https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/issue/feed Corpoconsciência 2020-11-26T10:31:06+00:00 Evando Carlos Moreira ecmmoreira@uol.com.br Open Journal Systems <p>A revista CORPOCONSCIÊNCIA é uma publicação quadrimestral da Faculdade de Educação Física da Universidade Federal de Mato Grosso – FEF/UFMT, Brasil, com avaliação peer-review e de acesso livre. Fundada em 1997 pela FEFISA – Faculdade de Educação Física de Santo André e, desde 2015 editada na UFMT, publica artigos sobre o movimento humano e sua interface com a Educação Física, Esporte e áreas afins.</p><p>ISSN: 1517-6096</p><p>ISSNe: 2178-5945</p> https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/8600 PRÁTICAS CORPORAIS E EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR 2020-08-07T08:21:41+00:00 Renan Santos Furtado renan.furtado@yahoo.com.br <p>O presente ensaio discute o campo da Educação Física escolar a partir do conceito de práticas corporais. Para tal, faz relação com o modo como as práticas corporais historicamente se vincularam com projetos educacionais no Brasil. Por fim, apresenta uma nova perspectiva para pensarmos os sentidos e as finalidades do trato com as práticas corporais na Educação Básica.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10600 O (NÃO) LUGAR DO SMARTPHONE NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR 2020-07-29T16:41:17+00:00 Fábio Souza de Oliveira fabiopatchanka@hotmail.com Cláudio Márcio Oliveira clamoliv1974@hotmail.com <p>O presente estudo teve como objetivo analisar as possibilidades de utilização do smartphone enquanto ferramenta de ensino e aprendizagem na Educação Física, na Educação Básica. Participaram da pesquisa cento e vinte e oito alunos do ensino fundamental II, de uma escola pública estadual da cidade de Feira de Santana. A pesquisa durou um trimestre letivo, período em que foram realizadas as intervenções deste ciclo. Pudemos compreender como viável o trato com o conteúdo voleibol a partir de uma abordagem mídia-educativa a partir do celular smartphone<em>.</em></p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10061 MÉTODO SITUACIONAL 2020-07-28T11:20:19+00:00 Bruno Minuzzi Lanes brunolanes10@hotmail.com Raquel Valente de Oliveira raquelvvallente@hotmail.com João Francisco Magno Ribas ribasjfm@hotmail.com <p>Esta pesquisa objetivou identificar os elementos conceituais que norteiam a compreensão da organização metodológica do Método Situacional e suas implicações para o processo de ensino-aprendizagem-treinamento dos esportes coletivos. Para isso, realizou-se uma revisão narrativa, em que foram selecionados 10 artigos publicados em sete periódicos brasileiros, ao utilizar o termo “Método Situacional” em suas plataformas de busca. Após a leitura e interpretação dos artigos, foram identificados sete elementos conceituais que norteiam a compreensão da organização metodológica do Método Situacional: Solução de Problemas; Situações de Jogo; Estruturas Funcionais; Continuidade das Ações do Jogo; Aprendizado Tático; Inter-relação Técnico-Tática; Transferência dos Conhecimentos do Treino para o Jogo. Cada um desses elementos permite compreender as proposições teórico-metodológicas do Método Situacional, apontando seus avanços em relação aos modelos de ensino que primam pelo desenvolvimento técnico dissociado do contexto do jogo, ou seja, o ensino tradicional dos esportes coletivos.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11072 PARTICIPAÇÃO DE JOVENS TENISTAS EM COMPETIÇÕES DE 12 A 16 ANOS 2020-09-29T13:21:41+00:00 Rodrigo Silveira rbsilveira21@yahoo.com.br Rodrigo Vieira Bulso rodrigo.bulso@gmail.com Carlos Adelar Abaide Balbinotti carlos.balbinotti@ufrgs.br <p>O objetivo do estudo foi descrever como transcorre a participação de tenistas dos 12 aos 16 anos nas competições infantojuvenis, segundo a percepção de um grupo de treinadores. O estudo foi do tipo descritivo-exploratório, de cunho qualitativo. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 11 treinadores de tênis de quatro estados brasileiros. Os resultados permitiram considerar que existe a necessidade de se propor e implementar modelos de competições de tênis mais adequados aos jovens. Concluiu-se, conforme a visão dos entrevistados, que muitos atletas acabam competindo sem motivação, ocasionando muitas desistências, decorrentes de uma má transição dos estágios do Tennis 10’s para o modelo tradicional. Por outro lado, percebeu-se o surgimento de ideias advindas da diversificação de competições adequadas e atrativas para diversos grupos de tenistas nessa faixa etária.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10783 A AVENTURA COMO DESAFIO AOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2020-11-10T18:14:39+00:00 Dimitri Wuo Pereira dimitriwuo141@gmail.com Sara Pereira Romão sara.pereiraromao@gmail.com Aline Aparecida Silva Camargo alinehrh@gmail.com <p>O presente artigo trata da percepção dos estudantes de Educação Física a respeito da temática da aventura, dada a sua importância recente nos cursos de graduação. O objetivo foi revelar o entendimento dos futuros professores sobre o tema da aventura e a importância que dão ao assunto. A pesquisa qualitativa e quantitativa com abordagem descritiva exploratória contou com a participação de 218 estudantes do 1° ano do curso de Educação Física de uma Universidade privada de São Paulo. Observou-se que os estudantes valorizam a aventura por promover o desenvolvimento de condições psicológicas e o conhecimento adquirido é entendido como ampliação cultural e nova abertura para o mercado de trabalho. Os estudantes se interessam por aprender as práticas de aventura e apontam para uma expansão dessa área de atuação, cabendo às Instituições de Ensino Superior abordar esses conhecimentos para que sejam parte do acervo cultural dos futuros profissionais.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10984 ESTUDOS E EXPERIÊNCIAS SOBRE A GINÁSTICA PARA TODOS E PAULO FREIRE 2020-10-12T20:47:01+00:00 Eliana de Toledo eliana.toledo@fca.unicamp.br <p>Desde 1988, as publicações sobre a Ginástica para Todos (GPT) no Brasil têm reforçado uma perspectiva pedagógica, com vistas à oferta de propostas de ensino (método, estratégias, educativos, etc). Assim, o objetivo da pesquisa é identificar quais obras e autores nacionais têm apresentado relações entre a GPT e o pedagogo Paulo Freire. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, cuja amostra envolve todos os Anais do Fórum Internacional de Ginástica para Todos, e que utilizou-se da análise de conteúdo por categorias <em>a priori</em>. Identificou-se um total de 35 produções, distribuídas nas nove edições. Um grupo pequeno de autores traz produções recorrentes, e outros, de forma mais pontual. Sete obras foram mencionadas, se destacando a “Pedagogia da Autonomia”. A pesquisa colaborou para uma maior sistematização destas produções, assim como, visa inspirar os educadores para abarcar e melhor dialogarem com Paulo Freire, fortalecendo ainda mais a perspectiva pedagógica e transformadora da GPT.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/9384 EFETIVIDADE DE UM PROGRAMA COMUNITÁRIO DE ATIVIDADE FÍSICA 2020-08-03T09:20:58+00:00 Antônio Gomes de Resende-Neto neto.resende-edf@hotmail.com Mariely da Silva Resende marielyresende123@gmail.com Bruna Caroline Oliveira-Andrade oliveiraa.atendimento@gmail.com Leury Max Da Silva Chaves leury_max@hotmail.com Albernon Costa Nogueira albernoncosta@yahoo.com.br Glauber Rocha Monteiro glauber_ufs@yahoo.com.br Kleilson Ricardo de Albuquerque kralbuquerque@yahoo.com.br Marzo Edir Da Silva-Grigoletto dasilvame@gmail.com <p>O presente estudo buscou analisar a efetividade de um programa comunitário de atividade física, por meio da comparação da funcionalidade entre idosas “iniciantes” e “veteranas”. A amostra foi dividida em: Grupo Iniciantes (GI, n=15): participantes inscritas no programa a menos de seis meses; e Grupo Veteranas (GV, n=15): participantes inscritas há mais de um ano no programa. O GV apresentou melhor desempenho em todos os testes funcionais quando comparado ao GI, a saber: Agilidade/equilíbrio (<em>p</em>=0,02; +33% superior ao GI), Força de membros inferiores (<em>p </em>= 0,01; +25%), Força de membros superiores (<em>p</em>=0,03; +23%) e Capacidade cardiorrespiratória (<em>p</em>=0,03; +20%). No que concerne às variáveis antropométricas, tanto o IMC (<em>p</em>=0,53) quanto o RCQ (<em>p</em>=0,74) não apresentaram diferenças entre os grupos. Assim, podemos concluir que o programa comunitário analisado é efetivo no aprimoramento da capacidade funcional de idosas fisicamente ativas no transcorrer do tempo.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10394 NÍVEL DE ATIVIDADE FÍSICA E CAPACIDADE FUNCIONAL DE IDOSOS PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO 2020-07-19T11:45:42+00:00 Adeilton José dos Santos adeiltonjosan@hotmail.com Lúcio Marques Vieira Souza profedf.luciomarkes@gmail.com Antenor de Oliveira Silva Neto antenoneto@hotmail.com Jymmys Lopes Dos Santos jymmyslopes@yahoo.com.br Dilton Dos Santos Silva diltonsilvasu@hotmail.com Jorge Rollemberg Dos Santos jorge.rollemberg@hotmail.com <p>O envelhecimento populacional no mundo vem crescendo de forma constante, fazendo as populações de todas as partes do mundo se tornarem relativamente envelhecidas. O presente estudo teve como objetivo avaliar o Nível de Atividade Física e a Capacidade funcional de idosos praticantes de musculação. As variáveis estudadas foram: nível socioeconômico, percentual de gordura, avaliação do nível de atividade física e capacidade Funcional e teve como resultados a prevalência de mulheres (17) para Homens (14), e a idade predominante foi dos 60 aos 70 anos. Sobre a classificação de IMC dos idosos foi observada a prevalência da eutrofia, para os níveis de atividades os resultados apresentados foram satisfatórios ao comparar com outros estudos, ou seja, em sua maioria nos níveis ativos, a capacidade funcional apresentada enquadrou todos os idosos como independentes. Conclui-se que a atividade física é um importante aliado na melhoria dos mais diversos fatores que influenciam no processo de envelhecimento.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11197 ASPECTOS SOCIALIZADORES EVIDENCIADOS POR PRATICANTES DE GINÁSTICA PARA TODOS EM PROCESSO DE ENVELHECIMENTO 2020-10-20T02:44:07+00:00 Priscila Lopes priscila.lopes@ufvjm.edu.br Sandra Regina Garijo de Oliveira sandra.oliveira@ufvjm.edu.br Loizy Maria Gomes Santos loizy.m2012@hotmail.com Mirian Franciele Porto de Souza mirianportodesouza@gmail.com <p class="COcorpodotexto" style="text-indent: 0cm; line-height: normal;">O presente estudo objetivou investigar se foram estabelecidas relações interpessoais entre sujeitos em processo de envelhecimento participantes de projeto de extensão de Ginástica Para Todos (GPT) desenvolvido em uma universidade durante o ano de 2019, e quais aspectos inter-relacionais foram mais evidenciados por esses sujeitos. Por meio de entrevista semi-estruturada e análise temática, os resultados indicaram diferentes aspectos inter-relacionais presentes na prática de GPT, os quais foram evidenciados em relação ao convívio com os colegas de prática, com os monitores do projeto e com o coletivo (todos os envolvidos no projeto), tais como: coletividade, colaboração, compartilhamento de conhecimentos, ludicidade, amizades novas, comunicação, carinho, desinibição e cuidado. Logo, acreditamos que a socialização é de suma importância para pessoas em processo de envelhecimento e o reconhecimento dos aspectos inter-relacionais mais evidenciados por esses sujeitos podem contribuir para o desenvolvimento de atividades mais adequadas para este público.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/10040 RELAÇÃO ENTRE CAPACIDADE FUNCIONAL E INDICADORES ANTROPOMÉTRICOS EM IDOSOS 2020-07-19T11:41:18+00:00 Gabriela Simões Silva gabssimoes9@gmail.com Aline Wanderley de Barros alinewandy@yahoo.com.br Thamires Cecílio Melo Ribeiro thams.cecilio@hotmail.com Moisés Augusto de Oliveira Borges m.oliveiraborges@hotmail.com José Camilo Camões camilocamoes@gmail.com <p>Objetivou-se avaliar a capacidade funcional dos idosos que frequentam determinado grupo e correlacionar com indicadores antropométricos. Participaram da pesquisa 13 idosos (73±6,89 anos). A coleta de dados foi realizada por avaliação física e a escala de atividades instrumentais da vida diária de Lawton e Brody. Os resultados indicaram que o IMC variou entre 20,81kg/m2 e 42,45kg/m2 (26,50±5,52); A Relação Cintura Quadril variou entre 0,76cm e 0,96cm (0,85±0,06); e a Circunferência da Cintura variou entre 73,00cm e 116,00cm (91,92±12,68). A correlação entre as variáveis indicou correlação moderada positiva entre CC e RCQ e muito forte positiva entre IMC e CC. Mesmo com variações significativas na amostra, percebeu-se que idosos que praticam atividade física são aqueles que apresentaram mais independência nas suas atividades da vida diária, ou seja, melhor capacidade funcional.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11371 IDOSOS E A DANÇA 2020-10-29T10:43:13+00:00 Cássio Lucas Silva de Lima cassiolucas.limaa@gmail.com Evandro Jorge Souza Ribeiro Cabo Verde caboverde@ufam.edu.br Lionela da Silva Corrêa lionela@ufam.edu.br <p><span style="font-weight: 400;">O objetivo deste estudo é analisar as pesquisas realizadas no Brasil relacionadas à dança e idosos. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica descritiva do tipo revisão sistemática integrativa. Encontrou-se um total de 12 artigos publicados que atendiam as necessidades da revisão. As pesquisas trouxeram como resultados a dança enquanto uma ferramenta de ótimos benefícios, oportunizando aos idosos beneficies em sua saúde, bem como em traços motores, psicológicos e em âmbito social, ampliando as capacidades físicas e lhes proporcionando assim, uma maior expectativa de vida. Em relação aos participantes das pesquisas, 95% foram mulheres idosas praticantes de dança. Inflamos que a área estudada oferece cenários a serem trabalhados onde possuem também ferramentas e instrumentos que auxiliam o seu desenvolvimento. E destaca-se que é preciso expandir esse campo de estudo visto que em trinta anos existe um baixo número de publicações existentes, principalmente na região norte do país que apresentou apenas um artigo.</span></p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11369 A PRÁTICA DE ATIVIDADES E EXERCÍCIOS FÍSICOS REALIZADOS POR IDOSOS QUE FREQUENTAM UM PROGRAMA MUNICIPAL DE CONVIVÊNCIA E O PAPEL DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA NESSE CONTEXTO 2020-10-29T10:40:47+00:00 Walkiria Gomes de Moraes walkiriademoraes@gmail.com Lucas Zanon Pina lucaszpina@yahoo.com.br Waldecir Paula Lima waldecir@ifsp.edu.br <p>Dentre os diversos projetos desenvolvidos pela Prefeitura do Município da Estância Balneária de Praia Grande – São Paulo, destaca-se o Programa Conviver, proposto pela Secretaria de Assistência Social, que atende mais de 5.200 munícipes acima dos 60 anos de idade e oferece, aos frequentadores, várias opções de atividades, incluindo a prática de atividades e exercícios físicos. Posto isso, esse estudo tem por objetivo relatar experiências relacionadas a inserção e execução da prática das atividades e exercícios físicos no desenvolvimento do Programa Conviver, além de elucidar o papel protagonista do Profissional de Educação Física nesse campo de atuação e como integrante da equipe multiprofissional, necessária para o desenvolvimento desse projeto.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11380 A PRÁTICA DA GINÁSTICA PARA TODOS COMO UMA POSSIBILIDADE DE PROMOVER A AUTONOMIA DA PESSOA IDOSA 2020-11-01T12:14:38+00:00 Ingrid de Oliveira Santos ingrid.oliveira.santos@usp.br Mariana Harumi Cruz Tsukamoto maharumi@usp.br <p>A Ginástica Para Todos (GPT) é uma modalidade gímnica que proporciona atividades adequadas para todos os gêneros, faixas etárias, habilidades e experiências culturais. O objetivo deste estudo foi identificar de que forma os idosos praticantes de GPT no programa “USP Aberta à Terceira Idade” da EACH-USP compreendem a modalidade e observar como essa prática pode contribuir com a autonomia deste público. Para a coleta de dados utilizou-se uma entrevista semiestruturada. Os dados foram categorizados de acordo com a proposta de ensino da Federação Internacional de Ginástica. Os achados da pesquisa indicaram que os idosos percebem a GPT como uma modalidade prazerosa que não se limita apenas ao desenvolvimento do condicionamento físico. Ao longo desses anos o projeto tem contribuído com a autonomia e independência dos idosos, à medida que auxilia na manutenção e melhora da capacidade funcional e afeta de forma positiva a saúde mental e psicológica desses indivíduos.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/corpoconsciencia/article/view/11385 A PRÁTICA DO KENDŌ COMO UMA POSSIBILIDADE DE PROMOÇÃO DO ENVELHECIMENTO ATIVO 2020-11-19T01:14:45+00:00 Natalia Lopes Moreno natalialopesmoreno@gmail.com Paula Regina Pimentel Winiawer paulawiniawer@gmail.com Mariana Harumi Cruz Tsukamoto maharumi@usp.br <p>É de conhecimento comum que o envelhecimento faz parte dos processos naturais da vida, o número de idosos tem crescido na população e tem chamado atenção das políticas públicas de saúde. Para atingir as necessidades deste público faz-se necessário a oferta de práticas inclusivas. Uma possibilidade de prática que trabalha os aspectos físicos, emocionais, mentais, psicológicos e espirituais são as artes marciais. O <em>Kendō</em> é a uma das modernas disciplinas do <em>budō</em>, que consiste na prática da esgrima japonesa, baseada em técnicas samurais de combate. O objetivo do presente texto é apresentar as principais características do <em>Kendō</em> e como a sua prática pode promover o envelhecimento ativo. Alguns conceitos gerontológicos foram levantados ao longo do texto como autonomia, dependência, geratividade, qualidade de vida, <em>life span</em>, envelhecimento ativo e bem-estar subjetivo, e foi possível observar as relações entre o <em>kendoka </em>idoso e as contribuições desta prática para o desenvolvimento nessa fase da vida.</p> 2020-11-26T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Corpoconsciência