ATLETISMO NA ESCOLA É POSSÍVEL! EXPERIÊNCIA DO ENSINO DO ATLETISMO EM AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Autores

Palavras-chave:

Atletismo, Escola, Educação Física, Pedagogia do Esporte

Resumo

A presente investigação alvitra por cotejar a presença do atletismo enquanto conteúdo em aulas de Educação Física, em uma escola pública localizada em Cáceres/MT. O estudo assenta-se sob uma compreensão qualitativa, de natureza propositivo-exploratória. Recorreu a dois instrumentos metodológicos: um questionário estruturado e registros em um diário de campo. Com base nos resultados notou-se que a percepção dos participantes em relação ao conteúdo atletismo, apresenta-se circunscrita ao ensino de outras modalidades esportivas, ou ainda atrelada às outras práticas corporais, cuja natureza, nem sempre guarda relação com os saberes que fundamentam o atletismo. Apesar disso, um fato positivo foi à constatação de sua presença. Diante disso, os pesquisadores observaram demandas para se pensar possibilidades para seu ensino, a partir das finalidades do espaço escolar. Destarte, essa investigação operou em duas direções, a de averiguar o espaço de ocupação do atletismo, igualmente em que discorreu possibilidades para o ensino desse saber.

Biografia do Autor

João Carlos Martins Bressan, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Mestre em educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (2014). Especialista em tecnologias da educação pela Pontifícia Universidade Católica /RJ (2010) e graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Faculdade Estadual de Educação Ciências e Letras de Paranavaí/PR (2006). Atualmente é docente da Faculdade de Ciências da Saúde no curso de Educação Física da Universidade do Estado de Mato Grosso. Participa como tutor do (PET-SAÚDE/GRADUASUS) e é pesquisador da rede CEDES/MT. Participa ainda em projetos de pesquisa e extensão que tem como principais temáticas: formação de professores; estudos aplicados em pedagogia do esporte e esporte e desenvolvimento humano.

Kleber Tuxen Carneiro, Universidade Federal de Lavras, Departamento de Educação Física (UFLA)

Graduado em Educação Física e Pedagogia, com especialização em Pedagogia do Movimento, Mestrado em Educação Escolar (na linha de pesquisa: Psicologia da Educação) pela FCLAr-Unesp e Doutorado na mesma área, contudo em outra linha (Estudos históricos, filosóficos e antropológicos sobre escola e cultura). Concentra experiências na área da Educação de modo geral, atuando especialmente nos temas: Estudos sobre a Teoria do Jogo e a constituição da Cultura Lúdica; História da Educação e da Educação Física, Didática e Metodologias no Ensino em Educação Física e Aspectos da Psicologia da Aprendizagem na Educação Infantil. Desenvolve pesquisas com enfoque epistemológico dentro dos eixos temáticos: Teoria do Jogo, Memória e constituição da Cultura Lúdica, Aspectos do Ensino e Aprendizagem vinculados a Educação Física Escolar; Estudos sobre a Infância e as Práticas de Ensino ligadas à Educação Infantil e pesquisas historiográficas. Atualmente é Professor Adjunto na Universidade Federal de Lavras (UFLA). Participa como pesquisador, junto ao Laboratório de Estudos Aplicados em Pedagogia do Esporte - LEAPE (Unemat).

Riller Silva Reverdito, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Adventista de São Paulo (FAH/UNASP), Mestrado em Educação Física pela Universidade Metodista de Piracicaba (FACIS/UNIMEP), na área de concentração Movimento Humano, Cultura e Educação, e Doutorado em Educação Física pela Universidade Estadual de Campinas (FEF/UNICAMP), na área de Biodinâmica do Movimento e Esporte. Atualmente é docente na Faculdade de Ciências da Saúde, curso de Educação Física, da Universidade do Estado de Mato Grosso (FACIS/UNEMAT). Atua na área de Educação Física e Esporte, na linha de pesquisa Movimento Humano, Esporte e Educação, com ênfase em Estudos Aplicados em Pedagogia do Esporte, Educação Física Escolar, Desenvolvimento Positivo dos Jovens e Avaliação de Impacto Social.

Roberto Carlos Vieira Júnior, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Possui graduação em Educação Física (2009); Pós-graduação lato sensu em Personal Trainer (2011); Pós-graduação lato sensu em Exercício Físico e Nutrição: na saúde, na doença e no esporte (2012); Pós-graduação stricto sensu em nível de Mestrado em Biociência (2013), área de concentração: Nutrição; linha de pesquisa: Nutrição, Exercício, Rendimento Físico e Doenças Metabólicas (FANUT/ UFMT). Atualmente é Professor Assistente da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT); colaborador do ?Laboratório de Bioquímica, Biologia Molecular e Exercício Físico - LABMEF" FEF/UFMT; e do ?Laboratório de Estudos Aplicados em Pedagogia do Esporte? FACIS/UNEMAT. Coordenador do PET/Saúde Gradua SUS, no Curso de Educação Física da UNEMAT.

Karine Silva Bozoki, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Possui graduação em Recursos Humanos pela Universidade Anhanguera - Uniderp (2014). Atualmente cursando Licenciatura em Educação Física na Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Voluntária do projeto PET-SAÚDE/GRADUASUS. Membra do colegiado do PET-SAÚDE/GRADUASUS. Voluntária no Laboratório de Estudos Aplicados em Pedagogia do Esporte (LEAPE/UNEMAT). bolsista de apoio técnico do Centro de Desenvolvimento de Pesquisas em Políticas de Esporte e de Lazer da Rede Cedes do estado de Mato Grosso. Membra do colegiado da faculdade de ciência da saúde - FACIS. Tem interesse em linhas de pesquisa em Educação Física escolar, formação de professores, Esporte e Educação.

Denilson Abreu Pinheiro, Graduado em Educação Física pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Graduado em Educação Física pela Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Referências

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 196, de 10 de outubro de 1996. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 1996.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n° 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Diário Oficial da União, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Terceira Versão revista. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf>. Acesso em: 09 mai. 2017.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

CALVO, Adriano Percival; MATTHIESEN, Sara Quenzer. O atletismo está presente nas aulas de educação física escolar? Educación Física y Deportes, v. 16, n. 160, sept., 2011.

COLL, César. Psicologia do ensino. Porto Alegre, RS: Artes Médicas, 2000.

DARIDO, Suraya Cristina. Diferentes concepções sobre o papel da educação física na escola. In: UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Prograd. Caderno de formação: formação de professores didática geral. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2012.

GÓES, Flávia Temponi; VIEIRA JÚNIOR, Paulo Roberto; OLIVEIRA, Pamela Aparecida Silva. Algumas reflexões sobre a inserção e o ensino do atletismo na educação física escolar. Revista mackenzie de educação física e esporte, v. 13, n. 1, p. 96-108, ago. 2014.

IAAF. “Miniatletismo IAAF”: um guia prático para animadores de atletismo para crianças.Manaus, AM, 2002.

LENCINA, Lyselenne de Avila; ROCHA JÚNIOR, Ivon Chagas. Diagnóstico do atletismo escolar em Santa Maria. Kinesis, n. 25, p. 71-89, 2001.

MARIANO, Cecília. Educação física: o atletismo no currículo escolar. 2. ed. Rio de Janeiro: Wak, 2012.

MARQUES, Carmen Lúcia da Silva; IORA, Jacob Alfredo. Atletismo escolar: possibilidades e estratégias de objetivo, conteúdo e métodos em aulas de Educação Física. Movimento, v. 15, n. 2, p. 103-118, abr./ jun., 2009.

MATTHIESEN, Sara Quenzer (Org.). Atletismo se aprende na escola. Jundiaí, SP: Fontoura, 2005.

______. Atletismo teoria e prática. 2. ed. Rio de Janeiro, RJ: Guanabara Koogan. 2017.

______. Atletismo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MOTA e SILVA, Eduardo Vinícius e colaboradores. Atletismo (ainda) não se aprende na escola? revisitando artigos publicados em periódicos científicos da educação física nos últimos anos. Movimento, v. 21, n. 4, p. 1111-1122, out./ dez., 2015.

OLIVEIRA, Maria Cecília Mariano de. Atletismo escolar: uma proposta de ensino na educação infantil. Rio de Janeiro: Sprint, 2006.

REVERDITO, Riller Silva; SCAGLIA, Alcides José. Pedagogia do esporte: jogos coletivos de invasão. São Paulo: Phorte, 2009.

REVERDITO, Riller Silva e colaboradores. Pedagogia do esporte: possibilidades para o convívio com o esporte no contexto escolar. In: SILVA, Júnior Vagner Pereira da; SILVA, Luiza Lana Gonçalves; MOREIRA, Wagner Wey (Orgs.). Educação física e seus diversos olhares. Campo Grande, MS: Editora da UFMS, 2016.

SCAGLIA, Alcides José; FREIRE, João Batista. Educação como prática corporal. São Paulo: Scipione, 2003.

Downloads

Publicado

2018-04-25

Como Citar

Bressan, J. C. M., Carneiro, K. T., Reverdito, R. S., Vieira Júnior, R. C., Bozoki, K. S., & Pinheiro, D. A. (2018). ATLETISMO NA ESCOLA É POSSÍVEL! EXPERIÊNCIA DO ENSINO DO ATLETISMO EM AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA. Corpoconsciência, 22(1), 13-23. Recuperado de https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/5760

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>