da Diferença, Arte e Matemática, Sala de Aula

Resumo

O Grupo de Estudos Contemporâneos e Educação Matemática (GECEM) elabora e desenvolve oficinas com matemática, arte, professores e estudantes para exercitar e reivindicar outros modos de fazer educação matemática com arte, nas escolas e nos espaços de formação. Este artigo apresenta os detalhes de uma oficina produzida a partir de uma obra do artista indígena Jaider Esbell, desenvolvida com estudantes de Ensino Fundamental da Escola Básica Professora Herondina Medeiros Zeferino, localizada em Florianópolis/SC. O intuito da oficina é problematizar as imagens naturalizadas da e sobre a matemática que, no ambiente escolar, acontece como efeito da colonialidade do saber, sendo, ao mesmo tempo, uma possibilidade para que os modos e os meios sejam interrogados, visto que reiteradamente se insiste em um único viés de ensino, de aprendizagem e de matemática na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Isadora Cristina Ludvig, Professora de Matemática na Rede Municipal de Ensino de Biguaçu, Biguaçu, Santa Catarina, Brasil.

Formada em Licenciatura em Matemática (UFSC). Atuou como bolsista do PIBID no subprojeto Matemática, entre 2018 e 2020 e foi bolsista de Iniciação Científica nos anos de 2021 e 2022. Atualmente é professora de Matemática na rede Municipal de Biguaçu (SC).

Cláudia Regina Flores, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil

Possui Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal de Santa Catarina (1990), Mestrado em Educação, na linha Ensino de Ciências Naturais e Matemática, pela Universidade Federal de Santa Catarina (1997) e Doutorado em Educação, na linha Ensino de Ciências, pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). Realizou estágio de doutoramento na Universitè de Roeun, França, durante o ano de 2002, Pós-Doutorado na North Carolina State University - EUA, 2010-2011, e Pós-Doutorado na Catholic University of Leuven, Bélgica, 2016-2017. Foi membro da Diretoria Nacional Executiva da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (Gestão 2013-2016). É Professora Titular do Departamento de Metodologia de Ensino, da Universidade Federal de Santa Catarina e professora credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica da Universidade Federal de Santa Catarina. É editora da Educação Matemática na Revista Alexandria do PPGECT-UFSC. Foi coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica- UFSC (Gestão 2018-2020). É líder do Grupo de Estudos Contemporâneos e Educação Matemática, GECEM. Na pesquisa investiga principalmente os seguintes temas: visualidade, arte e história e suas conexões com a formação de professores e o ensino de matemática.

Débora Regina Wagner, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Possui graduação em Matemática Licenciatura Plena pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (2001), mestrado (2012) e doutorado (2017) em Educação Científica e Tecnológica pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica - PPGECT da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Professora no Departamento de Metodologia de Ensino no Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina MEN/CED/UFSC e professora no Programa de Pós-Graduação em Educação PPGE - UFSC. Membro do corpo editorial da Revista Eletrônica de Educação Matemática REVEMAT. Vice líder do Grupo de Estudos Contemporâneos e Educação Matemática - GECEM e membro pesquisadora do GEPHIESC - Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação e Instituições Escolares de Santa Catarina. Possui experiência na área de Educação matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: arte, visualidade, história, filosofia e suas conexões com a educação matemática e a formação de professores.

Referências

CLARETO, Sônia Maria. Matemática como acontecimento na sala de aula. In: 36ª Reunião Nacional da ANPEd, Goiânia, 2013. Anais... Goiânia: [s.n.], 2013. Disponível em: https://www.anped.org.br/biblioteca/item/matematica-como-acontecimento-na-sala-de-aula. Acesso em: 20 ago. 2023.

DELEUZE, Gilles. Abecédario – com Claire Parnet. Versão brasileira, legendada pelo MEC: TV Escola, 2001.

ESBELL, Jaider. O’ma’kon – Bicharada – Reunião de bichos (Exposição). In: Moquém_Surarî. Arte Indígena Contemporânea. São Paulo: Museu de Arte Moderna de São Paulo, 2021.

FLORES, Cláudia Regina; KERSCHER, Mônica Maria. Sobre Aprender Matemática com a Arte, ou Matemática e Arte e Visualidade em Experiência na Escola. BOLEMA: Boletim de Educação Matemática (Online), v. 35, n. 69, p. 22-38, 2021. https://doi.org/10.1590/1980-4415v35n69a02

KERSCHER-FRANCO, Mônica Maria; FLORES, Cláudia Regina. Geometria na arte? Cenas de uma colonização do olhar e do pensar em Educação Matemática. Acta Scientiae, Canoas, v. 24, n. 8, p. 42-68, 2022. https://doi.org/10.17648/acta.scientiae.7144

FLORES, Cláudia Regina; KERSCHER, Mônica Maria; FRANCISCO, Bruno Moreno. Escritas em passagens, investigadores infantes e matemáticas brincantes. Alexandria (UFSC), v. 11, p. 129-142, 2018. https://doi.org/10.5007/1982-5153.2018v11n3p129

LUDVIG, Isadora Cristina. Uma conversa intermatemática com Jaider Esbell e estudantes do Ensino Fundamental: experiências em uma oficina. Trabalho de Conclusão de Curso em Matemática. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2022. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/244208/TCC-_Isadora%20Cristina%20Ludvig.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 20 ago. 2023.

MOEHLECKE, Vilene. Oficinar. In: FONSECA, T. M. G.; NASCIMENTO, M. L. do; MARASCHIN, C. (Orgs.). Pesquisar na diferença: um abecedário. Porto Alegre: Sulina, 2012, p. 165-168. Disponível em: https://vocabpol.cristinaribas.org/wp-content/uploads/2016/08/Pesquisar-na-Diferenca_Um-abeceda%CC%81rio.pdf. Acesso em: 19 out. 2023.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; TEDESCO, Silvia. Pistas do método da cartografia: A experiência da pesquisa e o plano comum. Vol. 2. Porto Alegre: Sulina, 2016.

RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: Cinco lições sobre a emancipação intelectual. Trad. de Lílian do Vale. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

Downloads

Publicado

2023-10-30

Como Citar

LUDVIG, I. C. .; FLORES, C. R. .; WAGNER, D. R. . NO CULTIVO DE UMA OFICINA COM ARTE CONTEMPORÂNEA INDÍGENA: A SOBERANIA DE UM SABER DA MATEMÁTICA NA ESCOLA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, Cuiabá, Brasil, v. 11, n. 1, p. e23070, 2023. DOI: 10.26571/reamec.v11i1.16491. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/16491. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

Rede de Formação e Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática