ENSINO DE FÍSICA EM ESPAÇOS NÃO-FORMAIS: VIVÊNCIAS E EXPERIÊNCIAS ALÉM DOS MUROS DA ESCOLA

Autores

DOI:

10.26571/reamec.v8i3.10623

Palavras-chave:

Ensino de Ciências. Ensino de Física. Espaços não-formais.

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo discutir como a utilização dos espaços não-formais na educação podem ser relevantes para a contextualização de conteúdos para o ensino de Física. Para tanto, partimos dos seguintes objetivos específicos: apresentar experiências extraclasse que demonstrem os conteúdos de Física no cotidiano; refletir sobre as vivências adquiridas pelos estudantes na atividade desenvolvida; evidenciar como atividades práticas fora da sala de aula pode contribuir para o ensino de Física. No transcorrer da pesquisa observamos de maneira prática a ocorrência de fenômenos físicos de troca do estado da água líquida para o estado sólido (gelo), dentre outros processos termodinâmicos. Os resultados obtidos indicam que o ensino de Física, se executado de forma mais concreta em espaços não-formais pode facilitar a compreensão dos alunos sobre os conteúdos ministrados em espaço formal aproximando-os da sua realidade tendo em vista as situações vivenciadas e as experiências refletidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.generic.paperbuzz.metrics##

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Whasgthon Aguiar Almeida, Universidade do Estado do Amazonas

Doutor em Educação em Ciência e Matemática pela Universidade Federal do Mato Grosso - UFMT/REAMEC (2018); Mestre em Ensino de Ciências pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA (2008); Especialista em Ciências da Educação pela UNISUL (2010); Licenciado em Normal Superior pela Universidade do Estado do Amazonas (2006), possuindo experiência na área de Educação, Educação do Campo e Educação em Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: Formação de Professores, Políticas Públicas, Gestão Escolar, Pedagogia de Projetos, Pesquisa em Educação e Orientação de TCC.

Adan Sady Medeiros, Universidade do Estado do Amazonas

Possui graduação em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2008), Mestrado em Física pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte e Doutorado em Clima e Ambiente pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, em parceria com a Universidade do Estado do Amazonas. É professor Adjunto do quadro efetivo da Universidade do Estado do Amazonas. Tem experiência de pesquisa na área de simulação de sistemas magnéticos nanoestruturados e em ensino de física. Ainda possui experiência em docência nos níveis básico e superior de ensino. Atualmente é coordenador Adjunto do Plano Nacional de Formação de Professores da UEA e realiza pesquisas em modelagem de química da atmosfera utilizando o modelo WRF-Chem.

Valdecy Lima Araújo, Universidade do Estado do Amazonas

Licenciado em Física pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA). 

Referências

CRESWELL, John W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

GHEDIN, Evandro; OLIVEIRA, Elisangela S; ALMEIDA, Whasgthon Aguiar de. Estágio com Pesquisa. São Paulo: Cortez, 2015.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2017.

JACOBUCCI, D.F.C. Contribuições dos Espaços não-formais de educação para a formação da cultura científica. Em extensão, v.7, p. 55-66, 2008.

KRASILCHIK, Myrian; MARANDINO, Martha. Ensino de Ciências e cidadania. 2.ed. São

Paulo: Moderna, 2007.

LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos da Metodologia Científica. 6 ed. São Paulo: Atlas,

MALDANER, Otávio Aloísio. A formação inicial e continuada de professores de Química. 3.ed. Ijuí - RS: Unijuí, 2006.

MOURA, Maria Teresa Jaguaribe Alencar de. Escola e Museu de Arte: uma parceria possível para a formação artística e cultural das crianças. Rio de Janeiro: Anais da 28ª Reunião Anual da ANPED, 1-18, 2005.

OLIVEIRA, Renato José. A escola e o ensino de ciências. São Leopoldo-RS: Unisinos, 2000.

PICONEZ. Práticas educativas. São Paulo: Sinodal, 2004.

QUEIROZ R. M.; TEIXEIRA, H. B.; VELOSO, A. S.; TERÁN, A. F.; QUEIROZ, A. G. A caracterização dos espaços não-formais de educação científica para o Ensino de Ciências. Revista Amazônica de Ensino de Ciências, v. 4, n. 7, p.12-23, 2011.

SAMPIERI, Roberto Hernandéz; CALLADO, Carlos Fernández; LUCIO, María del Pilar Baptista. Metodologia de Pesquisa. 5ª ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

SILVA, A. L. F.; PERRUDE, M. R. Atuação do pedagogo em espaços não-formais: algumas reflexões. Revista Eletrônica Pro-Docência/UEL, v. 1, n. 4, p. 46-56, 2013.

VIEIRA, Bianconi e Dias. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Rio de Janeiro: UFRJ, 2012.

Downloads

Publicado

2020-09-07

Como Citar

ALMEIDA, W. A.; MEDEIROS, A. S.; ARAÚJO, V. L. ENSINO DE FÍSICA EM ESPAÇOS NÃO-FORMAIS: VIVÊNCIAS E EXPERIÊNCIAS ALÉM DOS MUROS DA ESCOLA. REAMEC - Rede Amazônica de Educação em Ciências e Matemática, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 173-188, 2020. DOI: 10.26571/reamec.v8i3.10623. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/10623. Acesso em: 13 maio. 2021.